Conecte-se agora

Transtornos alimentares atormentam os jovens em busca de um corpo perfeito

Anorexia e bulimia são os distúrbios mais comuns

Publicado

em

Reféns dos padrões de beleza estabelecidos pelo mundo da moda, jovens e adolescentes buscam alcançar formas nem sempre tangíveis. O problema é que essa obsessão pelo “corpo perfeito”, pode desencadear a bulimia e a anorexia, doenças classificadas no grupo de transtornos alimentares pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Esses distúrbios provocam alterações na alimentaçãoe geralmente se manifestam na adolescência. As suas causas podem ter origem em fatores psicológicos, emocionais ou relacionados com o metabolismo. Em geral, eles surgem com mais frequência nas mulheres.

Sarah Mamona é formada em psicologiae explica que de acordo com o DSM-5 – Manual de Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais, os transtornos alimentares são caracterizados por uma perturbação persistente na alimentação ou no comportamento relacionado a ela. “É essa perturbação que resulta no consumo ou na absorção alterada de alimentos que comprometem significativamente a saúde física ou funcionamento psicossocial”, assegurou.

Os transtornos alimentares mais comuns são a bulimia, anorexia, obesidade e a vigorexia.Mas o universo de comportamentos envolvendo a comida vai muito além deles, porque cada indivíduo enxerga a comida de uma forma. Com isso, difere também os tratamentos, que podem incluir remédios, psicoterapia e reeducação alimentar.

Reconhecendo que essa pauta não é tão debatida, as psicólogasSarah Manona e Niliane Brito estão com um projeto intitulado Mente Nutrida, que tem o objetivo de promover eventos falando dos transtornos alimentares e obesidade. “Inicialmente, queremos fazer uma roda de conversa e debater sobre o assunto. Além disso, queremos desenvolver conhecimentos e habilidades para o tratamento desses transtornos e discutir casos clínicos”, informa Niliane.

Propaganda

Notícias

Justiça havia proibido PM que matou mulher de se aproximar da vítima e de portar arma

Publicado

em

A dona de casa Priscila de Araújo Piloupas, de 29 anos, que foi morta com seis tiros, neste sábado, disparados pelo marido e PM reformado Antônio Carlos Maghelly Piloupas, de 51, já havia sido agredida pelo policial em uma outra oportunidade. De acordo com amigos de Priscila, em outubro do ano passado, após um período de separação, ele a agrediu com pauladas, chegando inclusive a quebrar o braço da dona de casa.

De acordo com um processo que tramita na 4ª Vara Criminal de Duque de Caxias, no dia 1º de janeiro último, a juíza Mariana Moreira Tangari Baptista deferiu uma medida protetiva em favor de Priscila.

No despacho, a juíza determina que Antônio Carlos Maghhelly não se aproxime da mulher e mantenha uma distância mínima de 500 metros de Priscila e de seus familiares. A decisão foi tomada após Priscila relvelar ter sido agredida pelo marido, quando inclusive teria ocorrido um disparo de arma de fogo.

De acordo com amigos da dona de casa, a agressão ocorreu no dia 30 de dezembro, após o PM flagrar Priscila em companhia de um namorado. Na ocasião, o militar chegou a fazer disparos, mas ninguém ficou ferido.

 

Por conta disto, a decisão judicial também determinoua suspensão do porte de arma do PM. Uma ordem de apreensão da arma de Piloupas também foi expedida, ressaltando que ela só seria devolvida após o PM se submeter a uma avaliação médica pisquiátrica.

Apesar da medida protetiva, o casal que viveu 14 anos juntos se reaproximou em março último. Na madrugada deste sábado, Priscila e o marido acabaram mais uma vez discutindo. Uma irmã de criação de Priscila foi até a residência da vítima para ajudá-la.

A dona de casa pediu que ele devolvesse o celular que estaria em poder do PM e disse para a irmã chamar a polícia.

Em seguida, deixou o local em um carro, junto com a irmã e duas crianças, uma delas de 9 anos, filha do casal.

O PM seguiu o carro onde a vítima estava. Quando ela desembarcou do automóvel, em frente a casa da irmã de criação, ele a segurou pelo pescoço. Já na escada que dá acesso ao imóvel, o militar disparou dois tiros.

Priscila caiu e o militar aproveitou para fazer mais quatro disparos contra a vítma. Ela morreu na hora. Em seguida, o PM tentou suicídio e disparou contra o próprio corpo.

Ele foi socorrido por uma equipe do Corpo de Bombeiros e levado para o Hospital salgado Filho, no Méier, onde está internado sob custódia, já que foi autuado em flagrante por homicídio.

Priscila foi assassinada em Pilares, na Zona Norte do Rio. Horas antes do assassinato, o PM Piloupas postou duas fotos nas redes sociais com a legenda “Nada como o sossego do lar”, ao lado de uma garrafa de bebida alcóolica e um copo.

A arma utilizada por Piloupas para matar a mulher foi apreendida por agentes da Delegacia de Homicídios da Capital (DH).

Continuar lendo

Destaque 2

Vendedor de Churrasco e Músico são mortos no segundo distrito de Rio Branco

Publicado

em

Um duplo homicídio foi registrado na capital na noite deste domingo, 26. Ronilton da Silva Queiroz, de 35 anos, e o músico Raimundo Conceição, 54 anos, foram mortos a tiros na noite, em via pública , na Travessa São Bento, no bairro Recanto dos Buritis, no segundo distrito de Rio Branco.

De acordo com informações da polícia repassadas ao ac24horas, Ronilton estava prestando serviço no churrasquinho para uma namorada, quando dois homens não identificados se aproximaram em uma motocicleta e o garupa de posse de uma arma de fogo ameaçou atirar em Ronilton, que ao perceber que iria ser baleado correu para atrás do músico Raimundo que não tem envolvimento com organização criminosa, que estava apenas comprando a janta da noite.

O criminoso efetuou vários tiros e conseguiu acertar Ronilton com 6 disparos em várias partes do corpo. Raimundo que estava no local e na hora errada foi ferido com 2 tiros. Após a ação os criminosos fugiram do local.

Duas ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram acionadas, mas ao chegar no local nada pode fazer pelas vítimas que já se encontravam mortas.

O local foi isolado pela Polícia Militar até a realização da perícia tecnita. Várias rondas foram feitas na região na tentativa de encontrar os autores do crime, mas ninguém foi preso.

Os corpos das vítimas foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) para os exames cadavérico. O caso sera investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A Polícia acredita que a motivação do crime foi um acerto de conta entre facções.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.