Conecte-se agora

Saúde: a mãe de todas as batalhas

Publicado

em

Nenhuma pasta é mais complexa e mais desafiadora em um governo do que a da Saúde. O sistema gigante e cheio de armadilhas levou à tumba vários gestores ao longo dos vinte anos dos governos do PT. Aconteceram avanços pontuais, mais léguas de distancia da tal “saúde de primeiro mundo”, prometida com pompa na mídia pelo ex-governador. Faltam médicos, algumas vezes remédios, as filas para consultas continuam se arrastando sem a celeridade necessária, exames levam meses para serem feitos, centenas de pacientes na espera de uma cirurgia, enfim, é um velho mastodonte com seus velhos vícios. Isso é apenas a ponta do iceberg que o novo secretário de Saúde, Alysson Bestene, recebeu no colo para cuidar e mudar. É um jovem – alguns apontam como empecilho – outros vêm com certa frieza. Mas, o que será do futuro, se não se acreditarmos na juventude? O Alysson está começando bem ao visitar todas as unidades de saúde e ver de perto, sentir cada problema, e juntar ao diagnóstico que já tem para buscar as soluções. Vai precisar muitas das vezes de pulso forte para acabar com vícios antigos. Quando for para mudar o errado não tem que haver contemplação. E evitar a injunção política, saúde e política não devem ser misturadas. Cada cargo de ponta no sistema tem que ser ocupado por pessoas qualificadas da área. O governo vai ter a sua mãe de todas as batalhas travada no campo da saúde pública. O Alysson é um humanista. E a qualidade é essencial na pasta, porque lida com a fragilidade humana, lida com vidas. Joguemos nossas fichas no secretário Alysson: se tiver sucesso, quem ganhará é a população. Se há uma área onde não podemos jogar no quanto pior melhor é na da saúde.

CONFUSÃO MALUCA

Estão fazendo uma confusão maluca. Não tem secretário nomeando petista. A nomeação é exclusiva do governador. O que está acontecendo nas secretárias é que, enquanto não saem as nomeações oficiais, foram baixadas portarias para que servidores do quadro respondam pelos setores. Somente isso. As nomeações, pelo que consta, deverão demorar, para fazer caixa. Mas, com certeza vão acontecer com nomes de aliados na campanha. O resto é especulação.

SOMENTE DEPOIS DAS NOMEAÇÕES

Somente se poderá dizer se algum militante de proa do PT foi ou não aproveitado em cargo comissionado depois que o governador Gladson Cameli assinar as nomeações. E pelo que sei haverá um crivo para aproveitar os aliados qualificados. Fora isso se debite à ansiedade.

COISAS MAIS IMPORTANTES

Um museu é importante para preservar a história de um povo. Agora, quando temos uma cidade das mais violentas do país, um falho atendimento na saúde, a construção de um museu não pode ser prioridade. Não sei, então, o que o novo governador fará com a obra inconclusa do museu que está em instalação no antigo colégio META. Governar é eleger prioridade.

ACIMA DOS PARTIDOS

A prefeita Socorro Neri foi perfeita na escolha do professor Moisés Diniz para secretário municipal de Educação. Competente e educado no trato com os menos favorecidos. A Socorro só não pode é colar sua imagem ao PCdoB, se quiser disputar a reeleição com chance. PCdoB é um lado do espelho do PT. A aliança da FPA foi varrida das urnas. Tem que buscar um caminho acima da cansada imagem dos velhos partidos. A última eleição já os colocou fora do processo.

ALAN VEM PARA O JOGO

Entre os nomes falados dentro da coligação que apoiou o governador Gladson Cameli não tirem o do deputado federal Alan Rick (DEM) na disputa da prefeitura no próximo ano. Não deve se manifestar agora por ser cedo, mas pode apostar que colocará seu nome na mesa.

NADA ATRATIVOS

Mesmo nos órgãos federais mais expressivos com representação no Acre, os salários são nada atrativos, por isso não devem comportar muitas disputas. Não são a cereja salarial do bolo.

DIA “D”

Hoje, em Cruzeiro do Sul, está prevista de acontecer a reunião entre o governador Gladson Cameli e o prefeito Ilderlei Cordeiro. Gladson deverá ouvir do grupo do prefeito que não é assimilável a nomeação do inimigo Vagner Sales para a secretária de articulação política.

ESTÃO INCONCILIÁVEIS

O governador Gladson Cameli está numa sinuca de bico: seja qual for a decisão que vier a tomar vai desagradar um dos grupos, que não são adversários, mas inimigos políticos. Isso é só um aperitivo para 2020, quando terá de escolher que candidato de qual grupo apoiará para prefeitura de Cruzeiro do Sul. Um nó cego a ser desatado.

FILHO SECRETÁRIO

O senador Márcio Bittar (MDB) conseguiu emplacar o filho João Paulo Bittar como secretário da Juventude. E como diretor do DEPASA, o irmão por afinidade, Edson Bittar.

BOLSO DO COLETE

Esperar que o presidente do MDB, deputado federal Flaviano Melo, venha a brigar com o governador Gladson Cameli por causa do prefeito Mazinho Serafim (MDB) é não olhar o Diário Oficial. Os três secretários do MDB do governo são da copa e cozinha do Flaviano, ora, pois!

