Conecte-se agora

Acre, um Estado na UTI em busca de um médico

Publicado

em

A última entrevista da secretária de Fazenda, Semírames Dias, faz um Raio-X que mostra a real situação financeira do Estado, comparável a um paciente grave numa UTI á busca de um médico para salvá-lo. O orçamento enviado pelo governo passado, pelo que mostra a secretária, as receitas previstas pela gestão anterior e colocadas na Lei Orçamentária Anual não têm garantias de até 31 de dezembro de estarem nos cofres do Estado. Para entender melhor, vamos para o popular: é como jogar na loteria, você pode ou não acertar. Isso levou o atual governo a fazer contingenciamento do orçamento por conta de receitas que não foram previstas. Uma Torre de Babel financeira. E tudo isso porque se fez uma Reforma Administrativa profunda, sem a qual, se teria que colocar uma placa avisando que o Acre estava fechado para balanço indeterminado. E a situação fiscal estaria muito pior. E o mais grave pode acontecer e que será o governo do Acre decretar estado de calamidade financeira, com seus prós e contra. O calote do 13º salário deixado de herança também ajuda a agravar o caos. E lá se vão mais de 70 milhões não previstos para quitar. Só para se ter uma ideia, o Estado tem que desembolsar em torno de 45 milhões mensais só para pagar parcelas dos empréstimos contraídos na gestão passada. Como alguns empréstimos são dolarizados, o valor pode subir. E se o Estado não pagar, complica ainda mais o quadro, entra para a lista dos maus pagadores e fica impossibilitado de contrair empréstimos. Pelo relato que a secretária Semírames fez sobre a quebradeira do Estado, me leva também a uma conclusão de que a chamada “transição” foi uma grande balela, um convescote para tomar café e jogar conversa fora. O governo atual errou em não fazer as revelações de agora logo após a transição e calar como se a administração passada tivesse deixando 1 bilhão de reais em caixa, o que foi uma afirmação fajuta, porque tais recursos não estão na gaveta e liberar depende de contrapartida. A situação é essa. Tem de escancarar mesmo como fez a secretária de Fazenda e tocar o barco. Lamentar, não vai resolver nada, assim como acusar, mesmo com fundada razão, o antecessor de ter deixado o Acre no fundo do buraco. O novo governo foi eleito para resolver os problemas. Não adianta ficar lamentando pelos cantos dos gabinetes. Quem casa com a viúva, cria os filhos. E o bom gestor se conhece na adversidade. Como a que o Acre atravessa.

DOIS FATOS CLAROS

Nas negociações para a futura mesa diretora da ALEAC, dois fatos ficaram configurados: o deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS) é o candidato do governador Gladson Cameli á presidência e o deputado Luiz Gonzaga (PSDB) do vice-governador Major Rocha. E ponto.

OUTRA FACETA

O governador Gladson Cameli prometeu a mesma mercadoria para PSDB e MDB: a primeira secretaria da mesa diretora da Assembléia Legislativa.

NÃO PRECISA DE OPOSIÇÃO

A figura do presidente Bolsonaro (PSL) não pode ser responsabilizada pelos atos desastrados do filho, mas quem tem um filho como o senador Flavio Bolsonaro (PSL), convenhamos, não precisa de oposição. Cada vez que se puxa o fio do novelo é uma trapalhada na sua conta.

CONTINUAMOS UMA DEMOCRACIA

Estão dando uma dimensão louca como se a decisão do ex-deputado federal Jean Willis (PSL), de ir morar fora do Brasil por se sentir ameaçado de morte por suas idéias, fosse um golpe contra a democracia. A sua ausência não implicará em nada. É um zero à esquerda, sem expressão. Continuamos uma democracia.

NÃO VEJO OUTRO CENÁRIO PARA ALEAC

O cenário político da próxima legislatura será o de ampla maioria do governo. A partir do momento que as pedras do tabuleiro começarem a ser mexidas, a oposição, dentro de um quadro otimista, ficará com cinco deputados. A tendência é uma debandada para o governo.

