Conecte-se agora

Lhé: “os dirigentes do PT esqueceram que o poder não é eterno”

Publicado

em

Abrahim Farhat, o Lhé, é uma das figuras mais representativas do PT, porque vem da luta partidária desde o embrião das comunidades eclesiais de base, da venda de camisas nas praças, para manter o básico ao funcionamento da sigla. Lhé fez ontem à coluna uma análise fria da maior derrota sofrida pelo PT, no Acre, desde a sua fundação: “vejo muita reclamação, mas estão se esquecendo de duas coisas: primeiro de agradecer ao povo acreano por o PT ter ficado 20 anos no poder. Não se esqueçam de agradecer! E o segundo ponto é que os nossos dirigentes achavam que o poder era eterno”. O poder é passageiro, pontua. Lhé condena a briga entre as lideranças tradicionais do seu partido com a tendência que tem hoje o comando da máquina interna, inclusive, a presidência, a DR- Democracia Radical. “Quem fortaleceu este grupo (DR) foram os que hoje reclamam, com o poder, este grupo, quis transformar o PT numa corrente única de pensamento, quando o PT é plural nos vários pensamentos ideológicos, somos várias correntes, o PT é belo por isso”, situa a disputa. O PT, na sua avaliação se afastou das bases e errou ao cooptar os sindicatos para dentro do poder. E também debita à derrocada na última eleição ao salto alto e arrogância do já ganhou de alguns. Lhé defende que aconteça uma reunião de espíritos desarmados com todas as correntes para buscar um novo rumo, reconhecer os erros, sem ficar apontando dedos para culpados. Para o velho guerreiro, o PT saiu muito ferido da luta da eleição, mas diz que, se enganam os adversários ao pensarem que, o PT está morto. “O PT perdeu o poder, mas está vivo”, vaticina Lhé, o eterno lutador pela criação do Estado Palestino, o seu grande sonho, e sempre na linha de frente.

SEM O DOM DA CLARIVIDÊNCIA

Este desgaste que o governador Gladson Cameli está sofrendo nas redes sociais pela nomeação de petistas é que a maioria das indicações vem de deputados da base de apoio e, ele não tem o dom da clarividência para saber quem era ou não figura carimbada do PT.

PROPORÇÕES GIGANTES

Mesmo não sendo nomeação da sua cabeça, quando uma figura ligada ao PT aparece nomeada no Diário Oficial, ele acaba pagando o pato, pois, foi quem assinou o ato. E as críticas vão se avolumando e acaba levando a culpa. E isso está lhe trazendo um forte desgaste.

VAMOS VER NA PRÁTICA

Tem causado boa impressão nas entrevistas, o secretário de Agricultura, Paulo Wadt, pelo menos no aspecto teórico tem se mostrado um profundo conhecedor da área agrícola. É quem vai comandar pelo governo implantar o agronegócio. Vamos ver como se sairá na prática.

APORTA NO MDB

É natural que não tenha respondido de pronto, mas a tendência natural do professor Minoru Kinpara é filiar-se ao MDB, porque o convite é oficial, e tem a chancela do presidente do partido, deputado federal Flaviano Melo (MDB), para ele vir a ser o candidato à PMRB.

SEGREDO DE POLICHINELO

O ex-deputado federal João Correia anda brabo porque vazou a operação para trazer o professor Minoru para o MDB. Reunião com cinco pessoas, o segredo só resiste até o término das conversas, caro João! O MDB sempre foi casa de muro baixo e de paredes falantes.

FAZENDO CERTO

O ex-senador Jorge Viana (PT) está fazendo certo ao sair de cena e deixar o espetáculo para quem ganhou a eleição. Sabe que no momento não seria produtivo uma oposição ferrenha. Com a sua experiência, JV soube avaliar qual a hora de colocar ou tirar o seu bloco da rua.

NÃO É O TIME

Erra quem pensa que, o ex-senador Jorge Viana está fora da política. A grande votação que teve na última eleição o cacifa para voltar no momento certo ao centro do debate. JV ainda é disparado o nome do partido que congrega mais prestígio entre os eleitores. Ainda é forte.

VOLTAR AO PROTAGONISMO

Ao partir para formar uma base e ter uma candidatura própria à PMRB, no próximo ano, mostra que o MDB, que ficou sem cargos de muita visibilidade no governo, quer voltar a ser protagonista. Sabe que se ficar acomodado, estará num plano inferior na eleição municipal.

COMO FICARÁ O BOCALOM?