O FORA DO CORREINHA

A espada que o secretário de Cultura, Coreinha, tanto alardeou que estava abandonada, é que a peça que pertenceu ao Plácido de Castro não podia estar jogada no canto de uma sala, segundo o deputado Daniel Zen (PT) é uma “bola fora”, a peça original está no Museu da República, em uma sala especial no Palácio Rio Branco. O que o Coreinha achou era réplica.

COBRANÇA SEM SENTIDO

Não se pode cobrar nada de um secretário com poucos dias no cargo e que ainda nem conhece direito a sua pasta. Um secretário pode ser competente, mas jamais milagroso.

EQUIPE DE PRIMEIRA LINHA

A senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS) está indo pelo caminho certo: primeiro montar uma equipe de qualidade técnica, para depois partir para cumprir na essência o seu mandato. Não pode ficar apenas no rame-rame da destinação das suas emendas parlamentares.

CHEIRINHO DO PODER

A deputada federal Marfisa Galvão (PSD) vive os últimos dias do cheirinho do poder, mas mostrou neste pouco tempo de que se estivesse no mandato efetivo seria bem ativa. Deverá ficar na Câmara Federal até o final deste mês.

É PARA SE DIVERTIR

No mínimo, é para se divertir com a insensatez dos que ficaram décadas no poder, não cumpriram o dever de casa e ficam a cobrar do presidente Jair Bolsonaro, que assumiu ontem, mudanças que não fizeram. Até não parece que nunca estiveram no comando da Nação.

SE PERDE E SE GANHA

Eleição se perde e se ganha. E quando se perde é porque não estava mais sendo aceito pela população. É uma coisa simples! O rancor não mudará o resultado eleitoral para a presidência. Vamos então parar com toda lamentação.

NÃO VEJO PERIGO

Pelo quadro dos votantes que escolherá o futuro presidente da Assembléia Legislativa, não vejo hoje perigo para a candidatura do deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS). Mesmo porque é o candidato do poder. Seria preciso acontecer um fato novo para uma inversão.

PAPA CARGOS

É como está sendo chamado em Sena Madureira o deputado Géhlen Diniz (PROGRESSISTAS), por estar indicando todos os cargos do governo naquele município. Teve cargo, é com ele.

VIU A SUCATA

O secretário Alysson Bestene, que esteve no final de semana em Cruzeiro do Sul visitando as unidades de saúde da região viu de perto o que era um hospital modelo, como o Hospital do Juruá, ter se transformado em um hospital que funciona precariamente, onde falta de tudo.

SEM FALAR NA DÍVIDA

Sem falar nos salários atrasados dos profissionais de saúde, por conta da dívida gigante que o governo deixou com as irmãs gestoras zelosas do Hospital do Juruá. A equação é simples: se o governo não pagava as gestores, como estes poderiam pagar os servidores? Por isso o atraso.

DESMORALIZAÇÃO POLÍTICA

Quando uma casa de leis independente como o Legislativo acata uma verdadeira intervenção do STF, dizendo se uma votação para a escolha do presidente do Senado se dará por eleição secreta ou aberta, é porque a desmoralização política chegou ao seu extremo.

NÃO TEM OUTRO CONTEXTO

Nesta eleição pela presidência da FIEAC não tem outro contexto: de um lado o atual presidente José Adriano apoiado pelo ex-governador Tião Viana e o PT, e do outro João Salomão como candidato do governo Gladson. É a sobra do que foi a última eleição.

DOM JUAN GOSPEL

Quando você vê um Pastor evangélico cheio de muitos rubores morais, coloque sempre um pé atrás. Um Pastor de grande visual, com participação na política, deixou a mulher Pastora e caiu no mundo com uma jovem da igreja. Sumiu da cidade e foi curtir uma lua de mel. Aleluia!

BOMBA A CAMINHO

Vem uma bomba da Saúde a caminho. É o máximo que posso adiantar agora. Coisa cabeluda.

AO VENCEDOR, AS BATATAS

Impressionante como tem militante do PT que ainda não caiu na real que sofreu uma derrota humilhante nas urnas, foram varridos do poder pelo povo, e ainda posam de última bolacha do pacote? Acordem senhores, a eleição acabou, desçam do palanque. Ao vencedor, as batatas.

TEMPO AO TEMPO

Como diz o velho, mas sempre atual ditado: vamos dar tempo ao tempo ao novo governo que mal esquentou a cadeira do seu gabinete. É explicável que demore nas nomeações do segundo escalão, tem que fazer caixa para bancar as dívidas que recebeu do antecessor, como parte do 13º salário, folha a pagar do Pró-Saúde, entre outras pendências. Os secretários nomeados, como contenção de despesas, somente receberão os seus salários a partir de fevereiro. Se depois de 100 dias nada indicar que vão acontecer mudanças estruturais, estará então aberta a temporada para críticas e cobranças. E até de demissões de secretários. É dar tempo ao tempo.

Propaganda

Blog do Crica

Petecão recebe troco por ter apoiado Márcio para o senado; Bittar apoia candidatura do Mato Grosso

Publicado

em

Continuar lendo

Blog do Crica

Gonzaga: “não abro mão nem para um trem carregado”

Publicado

em

Continuar lendo

Blog do Crica

Focar o mandato numa meta

Publicado

em

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.