Conecte-se agora

Sérgio Petecão: “não quero cargo para minha mulher”

Publicado

em

O senador Sérgio Petecão (PSD) disse ontem à coluna que recusou as ofertas de indicar os futuros dirigentes da COHAB e outros órgãos de pouca projeção, feitas pelo chefe do Gabinete Civil, Ribamar Trindade, que seria uma espécie de cala-boca para sair da disputa da indicação do secretário de Agricultura. Na verdade, os órgãos oferecidos como contrapartida não possuem qualquer peso político. Num deles, Petecão colocaria a sua mulher Marfisa Galvão. “Estão enganados comigo, não quero emprego para minha mulher. O que quero é que cumpram com a palavra de que a pasta da Agricultura seria indicada pelo PSD que, inclusive, reuniu a sua executiva e deliberou sobre nomes. São eles o agrônomo Nilton Craveiro e o deputado Jairo Carvalho, para livre escolha do Cameli. O próprio Ribamar, que hoje puxa para trás, foi quem garantiu o espaço, com base em promessa do Gladson”, reagiu Petecão (foto). Para Petecão, não se trata de pressão, de racha, mas de apenas ser cumprido o que foi acordado como o espaço do PSD. No caso de não ser atendido no que lhe foi prometido, disse que não vai brigar, virar oposição, mas simplesmente irá tratar do seu mandato e não terá nenhum compromisso político com o governador eleito. Dentro do contexto político da última eleição, o senador Sérgio Petecão (PSD) teve mais votos do que todos os candidatos do PSDB somados, que hoje pressiona para ficar com a secretaria de Agricultura. O certo é que este tipo de impasse não se mostra bem para a imagem de um governo que ganhou a eleição em cima de um projeto de mudança. Um político se elege pelo prestígio, pela empatia que a sua candidatura teve com a população, pela simpatia, pelas suas propostas, mas não governa sem a classe política. Mesmo porque a lua de mel de um novo governante com a população sempre tem prazo de validade.

TUDO MUITO SIMPLES
Na política, tudo é muito simples, os políticos é que muitas das vezes a tornam um exercício complicado. Se não queriam levar avante a promessa de dar o espaço prometido ao PSD, o chefe do Gabinete Civil, Ribamar Trindade, não deveria ter sido o fiador do acordo fechado.

CONVERSA FRANCA
O senador Sérgio Petecão (PSD) conta que na conversa que teve com o futuro chefe do Gabinete Civil, Ribamar Trindade, este foi enfático ao dizer que o espaço era do PSD para indicação do secretário de Agricultura de livre escolha. “Não o pressionei”, diz Petecão.

NÃO HÁ COMO CONDENAR
E não há como condenar o senador Sérgio Petecão (PSD) por nada. O PROGRESSISTA não indicou toda a cúpula da secretaria de Saúde, com os nomes que bem entendeu? O PSDB não vai indicar toda a cúpula da Segurança Pública? Por qual razão o PSD não pode ter espaço?

MUITO CUIDADO
A COHAB não estava no pacote das estatais a serem extintas, segundo promessa de campanha? É preciso muito cuidado, para cumprir o que foi dito na eleição.

VOCÊS QUE SE ENTENDAM
Estou apenas comentando fatos que se tornaram públicos e notórios. Não engaveto notícias, favoráveis ou desfavoráveis. Os políticos que se entendam ou se desentendam. Como jornalista da área política, meu dever é divulgar o que acontece nos bastidores da notícia.

NOMES NA MESA
O vice-governador eleito Major Rocha revelou ontem à coluna que espera até sexta-feira ter fechado todos os nomes para ocupar o ISE, IAPEN e secretaria de Segurança. Sobre quem vai comandar a Segurança, falou que tem dois nomes para discussão, o de um Delegado aposentado da PF e o de um Coronel da PM aposentado. A conversa ainda vai ocorrer.

