Conecte-se agora

Grupo é criado para acompanhar cadeia produtiva do açaí no Acre

Publicado

em

Dias depois da Prefeitura de Rio Branco comunicar que amostras de açaí comercializados no Mercado Elias Mansour estavam contaminadas com fezes de barbeiro e fazer um chamamento para que a população que consumiu o vinho da fruta adquirido no mercado fosse ao Centro de Apoio Diagnóstico para fazer o exame da gota e verificar se foi contaminado ou não, foi estabelecido a criação de um Grupo de Trabalho (GT) formado por representantes dos governos municipal, estadual e federal envolvidos na cadeia produtiva do açaí.

O GT será constituído para atuar no acompanhamento desde a extração até a comercialização do açaí. Foi o que ficou definido em Audiência Pública realizada na Câmara de Rio Branco, nesta segunda-feira, 11.

Além disso, será criada uma cartilha com todos os passos das boas práticas da cadeia do açaí; atualização do Código Sanitário e a criação de um Selo, que comprove a procedência e qualidade do açaí.

Oteniel Almeida, secretário de Saúde do município, assegurou que as responsabilidades serão divididas para a tomada de decisões que beneficiem os produtores. “Mas que levem em conta, principalmente, a saúde da população, que tem o direito de consumir um produto de qualidade e sem nenhum risco à sua saúde”, afirmou Oteniel.

O secretário de Saúde, Oteniel Almeida, explica que o Grupo de Trabalho vai atuar de forma que todas as etapas, desde a extração até a comercialização do açaí, tenham acompanhamento adequado. “Vamos dividir as responsabilidades e tomar decisões que beneficiem os produtores, mas que levem em conta, principalmente, a saúde da população, que tem o direito de consumir um produto de qualidade e sem nenhum risco à sua saúde”, destaca Oteniel.

Almeida frisou que a comercialização, bem como o consumo de açaí não está proibido em Rio Branco, e quem tiver o Alvará Sanitário pode vender o produto sem qualquer transtorno.

“Nosso papel não é interromper a cadeia produtiva do açaí, e sim, garantir que o produto chegue à mesa do consumidor sem risco de morte, como fazemos desde 2016, e só agora encontramos problema em um dos pontos de venda”, reforçou o gestor municipal.

Na quarta-feira, 13, às 15 horas, haverá um novo encontro na Câmara de Rio Branco para dar continuidade aos debates iniciados nesta segunda-feira, 11. A realização da Audiência Pública foi indicação do vereador Artêmio Costa (PSB).

 

 

Propaganda

Cotidiano

Idaf deve contratar 15 médicos veterinários para intensificar fiscalização

Publicado

em

Com vistas às normas do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa, o Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (Idaf) deve contratar, nas próximas semanas, 15 novos médicos veterinários e outros 20 técnicos agropecuários.

A necessidade de contratação já foi apresentada ao governador Gladson Cameli, que autorizou o início dos trâmites administrativos para as contratações emergenciais. O quadro de profissionais do Idaf estaria com falta de especialistas, o que inviabiliza uma séria de ações do órgão.

O diretor-presidente do Idaf, Rogério Mendes, já solicitou ao governador estudos para a realização de concurso público. As contratações emergenciais devem valer apenas para o ano de 2019, o primeiro da gestão, e deve ajudar efetivamente os setores e a campanha que em março terá sua última realização.

“A ideia é que essas contratações supram nossas demandas durante o ano de 2019 até que possamos conseguir realizar um concurso público. O governador Gladson Cameli sinalizou essa possibilidade e estamos muito otimistas”, frisou o diretor-presidente do Idaf.

Segundo o Palácio Rio Branco, o fim da imunização é uma pressão do mercado internacional, sobretudo de países compradores da carne bovina brasileira. Atualmente, o rebanho acreano é estimado em 3,3 milhões de cabeças de gado espalhadas em mais de 24 mil propriedades rurais.

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.