Qual será o papel em 2020 do Tião Bocalom, que saiu da eleição sem ganhar um mandato por força da lei eleitoral, mas extremamente bem votado? Teve mais votos que alguns deputados federais da bancada acreana. Ele pode bater no peito e dizer que não comprou os seus votos.

VIROU CHEGADO

Quem vem se aproximando do governo Gladson é o empresário Ricardo Leite, o Rico, que foi uma das figuras mais próximas do ex-governador Tião Viana, ao ponto de surgirem especulações de que seriam sócios em empreendimentos. Rico é hoje um defensor da política econômica de Cameli de abrir o Acre ao agronegócio, e desfila com desenvoltura nas reuniões.

NENHUMA BRIGA

Pode até haver desencontros, mas nenhuma briga ou fato relevante que possa a vir separar ou colocar em rota de choque o governador Gladson Cameli e o vice-governador Major Rocha. Até porque uma briga política entre ambos o governo iria ruir e iriam juntos no funil.

FICA SEM FORÇA

O deputado Neném Almeida (SD) tem sido combativo quando se trata de defender o governo Gladson Cameli e criticar o PT. Mas, quando se vê que as suas indicações para cargos de confiança são de figuras carimbadas que estavam com o PT na campanha, perde força na crítica.

PMRB NAS RUAS

A prefeita Socorro Neri colocou diversas frentes de pavimentação e tapa-buracos em vários bairros, e á medida que for terminando o serviço em uma via, passa para outra. Com a chegada do verão poderá ampliar o trabalho. Tapando os buracos a sua aceitação cresce.

PASSA SER BEM AVALIADA

A única queixa que se ouve com base contra a prefeita Socorro Neri é a questão das ruas esburacadas, com uma proporção alarmante. É um problema pontual e pode contornar. A impressão que fica de quem está na gestão; não é a primeira, mas a última impressão.

ENTRA NO JOGO

A Socorro Neri tem dois verões até 2020. Depende só dela, entrar no jogo da reeleição.

POLÍTICA É MOMENTO

Numa eleição, por exemplo, o eleitor não fica preocupado com o que passou, mas com o atual. Um gestor público pode iniciar a sua administração de maneira impopular, mas se chegar na eleição tendo superado os obstáculos é o que vai valer. A política é feita de momentos.

UMA BOA PAUTA

Uma boa iniciativa a do Tribunal de Contas do Estado, ao fazer um levantamento de quantas e quais obras públicas que foram iniciadas e estão paralisadas, no Acre. Ao final do trabalho se poderá ter o volume exato do que se encontra hoje entregue ao abandono. Não são poucas.

CONVERSAS INICIADAS

O assessor político do governo, deputado Ney Amorim, me disse ontem que já iniciou uma série de conversas com deputados para formar uma base do governo fortalecida na ALEAC. Não quis adiantar qual é hoje o tamanho da base, antes de fechar alguns entendimentos.

FORA DE MODA

Podem criticar o Tião Viana enquanto ainda estamos no rescaldo da eleição passada. Daqui alguns meses, ele sairá de moda e o dono da cena para cobranças será o seu sucessor. A política sempre seguiu este roteiro e vai seguir: a crítica vai sempre para quem está no poder.

SURFA POR MAIS TEMPO

Caso o governador Gladson Cameli consiga até junho entregar obras que foram abandonadas pelo governo passado, como HUERB, UPA de Cruzeiro do Sul, Museu da Borracha, entre outras, poderá surfar na onda da popularidade por mais tempo, porque mostrará ação.

FICARÁ EM ALTA

Para se manter na crista da onda no Alto Acre, onde foi o mais votado na última eleição, basta o governador Gladson Cameli construir a ponte ligando Brasiléia à Epitaciolândia e entregar a obra do anel viário. O bastante para ele chegar na eleição municipal como o grande eleitor.

MOTIVO SIMPLES

O motivo pelo qual as obras se concluídas subirão mais seu prestígio na região é que, os petistas passaram 20 anos prometendo a construção da ponte que uniria Brasiléia-Epitaciolândia e o Anel Viário e não cumpriram. E é um anseio da população dos municípios.

ATÉ HOJE

Passaram décadas e o ex-governador Nabor Junior ainda é lembrado em Brasiléia e Epitaciolândia como o governante que fez a ponte interligando os dois municípios. Por isso, não se pode julgar hoje o governo Gladson como uma aposta que não vai dar certo.

