Conecte-se agora

Mailza liga para prefeitos e disponibiliza ajuda aos municípios atingidos pela cheia

Mailza vai solicitar ministro do Desenvolvimento Regional recursos federais para as vítimas da inundação

Publicado

em

A senadora Mailza Gomes (Progressistas) está preocupada com a alagação nos municípios de Brasileia, Cruzeiro do Sul, Rio Branco, Sena Madureira e Tarauacá. Ela ligou para os prefeitos dos municípios para prestar solidariedade e se colocar à disposição para ajudar. O município do Vale do Juruá, Cruzeiro do Sul, decretou nesta quinta-feira, 07, estado de emergência devido a cheia do rio Juruá. A senadora solicitou para a próxima semana agenda com o ministro do Desenvolvimento Regional, ela pretende junto com a bancada do Acre solicitar a liberação de recursos para as vítimas da inundação.

“Tenho acompanhado nos últimos dias o trabalho da Defesa Civil nas áreas inundadas nos bairros Miritizal, Boca do Moa, Várzea e Lagoa em Cruzeiro do Sul. O prefeito Ilderlei Cordeiro, mesmo em viagem oficial no exterior, acabou de me informar que foi decretado, nesta quinta-feira,07, estado de emergência devido à cheia do rio Juruá. Ele também me disse que estará na próxima quarta-feira aqui em Brasília. A união da bancada federal neste momento é importantíssima. Já solicitei agenda com o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canut. Precisamos de recursos federais para as vítimas da enchente”, disse a senadora.

A senadora defendeu que ações preventivas precisam serem feitas para que essa realidade mude. “Todos os anos acontece a mesma coisa, o rio enche, pessoas ficam desabrigadas, produtores rurais perdem suas plantações, famílias que trabalham com agricultura familiar perdem seu sustento. Ações efetivas precisam serem colocadas em prática”, destacou a senadora progressista.

Propaganda

Cidades

Fernanda Hassem: “está difícil respirar”

Publicado

em

A situação na fronteira do Acre com a Bolívia está realmente delicada sob o aspecto ambiental porque o País vizinho vive sérios problemas com as queimadas. Em entrevista ao Valor, a prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem, se disse preocupada com a situação. “Nunca se queimou tanto. Nunca tivemos tanta dificuldade de respirar. Isso nos assusta”, disse. “É horrível de se dizer, mas, porque a fumaça chegou a São Paulo, vão prestar atenção. Nós convivemos com este quadro sempre e agora está pior”, completou.

O Valor lembra que as queimadas aumentaram 82% na Amazônia de janeiro a agosto deste ano, Na segunda-feira à tarde, o dia escureceu em São Paulo, em Mato Grosso do Sul e no Paraná. O fenômeno foi explicado pela conjunção de fatores aliados às queimadas.

Continuar lendo

Cidades

Fórum de Xapuri realiza mutirão da Semana Justiça Pela Paz em Casa

Publicado

em

A Vara Única da Comarca de Xapuri abriu nesta quarta-feira, 21, o mutirão de audiências da 14ª edição da Semana Justiça Pela Paz em Casa. São cerca de 40 audiências previstas para serem realizadas até esta quinta-feira, 22, no Fórum Raimundo Dias Figueiredo. A iniciativa, que ocorre em todo o Brasil, visa ampliar a efetividade da Lei Maria da Penha em uma concentração de esforços no julgamento dos casos de feminicídio e no andamento dos processos relacionados à violência contra a mulher.

No Acre, o trabalho é coordenado pela desembargadora Eva Evangelista, que atua à frente da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar, que também promove ações pedagógicas com intuito de dar visibilidade ao assunto e sensibilizar a sociedade. 

A abertura do evento no Acre aconteceu na última sexta-feira, 16, pelo presidente do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), desembargador Francisco Djalma, e a desembargadora Eva Evangelista, coordenadora estadual das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar no âmbito do TJAC.

As ações da Semana Justiça Pela Paz em Casa fazem parte do calendário dos tribunais estaduais desde 2017, por meio de Portaria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) na Política Judiciária Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres. Em 2018, a Política se tornou uma Resolução do CNJ. 

O esforço concentrado dos tribunais serve para agilizar milhares de processos que correm na Justiça brasileira sobre casos de violência doméstica contra a mulher. Atualmente, tramitam aproximadamente 1 milhão de processos sobre o tema, sendo 10 mil relativos a feminicídio. No Acre, só em 2019, foram registrados 21 casos.

Com informações do Tribunal de Justiça do Acre.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.