MELHOR DEFINIÇÃO

A FPA já teve seu enterro e até missa de sétimo dia depois da última eleição. A melhor definição sobre a FPA veio do presidente do PT, Cesário Braga, de que a FPA acabou por ter sido uma aliança eleitoreira e não programática. Traduzindo: sem cargos, não tem FPA.

DIFICULDADES SÉRIAS

O PT terá dificuldades sérias na próxima eleição para a prefeitura da capital, não só pelo desgaste natural e a rejeição popular registrada na última eleição, mas por falta de um nome de densidade para candidato. Os mais fortes, como Angelim, Jorge Viana, não irão ao sacrifício.

XEQUE-MATE

A situação política mais delicada para o governador Gladson Cameli, na eleição do próximo ano, acontecerá em Cruzeiro do Sul, se o prefeito Ilderlei Cordeiro resolver disputar a reeleição. É que, do outro lado terá a candidatura do grupo Vagner Sales. Ambos são aliados.

FORA DA DISPUTA

O PT está em Cruzeiro do Sul na mesma situação de Rio Branco: não tem um candidato que possa ser considerado forte para disputar a prefeitura. E depois da perda do governo ficou ainda mais fragilizado. Aliás, os petistas não conseguiram nos últimos 20 anos ter um nome de peso para a prefeitura cruzeirense. E, em 2020, o PT participará da eleição com coadjuvante.

NÃO SERÁ PRESA FÁCIL

Por suas atitudes sob impulso emocional, o prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim (MDB), está conseguindo unir uma frente política heterogênea para lhe enfrentar na eleição do próximo ano. Ainda assim, por estar no poder, Mazinho não será fácil de ser batido.

PODE ESQUECER O ENRÊDO

O novo governo não espere outro samba-enredo que não seja o de um mandato independente do deputado Roberto Duarte (MDB), mesmo tendo sido eleito pela aliança governista. Quando for para criticar algum mal feito não se calará, porque calar seria mudar o estilo que o elegeu.

GRANDE EXPECTATIVA

Uma das grandes expectativas na ALEAC é sobre como se comportará o deputado Gérlen Diniz (PROGRESSISTAS), cotado para ser o líder do governo. É que Diniz denunciava até o ar que os ex-secretários e o ex-governador respiravam, e como líder terá que dizer amém para tudo.

NÃO SE SUSTENTA

A conversa mole de que o governo passado passou o bastão com as contas no azul não se sustenta, por ser uma balela risível. Obras inacabadas, dívidas do 13º, dívidas do Pró-Saúde, caixa zerado, este foi o saldo real recebido. O que foi passado foi uma massa falida.

NÃO É JUSTIFICATIVA

É uma justificativa necessária do novo governo, apresentar o quadro de caos à população, mas isso já se sabia durante a eleição da quebradeira do Estado. Mas terá que enfrentar e dar solução à realidade negativa. FPE não é um repasse linear, oscila entre quedas e subidas, por isso o governador tem que partir para buscar recursos além dos repasses constitucionais.

ELEITO PARA RESOLVER

O governador Gladson Cameli foi eleito para tirar o Estado do atoleiro financeiro e dar uma nova guinada econômica com um novo projeto de desenvolvimento, não vai poder ficar se lamentando a cada dificuldade encontrada. Reclamar não paga dívida. Aliás, nunca pagou!

PROTESTOS CERTOS

O governo se prepare para enfrentar uma onda de protestos sindicais, caso opte por entregar à iniciativa privada as gestões do HUERB e do Pronto Socorro. Será a repetição da reação negativa dos sindicatos quando o governo passado tentou implantar o modelo e recuou.

COM QUE CARA?

Com que cara, com que argumento, por exemplo, os deputados que eram da oposição e se reelegeram, e na ocasião da proposta do Tião Viana foram contra as terceirizações do HUERB e Pronto Socorro, serão a favor numa eventual guinada deste governo no mesmo sentido?

