Conecte-se agora

Rio Acre amanhece em vazante na Capital e interior do Estado

Publicado

em

Depois de ficar um metro acima da cota de transbordamento durante o dia de ontem, 9, o Rio Acre amanheceu neste domingo, 10, medindo 22 centímetros a menos, baixando para 14,76 metros, de acordo com Agência Nacional de Águas (ANA).

O último boletim, divulgado pela equipe da Defesa Civil do estado às 6 horas de hoje, mostra que o volume de água no Rio Acre está em vazante. Informações do Corpo de Bombeiros apontam que o Rio, no alto Acre, também se encontra na mesma situação e está perdendo as forças.

Em Xapuri, o rio baixou mais de um metros em 12 horas, chegando aos 7, 88 metros. Nas cidades de Assis Brasil e Brasileia também foi percebida uma significativa vazante, já que as medições desta manhã indicaram níveis de 3,51 em Assis Brasil e 4,11 metros em Brasileia.

O Rio Espalha baixou 11 centímetros de ontem para hoje, registrando 9,49 metros. O Riozinho do Rola está com 15,31 metros.

A previsão, segundo a Defesa Civil, é que o rio continue na situação de vazante nas próximas horas, caso não sejam registradas chuvas nas áreas de cabeceira da bacia.

Os bairros Baixada da Habitasa, Seis de Agosto, Ayrton Senna e Triângulo, primeiros afetados pela enchente do Rio Acre seguem sob monitoramento da Defesa Civil. A principal rua do bairro Base começou a ser afetada pela água na manhã deste sábado.

No momento, o registro oficial indica que três famílias foram retiradas de seus imóveis na última quinta-feira, 7, e abrigadas em casas de parentes. Havia a solicitação para vistoria para avaliação de outros imóveis.

Propaganda

Destaque 5

Casa de Justiça e Cidadania é inaugurada na Cidade do Povo

Publicado

em

O deputado federal Alan Rick (DEM) participou na manhã desta segunda-feira, 14, ao lado do presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Acre, desembargador Francisco Djalma e do Governador Gladson Cameli, da solenidade de inauguração da Casa de Justiça e Cidadania instalada no Centro de Educação Profissional e Tecnológica em Serviços Campos Pereira, no bairro Cidade do Povo. A solenidade foi prestigiada pelas desembargadoras Eva Evangelista e Denise Bonfim, Procuradora-Geral de Justiça Kátia Rejane, presidente da OAB-Acre, Erick Venâncio, Defensora Pública Geral Roberta Caminha e Defensor Público Celso Rodrigues, secretária municipal de Assistência Social, Vanusa Messias, o presidente do IEPTEC, Francineudo Costa, juízes, procuradores de justiça e servidores do Judiciário, Ministério Público, Defensoria Pública e IEPTEC.

A Casa de Justiça e Cidadania, que foi equipada graças a uma emenda parlamentar de Alan Rick no valor de R$ 300 mil, oferece ao cidadão residente na Cidade do Povo e bairros adjacentes, serviços gratuitos de assistência jurídica voluntária e mecanismos para a solução de conflitos. Além disso, também objetiva promover a inserção social e a prestação de informações sobre serviços públicos e cidadania, disseminando práticas institucionais voltadas à promoção de proteção de direitos fundamentais e acesso à justiça.

O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Francisco Djalma, fez questão de agradecer o apoio do deputado Alan Rick na liberação dos recursos que viabilizaram a implantação dos serviços de justiça e cidadania na Cidade do Povo e disse que este é mais uma ação da gestão para proporcionar acesso à justiça para todos. O governador Gladson Cameli também enalteceu o trabalho parlamentar de Alan Rick na liberação de recursos para o Estado do Acre.

Para o deputado, o projeto contempla uma das principais metas da justiça cidadã: a implementação de ações de conciliação, mediação e solidariedade social, capazes de atender à comunidade mais carente e desassistida.

Segundo ele, são meios que possibilitam a inserção social do cidadão com informações sobre serviços públicos, conhecimentos sobre cidadania, direito, assistência judiciária voluntária e mecanismos de solução de conflitos.

“Quero aqui agradecer o grande empenho das desembargadoras Eva Evangelista e Denise Bonfim na concretização deste sonho que é o pleno funcionamento da Casa de Justiça e Cidadania, um projeto que abracei ainda na gestão da saudosa desembargadora Cezarinete Angelim e que agora se torna realidade. Agradeço também o governador Gladson Cameli, através do presidente do IEPTEC, Francineudo Costa, que nos cederam as salas para a instalação dos equipamentos e do layout de atendimento ao público. Uma realidade que, não tenho dúvidas, mudará a vida de centenas de pessoas na Cidade do Povo”, disse Alan Rick.

