Conecte-se agora

Edvaldo Magalhães: enrolado no TCE

Publicado

em

O Pleno do Tribunal de Contas do Acre (TCE/AC) condenou nesta quinta-feira, dia 06, à reprovação, a prestação de contas da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) referente ao exercício financeiro de 2010, durante a gestão do então deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB).

Segundo o TCE/AC, as contas estavam irregulares porque havia problemas na transparência e informes dos pagamentos de verbas indenizatórias, aqueles pagas aos deputados, em cheque, para o custeio de serviços e materiais necessários aos trabalhos dos gabinetes parlamentares.

Não bastasse isso, os conselheiros comentaram também sobre a dificuldade de colher informações junto ao Parlamento Estadual, uma vez que os auditores da instituição tentaram, mas não conseguiram coletar documentos nos setores administrativos da Casa das Leis do Acre.

Ainda que tenha tido as contas reprovadas, Magalhães não foi punido com multas ou devoluções de valores repassadas, uma vez que cumpriu, naquele momento, uma metodologia, que apesar de irregular e estranha às instituições, já era utilizada há anos para o pagamento das verbas.

Um dos pontos mais polêmicos da discussão, é que os parlamentares recebiam, até aquele ano, uma espécie de diária ou hora extra por cada sessão extraordinária convocada pela Mesa Diretora. Havia, portanto, um “salário extra” para os parlamentares que cumpriam a missão de representar o povo.

O ex-deputado Edvaldo Magalhães, que conseguiu se eleger deputado estadual novamente esse ano, comentou que a reprovação das contas é uma “tecnicidade” e faz parte do processo de avaliação das contas. Contudo, destaca o político, a decisão do TCE/AC em nada o prejudica, já que não terá de devolver sequem um real para as contas públicas.

“Isso é uma tecnicidade. Infelizmente reprovaram, mas a informação que eu tenho é que essas ressalvas são sobre pagamentos. Todos eles [os pagamentos] foram realizados dentro da lei, tanto das verbas indenizatórios, que já era assim em 2006, 2007, 2008, 2009 e 2010, como das sessões extraordinárias, que naquele momento também era permitido”, pontua o ex-deputado.

Ainda de acordo com Edvaldo Magalhães, o fato de não precisar devolver dinheiro mostra a que não houve desvio de finalidade na aplicação do dinheiro da Assembleia Legislativa. “Só o fato de não ter que devolver recursos já mostra que não cometi crime, que não teve corrupção. É apenas uma tecnicidade. Tudo que aplicamos, tenho orgulho, porque utilizamos bem o dinheiro da Casa”, completou.

O julgamento que condenou as contas de Edvaldo Magalhães, ocorrida nesta quinta-feira, dia 06, ainda não foi publicada no Diário Eletrônico de Contas, nem no YouTube, para onde vão as imagens das sessões realizadas pelo TCE/AC. Isso deve ocorrer na próxima semana.

Propaganda

Cidades

Governo de Rondônia autoriza contratação de 850 professores e 921 técnicos

Publicado

em

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) vai realizar processo seletivo simplificado para a contratação de 1.771 profissionais, sendo 850 professores e 921 técnicos, de forma temporária, pelo prazo de um ano. O certame foi autorizado por meio do Decreto nº 23.663, de 2019. O edital ainda não foi divulgado.

O decreto prevê que as inscrições terão início após a publicação do edital e serão realizadas pela internet. A seleção dos candidatos será por avaliação de títulos, para os cargos de professor e, prova objetiva para os cargos de técnico educacional. Ainda haverá prova prática para os candidatos ao cargo de técnico educacional nível II/revisor cego e técnico educacional/interprete de libras, de caráter eliminatório.

Os valores salariais não foram divulgados. Para mais informações, acesse o Diário Oficial do Estado de Rondônia.

Informações do site Rondoniagora

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.