Conecte-se agora

“Chico Mendes é irrelevante”, diz ministro do Meio Ambiente durante entrevista no Roda Viva

Publicado

em

Em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, na noite de segunda-feira, 11, o ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles, declarou que o líder seringueiro acreano Chico Mendes “é irrelevante” e questionou que diferença o ambientalista faria nesse momento.

As declarações de Ricardo Salles geraram manifestação de ambientalistas, jornalistas e internautas de modo geral.

Em entrevista exclusiva ao ac24horas, o ex-senador Jorge Viana também expôs sua opinião. “Em 30 anos da morte do Chico, talvez seja a declaração mais infeliz que já ouvi sobre ele. Eu sei que segue tendo preconceitos, intolerância e tentativa de distorcer o que era o Chico Mendes, mas o mundo todo avançou na valorização da agenda socioambiental”, disse Jorge.

O senador declarou ainda que lamenta mais ainda pela declaração vir de um ministro do Meio Ambiente brasileiro. Porém, Jorge pontua que, para ele, a postura de Salles não é nada de novo.

“É tudo aquilo previsível que podemos ter desses tempos difíceis que estamos vivendo, onde parece que alguns deram um cavalo de pau e resolveram andar para trás mesmo, nos levara para o século passado, para um período de intolerância e desarmonia da relação do homem com o meio ambiente. Por outro lado, declarações como esse, nos fazem ficar preocupados, mas são capazes também de mobilizar pessoas para que algo seja feito em defesa do que significa o nosso futuro”

Repercussão nacional

O ex-ministro, Carlos Minc também se manifestou em sua página do Twitter. “Como que Chico Mendes é irrelevante, ministro? Conheci Chico Mendes nos empates no Acre em defesa dos seringais, contra os correntões que os devastavam para formar pastos ilegais. Reconhecido no mundo como defensor dos povos da floresta da Amazônia. Irrelevante é você ministro”.

Marcelo Lins, jornalista da GloboNews, afirmou que a declaração do ministro Salles “dá bem a dimensão do tamanho do desafio que se apresentam para os que querem levar adiante, com seriedade, pautas ligadas ao crescimento sustentável”

Este slideshow necessita de JavaScript.

Entenda

As declarações do ministro Ricardo Salles iniciaram depois que o apresentador do Roda Viva, Ricardo Lessa, perguntou qual a opinião de Salles sobre o ambientalista acreano.

“Não conheço Chico Mendes. Tenho um certo cuidado em falar sobre coisas que não conheço. Eu escuto história de todos os lados. Do lado dos ambientalistas mais ligados a esquerda , um enaltecimento do Chico Mendes. As pessoas que são do agro, que são da região, dizem ‘Olha, o Chico Mendes não era isso que é contado’.

A jornalista Cristina Serra então questionou: O que o pessoal do agro diz para o senhor sobre Chico Mendes?

“Dizem que o Chico Mendes usava o seringueiro para se beneficiar, fazia uma manipulação da opinião”, comenta o ministro que é interrompido por outro questionamento do apresentador Ricardo Lessa. “Se beneficiar em quê? Ele morreu…”

Salles então continua: “O fato é que ele é irrelevante. Que diferença faz quem é Chico Mendes nesse momento?”

Cristina Serra interrompe o ministro e pontua que o ambientalista é reconhecido pela ONU (Organização das Nações Unidas). “Mas a ONU reconhece um monte de coisa errada”, finaliza o ministro Ricardo Salles.

Propaganda

Destaque 3

Crise financeira: supermercado anuncia em cartaz fechamento de loja em Rio Branco

Publicado

em

Clientes do supermercado Gonçalves, localizado na Avenida Ceará, foram surpreendidos neste sábado, 16, ao se depararem com um cartaz afixado na entrada da loja, informado do encerramento de suas atividades na capital acreana.

“O Gonçalves agradece ao clientes e amigos e comunica o encerramento das atividades desta loja a partir de hoje 16/02/2019. A direção”, informais cartaz.

A filial da rede de supermercados de Rondônia atuava no Acre desde a década de 1990. Nos últimos meses de funcionamento, a loja acreana contava com aproximadamente 100 funcionários diretos.

Até o dia 8 deste mês a rede postava seus produtos em oferta na sua página do Facebook.

Há três anos, o ac24horas noticiou em primeira mão que o supermercado enfrentava dificuldades financeiras e dava sinais de que encerraria suas atividades.

Na época, os advogados que representam a rede acionaram a justiça rondoniense pedindo a recuperação judicial, para evitar falência.

A ação permitiria a empresa se reorganizar para recuperar a capacidade de quitar o débitos existentes.

