Conecte-se agora

PT encerra ciclo de governos no Acre com uma saúde pública sofrível

Publicado

em

Essa não é a manchete que eu gostaria de publicar. Mas, infelizmente, a situação da saúde pública do Acre se agravou tanto nos últimos meses que é impossível não comentar o assunto. Não entendo como as coisas degringolaram dessa maneira. Mesmo levando-se em consideração a crise econômica do país e a mudança no Governo Federal do PT para o MDB, com a queda de Dilma (PT). O atual governador Tião Viana (PT) é um médico reconhecido e, nos seus tempos de senador, sempre cuidou paralelamente muito bem da saúde do Estado dando o seu apoio parlamentar. Estive esses dias no Juruá e os comentários que ouvi de funcionários do Hospital Regional são assustadores. Um deles me disse que muita coisa que tem acontecido por lá não chega à imprensa. Faltam antibióticos importantes e a manutenção de equipamentos. Os médicos convivem com constantes atrasos de salários e os voos fretados TFD não são realizados, nem em casos urgentes, por falta de pagamento à empresa aérea. A alimentação dos pacientes e funcionários não é a ideal com a escassez de recursos. Nas ruas de Cruzeiro do Sul o comentário geral é que se alguém sofrer um acidente o melhor pronto socorro será o aeroporto para o paciente receber tratamento em outro lugar. E parece que nos outros municípios acreanos não é diferente como mostrou recentemente uma reportagem de João Renato Jácome do ac24horas feita ao vivo no Pronto Socorro da Capital. Um desalento com consequências dolorosas para a população do Acre.

Urgência
Será preciso que o governador eleito Gladson Cameli (Progressistas) e o seu secretário de Saúde, Alysson Bestene, tenham um plano de ação emergencial. A atual situação coloca em risco a vida das pessoas que precisam dos hospitais públicos do Estado.

A culpa é de quem?
Mesmo levando-se em consideração que os repasses federais para o Acre tenham diminuído não dá pra entender essa situação da saúde. Metade das emendas parlamentares são obrigatoriamente destinadas a essa área. Além disso, existem os recursos próprios do Estado. Na minha opinião, mais uma vez faltou diálogo político por parte do atual Governo do PT para pedir ajuda. Ou melhor dizendo, para pedir socorro.

Eterno problema
Por falar no Juruá os problemas com os sinais de internet e telefone na região continuam. De repente todos os municípios ficam completamente isolados sem nenhuma comunicação. Já tentaram de tudo para uma solução, mas nada ainda que tenha dado resultado. Além do prejuízo comercial soma-se ao isolamento social.

Bola nas costas
Quem ganhou a presidência da Câmara Municipal de Rodrigues Alves foi o vereador Coringa (PT). O voto minerva que seria do vereador Noé (PROS), ligado ao ex-prefeito Dêda (PROS), mudou de lado na última hora. Aparentemente o resultado agradou ao ex-prefeito Burica (PT) e ao atual Sebastião Correia (MDB).

Afasta de mim esse cálice
O ex-prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales (MDB), me enviou uma mensagem dizendo: “Eu não estou apoiando ninguém para a presidência da Câmara de Cruzeiro. Fui prefeito oito anos e nunca me meti em eleição da Câmara, isso não me interessa,” disse ele. Então registrado.

Imbróglio
A escolha da mesa diretora da Câmara de Cruzeiro está judicializado. Os partidários do vereador Clodoaldo (PR), que apoiam o prefeito Ilderlei Cordeiro Progressistas), querem votar logo. O atual presidente Romário Tavares (MDB) está seguindo o Regimento Interno e quer colocar a votação só para o próximo dia 27, quando será aprovado o novo Orçamento Municipal. Ele quer que seja obedecida a proporcionalidade das bancadas para colocar alguém do MDB na mesa diretora. O MDB tem seis vereadores. O outro grupo que hoje ganharia a eleição não quer conversa.

Estado de eleição
A disputa para a prefeitura de Cruzeiro do Sul de 2016 ainda não acabou. Com o desentendimento entre Vagner e Ilderlei os grupos políticos de um e outro continuam atuando nos bastidores da política do município. Enquanto isso, vão surgindo vários pretendentes às eleições de 2020.

Voz das ruas
O que se comenta é que realmente a deputada federal  reeleita Jéssica Sales (MDB) poderá ser candidata no próximo pleito em Cruzeiro. Se essa tendência se confirmar ela será muito forte. Teve 14 mil votos no município para a sua reeleição. Não é pouco.

Mudança
Por outro lado, a tendência do atual prefeito Ilderlei é não concorrer à reeleição. Claro que na política tudo pode mudar. Mas têm surgido muitos nomes para assumirem a candidatura do grupo caso isso se confirme. O vice Zequinha Lima (Progressistas), por enquanto, é o mais cotado.

Décimo a caminho
A prefeitura de Cruzeiro do Sul vai pagar o décimo terceiro ao funcionalismo municipal até o próximo dia 20. Essa foi a informação que recebi. Com as incertezas sobre o pagamento do Estado o comércio cruzeirense aguarda ansiosamente a entrada desse dinheiro no mercado.

Vitorioso
O governador eleito Gladson Cameli me enviou uma mensagem um pouco antes de fazer o seu discurso de renúncia ao cargo de senador. Estava emocionado. Apesar de tudo que se fala sobre o jovem político, ele está tendo uma carreira vitoriosa. Não é fácil se eleger duas vezes deputado federal, senador e, agora, governador. Nunca perdeu uma eleição. Existem muitos outros políticos com famílias prósperas que não conseguiram tal façanha. Acho que os seus adversários políticos sempre o subestimaram. Mas como disse Gladson no seu discurso no Senado, de fato, como governador, enfrentará o maior desafio político da sua vida. Não será fácil fazer uma gestão eficiente com o Estado num dos seus piores momentos econômicos da história.

Propaganda

Coluna do Nelson

MDB e PDSB devem travar uma “briga” intensa por secretário da ALEAC

Publicado

em

Continuar lendo

Coluna do Nelson

Depois de 20 anos, prefeitura de Cruzeiro terá a parceria do Governo

Publicado

em

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.