Conecte-se agora

Fevereiro seguirá com bandeira tarifária verde, sem custo extra para consumidores, diz Aneel

Publicado

em

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou hoje (25) que a bandeira tarifária para fevereiro de 2019 será a mesma de janeiro: verde, sem custo extra para os consumidores. Apesar da manutenção da bandeira verde, o mês de janeiro apresentou volume menor de chuvas que o esperado.

Em nota, a agência disse que, “mesmo com a elevação do Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) provocada pela diminuição das chuvas em janeiro, a estação chuvosa está em curso, propiciando elevação gradativa da produção de energia pelas usinas hidrelétricas e melhora do nível dos reservatórios, com a consequente recuperação do risco hidrológico (GSF)”.

O GSF e o PLD são as duas variáveis que determinam a cor da bandeira a ser acionada, disse a Aneel.

Sistema

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado, de acordo com a Aneel, para sinalizar aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica. A adoção de cada bandeira, nas cores verde (sem cobrança extra), amarela e vermelha (patamar 1 e 2) está relacionada aos custos da geração de energia elétrica. Na amarela há o acréscimo de R$ 1 a cada 100 kWh (quilowatts-hora). Na vermelha no patamar 1, o adicional nas contas de luz é de R$ 3 a cada 100 kWh; no 2, o valor extra sobe para R$ 5.

Dicas de economia

Para evitar aumento significativo nas contas, a Aneel dá dicas para que os consumidores economizem energia. Entre elas a de, no caso do uso de chuveiros elétricos, se tomar banhos mais curtos e em temperatura morna ou fria.

A agência sugere também a diminuição no uso do ar condicionado e que, quando o aparelho for usado, que se evite deixar portas e janelas abertas, além de manter o filtro limpo. A Aneel sugere, ainda, que o consumidor tenha atenção para deixar a porta da geladeira aberta apenas o tempo que for necessário e que nunca se coloque alimentos quentes em seu interior.

Uma outra dica da Aneel para que o consumidor economize energia é a de juntar roupas para serem passadas de uma só vez e que não se deixe o ferro de passar ligado por muito tempo. Sugere também que, durante longos períodos de ausência, o consumidor evite deixar seus aparelhos em stand-by. Nesse caso, o mais indicado é retirá-los da tomada.

Propaganda

Destaque 3

Tribunal de Contas do Estado mostra crescimento da folha de pessoal do Acre; Governo explica

Publicado

em

O gasto com a folha de pagamento do Estado do Acre saiu de R$ 317.500.339,75 em janeiro para R$ 360.314.188,62 no mês seguinte, segundo os dados publicados no Portal do Cidadão, do Tribunal de Contas do Estado (TCE). A evolução parece contrariar o cenário de cortes e contingenciamentos mas o ac24horas encaminhou o gráfico do TCE para a secretária de Fazenda, Semirâmes Plácido, que lembrou a contratação de profissionais para a educação e a inclusão do déficit previdenciário na folha como infladores da folha. “O Estado incluiu o déficit previdenciário de forma correta, e começou a contratação de professores”, disse a secretária.

Receita e despesa em geral subiram no período mas o segundo foi um pouco maior que o primeiro. Além disso, no período, o custo por habitante da dívida pública do Acre: cada acreano pagou R$45,88 em amortização e R$37,52 em juros e encargos da dívida.

A análise da capacidade de pagamento divulgada recentemente pela Secretaria de Tesouro Nacional mostra que o Acre tem duas notas B das três variáveis que compõem a Capacidade de Pagamento dos Estados (Capag). Com apenas uma nota A, resulta em nota final B, o que rotula o Estado como ente enfrentando dificuldades para honrar dívidas com a União. O Governo do Estado já respondeu a essa questão, responsabilizando a gestão anterior pela insuficiência creditiva.

A Capag apura a situação fiscal dos Estados (e Distrito Federal) que querem contrair novos empréstimos com garantia da União.

Continuar lendo

Destaque 3

Semana promete dias tensos no Acre: greves, protestos e apoio a Bolsonaro já estão marcados

Publicado

em

Os próximos dias serão tensos na política local e nacional. A economia não ajuda o Governo Bolsonaro a decolar suas reformas, especialmente a da Previdência Social e, no Acre, falta criatividade para enfrentar os problemas que se avolumam. Diante disso, mobilizadores estão convocando trabalhadores e a população em geral para manifestações que devem ocorrer na última semana de maio. No dia 30 deste mês a promessa é de uma manifestação tamanha que deflagre uma greve geral nacional. Antes, no dia 26, apoiadores de Jair Bolsonaro querem ir às ruas em defesa do presidente e seu projeto de governo.Alguns bolsonaristas, como a deputada Janaína Paschoal, critica essa manifestação.

Alguns movimentos tendem a se acirrar, como o dos agentes penitenciários e dos professores ao longo da semana. O corte nos orçamentários das universidades seguem incomodando e abrindo caminho para protestos.

E de novo no dia 30 os empresários organizam o Dia Livre de Impostos com a participação de 1023 lojas de 100 cidades. Até este domingo (19) o Acre não tinha nenhum participante no protesto que pretende vender produtos com zero de imposto.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.