Conecte-se agora

Revista põe Brasiléia entre as cidades encantadoras do Brasil

Publicado

em

Brasileia está listada entre as 26 pequenas cidades mais encantadoras do Brasil pela revista Bula. Localizada na fronteira com a Bolívia e gêmea de Epitaciolândia, Brasiléia aparece junto com algumas cidades muito conhecidas, como Bonito, no Mato Grosso do Sul, ou Cidade de Goiás (GO) e Paraty (RJ).

“Localizada às margens do Rio Acre, a pacata cidade de Brasiléia possui uma população estimada de 26 mil habitantes. No início, o município se chamava Brasília, mas seu nome foi mudado, em 1943, para não ser confundido com a futura capital federal. Os principais pontos turísticos da cidade são o Balneário Jarinal, o Balneário Kumarurama, o Igarapé Bahia e a Ponte Binacional Wilson Pinheiro, que faz divisa com a Bolívia”, diz a Bula.

Segundo a revista, o Brasil é um país com grande potencial para o turismo. Entre as capitais que mais atraem visitantes, estão Rio de Janeiro, São Paulo e Florianópolis. “Mas, existem algumas pequenas cidades que abrigam belezas surpreendentes e também merecem destaque. A Revista Bula realizou uma enquete para saber quais são, na opinião dos leitores, os municípios com menos de 50 mil habitantes mais encantadores do país. A cidade mais lembrada em cada estado foi incluída na seleção. A lista elenca 26 pequenos municípios, um por estado brasileiro, com exceção do Distrito Federal. Entre as cidades mais votadas, algumas são consideradas patrimônios históricos, como Rio de Contas, na Bahia”.

Veja a lista completa em www.revistabula.com.br.




Propaganda

Destaque 5

Deputado José Bestene revela crise familiar com Alysson Bestene

Publicado

em

FOTO: SÉRGIO VALE

O deputado José Bestene (Progressistas) usou a tribuna da Assembleia Legislativa nesta quarta-feira, 21, para desabafar acerca dos últimos acontecimentos que ocorreram na pasta da saúde. Demonstrando certo descontentamento, o parlamentar afirmou que não “manda na Saúde”, como alguns setores da imprensa propagava.

“Com relação a mudança na Fundação, a gente sente que tinha muitos setores da saúde que funcionava, que recebia elogio de todas as parte, do hospital que voltou a fazer os transplantes, voltou a fazer as cirurgias eletivas, sem filas. Agora, o motivo eu não sei. Eu acho quem deve colocar isso para a população é próprio governador Gladson Cameli”, argumentou o deputado demonstrando certa contrariedade em relação a decisão.

O parlamentar revelou que “nunca mandou na saúde”. “Por diversas vezes eu fui a imprensa dizer que a indicação do Alysson para a saúde foi pessoal [do governador] que foi pessoal também a demissão dele. Ele foi o único que saiu da saúde e muitos que andavam do lado do Alysson não falaram a verdade, já sabia que ia haver mudança, pois essa secretária já estava no Estado há dias andando no Pronto-Socorro e circulando na UPA e não tiveram a coragem de participar isso. Eu confesso que eu estou há mais de 90 dias que não falo com o Alysson, que é um problema muito sério”, disse.

Bestene destacou que as mudanças ocorridas na saúde serão esperadas que deem certo, mas se não dê certo, que a população julgue daqui a 3 ou 4 anos e defendeu o seu afilhado político Lúcio Brasil. “O que vai acontecer com o Lúcio , um buco maxilo de excelência, que vai fazer as pessoas sorrirem. Ele vai voltar tranquilamente para a função dele como profissional que tem feito tantas pessoas sorrirem. As vezes eu leio assim as colunas, algumas pessoas com maldade sobre a militarização da saúde”, afirmou o deputado destacando que o Acre tem grande profissionais para gerir a saúde.

Citando deputado Roberto Duarte, pré-candidato a prefeito de Rio Branco pelo MDB, Bestene diz que estuda a possibilidade de se lançar a candidato a prefeito também pelo Progressistas. “Se fala muito nessa questão de 2020, eu tô repensando isso e colocar meu nome para o partido apreciar. A gente conhecimento da capital, tem conhecimento de gerir porque não?”, questionou.




Continuar lendo

Destaque 5

Lúcio Brasil, mais um indicado por José Bestene, deixa o governo

Publicado

em

O diretor-presidente da Fundação Hospitalar do Acre, o odontólogo Lúcio Brasil, acaba de sair da Casa Civil consciente de que não fica mais no cargo. O pedido partiu da secretária de saúde Mônica Feres. O Palácio Rio Branco não divulgou o nome de quem vai substituí-lo.

A informação de sua exoneração foi dada pelo chefe da Casa Civil, Ribamar Trindade na tarde desta terça-feira (20). No dia da inauguração do novo Pronto Socorro, a exoneração de Brasil já era dada como certa, mas o governador Gladson Cameli resolveu adiar o comunicado. Mas em 5 de agosto ac24horas já havia dado a informação da mudança na Fundação Hospitalar.

A permanência de Lúcio à frente da Fundação ficou complicada após a troca de farpas entre o deputado José Bestene (Progressistas) e a secretaria de saúde Mônica Feres, na última semana. Bestene incorporou o discurso de Brasil, sobre os repasses insuficientes feitos pela Sesacre à instituição.

Para deputados da base governista, o parlamentar chegou a criticar de forma pesada o governador Gladson Cameli. Em uma reunião da executiva partidária, o próprio médico teria jogado pesado contra o Palácio.

De acordo com o que o ac24horas apurou, a limpeza nos cargos indicados pelo deputado progressista começou dentro da Sesacre com a devolução de cargos comissionados até de SEC 1. O Odontólogo assumiu a Fundação Hospitalar do Acre em fevereiro desse ano, era uma indicação do parlamentar.

A exoneração de Lúcio Brasil deve ser confirmada no Diário Oficial desta terça-feira. Procurado pela reportagem, Lúcio Brasil não atendeu as chamadas feitas para o seu telefone celular.

O deputado José Bestene não foi encontrado para falar sobre o assunto.

 

 

 




Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.