NINGUÉM QUER
Para Rocha, a pasta mais problemática é a do ISE, que tem 200 servidores com contratos provisórios e menos de vinte de funcionários efetivos. E tem como o seu público alvo menores infratores, que na maioria é muita mais violenta que o detento adulto. “Ninguém quer”, conta.

COMPONENTE DESFAVORÁVEL
Outro componente nada atrativo do ISE é que os agentes não podem andar armados e estes preferem se transferir para o IAPEN, onde o salário é maior. O que torna a pasta complexa.

SUMIU DO CIRCUITO
O deputado Lourival Marques (PT) sumiu da ALEAC depois da derrota. Um dirigente da FPA fez ontem uma conta para os jornalistas que cobrem a casa de que, se o PT tivesse saído de chapa própria poderia ter elegido três parlamentares. Mas caíram no erro de se coligar com o PCdoB.

CONTA DO VIGÁRIO
Na verdade, o PT caiu na última eleição à ALEAC, numa espécie de conto do vigário político, ao se coligar com o PCdoB. Na verdade, uma arapuca armada pelo PCdo B que deu certo.

PELA ENÉSIMA VEZ
O deputado Heitor Junior (PODEMOS) pediu ontem pela enésima vez a demissão da diretora da Fundação Hospitalar do Acre, Juliana Quintero, a quem responsabiliza pela falta de medicamentos e pela precariedade nos atendimentos. Foi o calcanhar de Aquiles do atual governo. O pedido do deputado Heitor fica sem sentido, porque a direção mudará em janeiro.

PROBLEMA A SER RESOLVIDA
A Saúde é uma pasta extremamente complexa e de difícil gerência. Um dos principais desafios do futuro secretário Alysson Bestene é o de fazer funcionar a contento a Fundação Hospitalar.

COMO É FIM DE GOVERNO
Como está chegando mal ao fim do mandato, o atual governador! Até entre os aliados de oito anos da FPA é execrado. Ontem, numa roda de quatro deputados da FPA, todos o criticavam.

CUMPRIRAM COM O DEVER
O que a coluna previa, ocorreu ontem na Câmara Municipal de Rio Branco: por unanimidade, os vereadores aprovaram o projeto de Reforma Administrativa enviado pela prefeita Socorro Nery, que reduz secretarias e cargos de confiança. Cumpriram com o dever, não haveria como nenhum vereador votar contra um pacote de medidas que moraliza a máquina municipal.

NÃO TINHA COMO VOTAR CONTRA
O projeto aprovado ontem pelos vereadores de Rio Branco é o tipo da matéria que não há como ser contra, porque acaba com empreguismo e o gigantismo da estrutura da PMRB.

FICOU MUITO MAL
A cena cômica da votação de ontem foi a presença de um grupo de presidentes de associações de moradores tentando convencer os vereadores a votar contra a extinção da secretária de assuntos comunitários, que na gestão anterior era um cabide de emprego dos presidentes.

DECISÃO EXCLUSIVA
Decidir com quantas secretarias vai ficar na gestão da PMRB é decisão exclusiva da prefeita. Em que ajudou a prefeitura manter uma estrutura como a secretaria de assuntos comunitários? Não ajudou em nada na governabilidade, foi um recurso sem retorno.

NÃO HÁ COMO JUSTIFICAR
Seis dos atuais futuros deputados tiveram menos votos do que seis candidatos à ALEAC que foram derrotados. Foi o fim da grande malandragem. Da próxima eleição em diante não haverá mais coligações proporcionais, será cada partido com chapa própria.

NÃO É ESPAÇO POLÍTICO
A próxima gestão da secretaria de Saúde deve pensar bem antes de tomar qualquer iniciativa na Central de Transplantes, é uma área na qual deve ser esquecida a política, porque não se pode improvisar. Os seus funcionários têm anos de especialização em medicina de ponta.