Continuar lendo

Destaque 5

Kátia Rejane faz balanço de sua gestão à frente do MP do Acre

Publicado

em

“Meu compromisso é fazer um Ministério Público melhor, não só para membros e servidores, mas principalmente para a sociedade que almeja por mudanças e justiça social”. Assim, a procuradora Kátia Rejane de Araújo Rodrigues define a sua missão como procuradora-geral de Justiça do Ministério Público do Acre, cargo que assumiu em janeiro de 2018.

Ela é a terceira mulher eleita para ocupar o mais elevado cargo na carreira do Ministério Público, após acumular experiência como procuradora-geral adjunta e corregedora-geral, além de ser uma referência na defesa de crianças e adolescentes.

Kátia Rejane diz que, ao tomar posse, decidiu por uma agenda de trabalho que incluísse membros, servidores e a sociedade. Só nos primeiros cinco meses, promoveu 27 encontros de planejamento com o público interno. No entanto, considera que o diálogo com o cidadão é que foi determinante para que as prioridades de sua gestão fossem definidas.

Além do Centro de Atendimento ao Cidadão (CAC), órgão que funciona na capital e interior do estado, e o fortalecimento da Ouvidoria, o MPAC realizou pesquisa de imagem e abriu as portas para debates sobre diversos temas com a intenção de ouvir a sociedade, e assim orientar e tornar a sua atuação mais resolutiva.

Exemplo disso foi a realização do Fórum de Segurança Pública, em novembro de 2018, que reuniu autoridades da área para debater problemas e soluções para o combate à criminalidade. Além disso, foi aberto um canal de escuta específico sobre o tema e as propostas foram entregues ao governo estadual.

“Era um momento em que havia uma redução no número de homicídios no estado, mas que havia o entendimento de que os desafios eram inumeráveis. Não era, e continua não sendo, hora de retroceder, ao contrário, é tempo de avançar”, conclui.

Transparente para a sociedade

Foi em sua gestão que o MP do Acre atingiu o percentual máximo de transparência, sendo avaliado juntamente com todos os ramos e unidades do Ministério Público brasileiro pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

Já são três vezes consecutivas que o resultado de excelência é alcançado, o que significa que 100% das determinações da Lei de Acesso à Informação e de resoluções do CNMP que tratam de transparência na divulgação dos dados são atendidas. Ao todo, são avaliados 318 itens.

“Era uma meta prioritária, e esse resultado mostra o compromisso do MP do Acre com a transparência, mas principalmente com o cidadão. O acesso à informação é um direito assegurado pela Constituição e indispensável ao exercício da cidadania”, comenta a procuradora-geral.

Combate ao crime organizado

O MPAC passou a integrar grandes operações de combate ao crime organizado realizadas no país. A mais recente ocorreu em setembro, em onze estados. Aqui recebeu o nome de Operação Nitro e teve como foco desarticular uma quadrilha que desviava combustíveis.

No mês anterior, também dentro de uma estratégia nacional, uma operação permitiu que fossem revistados pavilhões dominados pela organização criminosa PCC e a facção local Bonde dos 13. Foram aprendidos celulares, drogas, armas de fabricação caseira e anotações que serão analisadas para o embasamento de futuras investigações.

Além de frustrar a ação de criminosos, o trabalho resulta na condenação de líderes e integrantes de facções criminosas, também envolvidos em crimes contra a vida. Atualmente, de acordo com levantamento do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o Acre é o estado com maior percentual de condenações no Tribunal do Júri, chegando a 75% dos casos julgados. A média nacional, que abrange o período de 2015 a 2018, é de 48% de condenações.

Gestão e atuação extrajudicial

O MP acreano mantém um banco de projetos com mais de 80 iniciativas que reforçam a sua atuação extrajudicial e modernizam a gestão. Entre elas, está o OTRS, um portal de atendimento interno desenvolvido pela equipe de TI e que tem permitido agilizar o recebimento e encaminhamento das demandas. O grau de resolutividade chega a 97, 79%.

Além disso, projetos do MPAC têm tido destaque nacional em premiações, entre as quais o Prêmio CNMP e de organizações, como o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Reconhecendo a importância das iniciativas e esforço envolvido na execução de cada uma delas, o MP acreano realiza a segunda edição do Prêmio de Gestão e Inovação, com a palestra do renomado historiador Leandro Karnal, professor da Universidade Estadual de Campinas.
Recentemente, iniciativas inovadoras do MPAC em eficiência da gestão e produção de dados foram reconhecidas em relatório do CNMP sobre inspeções no sistema prisional. No documento, elas figuram como instrumentos impulsionadores de políticas públicas e que representam novas formas de atuação a partir do gerenciamento da rotina e produção de dados.

União, otimização dos recursos e criatividade

Para Kátia Rejane, que recentemente anunciou a construção das promotorias de Manoel Urbano e Senador Guiomard, promoções na carreira e o primeiro edital de seleção de estagiários, os resultados alcançados até aqui são decorrentes da união, bom uso dos recursos e criatividade. Mas são, acima de tudo, do trabalho comprometido de membros e servidores cientes de sua missão e do que a sociedade espera do Ministério Público.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.