Conecte-se agora

Briga entre Mazinho e Gerlen por cargo do governo em Sena Madureira irrita Gladson

Publicado

em

A briga por cargos dentro do governo de Gladson Cameli ganha mais um capítulo. Dessa vez, o acontecimento mais recente vem da cidade de Sena Madureira, distante cerca de 150km da capital Rio Branco. O prefeito da cidade, Mazinho Serafim (MDB), famoso por ter pavio curto e esbravejar rapidamente quando está insatisfeito, resolveu colocar a “faca no pescoço” dos gestores estaduais, exigindo que o principal cargo da Secretaria de Estado de Educação de seu município ficasse com um de seus apadrinhados.

Ao saber das exigências de Mazinho, o deputado estadual, Gerlen Diniz (Progressistas), que tem base eleitoral em Sena e pretensões políticas de ser prefeito em 2020, bateu o pé e não concordou em nada com a situação, e correu para tirar satisfação e bateu o pé também pelo cargo.

Pressionado, o governador teria se desentendido com Mazinho Serafim, que segundo circula nos bastidores, teria rompido com Cameli. O porta-voz do governo, minimizou o impasse e disse que Gladson tem o interesse de ter os dois aliados em pensamento conjunto com o Estado.

Para tentar por fim na contenda, o Palácio Rio Branco, teria resolvido  escalar o ex-prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales (MDB), nomeado secretário por Cameli, para tentar contornar a situação, agindo como um “bombeiro para apagar o fogo”. Desde o início da semana, Sales vem mantendo contato com Mazinho e Gerlen para chegar a um consenso.

Ao ac24horas, Vagner Sales confirmou que foi escalado pelo governador para “ser o bombeiro da situação”, em tom de brincadeira disse que “nem se juntar todos os bombeiros de Rio Branco e Porto Velho, dão conta de apagar o incêndio entre Gerlen e Mazinho”.

Porém, Vagner revelou que o governo resolveu nomear interinamente para o Núcleo da Educação em Sena, o servidor Silvano Farias de Figueiredo, até que a situação se resolva entre as lideranças políticas, já que as aulas no município devem começar em breve.

Por telefone o prefeito Mazinho disse que não tem briga com o deputado Gerlen Diniz “porque quem prometeu cargos para acomodação política foi o governador Gladson Cameli. E acrescentou: “ele [Gladson] fez promessas que não quer cumprir. Não foi o deputado Gerlen não quem prometeu, foi ele [Gladson]. Quem ta mentindo não é o Gerlen”.

E concluiu: “eu vou mostrar para o Gladson o que é fazer oposição. Ele não quer ver o MDB junto dele no governo. Tá fazendo de tudo para afastar o nosso partido. Então eu já entendi e vou deixa-lo a vontade, mas ele deve saber que a minha esposa é deputada e vai cobrar caro esta traição, esta falta de compromisso”.

O deputado Gerlen Diniz, disse ao ac24horas que “não existe briga. “O Mazinho não é meu aliado, mas também não é meu inimigo. É natural que numa situação como essa os políticos busquem espaço junto a administração. Acredito que tanto eu, como ele teremos espaço’, minimizou o parlamentar.

 

 

 

Propaganda

Acre 01

Deputada Meire Serafim reivindica reforma na Rodoviária Municipal de Sena Madureira

Publicado

em

A deputada estadual Meire Serafim (PMDB) aproveitou encontro com o governador Gladson Cameli para reivindicar em nome da população de Sena Madureira a reforma da Rodoviária da cidade.

“É com alegria e gratidão que venho aqui para trazer boas notícias. o governador reiterou que atenderá a um pedido feito por mim, no qual solicitei que fosse realizada a reforma da rodoviária do nosso município”, disse Meire.

No encontro com o prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim, houve a assinatura de um convênio que beneficiará Sena Madureira com cerca de 350 mil toneladas de massa asfáltica, destinadas a recuperação de ruas.

Uma outra ação que pode beneficiar a população do terceiro maior município do Acre é o pedido da parlamentar para que o governo disponha de médicos especialistas para atender crianças autistas.

“Em Sena Madureira e Feijó participei de encontros com pais e responsáveis que destacaram o sofrimento de seus filhos e familiares por falta de atendimento e acompanhamento especializados. Tenho certeza que juntos conseguiremos ajudar a melhorar a qualidade de vida dessas crianças e suas famílias”, explicou Meire.