EQUIPE PROFISSIONAL
Não há como se pensar em desmontar a atual estrutura, que funciona de forma exemplar. Se há um setor em que a política deve ser apenas um suporte e não um protagonista é a Saúde.

SÓ CONSULTANDO O PAPA
Um amigo jornalista que foi recentemente demitido da equipe de assessores de imprensa do governo me perguntou ontem na ALEAC, se eu sabia se o governador pagará as indenizações. Minha resposta: “só consultando o Papa”. Ninguém pode afirmar isso com certeza.

SERIA O GOVERNADOR AMANHÃ
Ou a prefeita Socorro acabava com o ninho de privilégios políticos na PMRB ou iria passar o restante do mandato apenas pagando a folha salarial. E bisaria o que ocorre neste fim de governo no Estado, que vai fechar ano dentro de um dantesco quadro de desgaste popular.

NO COLO DO GLADSON CAMELI
Até entendo a luta do sindicalista Marcelo Jucá na defesa dos servidores da Eletrobrás, mas não há como aprovar um projeto que transfere os servidores, que são federais, ao Estado. Falta base jurídica. Se aprovado seria como jogar uma bomba no colo do Gladson Cameli.

LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL
Se o projeto de autoria do deputado Manoel Moraes (PSB) for aprovado não resistirá a um recurso judicial. Além de que, o Estado está no limite da Lei de Responsabilidade Fiscal.

IMPORTA A COMPÊTENCIA
Não importa se o futuro diretor do DETRAN, Anderson Lima, seja tio do governador eleito Gladson Cameli. Importa é se mostrará competência. Sua gestão será medida com a mesma régua que medirá a eficiência dos demais integrantes do primeiro escalão do governo. Ponto.

COMEÇOU A COBRANÇA
O deputado Jenilson Lopes (PCdoB) já fez a primeira cobrança ao governador eleito Gladson Cameli, de que resolva a situação do Pró-Saúde, cujos servidores foram enganados pelos governos petistas, que os trataram como párias e de forma humilhante. É bom não esquecer que é uma herança do PT. Não sei como o assunto será encaminhado, mas é muito complexo.

HORA DE APARAR AS ARESTAS
O futuro governador Gladson Cameli tem de começar o seu mandato sem problemas a resolver na área política, para evitar futuro desgaste. O que deve de ser feito tem de acontecer até o fim deste mês. O ideal seria anunciar ainda nesta semana todo o seu secretariado, para evitar que continue a celeuma, o impasse, sobre quem será nomeado ou não. Quanto mais tempo se arrastar esta indefinição mais problemas tendem a acontecer. Um fato a avaliar.

Propaganda

Blog do Crica

Entre tapas e beijos segue o MDB

Publicado

em

O MDB vive hoje dividido entre uma ala que faz oposição cerrada ao governo Gladson Cameli e outra que o apóia, esta com a presença na administração ocupando secretarias importantes, diretorias e CECs. A cisão se aprofundou ainda mais na semana que passou com manifestações nas redes sociais pelas secretárias Maria Alice e Eliane Sinhasique. Alice, que é uma emedebista de raiz, que acompanha o partido há décadas, criticou duramente a filiação do presidente da FIEAC, José Adriano, um vianista juramentado, é que entrou no MDB com direito a tapete vermelho. Ele foi o responsável pela peça publicitária recente culpando o governo Gladson pela quebradeira no setor da construção civil e do empresariado em geral. É dela a postagem: “Vergonha que o meu partido MDB tenha abrigado tão ignóbil figura chamada José Adriano”. Sinhasique, por sua vez, também se insurgiu contra os críticos do governador do seu partido na ALEAC, onde o deputado Roberto Duarte (MDB) se notabiliza como opositor ferrenho contra a administração do Gladson Cameli. “Tenho lado…Sou Governo..Disparou a secretária. Tanto Maria Alice como Eliane Sinhasique têm se manifestado que estão incomodadas com a dubiedade política do MDB. Não deve ser fácil para ambas estar participando do primeiro escalão do governo e ver este mesmo governo ser atacado por políticos do partido que avaliou as suas nomeações. Entre tapas e beijos segue o MDB. Dando uma no cravo e outra na ferradura. Um fato que vem revoltando aliados do governo na ALEAC.

