Conecte-se agora

Terceirizados da Secretaria do Meio Ambiente estão sem receber há quatro meses

Publicado

em

Atual secretário da pasta, Israel Milani - Foto: Reprodução

Técnicos do Cadastro Ambiental Rural (CAR) de Rio Branco, contratados pela Empresa (FO DO NASCIMENTO) Edicol, alegam estar desde novembro do ano passado sem receber seus salários. Segundo eles, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMA) não tem feito nenhum repasse financeiro para o órgão há pelo menos quatro meses.

Alguns dos funcionários já tiveram até o contrato encerrado e não receberam nada. “Nos falaram que existe a possibilidade de um repasse pelo BNDES para a Sema, mas nada certo ainda, para cumprir todos os compromissos juntos a empresa”, diz um dos técnicos, que preferiu não revelar o nome.

De acordo com os técnicos, já passou até os prazos para fins de rescisão e não foram ressarcidos corretamente. “Tivemos acesso apenas ao FGTS e demos entrada no seguro desemprego, mas nada de rescisão, nem salários”, declarou.

Segundo eles, uma situação complicada e constrangedora, pois nesse período de atraso de salários chegaram até a pedir dinheiro emprestado. A referida empresa tem contratos com a Secretaria de Meio ambiente por meio do Viveiro da Floresta, entre outros órgãos.

Ao ac24horas, o atual secretário da pasta diz que realmente já existe uma tratativa com o BNDES, pois o estado ficou inadimplente com o banco no ano passado e o banco tirou recursos e bloqueou a fonte. “Já abrimos tratativa com o banco e a secretaria de planejamento para tratar propostas de refinanciamento com a dívida do estado, só assim vamos poder pagar o que devemos ao CAR”, disse Israel Milani.

O secretário ainda afirmou que conversou com os técnicos do CAR, mesmo eles não tendo ligação direta com a Sema. “Nos sensibilizamos com esta situação e acreditamos que em breve esse problema será resolvido”, afirmou Milani.

Propaganda

Cotidiano

LGBT: desativado em 2018, Acre volta a ter Conselho de Combate à Discriminação

Publicado

em

O Conselho Estadual de Combate à Discriminação e Promoção dos Direitos LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros) foi desativado em 2018. Entretanto, o governo do Acre assinou nessa sexta-feira, 13, decretos que, entre outros assuntos, estabelece a retomada dos trabalhos do Conselho, sediado em Rio Branco.

O decreto foi assinado pelo governador em exercício, deputado Nicolau Júnior. O Conselho busca assegurar os direitos dos cidadãos, nas mais diversas orientações sexuais, e incentiva o respeito à diversidade. Segundo Nicolau, “o governo valoriza todos da sociedade, sem nenhum tipo de distinção”. Para ele, a criação do conselho é muito importante para a garantia e valorização dos direitos humanos. “A volta deste conselho mostra o respeito que o governo tem e com certeza prestará um excelente serviço humanitário para a nossa população”, disse o parlamentar.

O movimento ativista LGBT vê a volta do espaço como um marco importante para o fortalecimento da causa. Germano Marino ressaltou durante a solenidade de assinatura do decreto que o maior desafio será levar o conselho até os 22 municípios do estado. Ao Notícias do Acre, ele informou que “o conselho faz o controle social das políticas e está diretamente ligado a área dos direitos humanos do governo do Estado, ou seja, vamos juntos com o governo trabalhar políticas afirmativas no enfrentamento a discriminação e a violência dessa população LGBT”.

Para Germano, é preciso que o espaço chegue às cinco regiões do Acre. “É importante que seja feita a capacitação e sensibilização de gestores públicos municipais para que possamos diminuir o grau de intolerância e trabalhar uma cultura de paz”, garantiu.

Continuar lendo

Cotidiano

Após ter lotérica arrombada, empresário é avisado que não há perito para investigar

Publicado

em

O proprietário de uma lotérica localizada no município de Sena Madureira foi surpreendido ao ter seu estabelecimento arrombado por bandidos. O caso aconteceu no final de semana passada, durante a madrugada de domingo, dia 8. Os criminosos quebraram uma parte da parede da lotérica. Ocorre que, ao se deslocar até a delegacia para fazer um Boletim de Ocorrências, os proprietários foram informados de que, possivelmente, não haveria investigação para solucionar o caso e localizar os suspeitos.

“Minha filha que administra a lotérica foi na delegacia fazer o B.O. Ficamos surpresos quando ouvimos do delegado de polícia que eles nem tinha perito, nem investigador para acompanhar o caso. O que nos deixou revoltados”, disse o proprietário ao ac24horas, que prefere não se identificar.

O empresário fez um relato de desabafo nas redes sociais diante da informação negativa da polícia civil para com a prisão dos suspeitos de terem cometido o crime. Ele diz que é funcionário de um banco no município e que também possui um pequeno comércio na região. “Ou seja, pago tanto imposto que, a cada dois anos, dá muito bem para comprar uma viatura dessas [se referindo a uma viatura policial]. O que pago de imposto é muito alto”, salienta.

O ac24horas procurou a Polícia Civil do Estado, por meio de sua assessoria, e foi informado pelo Delegado Geral de Polícia que pode ter havido um “erro de comunicação”. Segundo a segurança pública, “apesar de não ter perito em Sena Madureira, ainda, ou uma base da perícia criminal, sempre que os peritos são acionados, eles atendem, tanto a região do Baixo Acre, como Alto Acre e Purus”.

O Delegado Geral de Polícia acredita que o que houve na informação repassada ao empresário foi, de fato, um erro de comunicação. “Sempre que os peritos são acionados, eles vão ao local fazer esse tipo de trabalho”, explica.

Continuar lendo
Propaganda
Propaganda

Mais lidas