Conecte-se agora

Aumenta em 20% o número de incêndios prediais em Rio Branco

Publicado

em

Conforme o banco de dados do Corpo de Bombeiros de Rio Branco, a capital acreana registrou um aumento significativo no número de incêndios prediais. Uma pesquisa recente da corporação comprova que no primeiro trimestre de 2019, no período de 1° de janeiro a 12 de março, ocorreram 72 ocorrências de incêndios em diversas edificações.

Neste mesmo período do ano, em 2018, a equipe registrou 60 ocorrências de incêndios nessas circunstâncias, o que representa um aumento de 20% no número incêndios prediais com relação ao ano passado.

De acordo com o Major Cláudio Falcão, há vários fatores que podem ter colaborado para esse aumento, inclusive uma oscilação quase que natural. “Mas o mais provável é que as pessoas ainda negligenciam a questão de segurança na fiação elétrica. Muitas não acompanham a construção de suas edificações e acabam não adquirindo o melhor material”, explica.

Segundo ele, a principal causa de incêndios em residências ou prédios são ocasionados por deficiências na parte elétrica. Não há um tipo de edificação mais propícia a incêndios, mas, de acordo com os Bombeiros, aquelas que trabalham com alimentação sofrem mais, por trabalharem diretamente com gás e fogo. “A partir do momento que se perde o controle do fogo, se torna um incêndio de grande proporção”.

As incidências de incêndio em residências também ocorrem pelos mesmos motivos. “Tanto pela parte elétrica, quanto pela parte da má utilização de botijas de gás. Esquecer fogo ligado, não desligar aparelhos eletrodomésticos das tomadas se passar mais de um dia fora de casa também pode colocar em risco a segurança de pessoas”, garante o Major.

Precauções

O Corpo de Bombeiros orienta os cidadãos a conhecer, precisamente, o estado da estrutura física de suas edificações, em especial a parte de fiação elétrica. “É preciso fazer uma revisão em, no mínimo, cinco em cinco anos na parte elétrica. Normalmente, as pessoas não fazem isso”, ressalta.

Além disso, o ideal seria trocar a fiação elétrica a cada 10 ou 15 anos, ainda mais se o morador aumentar a carga de eletricidade do local. “Se comprar mais aparelhos eletrônicos, por exemplo, é necessário verificar se as fiações suportam essa carga maior. Se as pessoas se atentarem para esses itens de segurança, elas terão um ambiente seguro, tanto no comércio, prédio ou residências”, afirma Falcão.

Propaganda

Acre

Operação Delivery: Tribunal confirma sentença e condena cafetão a 29 anos de prisão

Publicado

em

O Tribunal Pleno rejeitou, à unanimidade, os Embargos Infringentes apresentados por J.L.N., e manteve sua condenação de 29 anos de reclusão e 40 dias-multa, em regime inicial fechado. A decisão aponta que os depoimentos somados a toda averiguação policial justificam a condenação arbitrada.

Os processos relacionados à Operação Delivery ainda tramitam em segredo de Justiça, devido ao envolvimento de adolescentes com prostituição. A rede de exploração sexual de mulheres e menores de idade se desenvolvia em uma casa localizada no bairro Ouricuri, na capital acreana, mas também funcionava por meio de agenciamento em locais diversos. A denúncia foi formalizada em 2012 e 15 pessoas foram condenadas em 2013.

Condenação

O réu pleiteou a desclassificação de três crimes, sendo: favorecimento da exploração sexual, manutenção de casa de prostituição e rufianismo. O último consiste em tirar proveito por meio do lucro da atividade de prostituição alheia, figura reconhecida popularmente como cafetão.

Contudo, nos vários depoimentos das vítimas foi afirmado que o embargante não tinha apenas o objetivo de obter vantagem econômica, pois ele associava a participação no negócio a ter relações sexuais com ele, entre tantas outras situações degradantes. Logo, os depoimentos somados a toda averiguação policial justificam a condenação arbitrada.

Ainda assim, o argumento da defesa era que os fatos ocorreram em um mesmo contexto fático, desta forma, deveria ser considerado apenas o delito mais grave, conforme preconiza o Princípio da Consunção, o que geraria uma pena mais branda.

No entanto, a desembargadora Regina Ferrari, relatora do processo, ratificou que os atos ilícitos são autônomos e foi comprovada a prática em momentos diversos, mediante circunstâncias distintas.

Então, os votos dos desembargadores confirmaram a sentença sobre a configuração do crime previsto no artigo 218-B, caput, combinado com § 1º, 2º, I, II, em concurso material com artigo 228, caput, § 3º e art. 229, todos do Código Penal. O réu segue preso.

Com informações TJ/Acre. 

Continuar lendo

Acre

Segurança, Rbtrans e Empresas se unem contra roubos em ônibus

Publicado

em

Após os arrastões registrados em ônibus que fazem as linhas do transporte coletivo em Rio Branco, a Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) agiu rápido para tentar conter os números. Nesta quinta-feira, dia 21, na Casa Civil, a cúpula da Segurança Pública apresentou uma nova “arma” para auxiliar os motoristas.

A proposta trata de um sistema de monitoramento dos coletivos que estará conectado diretamente com a Polícia Militar. Desta forma, em caso de atitude suspeita entre os passageiros, por exemplo, a polícia poderá agir mais rapidamente.

O secretário de Justiça e Segurança Pública, Paulo Cézar Rocha, destacou que a medida é mais uma forma de combater o crime na Capital, e se unirá às demais ações já em execução em todo o estado. “Nós temos ações de prevenção e também as ações de repressão”, lembrou.

LEIA MAIS: Criminosos voltam a atacar ônibus que faz a linha da Vila Acre e roubam pertences de passageiros

Arrastão de membros do Bonde dos 13 provoca pânico em passageiros da Vila Acre

Ainda segundo o secretário, o governo precisa contar com o apoio da Prefeitura de Rio Branco, por meio da Superintendência de Transportes e Trânsito, e, principalmente, das empresas de transporte coletivo e dos sindicatos da categoria, que atuam diretamente com os trabalhadores do setor.

“Estamos aqui para sugerir uma parceria público-privada, passando pelas empresas, pelos funcionários, e também pela Rbtrans, que poderá fazer esse acompanhamento, utilizando essa ferramenta virtual no sentido de otimizar efetivamente esse atendimento dos policiais.

O representante da Viação Floresta, Rafael Freire, explicou à cúpula da segurança que nem todos os ônibus da cidade estão com câmeras de segurança instaladas e que o custo para esse sistema é de R$ 5 mil para cada veículo. Há, contudo, um planejamento para alcançar 100% da frota.

“Além do GPS integrado em todos os ônibus, online, a gente tem as câmeras, que não são online, mas são recolhidas diariamente. Vale reforçar que a nossa frota não está totalmente monitorada, mas estamos trabalhando para isso. Temos um planejamento de acabar agora, de concluir. Cada kit, com quatro câmeras, custa R$ 5 mil”, explica.

O vice-governador Major Rocha participou da reunião e agradou o empenho e participação de todos na reunião, afirmando que mostrava o interesse de todos em reduzir os índices de criminalidade que assolam todo o estado. “O governo está preocupado com essa onda de roubo a coletivos. É uma preocupação e nós estamos tendo um enfrentamento a todas as práticas criminosas”, destacou.

“Essa parceria é muito importante para que nós possamos vencer o crime, e quero colocar o sistema de segurança à disposição do transporte coletivo para combater e vencer essas práticas criminosas. Vimos que precisamos estreitar laços, unir forças”, completou Major Rocha.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.