QUEBRADEIRA ANUNCIADA

O prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim, alertou em áudio enviado à coluna de que, uma mudança no cálculo do repasse constitucional do ICMS do governo para as prefeituras do interior vai causar uma quebradeira generalizada nos municípios, e defende sua manutenção.

UM DADO PREOCUPANTE

A hipótese de uma mudança para baixo no valor dos repasses do ICMS às prefeituras do interior foi aventada com a descoberta de que a prefeitura de Rio Branco vem tendo metade da cota que lhe é destinada ao mês cortada ao longo dos tempos em 50% a que tem direito.

INTERIOR ALAVANCA A CAPITA

Lembra o prefeito Mazinho que se você mora em Sena e tem de comprar um carro, compra na capital. Quem mora em Cruzeiro do Sul e quer comprar algo que não tem no município compra na capital. E assim todos os municípios gastam na capital, por isso nada mais certo, segundo ele, da partilha ser pela fórmula atual. A capital só é forte por isso. Se mexer no cálculo, diz, os municípios não sobrevivem.

GOVERNA PARA SEU PÚBLICO

As manifestações de ontem pelo país – só em São Paulo teve cerca de 500 mil pessoas – a favor do presidente Jair Bolsonaro mostraram que aquela parcela que votou nela pelas suas pautas, continua lhe apoiando. Bolsonaro governa para o público conservador que o elegeu.

NINGUÉM PODE ESPERAR OUTRA CONDUTA

Não se pode esperar que vá governar com pautas simpáticas aos partidos esquerdistas.

SEMPRE FOI UM FRACASSO

As mobilizações de ontem em Rio Branco e Cruzeiro do Sul, os dois maiores municípios do Estado, foram fraquinhas. Não quer dizer rejeição ao governo Bolsonaro. Os organizadores não têm liderança popular e nem estrutura de mobilização. O acreano só vai para as ruas em ocasiões muito especiais, o que não é o caso: não existe ameaça de queda do presidente.

OUTRA CONVERSA

O PT conseguia colocar um público razoável nas manifestações a favor das suas causas na capital, por mobilizar com obrigatoriedade de presença os ocupantes de cargos de confiança.

UMA CIDADE PERIGOSA

Novas execuções aconteceram ontem. Rio Branco continua ser uma cidade muito perigosa.

EXPULSÃO CERTA

Os vereadores Clézio Moreira (PSDB) e Célio Gadelha (PSDB) tratem de procurar outro abrigo político para disputarem a reeleição, porque por decisão da cúpula tucana, só há três caminhos para ambos: sair dentro de um acordo, a expulsão ou terem a legenda negada.

SITUAÇÃO COMPLICADA

A situação dos vereadores Célio Gadelha (PSDB) e Clézio Moreira (PSDB) não se trata simplesmente de deixar o PSDB. A questão é encontrar um novo partido que queira lhes abrigar, porque o fato de terem mandato é um fato complicador. É bom irem se mexendo.

META PRINCIPAL

O senador Sérgio Petecão (PSD) fala não ser prioridade este ano o seu partido discutir candidaturas a prefeito, mas procurar montar chapa de candidatos a vereador em todos os municípios acreanos. Por isso, Petecão, tem se esquivado dos debates para as prefeituras.

USANDO BEM AS REDES

Quem vem usando bem as redes sociais é o secretário de Infraestrutura, Thiago Caetano, que em qualquer reunião, vistoria a obras; que participa, ele posta na internet. E assim vai divulgando suas ações. As maiores obras do governo serão executadas por sua secretaria.