PROVA VIVA DA INCÚRIA

A demissão da servidora da Rádio Difusora Acreana, Toinha Oliveira, 31 como sonoplasta da RDA, foi lamentável, sob todos os aspectos, mas deve ser analisada por alguns ângulos. É uma prova viva da incúria. Os governos do PT tiveram 20 longos anos para regularizar a sua situação e não regularizaram. Foi mantida no cargo por meio de CECs, que não são garantia perene de emprego, mas uma maneira de ir empurrando a situação com a barriga, um paliativo, que um dia acaba, como acabou agora. Como a estrutura do Estado diminuiu com a Reforma Administrativa no governo Gladson Cameli, não havia como a secretária Silvânia Pinheiro continuar lhe mantendo no emprego com uma CEC. Irresponsável seria se, a servidora continuasse trabalhando e no fim do mês não tivesse como receber. Melhor a sinceridade do “não” do que o calote do “sim”, em 20 anos dos governos petistas. Sejamos realistas. Este é episódio muito triste, mas cuja a culpa, sinceramente, não cabe no colo da secretária Silvânia.

Propaganda

Blog do Crica

Bater até ficar rouco 

Publicado

em

FOTO: SÉRGIO VALE

Se a estratégia do deputado Roberto Duarte (MDB)  para consolidar o apoio da máquina estatal à sua candidatura à prefeitura de Rio Branco for a de bater sistematicamente no governador Gladson Cameli, nas sessões da Assembléia Legislativa, está indo por um caminho equivocado. Mais de uma vez o Gladson já disse ao BLOG DO CRICA que, o parlamentar pode continuar lhe batendo, que não vai mover uma palha para pedir que mude o comportamento. Chegou a dizer numa das últimas entrevista que deu ao BLOG, a seguinte frase: “eu quero ele para lá e eu para cá”. E o governador está numa situação cômoda para não estar preocupado, com o que diz ou deixa de dizer o Duarte. Não precisa do seu voto para nada no parlamento. A sua base de apoio é suficiente para aprovar qualquer projeto que enviar àquela Casa. O deputado Roberto Duarte (MDB) poderia causar algum temor político se o seu voto fosse decisivo para o governador aprovar matérias. Não é, repito. O contexto pode ser definido num comentário que ouvi de um importante deputado da base do Cameli, na ALEAC: “o Roberto pode bater até ele ficar rouco, nós não precisamos dele e nem o queremos ao nosso lado”. Na política, você fica do tamanho do mal que você pode causar de uma forma ou de outra a quem governa; no caso do deputado Roberto Duarte (MDB), não poderá causar mal algum ao governador, por ser uma voz isolada dentro do campo político pelo qual se elegeu. É isso. 

JÁ DIZIA O VELHO CHE

Se a intenção do Roberto Duarte for disputar a reeleição ou uma cadeira de deputado federal, a sua conduta na ALEAC está dentro da normalidade, com o seu modo ríspido na tribuna. Se quiser disputar a PMRB está errado. Cargo majoritário requer posições mais brandas e nada emocionais. Já dizia o Che Guevara, de que se pode ser duro, mas sem perder a ternura.

MIJA NA CAMA

O governador Gladson está levando na galhofa esta questão do aumento das queimadas no Acre. Disse ante uma risonha platéia, que se a coisa apertar vai para o mato apagar o fogo com alguns auxiliares. Diz um velho ditado que: “quem brinca com fogo, mija na cama”.

UM ESGOTO FÉTIDO DE SALDO

Os governos dos últimos 20 anos do PT foram de falácia e poucas ações no campo ambiental, nada que possa ser exemplo. Não se conhece nada de destaque como resultado dos milhões de dólares que vieram da Noruega e Alemanha. Detonaram a floresta do Antimary. A Reserva Chico Mendes, boa parte virou pasto de boi e seus moradores continuam tão pobres como antes da Reserva. De saldo apenas o fétido esgoto a céu aberto do Canal da Maternidade.

HIPOCRISIA MALANDRA

Vamos acabar com essa hipocrisia malandra de que a floresta amazônica só começou a arder no governo Bolsonaro e no do Gladson Cameli, queimadas em dimensões maiores que as atuais aconteceram em outros governos. Este descaso, que agora se repete, vem de longe.

FALTA LEGITIMIDADE

Nada disso, porém, justifica que o atual governo tenha inicialmente incentivado o homem do campo a queimar porque não seria multado, que depois do aumento das queimadas, dos protestos, recuou na desastrada estratégia. Mas, falta legitimidade aos petistas para apontar o dedo.