MDB NÃO DESCE DO MURO

O deputado Roberto Duarte (MDB) não espere a direção do MDB de quebrar lanças para exigir do governador Cameli que, este cumpra a promessa de que a primeira secretaria seria do partido. Não acredito nem um pouco que o presidente Flaviano Melo (MDB) desça do muro.

ESTAVA ESCRITO

Bem antes de entrar em ebulição a disputa pelos cargos na mesa diretora da Assembléia Legislativa, eu disse ao deputado Roberto Duarte (MDB) que, ele não contaria com os quatro votos do PT e PCdoB, por sua figura estar colada no combate ao petismo e FPA. Dito e feito.

LIBERDADE DE EXPRESSÃO

Os que chegaram ao governo terão que se acostumar de que, quem ocupa função pública não é imune às críticas e nem se melindrarem quando cobrados. Falo no macro da atividade do jornalismo. Até porque na parte tocante a este espaço, a coluna não foi na administração do Sebastião e, tampouco, será nesta do Gladson Cameli, coluna social. É bom irem se acalmando.

RELAÇÕES PRÓXIMAS

O governador Gladson Cameli tem mantido relação estreita com o prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, porque sabe que o insucesso da gestão na prefeitura do seu município respingará na sua imagem. E não tem nem motivo para não ajudar um gestor do seu partido.

BOA PARTE DO SUCESSO

O sucesso do deputado Ney Amorim como presidente da Assembléia Legislativa pode ser vista por alguns ângulos: a boa e democrática relação com os deputados, a relação aberta e franca com os jornalistas que cobrem os trabalhos da casa, e a sua habilidade no trato com a oposição. Mas, no tocante a ser o coordenador político do governo, enfrentará críticas dentro da aliança do governo. Não será uma transição pacífica, sem reação.

PERDA DA VALIDADE

É bom os secretários irem buscando alternativas criativas para chegar nos 100 dias de governo com algo propositivo ou ações em andamento, para solucionar os principais problemas das suas pastas. A choradeira de ter pegado um Estado quebrado tem prazo de perda de validade

NÃO VAI RESOLVER

Que o governo passado era um desastre em todos os sentidos, os que ganharam a eleição já sabiam desde a campanha. Não podem ficar dando desculpas de mamãe eu não sabia.

AÇÃO E MENOS LAMÚRIAS

O que o governo tem de acabar e com as decisões desencontradas, a dubiedade no enfrentamento de situações que pedem ter um pulso forte e consertar a Torre de Babel em que se transformou a área política, sem um coordenador respeitado. Este governo foi eleito para ser prático na solução dos problemas e não para viver tecendo lamúrias.

PAU QUE DÁ EM CHICO….

Uma figura política importante da agora situação comentou ontem com a coluna de que, não teme uma atuação virulenta do deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) contra o governo, e apontou um motivo: “vem de gestões no Executivo, que também podem ser contestadas”.

POLO TECNOLÓGICO

A princípio apoio toda idéia nova e sem o cunho do ranço da mesmice. Por isso vejo com simpatia este projeto da senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS) de implantar um pólo de tecnologia no Vale do Acre. O seu maior desafio será atrair investidores para a iniciativa.

O QUE ESTAVA FALTANDO

Acontecida nos últimos dias na cidade, ao prender em tempo recorde os executores. Isso é essencial para que os crimes não virem uma bola de neve. PM e PC só merecem elogios. Existem medidas que podem ser copiadas, como ter um posto de controle de entrada e saída do Estado. No Peru, você não transita em seu território com um carro de outro país se não provar a propriedade. Por qual razão não adotar a exigência no posto do entroncamento da
estrada para Plácido de Castro, com todos os motoristas? Isso brecaria muito o trânsito de carros roubados para a Bolívia. Mas, para começo de trabalho, o comando da Segurança vai bem.