NÃO TERÁ INTERFERÊNCIA

O Gladson, nestes cinco meses de administração, foi protagonista de uma série de trapalhadas políticas, a maioria amadora. Mas não é referência para se dizer que não terá peso nas eleições municipais. Tem a máquina, pode virar o jogo e chegar em 2020, muito bem avaliado.

O QUE LEVA A ESTA POSIÇÃO?

O que leva deputados federais do Acre a votar contra um projeto que iria facilitar o combate à corrupção pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro, impedindo que tenha o COAF na sua pasta? Não consegui entender. Salvaram-se os deputados Mara Rocha (PSDB) e Alan Rick (DEM).

NÃO APRENDERAM COM AS RUAS

Este pessoal parece que não aprendeu com as ruas e continua com a velha política.

VEIO FERVENDO

O vice-governador Major Rocha botou fervendo para cima dos ex-secretários de Agricultura José Reis, Fernando Melo e Lourival Marques, que andaram tecendo críticas à política do atual governo. Num texto longo, os chamou-os de viúvas da derrota, responsabilizou o trio pelo fracasso do setor produtivo, tecendo ainda uma série de graves acusações. Está na internet.

É UM CIRCO

A Câmara Federal é um circo das vaidades. Enquanto os debates acontecem a maioria de celular em punho fica fazendo postagens ao vivo. Nem prestam atenção ao que está sendo discutido no plenário. Não mudou nada em relação ao praticado pela legislatura anterior.

NÃO NECESSARIAMENTE

A criação de 450 novos cargos na reforma administrativa do governo não significa necessariamente que, as contratações terão de ser imediatas, porque deve ser observado antes o limite dos gastos com pessoal. E a prioridade deve ser a contratação dos aprovados nos concurso das polícias civil e militar. Especialmente, pelo clima de violência no Estado.

OLHO NO DIÁRIO OFICIAL

É ficar de olho no Diário Oficial para saber se o governador Gladson Cameli terá a desfaçatez de contratar alguém para colocar nas falidas estatais, que tanto ele criticou na campanha.

CONCORDO 100%, POR ISSO TRANSCREVO

“É urgente uma ação dos órgãos de segurança para dar fim ao roubo internacional de carros. Sabemos por onde eles passam, não são duzentas vias. Isso exige inteligência e esforço urgente”. A postagem, com a qual concordo plenamente, é da Promotora Alessandra Marques.

TODO MUNDO SABE

Todo mundo sabe que se chega às cidades da Bolívia por ramais que partem de Plácido de Castro e Capixaba. Por Plácido, você entra na Bolívia pela Vila Evo Morales, ou por um ramal que vai dar em Santa Rosa do Abunã. Não é nenhum segredo. Cuidar das fronteiras é competência federal, mas o Estado não pode cruzar os braços. Que custa montar barreiras?

NINGUÉM DEU BOLA

Quando era deputado estadual o Delegado aposentado Walter Prado apresentou uma sugestão simples, mas que poderia contribuir para evitar o roubo de carros para a Bolívia: só passar pelos Postos Policiais de carro se o seu proprietário estiver dirigindo ou dentro.

NEM TENTE

No Peru, você só entra com carro se for o proprietário, e não tem conversa, é barrado.

