Conecte-se agora

Meditação nas escolas estimula desenvolvimento de alunos

Crianças aprendem sobre concentração e controle das emoções

Publicado

em

Praticar meditação desde a infância traz muitos benefícios, especialmente em um contexto onde as crianças estão cada vez mais interligadas às tecnologias, quando parece ser impossível alcançar o silêncio e a concentração. Uma pequena pausa regada à tranquilidade e equilíbrio pode ser suficiente para o melhor desempenho das crianças nas escolas e na vida.

Por ser importante no desenvolvimento dos alunos, as práticas da meditação e da yoga já são implementadas há quase 20 anos nas escolas norte-americanas. “Atividades que proporcionam o autoconhecimento e uma percepção maior das emoções ajudam muito. E quanto antes os pequenos iniciarem essas práticas, mais cedo eles vão encontrar outras formas de expressar os seus sentimentos e desenvolver características importantes, como o autocontrole”, destaca a psicóloga Ana Afonso.

Atualmente, os Estados Unidos é o segundo país que mais estimula conhecimentos milenares em escolas e universidades, liderança perdida apenas pela Índia. No Brasil, a relação entre a meditação e o sistema educacional está em ascensão em alcança cada vez mais as escolas da educação básica. Por isso, muitas instituições de ensino têm introduzido tais atividades em sua grade curricular.

Na opinião da profissional de Psicologia também é importante que as escolas passem a abordar mais as questões comportamentais e deixem de focar apenas nos conteúdos curriculares. A diminuição da ansiedade e o aumento da concentração são alguns benefícios da meditação. Além disso, crianças que aprendem a silenciar a mente desde cedo aprendem a lidar com as próprias limitações e emoções, desenvolvem um convívio mais harmônico com os
colegas, professores e familiares. Ou seja, apesar de melhorar o desenvolvimento escolar, o aprendizado vale para a vida e além dos muros das escolas.

Agência Educa Mais Brasil

Propaganda

Acre 01

Taxista é preso suspeito de envolvimento em latrocínio ocorrido no município de Brasileia

Publicado

em

A Polícia Civil no município de Brasileia prendeu o taxista Alexandre Amorim Oliveira, de 31 anos. Ele é suspeito de ter participado no latrocínio ocorrido no último domingo, dia 14, que matou o fazendeiro Raimundo Nonato Pessoa, de 55 anos de idade. A vítima teve sua propriedade, localizada no ramal do km 59 da BR-317, Estrada do Pacífico, invadida por quatro criminosos. De lá, eles levaram duas caminhonetes, cerca de R$ 12 mil reais e um rifle calibre 22.

Após a prisão dos quatro suspeitos na última semana, a polícia seguiu com as investigações e chegou até o taxista, depois de visualizarem imagens que apresentavam a participação de um quinto elemento no crime.

Alexandre foi detido e levado para a delegacia, onde foi ouvido e está sob custódia. O delegado Rômulo Diniz disse que o acusado ajudou na logística, conduzindo os que estiveram na casa da vítima para depois ir até o local no lado boliviano, para resgatar após entregarem as caminhonetes ao receptador.

“Ele tinha todo o conhecimento dos fatos, uma vez que os demais portavam armas de grosso calibre, como escopeta calibre 12 e o rifle calibre 22 que foi subtraído do local, além dos outros envolvidos que confirmaram essa participação”, disse o delegado.

O delegado também acrescentou que Alexandre teria participação em outros crimes, exercendo a função de levar e trazer pessoas para a prática de ilícitos na fronteira. As caminhonetes roubadas foram localizadas na Bolívia.

Familiares do acusado disseram que estão trabalhando para tentar provar a inocência de Alexandre, e acreditam num mal entendido e dizem esperar que a justiça seja feita o mais rápido possível.

Fonte: O Alto Acre

Continuar lendo

Acre 01

Aos quase 70 anos, Heloy de Castro, o mineiro que canta as belezas do Acre há quase 40 anos

Publicado

em

O mineiro mais acreano que existe. O cantor e compositor que canta as belezas do Acre há mais de 30 anos é conhecido como a voz mais atuante em defesa dos músicos do Acre.

Heloy de Castro, aos 68 anos, é um show de talento e lucidez ao falar dos bons tempos da música autoral acreana, de seus parceiros de composição. Lembra com entusiamo da época dos Festivais Acreanos de Música Popular (FAMP) e do Casarão, que foi espaço durante muitos anos, o principal espaço para os artistas do Acre mostrarem seu talento.

Se dizendo mais acreano do que mineiro, Heloy de Castro lamenta a falta de espaço para a música local, mas afirma que se sente imensamente feliz pelo reconhecimento de sua música.

Nesse bate papo, além de contar sobre sua vida, Heloy brinda os telespectadores do Boa Conversa com alguns de seus principais sucessos como “Caro Jhon” e “Oração ao Látex Derramado”. Assista!

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.