Conecte-se agora

Durante forte chuva, corredor do Hospital das Clínicas alaga

Publicado

em

A forte chuva que caiu sobre Rio Branco nesta quarta-feira, 27, não trouxe prejuízos apenas aos motoristas que não conseguiram dirigir com as ruas completamente alagadas.

Além do apagão, quem estava no Hospital das Clínicas sofreu com o acúmulo de água.

Os corredores ficaram inundados e os servidores que trabalham na limpeza tiveram que trabalhar duro para escorrer tanta água.

Dos 15 ambulatórios da unidade hospitalar, em 13 os atendimentos foram suspensos em decorrência do acúmulo de água dentro do hospital.

O mais preocupante é que esse tipo de situação ocorra em setores que podem comprometer a saúde dos pacientes, como salas de cirurgia e enfermarias e onde existem equipamentos que custam milhões de reais.

O superintendente do Hospital das Clínicas, Lúcio Brasil, afirmou que a inundação é resultado da falta de manutenção ao longo dos últimos anos. “Há 20 anos esse hospital não recebe uma manutenção, uma reforma. Temos um sistema de calhas que são estreitas demais e não aguentam o volume de água. O governador Gladson Cameli esteve aqui no domingo, se sensibilizou com a situação do hospital e prometeu que não medirá esforços para resolver os problemas do HC. Mas, infelizmente, isso não vai ser resolvido logo. Temos que fazer licitação e se chover de novo, vai alagar. Além dos pacientes, temos equipamentos aqui como um tomógrafo que custa 5 milhões de reais”, afirmou Brasil.

Em relação aos pacientes que voltaram para suas casas sem atendimento, Lúcio garantiu que todos serão atendidos na próxima semana. “Eu, como gestor e profissional da saúde, me sensibilizo muito com os pacientes. Quero deixar bem claro e avisar a sociedade que todos serão agendados e atendidos na próxima semana”, diz o superintendente do HC.

Propaganda

Acre

TCE multa prefeito por aumentar despesa com comissionados

Publicado

em

O prefeito da cidade de Bujari, Romualdo Araújo (PCdoB) foi multado pelo Tribunal de Contas do Acre para pagar R$ 14 mil. A Diretoria de Auditoria Financeira e Orçamentária (Dafo) do TCE Acre apurou em uma inspeção que o gestor do município é o responsável pelo aumento da despesa total com pessoal, que se encontra acima do limite máximo estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), no 3º quadrimestre de 2017. A penalidade foi divulgada na edição desta terça-feira, do Diário Eletrônico de Contas.

O Tribunal determinou ainda a notificação de Romualdo de para que reconduza as despesas de pessoal para o patamar exigido, conforme artigo 23, da Lei de Responsabilidade Fiscal, tendo em vista o limite está em 58,48%.

Ainda segundo a publicação, o Dafo deverá acompanhar as medidas a serem tomadas pela Prefeitura. A decisão do TCE será ainda enviada para Câmara Municipal do Bujari para conhecimento dos parlamentares.

Continuar lendo

Acre

Empresário denuncia dívida de mais de R$ 300 mil da Sesacre

Publicado

em

O empresário Paulo Henrique, diretor da Digicópias, resolveu desabafar em relação ao contrato que sua empresa tem com a Secretaria Estadual de Saúde para prestação de serviço de impressão e disponibilização de equipamentos e suprimentos.

Sem receber desde dezembro, o empresário perdeu a paciência. Tendo para receber mais de 300 mil reais da Sesacre, Paulo afirma que não tem mais como atender o contrato. “Eu não tenho mais como atender esse contrato. Na sexta-feira, meu fornecedor de papel, onde eu devo mais de 70 mil reais, me disse que não me vende mais papel. O meu fornecedor de toner e peças também me disse a mesma coisa”, afirma Paulo.

O empresário diz que o objetivo é que o vídeo se espalhe e que alguém da Sesacre resolva pagar o que lhe é devido. “Se não me pagarem dezembro do ano passado, maio e junho eu não tenho como atender mais. Não vou comprometer o capital da minha empresa por um contrato em que tudo que me pediram, eu fiz. Eu nunca recebi uma posição sobre o meu débito de dezembro”, diz Paulo.

Acostumado com promessas, Paulo diz que só volta a atender com o dinheiro em caixa. “Não adianta me ligar, me prometer. Na hora que o dinheiro estiver na conta, aí eu vou pagar as dívidas e vou comprar os produtos necessários para atender vocês. Caso contrário, infelizmente, não vamos atender mais.

A Secretaria Estadual de Saúde foi procurada, mas ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Veja o vídeo:

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.