UMA ESFINGE

O Gladson e como a Esfinge – decifra-me ou devoro-te. Decifrar o que realmente pensa é como acertar na Mega-Sena, difícil. Disse que apoiaria o Major Rocha a prefeito de Rio Branco, depois o Alan Rick, flertou com o Tião Bocalom, prometeu apoiar o Minoru e agora o Bestene.

CABIDE TEM CHANCE

Nesta batida de mudança de opinião ao sabor do vento, até o ex-vereador Cabide poderá ter chance de vir ter o apoio do governador Gladson Cameli para a prefeitura de Rio Branco.

PREFEITOS EM PARAFUSO

Depois de mais uma inusitada declaração do governador Gladson de que trabalha com a possibilidade de deixar o PROGRESSISTA, pelo qual se elegeu, os prefeitos que anunciaram mudança para esta sigla para ficar bem com o governador estão em polvorosa com o fato.

PISANDO NO FIO DA NAVALHA

O Gladson vai ter que pisar no fio da navalha na eleição municipal do próximo ano, no tocante às candidaturas a prefeito. A sua decisão, de uma forma ou de outra, estará umbilicalmente ligada a 2022, quando deverá sair à reeleição ou ao Senado. Não pode deixar arestas.

SERÁ UMA BURRADA

Colocar um candidato debaixo do braço para prefeito da capital dentro do seu campo, sem que seja uma candidatura única será uma burrada. Não pode escolher um candidato para agradar A ou B. Será seu primeiro teste após a eleição. Não creio em único candidato.

TAMANHO DA ENCRENCA

O Acre está desembolsando cerca de 46 milhões de reais para bancar o pagamento dos servidores aposentados e pensionistas do ACREPREVIDÊNCIA. A previsão é que o governo chegue em dezembro tendo que tirar do caixa 60 milhões de reais para bancar estes custos.

QUADRO GRAVE

É o quadro se torna ainda mais grave porque não existe uma iniciativa ao curto prazo que possa tirar o Acre da dependência econômica da União e das emendas parlamentares. O Estado não tem um parque industrial, a agricultura é a do cheiro-verde, o agronegócio é ao longo prazo, a legião de desempregados aumenta a cada dia, e ficamos nesta roda a girar.

UM GRANDE BLEFADOR

Seu tio, o ex-governador Orleir Cameli era jogador de Poker, um jogo em que blefar é uma arte para enganar o adversário levando-o a crer numa situação, quando as cartas que tem em mãos são diferentes. O Gladson Cameli é um grande blefador político. Com suas declarações inesperadas deixa todo mundo na dúvida se está falando para valer ou para testar o resultado.

CANDIDATURA PRÓPRIA

O MDB anunciou ontem em sua convenção em Xapuri que terá candidatura própia à prefeitura do município, sendo o nome mais cotado o do vereador Capelão (MDB), político experiente.

RELAÇÕES AFINADAS

As relações entre o governador Gladson e o prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim estão cada vez mais afinadas, o que não é uma boa notícia aos adversários, que esperavam que a briga entre ambos continuasse para tirarem proveito na eleição do próximo ano.

NOVA RODOVIÁRIA

Além da assinatura de um convênio que repassará ao município 350 mil toneladas de asfalto, na reunião o governador abriu ainda mais o pacote de bondade, prometendo atender a uma reivindicação da deputada Meire Serafim (MDB) para a recuperação da Rodoviária da cidade.

CALO NA FRONTEIRA

A SENADORA Mailza Goms (PROGRESSISTA) anunciou que destinará 1 milhão de reais em emendas para o sistema de Segurança no Alto Acre. A violência é um calo naquela região.

PASSANDO O RODO

Houve consenso no do MDB de Brasíléia de que nenhum membro da executiva municipal antiga deve permanecer na nova composição. Nem o cacique Aldemir Lopes. O MDB, que faz sua convenção municipal hoje, quer passar á população a imagem de um partido renovado.

FUGINDO DAS VELHAS CARAS

A mesma prática deverá ser adotada em relação à escolha do nome que sairá candidato a prefeito de Brasiléia, os dirigentes do MDB buscam uma cara nova que possa motivar o eleitor na campanha. Mais uma vez a disputa pela prefeitura será travada entre MDB e PT.

DEFINIÇÃO FELIZ

“Quando se trata de política o MDB, no Acre, é bipolar”. Frase ouvida de um colega no aquário da imprensa na ALEAC. Com ampla razão, o MDB oscila em ataques e defesas do governo.