Continuar lendo

Destaque 3

Previdência Social: proposta é de idade mínima de 65 anos para homens e 62 para mulheres

Publicado

em

O secretário de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, afirmou nesta quinta-feira (14) que a proposta do governo de reforma da Previdência Social vai prever idade mínima de aposentadoria de 65 anos para homens e de 62 anos para mulheres ao final de um período de transição de 12 anos.

Segundo ele, a proposta será assinada pelo presidente Jair Bolsonaro e enviada ao Congresso Nacional na próxima quarta-feira (20).

Por se tratar de proposta de emenda à Constituição (PEC), a reforma precisa do apoio mínimo de três quintos dos deputados (308 dos 513) para ser aprovada e enviada ao Senado.

Atualmente, é possível se aposentar

  • sem idade mínima, a partir dos 35 anos de contribuição (homem) ou dos 30 (mulher).
  • a partir de 65 anos (homem) ou 60 anos (mulher) com tempo mínimo de 15 anos de contribuição.
  • pela regra da fórmula 86/96, que soma a idade e o tempo de contribuição: no caso das mulheres essa soma deve resultar 86 e, no dos homens, 96.
  • em caso de aposentadoria rural, a idade mínima é de 55 anos (mulheres) e 60 anos (homens), e com tempo mínimo de 15 anos de contribuição.
  • servidores públicos (Executivo, Legislativo, Judiciário e Ministério Público) podem se aposentar desde que tenham tempo mínimo de 10 anos de exercício no serviço público e 5 anos em cargo efetivo no qual se aposentará. Além disso, tem de ter 60 anos de idade e 35 de contribuição (homem) ou 55 anos de idade e 30 de contribuição (mulher), com proventos integrais; ou 65 anos de idade (homem) ou 60 anos de idade (mulher), com proventos proporcionais.

Segundo Rogério Marinho, Bolsonaro tomou “a decisão final” sobre a proposta em reunião na tarde desta quinta, no Palácio da Alvorada, com os ministros Paulo Guedes (Economia), Onyx Lorenzoni (Casa Civil) e Carlos Alberto dos Santos Cruz (Secretaria de Governo).

“Hoje o presidente diante das informações que recebeu tomou a decisão final. O texto está pronto”, disse o secretário.

Segundo Marinho, Bolsonaro pediu que, em princípio, fossem divulgadas apenas “algumas” informações. O inteiro teor do texto será conhecido no dia 20, informou o secretário.

“O presidente defendia 65 [anos para homens] e 60 anos [para mulheres] e uma transição mais longa. Nós conversamos com ele, e o presidente tem sensibilidade. Entendeu também as condições da economia. E fez a distinção do gênero. Ele acha importante que a mulher se aposente com menos tempo de contribuição e trabalho do que o homem e nós conseguimos encurtar um pouco essa questão da transição”, afirmou Marinho.

Marinho afirmou esperar que a proposta seja “brevemente” aprovada pelo Congresso Nacional. “O Brasil precisa e tem pressa de voltar a crescer”, declarou.

No último dia 5, o ministro ministro Paulo Guedes afirmou que a intenção com a reforma da Previdência é obter uma economia de R$ 1 trilhão em dez anos. Mas Marinho não informou se, de fato, a cifra estimada no projeto será mesmo essa.

Continuar lendo

Destaque 3

Projeto de lei quer aumentar limite da Carteira de Habilitação de 20 para 50 pontos

Publicado

em

Um projeto de lei (PL 11173/18) que tramita na Câmara dos Deputados quer mais que dobrar o limite de pontos para a manutenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), de 20 para 50 pontos.

O mesmo texto modifica as pontuações aplicáveis dependendo da infração cometida. Penas leves, como dirigir sem documentos, ficam zeradas – esse tipo de infração terá apenas uma multa de R$ 88,38. Já as demais modalidades de infrações terão redução de um ponto (as gravíssimas, por exemplo, passam de 7 para 6).

A proposta também isenta da aplicação de pontos na carteira algumas profissões: policiais, bombeiros, médicos, taxistas e motoristas de ônibus ficariam livres da penalidade. O mesmo vale para servidores públicos que têm entre as atividades do cargo dirigir.

Atualmente, o Código de Trânsito Brasileiro para todos os motoristas que cometem infração, independentemente do veículo. O limite para a pontuação é de 20 pontos antes de suspensão da carteira.

“Tais profissões também devem ter tratamento diferenciado perante a lei dada sua natureza, não devendo ser computada qualquer pontuação em suas CNH pelas infrações cometidas”, disse o autor, deputado Roberto de Lucena (Pode-SP).

Isenção tributária
O projeto também concede isenção tributária para veículos particulares de policiais federais, civis e militares, ativos ou inativos. A isenção vale para apenas um veículo e fica vedada a alienação do bem nos primeiros 24 meses da data de compra.

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.