Conecte-se agora

Novo modelo de gestão adotado por Ribamar Trindade reduz, em apenas 100 dias, despesas do gabinete civil de R$ 2,154 milhões para R$ 299 mil

Publicado

em

O jornalista Astério Moreira, de ac24horas, conversou por mais de uma hora com o secretário do Gabinete Civil do governo, o advogado Ribamar Trindade. O tema principal foi o relatório de gestão da pasta dos primeiros cem dias de governo Gladson Cameli (Progressista). Segundo o gestor, o Gabinete Civil reduziu despesas do governo anterior, no valor de R$ 2,154 milhões, para apenas 299 mil reais, ou seja: uma queda vertical de 86% da despesa em relação ao mesmo período do ano anterior. “A meta era reduzir em 70%, superamos em 21%”, só conseguimos porque restringimos muitos contratos”, revelou. Falou com orgulho de sua equipe e da necessidade de se respeitar e valorizar o servidor público. “Tem que haver a cultura do profissionalismo”, diz.

Temas políticos espinhosos também foram abordados na entrevista, como, por exemplo, o porquê da falta de coesão da base de sustentação política do governo na Assembleia Legislativa, a CPI na Energisa, o pagamento das dívidas da segurança, educação, saúde e o relacionamento do executivo com os demais poderes. Ribamar também tentou explicar o tripé Gabinete Civil, Fazenda, Planejamento, que deixa um seleto grupo da equipe de governo com super-poderes.

Ribamar Trindade destacou o momento de transição que ele chamou de “velho modelo político de gestão para uma nova performance de gestão competente, eficiente, transparente e honesta. Sem politicagem”. Para Ribamar, algumas pessoas ainda se deram conta de que o Brasil e o Acre mudaram.

Nessa entrevista ele explica as reais funções do Gabinete Civil, bem como o objetivo em transmitir o legado de um novo modelo de gestão implementado pelo governador Gladson e sua equipe para as gerações futuras. “Esse cargo aqui é passageiro”, disse demonstrando desapego. Falou também que todas as decisões são tomadas pelo governador deixando claro que a palavra dele é valorizada e respeitada. “Aqui quem decide é o governador, ajudamos com orientações jurídicas e técnicas para o bom funcionamento do estado”, frisou.

Durante a entrevista reafirmou a execução do plano de contenção de gastos do governo para evitar o empobrecimento do estado. Disse que o Gabinete Civil exerce funções importantes como dá suporte aos novos secretários – equipe nova e inexperiente -, que recorrem diariamente a pasta para poder validar seus autos e como fazê-los. Veja a seguir a entrevista.

O PAPEL DO GABINETE CIVIL

Ribamar Trindade explicou que a maioria das pessoas desconhece o real papel do Gabinete Civil. É o condutor de diálogo entre o Executivo e os demais Poderes, instituições e a sociedade civil. Tem a função técnica de provocar e produzir o diálogo interno para garantir unidade do governo, além de fazer funcionar o Gabinete do Governador. É o responsável pela probidade, transparência e lisura dos atos do governador. Tem também a função diplomática nacional e internacional.

UM NOVO GOVERNO

Com 17 anos de Tribunal de Contas e mais de 20 em gestão administrativa, Ribamar Trindade avalia que o Brasil e o Acre estão passando por um momento de profunda transição. O velho modelo político de governar, que jogou o país numa crise sem precedente em sua história, está com os dias contados. Entrou em processo de extinção. Porém, algumas pessoas tentam resistir nesse velho modelo que a população não aceita mais. Os órgãos de controle, a transparência, as redes sociais estão atentas a tudo o que acontece na administração pública. Tudo mudou e vai continuar mudando. Os políticos precisam entender isso. Aos poucos a própria sociedade vai entendendo as dificuldades do governo nessa passagem de 20 ano de governo da Frente Popular para o governo do Gladson Cameli. O PT passou 20 anos no poder, criaram-se hábitos, costumes e práticas que, aos poucos, vão se transformando.

FALTA DE COESÃO NA BASE

Para o secretário da Casa Civil, a falta de coesão na base de apoio do governo na Assembleia Legislativa é perfeitamente natural e compreensível. Se deve necessariamente a essa transição do velho modelo de gestão da política para essa nova realidade que o Brasil e o Acre estão vivendo. Ele acredita que, aos poucos, os parlamentares vão compreendendo a mudança. Cita, por exemplo, que se cada deputado tivesse apenas cargos no governo não haveria problemas na base. Ou o próprio governo poderia ameaçar tomando cargos. Esse modelo de relacionamento político faliu. O diálogo deve acontecer em novas bases éticas. Um parlamentar da base tem que acreditar nas transformações que o governo está promovendo. Ribamar Trindade lembrou da dificuldade do presidente Jair Bolsonaro (PSL) em construir uma base de sustentação no Congresso com o fim do toma lá, dá cá. De acordo com ele, a mudança é um processo de construção do novo. Revelou da reunião excelente que teve com os deputados da base nesse sentido de mudança.

