Conecte-se agora

A baba que alimenta é a mesma que envenena governadores

Publicado

em

Por Luiz Calixto

As cenas de bajulações mais nojentas e marcantes que já vi em toda minha vida foram em 1990, quando Edmundo Pinto foi eleito governador do Acre.

Já nas primeiras horas do dia, uma romaria se dirigia à residência dele com jornais, mingaus e tapiocas, e tudo mais que os puxa-sacos julgavam capaz de agradá-lo.

Naquela época, eu morava numa casa, que ainda é minha, a dez passos da casa do governador eleito, no conjunto Bela Vista.

Óbvio, para não variar, no período bajulatório arranjei mais de uma dúzia de brigas com aqueles que não respeitavam a garagem da minha residência e trancavam minha saída com seus veículos.

Edmundo Pinto assumiu o governo e dois anos depois foi covarde e brutalmente assassinado em São Paulo.

O velório do governador no salão do Tribunal de Justiça do Acre esvaziou-se quando quase todos foram ao aeroporto recepcionar a nova presa que desembarcava de Manaus, o vice-governador Romildo Magalhães, que logo assumiria o comando da máquina de cargos públicos.

Sobre Romildo Magalhães, um episódio resume o profissionalismo dos babões: numa Sexta-feira Santa, ele convidou, no seu melhor estilo “bucho-cheio”, um grupo de empresários para um almoço, no qual foi servida sardinha da marca 88, com cebola de cabeça e farinha seca para simbolizar sua profunda falsa simplicidade.

Ao final, os convidados, mesmo com repulsa ao prato, arrotavam elogios à sardinha dizendo que não devia nada ao melhor bacalhau à portuguesa.

Hoje, quem o vê quase mendigo andando pela cidade, embora conte com a mamata da pensão vitalícia, mal sabe que ele um dia fora governador do Acre.

Todos os governadores foram vítimas dos bajuladores. Nem os durões e blindados irmãos Viana escaparam do assédio.

Nas colunas dos jornais e nas redes sociais não são poucas as manifestações de gente condenando os 20 anos de vianismo. Esquecem que no ano passado eram porta-bandeiras da turma do gargarejo que fazia calo nas mãos de tanto aplaudir “o projeto” petista.

Em menos de um mês de mandato, o novo governador, Gladson Cameli, já segue a mesma trilha.

É bem verdade que, decorridos 20 dias, ainda é cedo para criticá-lo, mas também é verdade “que pau que nasce torto, morre torto”. Seu “petit comité” apenas o elogia.

Nenhum do seu entorno tem a coragem de lhe dizer, por exemplo, que ao infestar sua gestão de parentes de políticos, todos sem nenhum histórico de competência, o seu discurso de montar uma equipe segundo os melhores critérios técnicos foi sepultado.

Com medo de perder o lugar, todos têm receio de lhe dizer que a distância entre a vontade de fazer e a realidade com a qual se pode fazer é medida pelo orçamento escasso e comprometido do Acre.

Por exemplo: a contratação imediata dos concursados da Polícia Militar e da Policia Civil, prometida na campanha, será uma das sarnas mais difíceis de coçar. Se já está difícil pagar os servidores, imagine mais 500 e tantos.

Por ser um cidadão rico, aliás muito rico, Gladson Cameli não sofrerá com a solidão e ostracismo dos ex-governadores, mas deverá estar, desde já, ciente que os agrados que recebe na atualidade já têm outra vítima, tão certa quanto dois mais dois são quatro: o próximo governador.

Exaustivamente, Gladson Cameli repete que “a caneta que nomeia é a mesma que demite”. Para abrir seus olhos, digo-lhe: paradoxalmente, a baba que o alimenta é a mesma que o envenenará.

Luiz Calixto é auditor fiscal da Fazenda do Acre e ex-deputado estadual

Propaganda

Acre 01

DNIT começa trabalho de recuperação da BR-364 entre os municípios de Feijó e Tarauacá

Publicado

em

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), começou nesta quarta-feira, 22, pelo trecho entre Feijó e Tarauacá, o trabalho de restauração da BR-364.

O serviço, que é feito em 3 dos 45 km que ligam as duas cidades, será intensificado a partir de segunda-feira, 27. Até o dia 10 de julho, a previsão é que a recuperação avance até o Rio liberdade e depois retorne, recuperando o trecho entre Feijó e Sena Madureira.

Este ano, no total, o Dnit só vai recuperar 60 km da Rodovia. Usará, para isso, o Tratamento Superficial Duplo – TSD e capa selante e não o micro revestimento asfáltico utilizado no ano passado, em 70 Km entre o rio Liberdade e Cruzeiro do Sul, que garantiu novo aspecto à rodovia.

Todo o restante da BR 364 vai receber apenas serviços de manutenção, que incluem remendos profundos e tapa buracos. Esse trabalho vai começar no dia 3 de junho entre Sena Madureira e Feijó.

Carlos Moraes, superintendente do Dnit no Acre, explica que cerca de 80 km da rodovia deveriam ser recuperados agora em 2019, mas pela falta de recursos, o trabalho só será executado em 60 Km. A bancada federal acreana garantiu R$ 50 milhões para a BR-364 este ano.

“Mesmo assim a estrada vai ficar numa condição muito melhor, porque, onde não for restaurada, vai ganhar um serviço de remendo profundo e tapa buracos muito bem feito”, afirma Carlos Moraes.


Sandra Assunção – sandraassuncao42@gmail.com
Corresponde em Cruzeiro do Sul – AC
WhatsApp (68) 99999-9891

Continuar lendo

Acre 01

Prefeitura de Sena Madureira une secretarias para promover ações em prol do Meio Ambiente

Publicado

em

Durante reunião ocorrida na manhã desta quarta-feira, 22, no gabinete da prefeitura de Sena Madureira, secretários de cinco diferentes pastas do município se reuniram para elaborar metas e ações pelo meio ambiente da cidade. O intuito, conforme a prefeitura, é cumprir a lei de resíduos sólidos visando melhorar e qualificar as ações ambientais do município.

Integram esta ação apoiada pelo prefeito Mazinho Serafim (MDB), as secretarias de Meio Ambiente, na gestão de Sirla Diniz, Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur), com Milton Pinheiro, secretaria de Obras, de Tião Lucena, a secretaria de Controle Interno, encabeçada por Franquilei Dias e a secretaria de Administração e Finanças, com Getulião Saraiva.

Segundo o secretário de administração e finanças, “trata-se de um trabalho voltado a cumprir o que determina a lei ambiental e em obediência ao que determina o Ministério Público”, enfatiza Getulião Saraiva.

Com as medidas a serem tomadas a partir do encontro, a proposta visa prestar um melhor serviço na coleta de lixo e melhorar as condições do lixão do município. “E também dar um melhor destino aos resíduos sólidos em conjunto com as secretarias, visando, ainda, a implementação de políticas educacionais ao meio ambiente”, completa Saraiva.

A ideia é fazer com que outros órgãos possam formar parceria com a prefeitura de Sena Madureira com o objetivo de desenvolver ações e metas pré-estabelecidas relacionadas a questões ambientais.

Segundo Sirla Diniz, serão múltiplas ações desencadeadas com o apoio da prefeitura. “Serão coletas de lixo, limpeza da cidade e muitos outros cuidados que a prefeitura, juntamente com as secretarias, estará trabalhando para manter a cidade limpa e em ordem, prezando pelo bem-estar da população”, afirma.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.