Propaganda

Blog do Crica

PSD do Petecão pode ter candidato à prefeitura

Publicado

em

O senador Sérgio Petecão (PSD) admitiu ao BLOG DO CRICA de que o seu partido poderá ter candidato próprio a prefeito de Rio Branco, na eleição do próximo ano. Disse que está na procura de um nome que possa ser apresentado ao eleitorado como algo novo. “Tenho me esquivado de conversar sobre a eleição municipal com candidatos de outros partidos que têm me procurado. Primeiro por ser muito cedo e segundo porque podemos sair de chapa completa para prefeito e vereador”, enfatizou. Para Petecão, a realização de pesquisa de opinião pública este ano não representa como estará o momento eleitoral na eleição de outubro de 2020. “As pedras ainda não estão no tabuleiro”, assinala. Montar uma chapa competitiva de candidatos a vereador é, segundo Petecão, a prioridade inicial do seu partido.

DE CANDIDATOS

A eleição para a prefeitura de Rio Branco no próximo ano poderá vir a ter um numero de candidatos recorde. Já se manifestaram até aqui Ulisses Araújo, Tião Bocalom, Emerson Jarude, Pedro Longo, Minoru Kinpara, Roberto Duarte, Thiago Caetano e falta ainda a definição da prefeita Socorro Neri, se ela irá ou não disputar a reeleição. Um quadro bem diversificado.

ALFINETANDO O TJ

A Nota do governo de resposta sobre o bloqueio de recursos pelo Tribunal de Justiça do Acre, devido o não pagamento de precatórios, veio com uma ironia ao TJ, ao citar que estranhava que o tribunal não tivesse tido o mesmo zelo em relação ao bloqueio no governo passado.

PROVOCAÇÃO SEM PROPÓSITO

A provocação contida na Nota da equipe econômica do governo com uma ironia ao Tribunal de Justiça do Acre é sem propósito. Não é por este caminho que vão resolver o problema.

O QUE DITA A LEI

O bloqueio pelo Tribunal de Justiça não deve ser visto como perseguição ao atual governo, porque cumpre a lei. O governo está devendo e tem que pagar, não há outro caminho.

PASSA PELO GLADSON

Falta neste contexto de políticos se candidatando a prefeito da capital se saber como se posicionará o maior eleitor das eleições municipais, principalmente, na capital, que é o governador Gladson Cameli. Sem se saber qual será o seu candidato fica uma análise capenga.

JV NÃO É AM ADOR

Só passa pela cabeça do presidente do PT, Cesário Braga, que o Jorge Viana venha ser candidato a prefeito da capital. JV é um dos políticos mais sagazes que conheço. Sabe ser a rejeição ao PT muito alta. Não vai correr risco. Eleição é eleição. Caso dispute e perca, ficará queimado para a eleição de 2022, quando estará aberta uma vaga para o Senado

PDT QUER SEU NACO

O deputado Luiz Tchê (PDT) revelou ao BLOG DO CRICA que, o seu partido não ficará fora da chapa majoritária do grupo de aliados, na eleição do próximo ano. E ameaça até com candidatura própria. Na verdade, a sua intenção é indicar o vice na chapa do candidato do Gladson Cameli a prefeito de Rio Branco. Garante que o PDT terá chapa forte a vereador.

POLÍTICA HABILIDOSA

A prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem, tem se mostrado uma política habilidosa. Mesmo sendo do PT, procura todos os deputados federais e senadores na busca de emendas para a prefeitura. A Fernanda conseguiu um ponto importante: apoio além dos muros do PT.

OPOSIÇÃO DESTROÇADA

O panorama para a prefeita Fernanda Hassem em 2020, em Brasiléia, é o da consolidação política, pela sua boa gestão. E ainda ajudada pela oposição, que se encontra com as suas principais lideranças encrencadas na justiça. Nunca a oposição estava tão mal no município.

MDB MANTERÁ DUARTE

A pesquisa da RECORDE, na qual o deputado Roberto Duarte (MDB), que foi o mais votado da capital, apareceu com baixa avaliação para prefeito de Rio Branco, não terá influência na decisão do MDB ter candidato próprio à PMRB. Duarte só não será o candidato se não quiser.

