Conecte-se agora

Rio Acre registra vazante na Capital e demais cabeceiras do Estado

Publicado

em

Às 6 horas da manhã desta quarta-feira, 6, depois de sinalizar que estaria elevando o nível do volume de água, o Rio Acre voltou a dar sinais de vazante em Rio Branco e também em todo o interior do Estado. Na Capital, o rio baixou 10 centímetros de ontem para hoje e está marcando 12,38 metros.

Na região do Alto Acre, Assis Brasil, Brasileia e Xapuri, baixaram juntos quase 4 metros em 24 horas. O primeiro está marcando 4,32 metros, o segundo 4, 37 metros e o último 6,17 metros.

Em Capixaba o manancial também deu sinal de vazante e nesta manhã registrou 9,24 metros, assim como o Rio Espalha que baixou e chegou aos 6,31 metros.

Propaganda

Destaque 6

Construir no Acre está 4,49% mais caro em 2019, diz SINAPI

Publicado

em

Construir no Acre ficou bem mais caro em 2019. De acordo com o Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) divulgado na manhã desta sexta-feira (6) pelo IBGE, de janeiro a novembro deste ano o custo aumentou 4,49%, isso com a folha de pagamento desonerada para as empresas. Com a oneração, o índice sobe muito pouco: vai para 4,51%, o que parece mostrar que ter reduzido o custo das contratações não promoveu grande redução no custo de se construir no Acre.

O custo médio por metro quadrado é de R$ 1.280,37 e a variação mensal foi de 0,32% este ano.

No País, o custo nacional da construção, por metro quadrado passou para R$ 1.156,31, sendo R$ 606,41 relativos aos materiais e R$ 549,90 à mão de obra. Em outubro, o valor era de R$ 1.155,01.

A parcela dos materiais registrou a menor variação do ano, 0,17%, caindo 0,08 ponto percentual em relação ao mês anterior (0,25%) e 0,19 ponto percentual se comparado a novembro de 2018 (0,36%). A parcela da mão de obra, com 0,05%, também apresentou queda, de 0,06 ponto percentual tanto em comparação ao mês anterior, como a novembro de 2018.

Continuar lendo

Destaque 6

Casos de dengue são 52% maior que no ano passado em Rio Branco

Publicado

em

O boletim divulgado nesta primeira semana dezembro mostra que município de Rio Branco registrou até o fim de novembro 4.211 casos notificados de dengue, aumento de 52% em relação ao mesmo período de 2018, quando foram registrados 2.733 casos suspeitos.

De 4 a 8/11 o município de Rio Branco realizou o 3º Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti e os resultados não foram muito otimistas: o município está em situação de risco de epidemia de dengue, zika e chikungunya.

O Lira é um instrumento fundamental para o controle do vetor e das doenças (dengue, zika e chikungunya). A metodologia permite identificar onde estão concentrados os focos do mosquito em cada bairro, além de revelar quais os principais tipos de criadouros predominantes.

A pesquisa apontou que o armazenamento de água no nível do solo (doméstico), como caixa d’água, foi o principal tipo de criadouro com 56,7%, seguido por pequenos depósitos móveis com 24,1%, depósito fixo com 2,1%, pneus 7,9% e lixo doméstico, entulhos 9%.

Continuar lendo
Propaganda
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.