Continuar lendo

Blog do Crica

A nova versão da historinha do lobo mau e do chapeuzinho vermelho

Publicado

em

Um ensinamento que aprendi nos meus mais de 40 anos de jornalismo na área política foi o de nunca acreditar cegamente em brigas de políticos; porque se tomar partido, acabam se entendendo e você termina ficando com a cara de trouxa, mais sem jeito do que cão que caiu do caminhão de mudança no meio da estrada. Na semana que finda, rodou nas televisões um vídeo produzido e bancado pela FIEAC, por orientação do seu presidente José Adriano, hoje, o braço sindical do MDB, responsabilizando o atual governo pela derrocada do setor industrial e empresarial do Acre. Isso com cinco meses de governo! Portanto, uma inverdade a atribuição. Aliados (sic) do Gladson Cameli que possuem cargos de relevância no governo calaram-se. Apenas alguns do escalão inferior do governo saíram em sua defesa nas redes sociais. A turma do andar de cima que se calou, parece que estava adivinhando o final da nada edificante historinha, e por isso não piaram. Eu assisti tudo de camarote, e conhecendo os caciques da nova aldeia azul, fiquei como espectador. Até porque não me cabe sair na defesa do governador, pois, não sou seu empregado. Pois bem, tudo acabou numa grande Ópera-Bufa. O presidente da FIEAC, José Adriano, foi recebido ontem com pompas e tapete vermelho pelo governador Gladson Cameli, e ainda posaram sorridentes numa fotografia na saída do encontro no gabinete governamental. Qual a impressão que passou? Foi a de que o governador reconheceu ser o responsável pelo fato da maioria quase esmagadora do empresariado da construção civil estar quebrada. Foi como se houvesse uma mudança no roteiro de uma conhecida história infantil do Lobo Mau e do Chapeuzinho Vermelho. No novo roteiro cameliano, o Lobo Mau não morre fuzilado pelo caçador, mas termina feliz da vida abraçado com a personagem Chapeuzinho Vermelho; cantando ciranda/cirandinha/vamos todos/cirandar/vamos/dar a meia volta/volta/e/meia/vamos dar. E todos viveram felizes para sempre no reino azul. Eu tento, me esforço, mas não consigo entender o Gladson Cameli (foto). Confesso. E desisti de entender. Se alguém tem a fórmula do enigma, que me passe.

FIQUE NA SUA PARA NÃO CAIR DO CAMINHÃO
Você que anda bravo com o deputado Roberto Duarte (MDB), porque se tornou a principal figura da oposição ao Gladson na ALEAC, tome o caso do presidente da FIEAC, José Adriano; de exemplo, e não ataque o parlamentar. Pode virar o cão que caiu do caminhão de mudança.

O NOSSO PONCIO PILATO
Neste confronto que dividiu o MDB (como se o MDB algum dia se uniu), entre os que defendem o atual governo, como os secretários do partido; e, os deputados que são contra, não esperem uma posição firme do deputado federal Flaviano Melo (MDB) na busca do apaziguamento. O Velho Lobo é o nosso Poncio Pilatos, sempre opta pelo gesto de lavar as mãos.

É O QUE SALVA O BARCO
Votei sim, mas não sou apaixonado. O que sustenta o governo do presidente Jair Bolsonaro é a credibilidade do ministro da Fazenda, Paulo Guedes, dos ministros militares e o do Sérgio Moro. Se dependesse das outras alas porraloucas, o barco presidencial já estava no fundo.

TESTE DE FOGO
Aliás, falando no presidente Bolsonaro, o seu governo passará neste domingo pela sua primeira prova de prestígio, ao patrocinar uma mobilização popular na defesa do seu projeto. Os atos, tanto podem ser benéficos ou maléficos à sua imagem. A presença popular dirá.

VALENTIA ENTORPECIDA
Em que planeta do sistema solar, eles estavam escondidos? Como alguns colegas do jornalismo, eu também fico atarantado e surpreso com o surgimento de tantos críticos ao atual governo. Durante os últimos 20 anos, o Acre desabou, e a valentia ficou hibernada?

O SECRETÁRIO DE SETE VIDAS
Até o momento o placar é o seguinte: secretário de Agricultura, Paulo Wadt, 3×0 sobre o grupo dos Rochas –vice-governador Major Rocha e deputada federal Mara Rocha (PSDB). Por três vezes a imprensa anunciou a sua queda e ao que parece, o moço é como gato, com sete vidas.

