Conecte-se agora

Mulheres de faccionados do B13 e CV não farão mais visitas íntimas até segunda ordem

Publicado

em

Um protesto inusitado deve mexer com as estruturas das Forças de Segurança nesta semana. As mulheres e familiares dos detentos do presídio Francisco D’Oliveira Conde e Antônio Amaro Alves, em Rio Branco, ligadas as facções criminosas Bonde dos 13 e Comando Vermelho, se unirão, não precisamente pelo fim da guerra pelo controle do tráfico de drogas e armas, que nos últimos anos já vitimou mais 1.400 pessoas no Estado, mas sim por uma situação que vem se tornando comum em bairros periféricos de Rio Branco: pessoas inocentes que são parentes de presos estão sendo expulsas de suas casas a base de coação e ameaça por membros de facções rivais.

A medida drástica tomada por essas mulheres é a suspensão das visitas íntimas e familiares que ocorrem durante a semana, o que pode ocasionar uma série de contratempos no Sistema Penitenciário do Acre. “Nós não compactuamos com essas atitudes de membros faccionados que vem tomando conta do nosso estado de impedir as famílias de não ter acesso de suas residências ,onde a casa é algo inviolável”, disse uma das mulheres que não quis se identificar por medo de morrer.

“Esse tratamento não está sendo aceito. Temos familiares que não precisam está passando por isso. Não tem nada a ver com essa guerra onde idosos, crianças, pessoas que são da igreja, que não vivem do crime, que apenas para não abandonar o filho, sobrinho, neto, esposo e o irmão, visitam seu familiar que está ali no presídio”, argumentou.

A mulher disse que uma mobilização “diplomática” entre esposas de membros do B13 e CV ganha corpo e reuniões estarão sendo feitas nesta semana. O objetivo é cessar as visitas íntimas e familiares até que líderes resolvam entrar em um acordo para não mexer com familiares um dos outros.

O ac24horas apurou por meio de fontes ligadas familiares de presos que residem no bairro João Eduardo, em Rio Branco, tiveram suas casas marcadas por membros de facções para deixarem seus lares.

Propaganda

Cotidiano

Câmara Municipal de Brasiléia debaterá segurança na fronteira nesta sexta-feira

Publicado

em

Com o tema “Segurança Pública na Fronteira”, a Câmara de Vereadores de Brasiléia realizará nesta sexta-feira, 23, audiência pública para discutir a situação de insegurança causada pelo crescimento da criminalidade na região. 

O evento ocorrerá no Centro Cultural Sebastião Dantas, a partir das 9 horas da manhã, e pretende contar com a participação de autoridades representativas dos poderes executivo, legislativo e judiciário, representantes civis, militares e eclesiásticos, e outros órgãos ligados ao tema nas esferas estadual e federal.

De acordo com o assessor de comunicação da Câmara, Fernando Oliveira, estão confirmadas as presenças do Tribunal de Justiça do Acre, Exército Brasileiro, Polícia Federal e Assembleia Legislativa. Também confirmaram presença os prefeitos de Xapuri, Brasiléia, Epitaciolândia e Assis Brasil, assim como as respectivas Câmaras de Vereadores desses municípios. Até o fechamento desta reportagem não havia ocorrido ainda a confirmação da Secretaria de Estado de Segurança Pública. O assessor afirmou que existe a possibilidade de o vice-governador Major Rocha representar o Palácio Rio Branco no evento.

O presidente da Câmara de Brasiléia, Rogério Pontes de Souza (MDB), justificou a convocação da audiência pública nos recentes casos de violência ocorridos na região de fronteira, como assaltos, roubos de veículos, tráfico de drogas e latrocínios. 

“As dificuldades de combate à criminalidade na região fronteiriça entre Brasil, Bolívia e Peru têm deixado a população em pânico devido a falta de segurança”, diz um trecho do convite oficial do evento, assinado pelo vereador.

A audiência pública na fronteira nasceu de um requerimento apresentado pelo vereador Mário Jorge Fiescal, também do MDB. O pedido foi motivado por reivindicações da população em face do crescimento da violência na região de fronteira nos últimos meses, com a ocorrência de diversos crimes, entre os quais alguns roubos seguidos de morte nas zonas rurais de Brasiléia e Epitaciolândia.

No dia 14 de julho passado, o colono Raimundo Nonato Pessoa, de 55 anos, o Mundico, foi vítima de latrocínio dentro de sua propriedade, localizada na BR-317, sentido a Assis Brasil. Na mesma data, a polícia registrou o desaparecimento do mototaxista boliviano com naturalidade brasileira, Pablo Costa Progênio, de 35 anos, cujo corpo em decomposição foi encontrado dias depois na zona rural de Epitaciolândia. Segundo foi apurado pela polícia, ele foi morto por um caseiro após atender ao chamado de uma corrida para a propriedade onde o acusado trabalhava.

Continuar lendo

Cotidiano

Justiça do Acre irá leiloar na próxima sexta-feira, dia 23, casa no bairro Vila Ivonete

Publicado

em

A Justiça do Acre abre nesta sexta-feira (23), o leilão eletrônico de uma residência em alvenaria com 300m², na Vila Ivonete, em Rio Branco. A região possui infraestrutura básica e o imóvel, segundo o edital, está registrado em cartório. O leilão será dará através do site www.deonizialeiloes.com.br, onde também será possível obter melhores informações.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.