CHAPA DOS SONHOS

O vice-governador Major Rocha não esconde de ninguém de que a chapa do sonho para a disputa da prefeitura da capital é Minoru a prefeito e o vice indicado pelo Gladson. Um apoio deste porte será um atestado dado pelo governador de que não tem nomes entre os aliados.

QUEIRAM OU NÃO

Tem havido muitas reações entre os políticos aliados do Gladson Cameli contra o nome do professor Minoru, e usam o argumento de que toda sua militância foi no PT e, mais recentemente, na REDE, partidos contra os quais o Gladson disputou ao governo. Um dos comentários que costumo ouvir de deputados é de que nada garante uma lealdade do Minoru.

OUTRO CONTEXTO

Sobre o professor Minoru Kinpara é bom não irem com muita sede ao pote. Na eleição para o Senado disputou com poucos candidatos na capital, para prefeito o buraco é mais embaixo.

DOIS NOMES INFLUENTES

O deputado federal Alan Rick (DEM) e o senador Márcio Bittar (MDB), ambos com bom nicho eleitoral na capital, não se pronunciaram até aqui sobre a eleição municipal. Sabem que quando o jogo começar para valer em Rio Branco, obrigatoriamente, eles serão consultados.

CONVITE FORMULADO

O PSD convidou o desembargador aposentado Arquelau de Castro para ser candidato a vereador de Rio Branco. Belo quadro. Mas não creio que sairá de uma cômoda aposentadoria para entrar no conturbado cenário da política.

DIZER A QUE VEIO

A secretaria de Saúde, Mônica Feres, até aqui não fez nenhum movimento visível para mudar o quadro caótico do HUERB. Fechou-se numa redoma e não dá uma explicação sobre seus planos, esquecendo estar num cargo público. Por isso, a sua convocação para ir à ALEAC.

DEIXASSE COMO ESTAVA

Ora, se era para a situação no sistema de saúde do Estado continuar precária, de que adiantou demitir o ex-secretário Alysson Bestene? Esperava-se que com a troca o atendimento melhorasse, alguma inovação fosse feita. A secretária Mônica me parece mais uma burocrata.

CALDO DE BATATA DOCE

Fraquinha a manifestação de ontem na capital contra a PEC da Previdência e cortes no MEC, rala como caldo de batata doce. E olhe que estavam fazendo uma mobilização há dias. A população cansou de ser manipulada por sindicatos, políticos, e não vai para a rua.

A LAMÚRIA NÃO TERMINA?

Os políticos do PT não conseguem aceitar que o candidato Fernando Hadad (PT) perdeu a eleição e continuam a lamúria contra o presidente Bolsonaro. Aceitem, é fato consumado.

SEM UM BOM NOME

O PT de Cruzeiro do Sul vai entrar numa nova eleição municipal sem um nome de peso para disputar a prefeitura. O PT não consegue ser protagonista no município. A dificuldade será ainda maior em 2020, pelo fato do partido estar fora do poder. Disputará com o bornal seco.

DECISÃO ESPERADA

Era esperada a decisão da justiça que obrigou o casal Edvaldo Magalhães e Perpétua Almeida a a apagar grafites que mandaram pintar no muro do condomínio do Ipê, sem consultar os demais moradores. Num condomínio ninguém toma posições isoladas, mas por assembléia.

NÃO TÃO CEDO

A licitação da mídia tende a não ser resolvida tão cedo, por conta dos recursos da empresas participantes. É tudo que a equipe econômica do governo sonhava de não fazer o gasto este ano. Os mais otimistas apontam uma saída para o próximo ano. Eu fico é rindo da patuscada.

