Conecte-se agora

Governo já articula terceirização do Pronto Socorro de Rio Branco

Publicado

em

O Governo do Acre pode alterar a forma de gestão do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), o Pronto Socorro, para uma modalidade público-privada em tempo recorde. O governador Gladson Cameli está pessoalmente envolvido nas conversas com um instituto do Distrito Federal, que administra o Hospital de Base.

O exemplo de gestão, exemplificado pelo governador passou agora à boca dos gestores da Saúde do Acre, incluindo o secretário Alysson Bestene, que viajou a Brasília esta semana para visitar e conhecer a equipe que cuida do hospital público. O desejo de Cameli pode sair do papel em breve, tão logo seja apresentado e aprovado pela Assembleia Legislativa.

A ideia de Gladson é repassar a gestão para uma equipe mista, incluindo gestores do governo e gestores da instituição, que podem contratar novos trabalhadores como celetistas, fazer investimentos mais facilmente e, ainda, captar recursos que visem a melhoria e qualidade dos serviços ofertados na unidade de saúde.

A proposta do governador é tão real, que foi colocada como prioridade a reforma das enfermarias cirúrgicas do hospital central. Os serviços, financiados com um empréstimo internacional, devem iniciar já na próxima semana. Enquanto isso, os pacientes internados no setor serão transferidos para o Hospital das Clínicas ou Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Oficialmente, o secretário Alysson Bestene nega. Nesta quinta-feira, dia 14, sem gravar entrevista, o gestor estadual afirmou que são falsas as notícias de que a mudança na administração do Huerb, Hospital da Criança ou Maternidade Bárbara Heliodora, começará a ser efetivada na próxima semana. Bestene destacou, contudo, que há estudos e conversas sobre o assunto, mas nada ainda oficial.

Nos bastidores do setor, trabalhadores já se movimentam junto aos sindicatos da categoria para garantirem os direitos que têm junto à possível nova administração dos hospitais acreanos. O ex-governador Sebastião Viana já tinha interesse em repassar a administração de unidades de saúde a uma instituição externa, privada, e que conseguisse melhorar os serviços ofertados.

Propaganda

Destaque 6

Número de feriados prolongados irá dobrar em 2020; veja as datas

Publicado

em

Ao contrário do calendário deste ano, que terá cinco datas comemorativas prolongadas, o ano de 2020 irá contar com quase o dobro de feriados emendáveis em nível nacional — sem contar os feriados estaduais e municipais de cada cidade.

Estão previstos no calendário nacional nove datas em que o dia de folga cai às segundas, terças, quintas ou sextas-feiras.

São eles: Carnaval (24 de fevereiro, segunda-feira), Paixão de Cristo (10 de abril, sexta-feira), Tiradentes (21 de abril, terça-feira), Dia do Trabalho (1º de maio, sexta-feira), Corpus Christi (11 de junho, quinta-feira), Independência do Brasil (07 de setembro, segunda-feira), Nossa Senhora Aparecida (12 de outubro, segunda-feira), Finados (02 de novembro, segunda-feira) e Natal (25 de dezembro, sexta-feira).

Haverá ainda um feriado que cairá na quarta-feira, dia 1º de janeiro, que impossibilita emenda, além de uma data, Proclamação da República, em 15 de novembro, que acontece em um domingo. Até o fim do ano, o Ministério do Planejamento divulgará uma portaria com todas as datas oficiais.

Veja as datas dos feriados de 2020

Ano novo: 1º de janeiro | quarta-feira

Carnaval: 24 a 26 de fevereiro | segunda-feira a quarta-feira

Sexta-feira Santa: 10 de abril | sexta-feira

Páscoa: 12 de abril | domingo

Tiradentes: 21 de abril | terça-feira

Dia do Trabalho: 1º de maio | sexta-feira

Corpus Christi: 11 de junho | quinta-feira

Independência do Brasil: 7 de setembro | segunda-feira

Dia de Nossa Senhora Aparecida: 12 de outubro | segunda-feira

Finados: 2 de novembro | segunda-feira

Proclamação da República: 15 de novembro | domingo

Natal: 25 de dezembro | sexta-feira

Com informações do site Exame

Continuar lendo

Destaque 6

Famílias terão que devolver R$ 10 mil para o Bolsa Família

Publicado

em

Seis famílias acreanas foram notificadas pelo governo federal, por meio do Ministério da Cidadania, a devolver as quantias recebidas através do programa Bolsa Família indevidamente. O valor total a ser devolvido pelas famílias do Acre é de cerca de R$ 10 mil.

Segundo o governo, foi verificado por meio de auditoria da Controladoria Geral da União (CGU) e do Tribunal de Contas da União (TCU) que tais pessoas não se encaixavam no perfil prioritário para recebimento do benefício. A cobrança é referente aos dados que foram cadastrados desde 2018.

Mais de 88 mil pessoas recebem o benefício no Acre. As famílias que receberam a notificação têm até 30 dias para apresentar defesa junto ao Ministério da Cidadania. Quem não apresentar defesa ou não pagar terá o nome incluso no Cadastro Informativo de Créditos não quitados do Setor Público Federal (Cadin) e no sistema de cobrança do Tribunal de Contas da União (e-TCE).

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.