UMA PEDREIRA PARA OS OPOSITORES
Não sei quem serão os adversários do prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim, mas sejam quais forem não será fácil lhe derrotar, porque sabe os caminhos da política. É só pegar como exemplo ter feito da mulher Meire Serafim, a deputada estadual mais votada do Acre. Será uma pedreira para os opositores.

CAMINHO ALTERNATIVO
O que pode garantir a permanência do prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, no PROGRESSISTAS, é assumir a presidência do partido. Não assumindo, ninguém duvide que acabe por se filiar ao DEM, pelas boas relações com o deputado federal Alan Rick (DEM) e por já ter sido do partido, onde até hoje mantém boas relações com a cúpula nacional.

A CRISE DO GLORIOSO
A frase foi grafada pela secretária de Turismo, Eliane Sinhasique, numa crítica direta à ala do seu partido que optou por ser oposição ao governo Gladson Cameli na ALEAC. Na postagem na internet se mostra incomodada e marcou a sua posição, na base do tenho lado e sou Governo. É o primeiro desdobramento público dessa crise intestina no Glorioso do Dr.Ulisses Guimarães.

TODO VERÃO PELA FRENTE
Tenho me deparado com várias frentes de serviço da prefeitura de Rio Branco. É natural que o trabalho não chegou a ruas em que a situação é crítica com os buracos. Mas, a prefeita Socorro Neri ainda tem todo um verão que mal começou, para executar seu planejamento.

AGORA É FORA DO PODER
Os vereadores do PT, PCdoB e aliados da FPA que se elegeram debaixo do guarda-chuva das benesses do poder vão disputar a reeleição num contexto novo: sem a máquina estatal ao seu favor. Sem os esquemas poderosos que o PT montava para auxiliar os seus. O jogo será outro.

NÃO ESTÁ PARADA
As páginas policiais mostram todos os dias prisões de bandidos e apreensão de armas e drogas. Os registros destes fatos provam que, a polícia está agindo no combate ao crime organizado. Os crimes são elucidados com uma maior rapidez, e isso é um ponto positivo.

DEIXE OS VELHINHOS EM PAZ, MARILETE!
Primeiro tem que se ver a legalidade do ato, mas em princípio se verdade for que a prefeita de Tarauacá, Marilete Vitorino, pretende demitir servidores aposentados, para resolver o problema de caixa da prefeitura, ela entrou em parafuso. Não resolverá. Já está mal na fita popular e ficará pior. Deixe os velhinhos em paz, Marilete! O seu problema é de gestão.

REAÇÃO NATURAL
Sem falar que tomar uma medida de demitir aposentados e reduzir os salários dos servidores vai causar uma revolta em cadeia contra a sua administração, que não conseguiu decolar.

NADA DE ANORMAL
Não foi nenhuma crítica ácida, apenas externou o seu ponto de vista de como entende um governo. Assim deve ser visto o comentário da Marfisa Galvão, sobre o que pensa das ações do governador Gladson. O fato de ser mulher do senador Petecão (PSD) não a torna muda.

OU VAI VIRAR MODA
Ou os que comandam a Segurança Pública do Acre fazem um planejamento para evitar os assaltos e arrastões em ônibus na capital ou vai virar moda. Este é o segundo assalto a ônibus esta semana. Outros já aconteceram. Os passageiros, geralmente humildes, ficam sem nada.

EVITA APADRINHAMENTOS
A decisão do secretário de Saúde, Alysson Bestene, de mandar realizar um concurso para preenchimentos de vagas no órgão através de provas objetivas foi correta. Evita que surjam as críticas de apadrinhamento comuns em concursos simplificados. E é bem mais transparente.

DESARMOU A CRÍTICA
Foi muito bom a Juíza da Vara de Execuções Penais da Comarca de Rio Branco, Luana Campos, ter vindo esclarecer que não estipulou a entrada de só três bribotes e um litro de refrigerante nos dias de visitas aos presos. Até porque vinha servindo de chacota, por ser algo até cômico.

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.