Continuar lendo

Blog do Crica

Cesário Braga: “Minoru quer valorizar o passe”

Publicado

em

O presidente do PT, Cesário Braga, comentou e negou ontem com uma fina dose de ironia, a notícia publicada neste BLOG de que emissários de partidos de esquerda, inclusive, o PT, teriam procurado o ex-Reitor Minoru Kinpara para ser candidato a prefeito de Rio Branco por este segmento político. A informação foi dada pelo próprio Minoru ao BLOG. “O PT não procurou e nem vai procurar o Minoru para ser candidato do partido a prefeito. O que ele quer na verdade com este tipo de postura é valorizar o passe para a oposição”, comentou Cesário. Minoru, segundo ele, nunca esteve nas cogitações dos dirigentes petistas para ser o candidato do partido na eleição do próximo ano para a PMRB, muito embora mereça respeito. Reiterou que os nomes do ex-senador Jorge Viana e do ex-deputado federal Raimundo Angelim continuam postos como opções para uma candidatura a prefeito da capital. “Mas antes vamos conversar com a prefeita Socorro Neri de quem somos aliados na base para lhe ouvir sobre a sua posição”, ponderou. Pelo visto, a disputa da PMRB ainda está para começar.

COLO É OUTRO

A Reitora da UFAC, Guida Aquino, teria prometido procurar (se é que já não procurou) o governador Gladson Cameli para lhe dizer que a universidade acreana poderá fechar se mantidos os cortes de recursos pelo MEC. Formalidade sem sentido. Este colo é federal.

RECORDE MACABRO

Mais de 126 mortes por execuções em todo Estado nestes seis primeiros meses do governo Gladson Cameli. Recorde macabro. A maioria na capital. Não interessa dados comparativos, mas que a violência continua a grassar e não se vê uma luz no fim do túnel para o problema.

DADO CONDIÇÕES

E olhe que o Gladson tem dado as condições materiais que a segurança não teve no governo passado. A estratégia atual de combate ao crime tem que ser ajustada de forma urgente.

ALFINETADA DO ZEN

Sobre a saída do general Santos Cruz da equipe de ministros do presidente Jair Bolsonaro, o deputado Daniel Zen (PT), alfinetou: “impressionante como entre olavistas lunáticos e militares sérios Bolsonaro prefere os primeiros”. O Zen não está falando nenhuma mentira.

ATINGE DIRETAMENTE

Estes dados negativos da Segurança atingem diretamente o vice-governador Major Rocha, que recebeu carta branca do governador para tocar a segurança pública ao seu perfil. Passou o tempo de acusar o PT. As urnas tiraram o PT do papel de protagonista político no Estado.

ATINGINDO OS MAIS CARENTES

A onda de violência atinge também a população mais pobre. Na noite de quarta-feira voltou a ter mais um arrastão em ônibus. Levaram o veículo para o Taquari e fizeram uma rapa nos passageiros

O QUE SE QUER É RESULTADO

Que o último governo fracassou no combate à violência, isso já se sabe. O que se quer saber na verdade é o que o governo atual vai fazer para reduzir os altos índices de violência na capital.

DOIS PONTOS A SE RESSALTAR

Nestas críticas do deputado Jenilson Lopes (PCdoB) sobre a Saúde existem, dois pontos: o primeiro é que tem razão na crítica à secretária Mônica Feres por não dar explicações. A outra é que não se viu no governo passado a mesma garra em querer resolver problemas do setor.

TEM MAIS É QUE PARAR MESMO

A questão da Saúde não é só se terceirizar o atendimento. É só ver o caso dos funcionários da limpeza do Hospital Regional de Brasiléia, terceirizados, que cruzaram os braços, em protestos devido três meses de salários atrasados. E fica o jogo de empurra de responsabilidades entre o governo e empresários. Secretaria Mônica, a senhora não vai resolver o caos da Saúde calada.

ÔNUS E BÔNUS

O Bolsonaro colocou com a mais justa razão os governadores e prefeitos na parede ao tirar os Estados e Municípios da PEC da Previdência. Alguns querem os benefícios, mas não querem assumir o compromisso dos deputados aliados de votar a favor da PEC e o ônus. Folgados!

