Conecte-se agora

Patrulhas agem dentro dos partidos governistas; de perseguidos a perseguidores

Publicado

em

Imagem Ilustrativa

Uma das principais bandeiras de campanha dos partidos que chegaram ao poder era o “fim da perseguição política praticada pelos governos do PT”. Pois bem, ao que parece os que se sentiam perseguidos agora querem revanche. De perseguidos passaram a perseguidores. Alguns são piores do que os petistas que acusavam. Políticos e agentes públicos que apoiaram o PT em governos passados, mas migraram para a oposição como fizeram o senador Sérgio Petecão (PSD), o deputado José Bestene e o próprio governador Gladson Cameli estão sendo cruelmente perseguidos. As patrulhas partidárias vasculham a vida pregressa dos nomes que vão surgindo. Se for mulher, e tiver de batom vermelho, vira logo petista. Caluniam, difamam, injuriam e condenam. Isso tem nome: sanha, demência! Por outro lado, o governo reduziu muito os cargos de 3.500 para somente 900. Quando os aliados vêem uma indicação não ortodoxa estrebucham e vem pra cima desesperados atrás do seu quinhão.

. É muita ingenuidade acreditar que o novo governo formaria sua base na Assembleia Legislativa sem a contrapartida para os deputados.

. Todos os parlamentares da base têm direito (e a obrigação) de indicar correligionários de seus partidos para cargos no governo.

. Não foram eleitos sozinhos, seu Tapado!

. “Tapado”, no caso, é nome próprio, entende?!

. Tem, inclusive, a dona Tapada também!

. Vou explicar pela última vez:

. No sistema político atual o presidente, governador ou prefeito precisa de maioria nas Casas Legislativas.

. Dá-se o nome de presidencialismo de coalizão.

. É uma grande m* porque obriga o Executivo a negociar apoio de partidos para conseguir governar.

. Esse modelo político deu origem ao “Mensalão do PT” o “Mensalão Tucano” e a “Operação Lava Jato”.

. Até o presidente Jair Bolsonaro (PSL), que jurou de pé junto que faria diferente, já arreganhou as pernas para partidos que compõe o Congresso Nacional.

. O Brasil acima de tudo, Deus acima de todos era só lema de campanha, uma divisa, como dizem os milicos.

. Por ocasião do impeachment da presidenta Dilma Rousseff, o jornal inglês The Guardian (um dos importantes do mundo) declarou em letras garrafais:

. Quem deveria estar no banco dos réus não era a presidente do Brasil, mas sistema político eleitoral brasileiro.

. Aquilo que o ex-juiz Sérgio Moro dizia:

. A corrupção é sistêmica, mas até agora ele mesmo não falou em reforma política que seria a mãe de todas as reformas, inclusive a da previdência.

. O mesmo sistema deu origem ao laranjal do PSL e outros partidos, entende Tapado?!

. O deputado Fagner Calegário comentou com a coluna que, “as pessoas que estão me criticando nas redes sociais por querer deixar o PV realmente estão muito desinformadas sobre o processo político”.

. Calegário é dos poucos que não se abala com críticas!

. Ou lidera ou é liderado, ou governa ou é governado!

. Até onde pode se observar não há crime algum em o Detran ter gasto muito com aluguéis de carros no governo passado.

. Pode ser exagero, mas os processos até onde se sabe foram dentro da lei.

. É como pagar diárias para políticos participarem de congressos e cursos nas cidades litorâneas paradisíacas.

. Pode até ser imoral, mas é legal!

. Lamentavelmente, uma lástima!

. Encontro com oficial de Cruzeiro do Sul no Centro da cidade que vai me dizendo:

. “Gosto muito da sua coluna, quero lhe dizer que a situação do prefeito Ilderlei Cordeiro não é tão confortável como a imprensa da capital alardeia”.

. Foi mais além, “se a deputada Antônia Sales (MDB) for mesmo a candidata a prefeita o Ilderlei não ganha de jeito nenhum”.

. Feito o registro!

. Ano que vem o governador Gladson Cameli vai ter que estabelecer regras dentro do seu governo.

. Cada um dos partidos que lhe apoiam vai lançar candidatos a prefeitos na capital e no interior.

. Agora, pense numa Torre de Babel multiplicada pelo número de partidos aliados.

. O deputado Roberto Duarte não se vende por cargos no governo, com ele a metodologia é diferente.

. Muita conversa, poder de convencimento, mostrar para a necessidade de estar lado de um governo que inicia com muitos problemas.

. O governador em exercício, major Rocha (PSDB), está despachando normalmente no gabinete oficial, ao lado do Gabinete Civil, orientado pelo Ribamar.

. Demonstra unidade entre ele e Gladson…e o Ribamar!

. Pra fechar a coluna uma historinha que mamãe contava…

. Um velho, um menino e um burro seguiam na estrada. Passou o primeiro e disse:

. Ei velho, põe o coitado do menino no burro e vai puxando.

. Passou o segundo:

. Ei velho, você já é de idade põe o menino que é novo pra puxar o burro e vai andando.

. Passou o terceiro:

. Ei velho safado, vai em cima do burro e a pobre criança puxando né, seu sem-vergonha.

. Subiram os dois no burro, passou uma senhora e lascou:

. Vou denunciar vocês dois a Sociedade Protetora de Animais, onde já viu, dois jumentos desse encima do coitado do burro.

. O velho parou, pensou, olhou para o menino e disse:

. Filho, se a gente for fazer tudo o que as pessoas criticam nós estamos lascados e não vamos a lugar nenhum.

. Seguiram os dois puxando o burro…

. Bom dia, governador Gladson Cameli!

Propaganda

Coluna do Astério

Lotação em escolas obedecem a critérios políticos sem conhecimento do secretário Mauro Sérgio

Publicado

em

Continuar lendo

Coluna do Astério

Um governador precisa ouvir a voz rouca das ruas e não apenas os que lhe elogiam

Publicado

em

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.