Conecte-se agora

Em mais um repasse recorde da União, governo de Gladson receberá R$ 119 milhões na 1ª parcela do FPE de março

Publicado

em

O governo de Gladson Cameli deve iniciar o mês de março com boas perspectivas financeiras, apesar de alardear publicamente que a crise e o rombo orçamentário de mais de R$ 800 milhões prejudica a atual gestão do Estado. De acordo com um informativo do Tesouro Nacional ao qual o ac24horas teve acesso, o Estado do Acre receberá em sua conta na próxima segunda-feira, dia 11, mais de R$ 119 milhões, referente ao primeiro repasse do decêndio do Fundo de Participação dos Estados (FPE).

O valor dessa primeira parcela já é superior ao mesmo período do ano passado, quando o Estado recebeu R$ 97 milhões. No total, durante todo o mês de março de 2018, o Estado recebeu cerca de R$ 186 milhões e segundo economistas consultados pelo ac24horas, esse valor pode ser batido em R$ 2019, com aceno dessa primeiro parcela considerada “gorda”.

O governo do Acre encerrou os dois primeiros meses de sua gestão recebendo mais de R$ 544 milhões de recursos somente do FPE. O montante é superior em R$ 53 milhões em relação ao mesmo período do ano passado, quando o então governador Sebastião Viana (PT) recebeu R$ 491 milhões. Já em 2017, o Estado recebeu R$ 455 milhões.

O detalhamento dos dados disponibilizados pelo Tesouro Nacional revela que em janeiro de 2019, o Acre recebeu mais de R$ 260 milhões de FPE, valor superior ao ano passado, quando o repasse foi de R$ 211 milhões. Já com relação a fevereiro, na gestão de Gladson, os cofres foram abarrotados com mais R$ 284 milhões, quantia superior em relação também ao mesmo período de 2018, que foi de R$ 280 milhões.

De acordo com apurado pelo ac24horas, 2019 pode ser um ano em que o governo do Acre, na gestão de Gladson Cameli (Progressistas), poderá receber R$ 3,3 bilhões de repasses federais oriundos dos Fundos de Participação dos Estados (FPE) e de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). A projeção foi confirmada através do Boletim do Tesouro Nacional divulgado no início do ano.

Levantamento feito pelo ac24horas revela que o Estado do Acre poderá ter uma injeção financeira de até R$ 150 milhões em comparação com os dados consolidados do ano passado. De acordo com a União, a projeção é que o Estado receba este ano R$ 2.6 bilhões de FPE e R$ 731,6 milhões de Fundeb, valores superiores as projeções do ano de 2018, que indicaram R$ 2,4 bilhões de FPE e R$ 685 milhões de verba para custear a educação.

O valor consolidado de verbas repassadas ao Estado em 2018 foi de R$ 2,4 bilhões de FPE e R$ 644 milhões de recursos carimbados para educação, sendo cerca de R$ 40 milhões a menos que projeção do Tesouro do repasse do Fundeb. De acordo com o Tesouro Nacional, os valores repassados do Fundeb correspondem a 20% do valor total do Fundo de Participação do Estados.

Além do FPE (que não vem carimbado) e do FUNDEB (carimbado para a educação), o Estado ainda recebe transferências obrigatórias da União que são carimbadas para a Saúde, o Sistema Penitenciário, Assistência Social e a Segurança Pública, além das transferências voluntárias dos ministérios em razão de convênios e contratos de repasse.

Propaganda

Destaque 2

Alysson tenta amenizar impacto das declarações do governador sobre possível cartel na saúde

Publicado

em

FOTO: ODAIR LEAL/SECOM

O secretário de saúde, Alysson Bestene, fez plantão extra ontem (21) no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (HUERB), após os impactos das declarações do governador Gladson Cameli que supôs a formação de um cartel na saúde que vem travando ações de resultados no setor.

Cameli ainda era senador quando encampou o discurso de que existia recursos e faltava gestão na saúde pública. Hoje, governador, enfrenta os maiores desafios de sua gestão na área encabeçada pelo odontólogo Alysson Bestene.

Durante programa de Rádio pelo sistema público de comunicação, em um verdadeiro desabafo, o governador pediu na última terça-feira (21) para profissionais que não querem “fazer a coisa andar” pedirem demissão. O chefe do Palácio Rio Branco voltou a dizer que recursos têm. Ele também reclamou da burocracia e criticou a lei de licitações que muitas vezes demora 120 dias para viabilizar compras de remédios e equipamentos.

Alysson Bestene teve que passar grande parte da noite de ontem reunido com a direção do HUERB e médicos de departamentos estratégicos da unidade, entre eles, o setor de ortopedia e de cirurgias. É do HUERB que o setor vem enfrentando as maiores críticas e denúncias.

“Conversamos com nossos profissionais e ouvimos atentamente as sugestões e os anseios”, disse Alysson que voltou a elogiar profissionais comprometidos e dispostos a ajudar. “Homens e mulheres que dedicam suas vidas para salvar vidas” acrescentou.

O secretário saiu da reunião garantindo adaptar o centro cirúrgico para abrir mais uma sala de atendimento a ortopedia. Segundo médicos que estiveram no encontro, o clima chegou a ficar tenso por conta das declarações do governador.

A questão é que além do governador, na Assembleia Legislativa do Acre, o deputado José Bestene sempre que ver o setor administrado pelo sobrinho atacado, abre o verbo, cobra maior ação das unidades de saúde de competência do município e não esconde seu descontentamento com a classe médica.

Até a manhã de hoje, nenhuma entidade do setor se manifestou com relação as declarações do governador.

Continuar lendo

Destaque 2

Imagens mostram Emurb colocando asfalto onde não tem buraco

Publicado

em

Bem verdade que as condições de algumas ruas de Rio Branco começam a melhorar desde o início da Operação Verão, desencadeada pela prefeitura com o objetivo de recuperar as vias da capital acreana. Bem verdade também que o que foi feito agora está longe de ser suficiente para acabar com os buracos da cidade e acabar com o martírio dos motoristas que precisam de muita atenção, principalmente no período noturno.

Por isso, o espanto de internautas que flagraram equipes da Emurb colocando asfalto em um trecho da Avenida Ceará em frente ao José de Melo, onde aparentemente não há buracos “Eu não consigo entender. Com tantas ruas esburacadas em quase todos os bairros da nossa cidade, a prefeitura tá concentrando esforços onde não tem buraco. Na rua Manaus, onde moro no bairro Parque das Palmeiras, todas as ruas tem buracos”, disse um internauta que encaminhou as fotos ao ac24horas.

Em nota, a prefeitura de Rio Branco explicou se tratar de uma determinação da prefeita Socorro Néri para a recuperação preventiva das vias onde há grande circulação de veículos. Segundo a Emurb, ao longo dos anos, as muitas operações tapa-buracos criaram desníveis na capa asfáltica da cidade. Nesses mesmos pontos de tráfego intenso, a orientação é que uma fina camada de asfalto seja aplicada para melhorar e deixar mais uniformes as pistas.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.