PEÇA DE HUMOR

Violência pipocando, atendimento na saúde não melhora, e alguns secretários do governo comemorando a possível rota de uma linha internacional para o Peru com escala em Rio Branco. Ora, ora, dona Aurora, por falta de metas, vão procurar uma lavagem de roupa.

PEQUENA PARA O EGO

Por mais que o presidente do PT, Cesário Braga, insista em colocar o ex-senador Jorge Viana como uma opção para disputar a prefeitura em finjo que acredito. O JV tem a cabeça nas estrelas, o seu sonho está em voltar ao Senado em 2022. A PMRB é pequena para seu ego.

ALEGRIA SEM RECURSO PÚBLICO

A prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem, conseguiu a realização do tradicional Carnavale, apenas incentivando a iniciativa privada, sem gastar um tostão dos cofres públicos, ressalte-se.

FINO DA HIPOCRISIA

O fino da hipocrisia é ficar se enaltecendo uma gravação clandestina, no caso do Juiz Moro. Gravação clandestina é crime previsto em lei, tem que se avisar aos inimigos da Lava Jato.

O PROBLEMA É MESMO GESTÃO

Enquanto o governo não consegue contratar médicos para as suas unidades de saúde e só vive reclamando da existência de um cartel fantasma na secretaria de Saúde, a prefeita Socorro Neri empossou 34 médicos para trabalhar no sistema de saúde municipal. Isso sim é gestão.

O ACERTADO NÃO É CARO

Na campanha política o candidato Gladson Cameli reuniu-se com membros da juventude de seu partido e prometeu que se ganhasse a eleição todos seriam amparados. Não foram aquinhoados com nenhuma CEC. E ainda assistiram a nomeação de petistas. Justo o protesto.

MAILZA ASSUME O PROGRESSISTAS

Será neste clima de ebulição interna que a senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS) deverá assumir o comando do partido. Vai suceder o deputado José Bestene, dentro de um consenso.

EU É QUE SEI?

Mandaram ontem uma postagem perguntando quem trouxe esta empresa Murano de fora, quem é o seu padrinho, que abiscoitou pegando uma carona em uma licitação um contrato de 29 milhões de reais com a SEINFRA? Eu é que sei? Tem que endereçar a pergunta ao governo.

FORA DO CENÁRIO

O ex-prefeito Marcus Alexandre me disse ontem que o seu nome está fora do quadro da disputa municipal do próximo ano. Candidato a prefeito não pode ser. E a vereador diz estar descartado. Deve mesmo aguardar para saber qual será o cenário político de 2022.

TOCADOR DE OBRAS

O secretário de Infraestrutura, Thiago Caetano, tem se revelado um tocador de obras. Estão em fase de conclusão as obras abandonadas no governo passado do HUERB e UPA de Cruzeiro do Sul. Também tem se revelado ser político. É um dos destaques do atual governo.

ELEIÇÃO 2020

O prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, não se manifesta a respeito de vir a disputar a reeleição no próximo ano, mas depois da virada positiva da sua gestão, terá todos os requisitos para chegar na eleição de 2020, com condições de voltar à população e pedir votos.

PV NA DISPUTA

O Juiz aposentado Pedro Longo (PV) confirmou ontem em entrevista à TV-GAZETA, o que este BLOG já tinha dado em primeira mão: será candidato a prefeito da capital. O fim das coligações proporcionais e a cláusula de barreira forçam os partidos a terem candidaturas próprias.

PONTOS PARA A SOCORRO NERI

Rio Branco saiu da situação de epidemia de dengue. E a revitalização da Avenida Antonio da Rocha Viana, com a construção de uma ciclovia, são fatos para serem comemorados. Mesmo com poucos recursos, aos poucos, a prefeita Socorro Neri vai dando nova cara à cidade.

TODO MUNDO DE OLHO

Os olhos estão todos voltados para as anunciadas mudanças na Saúde. Primeiro para ver se a secretária Mônica Feres vai trazer petistas jurássicos para a sua equipe e segundo saber qual realmente é o seu plano para tirar o sistema de saúde do Acre da UTI.

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.