Conecte-se agora

Servidores terceirizados da OCA reclamam de salários atrasados

Publicado

em

Tem dois assuntos que não saem de pauta já há algum tempo em Rio Branco.

Um deles são os buracos que tomam conta das ruas da capital acreana. O outro, é o atraso no pagamento do salários de servidores de empresas terceirizadas e de cooperativas que prestam serviços ao Governo do Acre.

Pois agora é a vez de colaboradores de uma empresa que, entre outras atividades, é a contratante de dezenas de servidores que atuam na OCA da capital acreana.

Como é de praxe, por medo de perseguições, o denunciante pede para não ser identificado. Dessa vez, trata-se do não pagamento do salário ainda de dezembro do ano passado.

“Fizeram uma reunião com a gente e ficou acertado de pagarem o salário em quatro parcelas e isso não aconteceu. Outro problema é sempre nos pagam com atrasos, mas nos fazem assinar o contracheque como se o salário estivesse saindo até o 5º dia útil do mês”, afirma o servidor.

A verdade é que a situação dos servidores não é fácil. Não é difícil imaginar o que é ficar sem o salário do mês, quando na maioria das vezes, o que se ganha já não é suficiente para suprir as despesas mensais.

É comum colocar as empresas como as vilãs dessa história, até porque são elas que contratam e que fazem o pagamento de seus servidores.

O problema, nesse caso, lembrando que os servidores nada devem pagar essa conta, é que o governo, contratante dessas empresas, não tem cumprido com o pagamento como deveria. Como são empresas de pequeno capital de giro, não conseguem realizar o pagamento de salários ou pagar sem atraso.

É o caso da Tec News, empresa denunciada.

Marcondes Silva, gerente administrativo da empresa, atendeu nossa reportagem e confirmou o atraso no pagamento do mês de salário, explicando que a somente a Secretaria de Gestão Administrativa (SGA) do governo do estado, deixou na gestão anterior um débito superior a 600 mil reais. “Nós entendemos a situação dos nosso colaboradores. O grande problema é que a gestão passada não pagou os meses de novembro e dezembro e a empresa ficou sem capital de giro. É importante salientar que mesmo nós não tendo recebido novembro e dezembro, pagamos novembro, décimo terceiro, as verbas indenizatórias dos servidores que foram dispensados e só temos o mês de dezembro para acertar”.

Marcondes diz ainda que todo o débito deixado pela gestão passada com a empresa chega a 3 milhões de reais. “Não houve ainda uma manifestação do atual governo sobre o pagamento dos débitos. Pelo que soubemos, foi remetido para análise da PGE. Nossa proposta, no caso específico dos colaboradores da OCA, é que quando a SGA realizar o nosso pagamento, iremos quitar o mês pendente de dezembro”, finaliza.

Propaganda

Acre

Gladson vai a Brasília assistir vitória do Flamengo sobre o Vasco

Publicado

em

Acompanhado do seu filhote, Guilherme, o governador Gladson Cameli deixou as terras acreana para assistir neste sábado, 17, a vitória do Flamengo sobre o Vasco, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF).

Gladson registrou o momento em seu microblog, nos stories do Instagram. Devidamente uniformizados com a camisa rubro negra, pai e filho posam pra foto antes da partida.

O placar ficou 4 a 1 para o Flamengo, que contou com o brilho do goleiro Diego Alves que defendeu dois pênaltis no jogo. Os gols foram feitos por Bruno Henrique 41’/1ºT (0-1), Bruno Henrique 05’/1ºT (0-2), Leandro Castan 14’/2ºT (1-2), Gabriel B. 16’/2ºT (1-3), Arrascaeta 37’/2ºT (1-4).

Continuar lendo

Acre

Microsoft muda políticas de privacidade para monitorar áudios

Publicado

em

A Microsoft mudou suas políticas de privacidade para admitir o monitoramento de áudios por funcionários em serviços da empresa. A medida foi tomada após denúncias publicadas na imprensa de que a companhia estava destacando empregados para ouvir mensagens de voz enviadas por meio de aplicações de voz sobre IP, como Skype, ou assistentes virtuais, como a Cortana do Windows.

A nova redação das políticas de privacidade da Microsoft agora admite que ela usa pessoas no processamento de dados para “revisar algumas das predições e inferências produzida pelos métodos automatizados utilizados nos dados de onde essas análises foram feitas”. Entre essas revisões, pequenas “amostras de dados e voz”.

Em termos menos técnicos, os processamentos de dados coletados pela empresa para gerar análises e sugestões não ocorrem somente em sistemas automatizados, como algoritmos, mas também com pessoas ouvindo e conferindo o que os usuários falam ao fazer uma ligação de Skype ou uma consulta à assistente virtual Cortana.

Tal mudança ocorreu, contudo, sem grande divulgação juntamente aos usuários, que muitas vezes não sabem que ao usar esses serviços estarão sujeitos a esse tipo de vigilância pela empresa. O que é feito com esse monitoramento também fica pouco claro, com finalidades como “mostrar anúncios do seu interesse” e “proteger e melhorar continuamente sua experiência”.

Prática comum

A prática de não apenas coletar, mas colocar pessoas para ouvir e monitorar mensagens de áudio de usuários vem sendo apontada como algo adotado por diversas empresas. Nesta semana, a Secretaria do Consumidor do Ministério da Justiça abriu uma investigação contra o Facebook depois que denúncias revelaram esse tipo de vigilância pela rede social, o que foi admitido pelos dirigentes da companhia.

O Google também reconheceu recentemente que ouvia as conversas de usuários depois de denúncias de veículos de comunicação. Após isso, a empresa informou que cessaria esse tipo de conduta.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.