Conecte-se agora

Durante forte chuva, corredor do Hospital das Clínicas alaga

Publicado

em

A forte chuva que caiu sobre Rio Branco nesta quarta-feira, 27, não trouxe prejuízos apenas aos motoristas que não conseguiram dirigir com as ruas completamente alagadas.

Além do apagão, quem estava no Hospital das Clínicas sofreu com o acúmulo de água.

Os corredores ficaram inundados e os servidores que trabalham na limpeza tiveram que trabalhar duro para escorrer tanta água.

Dos 15 ambulatórios da unidade hospitalar, em 13 os atendimentos foram suspensos em decorrência do acúmulo de água dentro do hospital.

O mais preocupante é que esse tipo de situação ocorra em setores que podem comprometer a saúde dos pacientes, como salas de cirurgia e enfermarias e onde existem equipamentos que custam milhões de reais.

O superintendente do Hospital das Clínicas, Lúcio Brasil, afirmou que a inundação é resultado da falta de manutenção ao longo dos últimos anos. “Há 20 anos esse hospital não recebe uma manutenção, uma reforma. Temos um sistema de calhas que são estreitas demais e não aguentam o volume de água. O governador Gladson Cameli esteve aqui no domingo, se sensibilizou com a situação do hospital e prometeu que não medirá esforços para resolver os problemas do HC. Mas, infelizmente, isso não vai ser resolvido logo. Temos que fazer licitação e se chover de novo, vai alagar. Além dos pacientes, temos equipamentos aqui como um tomógrafo que custa 5 milhões de reais”, afirmou Brasil.

Em relação aos pacientes que voltaram para suas casas sem atendimento, Lúcio garantiu que todos serão atendidos na próxima semana. “Eu, como gestor e profissional da saúde, me sensibilizo muito com os pacientes. Quero deixar bem claro e avisar a sociedade que todos serão agendados e atendidos na próxima semana”, diz o superintendente do HC.

Propaganda

Acre

Ex-prefeito detona “politicagem” na educação em Xapuri

Publicado

em

O sempre polêmico ex-prefeito de Xapuri, Wanderley Viana, usou as redes sociais para denunciar o que chama de politicagem na educação estadual no município de Xapuri.

Segundo Wanderley, por causa da briga política de grupos ligados ao atual governo, a população que precisa de documentos da educação está sendo prejudicado. O motivo, passados quase 4 meses do ano, seria a falta de uma pessoa para a assumir a Coordenação de Registro e Inspeção Escolar, o Corines.

No vídeo, divulgado no Facebook, Viana afirma que a pessoa escolhida pela secretaria estadual de educação para coordenar o Corines no Alto Acre foi rejeitada por um grupo que, segundo as palavras do ex-prefeito, quer transformar a educação em um curral eleitoral.

O indicado para assumir o órgão na região seria o professor com mestrado Edilúcio Siqueira, que confirmou ter recebido a proposta e afirmou não entender o motivo de não ter sido nomeado ainda. “Eu fui convidado antes mesmo de saber quem ficaria na coordenação do núcleo e até fiz estágio no Corines em Rio Branco para aprender como o órgão funciona. Muito estranho a nomeação não ter saído. É que tem um grupo aqui que quer indicar todo mundo para todos os setores em Xapuri”, afirma. Edilúcio.

Apesar de não citar nomes, a reportagem do ac24horas descobriu que o grupo político citado se trata do deputado estadual Antônio Pedro (DEM) e de seu filho Ailson Mendonça, que teve mais de 3 mil votos nas últimas eleições para prefeitura de Xapuri e deve ser mais uma vez candidato ao cargo mais importante no município. Ter o controle das nomeações significa apoios importantes e que podem ser decisivos nas eleições do ano que vem.

Continuar lendo

Acre

Servidores param e limpeza de hospitais pode ser comprometida

Publicado

em

O atraso no pagamento nos salários dos servidores de uma empresa terceirizada que é responsável pela limpeza dos hospitais nos municípios de Xapuri, Brasileia, Assis Brasil, Tarauacá, Cruzeiro do Sul e Senador Guiomard, pode comprometer a higiene nas unidades de saúde.

Ao todo, são cerca de 120 profissionais que convivem com o atraso no recebimento de seus salários e, consequentemente, a dificuldade para pagar as contas e manter as despesas mensais de suas famílias.

Com mais um atraso, já que a Limpacre, empresa responsável pelo serviço de limpeza nos hospitais, ainda não pagou os salários de março, o décimo terceiro do ano passado e já vai vencer o mês de abril, os servidores que fazem a limpeza do Hospital Sansão Gomes em Tarauacá e na Unidade Mista de Saúde de Assis Brasil resolveram cruzar os braços a partir desta segunda-feira, 22. “Nós estamos parados até que paguem nossos salários. Não vamos trabalhar até receber os dois meses. Hoje uma colega estava chorando porque o filho estava pedindo comida e ela não tinha de onde tirar. Isso dói na alma da gente”, afirma uma servidora de Tarauacá que pediu para não ser identificada.

Dênis Solon, sócio proprietário da empresa, afirmou que vai entrar em contato com os servidores das duas unidades de saúde. “A gente entende a situação dos trabalhadores. A empresa não gostaria de atrasar salário nenhum dia. Isso só acontece porque também não recebemos em dia. A informação que temos é que a Secretaria de Saúde vai realizar o pagamento de março até a próxima sexta-feira. Isso acontecendo, automaticamente, os servidores recebem um mês de salário”, afirma.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.