POUCOS ACREDITAM

Muitos poucos acreditam em Tarauacá que a prefeita Marilete Vitorino (PSD) tenha a coragem de sair para a reeleição, tal é o estado de abandono em que se encontram as ruas da cidade. E para completar acontece algo interessante, também os candidatos não querem o seu apoio.

FRASE DO DIA

“Mesmo no mais alto trono do mundo, estamos ainda sentados sobre o nosso rabo”. Michel Montaigne, filósofo francês.

Continuar lendo

Blog do Crica

A cereja do bolo da eleição de 2020 

Publicado

em

Fala-se muito em apoios para a disputa da prefeitura de Rio Branco no próximo ano, mas tem sido esquecido de se mencionar que a cereja do bolo de uma aliança será o grupo do senador Sérgio Petecão (PSD), o grande campeão de votos na eleição passada e com forte base eleitoral na capital, onde a sua mulher Marfisa Petecão (PSD), teve 17 mil votos. Para onde o Petecão pender poderá ser decisivo no campo das candidaturas ligadas ao Palácio Rio Branco. Este BLOG já publicou uma declaração sua de que o seu partido não ficará fora da chapa majoritária. Não está fora de cogitação que a Marfisa entre neste cenário como candidata à vice-prefeita. PSDB, MDB, devem disputar a presença da Marfisa na chapa majoritária. A Marfisa, aliás, é o sonho de consumo dos tucanos e dos emedebistas para 2020..

PÉROLA DA SEMANA

Esta é imbatível, em termos de bobagem. O vereador Marcos Luz (MDB) pediu providências às autoridades da segurança para investigar se as queimadas não estão sendo feitas por militantes do PT e PCdoB. É a mesma teoria de que a terra é plana. Só nos resta achar graça.

VIAJANDO NA MAINOESE

Já pensou um Raimundo Angelim (PT), um Jorge Viana (PT), um Edvaldo Magalhães (PCdoB), uma Perpétua Almeida (PCdoB) embrenhados na floresta tocando fogo em tudo que é mata! Não tenho outra reação a não ser a de rir com esta viagem na maionese. Vou fazer o quê?

VELHA SENHORA

A secretária Silvânia Pinheiro merece todo o reconhecimento por ter pegado a Rádio Difusora Acreana uma sucata, e em poucos meses ter inaugurado um transmissor de 10 quilos de potência, com alcance para todo Estado. A velha senhora RDA está completando 75 anos.

SESSÃO SOLENE

Na próxima segunda-feira estará acontecendo uma sessão solene na ALEAC para homenagear os radialistas que fizeram a história da emissora mais antiga do Acre. É de se ressaltar também que a RDA está sendo bem conduzida pelo radialista da velha guarda, Raimundo Fernandes.

 CAMPEÃO DAS PANCADAS

Nestes oito meses do governador Gladson Cameli, errou quem esperava que os maiores algozes do seu governo fossem os deputados do PT e PCdoB. Ninguém lhe bateu mais do que o deputado Roberto Duarte (MDB), que hipoteticamente seria um aliado. Bateu de chibata.

MUITO HABILIDOSO

O deputado Jenilson Lopes (PCdoB) ao que indica assumiu a coordenação da parte política da prefeita Socorro Neri, excelente na gestão, mas que vinha pecando por estar afastadas das articulações de alianças. Foi sua a iniciativa da reunião ontem com a REDE. Ele é habilidoso.

VOLUME DE INFORMAÇÕES

A Agência de Notícias do Acre tem disponibilizado na sua página na internet um volume grande de informações sobre as ações de governo, com textos de qualidade. Só que o aproveitamento das matérias fica ao critério dos órgãos de comunicação. Assim deve ser.

SANSÃO X BORÓ

Na década de 70 apareceu em Rio Branco um lutador de Luta-Livre que se apresentava como “Sansão do Século XX”. Tinha um aluno local que se chamava Boró. Vira e mexe inventavam uma briga e marcavam uma luta, só que era tudo marmelada, depois eles se acertavam. É a mesma coisa dessa briga (sic) entre o Gladson e o deputado José Bestene (PROGRESSISTAS).

PURA ENCENAÇÃO

A troca de farpas esta semana entre o deputado José Bestene (PROGRESSISTA) e o governador Gladson Cameli foi a mais pura encenação. Ontem, Bestene foi designado por Cameli para lhe representar em Acrelândia, na assinatura de um convênio com a prefeitura do município.