Continuar lendo

Acre 01

Friale diz que fumaça que afeta o Acre vem de países e estados vizinhos e prevê fortes chuvas

Publicado

em

Há mais de 30 anos pesquisando diariamente o comportamento da atmosfera no Acre e em toda a América do Sul, o pesquisador meteorológico Davi Friale resolveu expor a sua opinião a respeito do fumaceiro que vem tomando contato do ambiente Acre na tarde desta sexta-feira, 23.

“Temos conhecimento suficiente dos fenômenos meteorológicos observados e estudados por nós, o que nos permite ter uma boa base para discorrer sobre o assunto. Nosso objetivo é mostrar e ensinar a verdade à população, tal qual Galileu fez, quando afirmou que a Terra não era o centro do sistema solar, como se acreditava naquela época, mas que girava em torno do Sol”, disse Friale.

O estudioso afirmou que tem a absoluta convicção de que a maior parte da fumaça que atinge o Acre, cerca de 90%, tem origem nas queimadas em território da Bolívia, do Peru e de Rondônia. “As imagens de satélite nos mostram os focos de incêndio concentrados nas planícies bolivianas e ao longo da rodovia peruana que liga Inapari, na fronteira com o Brasil, ao sopé dos Andes, passando pela cidade de Porto Maldonado. Outra concentração de incêndios ocorre em Rondônia”, revela.

Friale destaca que é fundamentalmente necessário conhecer as leis da Física, que regem a dinâmica da atmosfera. A fumaça, assim que ocorre a combustão, sobe rapidamente por convecção do ar quente, e, na sequência, conduzida para lugares distantes, antes de esfriar e, consequentemente, baixar até a superfície onde nos encontramos.

“Portanto, a fumaça ocorrida, por exemplo, em Rio Branco, eleva-se e é conduzida pelos ventos até cerca de 500km/h distantes, antes de começar a descer e chegar à superfície. Essa distância pode variar entre 300 e 700km/h ou mais, dependendo da velocidade do vento acima de 100m de altura. Assim, quando os ventos sopram do sul, com suas variações sudeste e sudoeste, a fumaça oriunda da Bolívia, do Peru e de Rondônia atinge o Acre, principalmente o leste e o sul do estado. Quando os ventos mudam de direção e passam a soprar de oeste, de noroeste ou do norte, ou seja, do interior do Acre e do Amazonas, o ar fica quase limpo, após 48 horas. Todos os anos observamos esse fenômeno”, frisa.

Nesta sexta-feira (23, a incursão de ar polar vai trazer muita fumaça da Bolívia, deixando o céu da capital acreana bastante poluído. No entanto, a partir da tarde de sábado, os ventos mudam de direção e passam a soprar de noroeste e do norte. Assim, no domingo e, principalmente, na segunda-feira, quase toda a fumaça que estará sobre o Acre será devolvida para a Bolívia.

“No entanto, deve-se combater veementemente qualquer queimada, seja urbana ou de áreas agrícolas e florestais, principalmente no inverno, a estação da seca no Acre. Nosso objetivo é, tão somente, mostrar a verdade científica sobre a dinâmica da fumaça”, ressalva o pesquisador.

Chuvas intensas entre domingo e quarta-feira

Apesar do cenário complicado, Friale afirma que a situação vai melhorar no começo da próxima semana, pois deverão ocorrer chuvas, que podem ser intensas e acompanhadas de raios e ventanias, na maior parte do Acre e regiões próximas, inclusive em Rondônia, no Amazonas, na Bolívia e no Peru.

A causa dessas chuvas são a formação de um centro de baixa pressão atmosférica no norte de Rondônia, a chegada de ar úmido do oceano Atlântico e a aproximação de uma fraca frente fria. No entanto, a incursão de ar polar será fraca, não provocando queda significativa da temperatura.

Em Rio Branco, neste mês de agosto de 2019, choveu 4,7mm, no útlimo dia 10, segundo dados oficiais, registrados pelo Instituto Nacional de Meteorologia. Choveu bastante, também, em vários bairros da capital acreana, assim como em todos os municípios do Acre, no último dia 20, quando foram registrados os maiores volumes de chuva de todo o Brasil nas cidades de Feijó e Tarauacá, com 70,8mm e 51,6mm, respectivamente. Neste dia, choveu forte também no município de Sena Madureira, principalmente, no alto curso do rio Iaco.

Portanto, na próxima semana, a umidade do ar ficará mais elevada e, consequentemente, a qualidade do ar também.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.