GOVERNO NÃO É CONTRA CPI

Segundo Ribamar, o governo não é contra a CPI para investigar supostas irregularidades praticadas pela Energisa há três meses operando no Acre. Para ele, só não tem nenhum sentido, é inconstitucional e sem propósito. Não tem objeto de investigação. Em relação ao governo Gladson Cameli não afeta em nada. Não existe um ato, um decreto, uma publicação do governo nesses três meses sobre ICMS que incide sobre energia. O governador Gladson está seguindo a legislação dos governos passados. Ele acha que é apenas palanque político para pautar as eleições municipais do próximo ano. Os deputados Roberto Duarte (MDB) e Jenilson Leite (PC do B) devem ser candidatos a prefeito. Esse também é o papel da oposição, a base tem que entender isso.

EDUCAÇÃO, SAÚDE E SEGURANÇA

Os investimentos na Saúde aumentaram. Os da Secretaria de Educação obedecem à ordem constitucional também. Ribamar Trindade disse que é uma questão de tempo as melhorias se sobressaírem nas áreas de maior dificuldade que o governo enfrenta hoje como Segurança, Saúde e Educação. Os investimentos trarão um bom retorno. Disse que tentaram criar um fato de que quem mandava no governo eram alguns secretários. O governador Gladson chamou para si ainda mais a responsabilidade pelas decisões. Fazemos tudo o que ele determina com o cuidado e zelo jurídico para que nada dê errado. A questão é que as decisões no serviço público não podem ser emocionais tem que ser racional, aquilo que a lei permite.

DIVIDAS, SALÁRIOS E O PRÓXIMO 13º

Todos sabem das dívidas represadas que o governo passado deixou. Estão sendo pagas. A contenção de gastos permitiu. O orçamento tem um déficit nominal de cerca de R$ 500 milhões. O governo passado fez previsão de receita com base em juros futuros e ações na Justiça a exemplo dos mais de R$ 400 milhões que aguardam decisão do STF. Esse dinheiro simplesmente não existe. Temos que trabalhar com isso também. O governador Gladson Cameli está preocupado em pagar os salários atrasados, fornecedores, manter em dia o pagamento de todo mundo, além, é claro, do 13º que terá que pagar esse ano. Para isso, o estado terá que fazer reservas.

CONTENÇÃO DE GASTOS

O que motivou o Gabinete Civil a apresentar sesse resultado extremamente positivo na redução de despesas foi a orientação do governador Gladson no início da gestão. Os demais secretários devem seguir esse modelo. A gestão precisa ser eficiente para poder alcançar o resultado que a população almeja lá na ponta. Para Ribamar Trindade, uma gestão austera não compromete o desenvolvimento, pelo contrário, estimula em bases sólidas. Ele entende que o Acre não pode empobrecer mais como aconteceu com outros estados ricos, a exemplo do Rio Grande do Sul.




Propaganda

Acre

Coronel assume subcomando geral do Corpo de Bombeiros no Acre

Publicado

em

O Coronel Charles da Silva Santos assume oficialmente nesta quarta-feira, 21, como subcomandante geral do Corpo de Bombeiros Militar no Acre. A nomeação foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) de hoje. De acordo com o órgão, Santos estava há oito meses como Coordenador Estadual do Fundo de Segurança Pública e Coordenador Operacional do CIOSP da Secretaria de Estado e da Segurança Pública. Ele já foi Comandante Operacional de Rio Branco e do interior e chefiou o gabinete do Comandante-geral.

O novo subcomandante é bacharel em Ciências Contábeis, com pós-graduação em administração pública e Segurança pública. Agora, irá conduzir a corporação ao lado do comandante-geral, Coronel Carlos Batista.

Coronel Charles garante que está preparado para a nova missão. “Darei irrestrito apoio as demandas do Comandante-geral e consequentemente da corporação. Junto com os Oficiais, praças e funcionários civis, faremos uma administração boa para todos, visando nosso público mais importante que é a comunidade acreana”, disse o novo Subcomandante.

Com informações da Assessoria




Continuar lendo

Acre

Gladson Cameli torna sem efeito promoções de PM’s e Bombeiros

Publicado

em

Após a reportagem do ac24horas, na qual o Ministério Público do Acre (MPAC) recomendava a revogação das promoções de agentes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Acre pelo cometimento de ato improbidade administrativa, o governador Gladson Cameli (Progressistas) acatou a recomendação do Ministério Público e tornou sem efeito o Decreto nº 3.161, na manhã desta quarta-feira, 21, por meio do Diário Oficial do Estado do Acre (DOE).

RELEMBRE O CASO – Em suma, o MPAC pedia a revogação das promoções de agentes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros do Acre e advertia ainda da necessidade de readequação dos gastos com pessoal, uma vez que tal decisão gera impacto nas contas públicas. O MPAC havia estipulado um prazo de 15 dias para manifestação do governador.

Tal decisão, infligiu a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e desconsiderou o que prevê o Artigo 12 do Decreto nº 114/1975, no qual determina que as decisões envolvendo promoções devem se dá “mediante proposta do Comandante Geral da Corporação, ouvido o Estado Maior do Exército, através da IGPM”. Gladson descumpriu e ignorou tal determinação.




Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.