É PORQUE ESTÁ LONGE…

“Que triste”! Postou esta semana Linda Cameli, mãe do governador, como comentário de uma notícia do mau atendimento no Pronto Socorro de Rio Branco. É porque está em Manaus, se tivesse aqui, ficaria mais “triste” ainda, com os casos diários de pouco caso com os pacientes.

APENAS CONVERSA INICIAL

Em nota ao BLOG DO CRICA, o Porta-Voz da REDE, Júlio Cesar, esclareceu dois pontos: a senadora Marina não assumiu compromisso de apoiar nenhum candidato à PMRB. E sobre a conversa ontem com a prefeita Socorro Neri, diz que foi “boa”, mas que nada ficou acertado.

 DEBATE INTERNO

Foi esclarecido ainda que a decisão da REDE sobre quem o partido vai apoiar para a prefeitura da capital sairá de um debate interno. A meta inicial é a montagem de uma chapa competitiva para disputar vagas na Câmara Municipal de Rio Branco.

SONHANDO COM O IMPONDERÁVEL

Não sei de onde o pessoal do MDB tirou de que haverá eleição este ano para a prefeitura de Cruzeiro do Sul. Não existe nem um indicativo. O TSE vai aceitar provas baseadas em gravação clandestina? Sobre isso, só as ilações. O MDB está contando com o ovo no c* da galinha.

QUEM É QUE GARANTE?

Quem é que garante que a decisão que cassou o prefeito Ilderlei Cordeiro, não será revista? 

NÃO FALOU HERESIA

O líder do governo, deputado Tchê (PDT), não falou heresia ao defender que se adote o mesmo modelo na SESACRE do governo Binho Marques, de descentralizar as ações do órgão. Nestes 20 anos de PT, a Saúde só funcionou a contento no curto mandato do Binho. E só!

EXPLICAÇÃO NADA CONVINCENTE

Nada convincente a versão da Secretaria de Educação sobre a demissão de professores provisórios e fechamento de salas de aula para alunos do EJA. Faltou foi planejamento.

RECORDE NEGATIVO

Os dirigentes estaduais da secretaria de Meio-Ambiente e do IMAC estão estreando com um recorde negativo nas suas gestões. O Acre aparece entre os três Estados que mais desmataram e fizeram queimadas neste verão. Não adianta anunciar medidas, a porta já foi arrombada.

NÃO TEMOS O QUE COMEMORAR

Sou um defensor do agronegócio, contrário aos radicais do meio-ambiente, os que acham que o Estado pode se desenvolver vendendo copaíba, mas no Acre, a implantação de uma nova frente econômica pode acontecer sem queimar florestas, aproveitando as áreas degradadas. Não temos, portanto, nada a comemorar com o aumento de mais 100% nas queimadas.

EMERGÊNCIA AMBIENTAL

O governador Gladson Cameli não precisaria estar agora assinando um Decreto de emergência ambiental, se os órgãos do setor no Estado tivessem se antecipado no combate às queimadas.

TUCANOS NO AGUARDO

O deputado Luiz Gonzaga (PSDB), com base eleitoral em Cruzeiro do Sul, disse ontem ao BLOG DO CRICA que o partido vai apoiar á prefeitura do município o candidato que o governador Gladson Cameli indicar. Seria uma contrapartida ao Gladson apoiar os tucanos para PMRB.

BEM QUE AVISEI OS TUCANOS

Eu bem que avisei neste BLOG que os tucanos não comemorassem a fala do governador Gladson de que apoiaria o candidato do PSDB a prefeito de Rio Branco. Conheço os índios da aldeia. Cameli promete agora apoiar o deputado José Bestene (PROGRESSISTAS) à PMRB.

NÃO TENHO QUE ACHAR DIVERTIDA

Com tudo isso que acontece na terra de Galvez, não é para achar a política divertida?

PESO FUNDAMENTAL

Numa breve conversa com o deputado federal Flaviano Melo (MDB), após a gravação do programa “Boa Conversa”, que irá ao ar no ac24horas no próximo domingo, este reconheceu na informalidade que o prefeito Ilderlei Cordeiro melhorou a gestão e muito se deve á entrada na equipe da Chefe do Gabinete, Idelcleide Cordeiro, que saneou as finanças municipais.

CONVERSA ABERTA

A entrevista com o velho cacique do MDB, Flaviano Melo, foi bem descontraída.

FRASE DO DIA

“Melhor um pequeno fogo para nos aquecer do que um grande fogo para nos queimar”. Thomas Fuller, historiador inglês. 

 

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.