Conecte-se agora

PF cumpre mandados de prisão

Publicado

em

A Polícia Federal (PF) cumpre hoje (5), no estado do Rio de Janeiro, 11 mandados de prisão e 26 de busca e apreensão na 57ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Operação Sem Limites. Dez mandados de prisão preventiva são na capital e um em Niterói.

Entre os 26 mandados de busca e apreensão também há dois em Petrópolis, na região serrana do Rio, e um em Curitiba.

Os presos serão levados para Curitiba, onde responderão por crimes como o de corrupção, organização criminosa, crimes financeiros e de lavagem de dinheiro na 13ª Vara Federal de Curitiba.

Segundo a polícia, as investigações indicam a existência de uma organização criminosa que lesou a Petrobras na área de compra e venda de petróleo e derivados por ou para empresas estrangeiras. O esquema teria operado até meados de 2014, com o envolvimento de funcionários da estatal.

O grupo agia para garantir vantagens indevidas a executivos e ganhos acima dos praticados pelo mercado às empresas envolvidas, que também teriam realizado negócios irregulares de locação de tanques de armazenagens.

A Polícia Federal detalhou que as operações de compra e venda de petróleo e derivados eram de responsabilidade da Diretoria de Abastecimento, mas não necessitavam de aprovação prévia da diretoria para ocorrer.

“Circunstância que facilitava sobremaneira a pulverização dos esquemas ilícitos nas mãos de diversos funcionários de menor escalão, vinculados à Diretoria de Abastecimento, e que exerciam suas funções tanto no Brasil quanto nos escritórios da Petrobras no exterior”, diz a nota da PF, acrescentando que esses funcionários usavam variações ínfimas nas operações para produzir um montante de recursos ao longo do tempo.

Propaganda

Cidades

Moradores plantam bananeiras para protestar contra buracos no município do Bujari

Publicado

em

Moradores do município de Bujari decidiram plantar bananeiras em protesto às más condições das ruas na cidade. A reclamação maior da população é devido a falta de pavimentação nas vias dos municípios.

Em imagens divulgadas no blog Política Acre, é possível ver as péssimas condições de trafegabilidade. Segundo a denúncia, a falta de pavimentação nas ruas do município tem prejudicado a população, principalmente em dias chuvosos.

O protesto inusitado ocorreu na rua Nonata Clotilde, mas a reclamação se estende a outras vias, onde moradores afirmam que o problema ocorre há muito tempo, e, segundo eles, tanto na zona urbana quanto na zona rural.

A revolta da população se deu após rumores de que a prefeitura do município iria pavimentar apenas a rua principal de Bujari.

De acordo com um dos moradores da rua, “se a moda pegar, Bujari irá se tornar o maior produtor de banana do estado”.

Continuar lendo

Cidades

Secretário diz que não há data para pagar terceirizados das escolas estaduais

Publicado

em

Em visita às escolas de Cruzeiro do Sul, depois da greve da educação na cidade, o secretário Estadual de Educação, Mauro Sérgio Ferreira da Cruz, disse que ainda não há previsão para o pagamento de mais de 530 trabalhadores terceirizados, ligados a Coopserg, que prestam serviço em todos os municípios acreanos. A dívida passa de R$ 1,4 milhão e é referente aos meses de março, abril e parte de maio. Desse total, 148 terceirizados são de Cruzeiro do Sul.

A grande maioria dos servidores, que pertenciam a Coopserg, foi recontratada pelas empresas Monteiro Soares e a Tec News, que atuam por meio de Dispensa Emergencial, e que estão garantindo o trabalho de serventes e merendeiras normalmente nas unidades de ensino.

“A Coopserg ganhava as licitações com menor preço por ser cooperativa, mas agia como empresa. Detinha esse monopólio de Assis Brasil à Mâncio Lima, mas não prestava um serviço de qualidade”, afirma o gestor.

Mauro Sérgio da Cruz afirma ainda que há recurso para pagar os trabalhadores, mas que os pagamentos não são efetuados porque a cooperativa não fornece os dados dos terceirizados. “Desde que assumimos, os órgãos fiscalizadores como Ministério Público e Ministério Público do Trabalho bem como a Procuradoria do Estado nos orientaram à pagar os terceirizados diretamente, sem passar pela cooperativa, que passou a não fornecer mais os dados para pagamento, gerando todo esse problema, que aqui em Cruzeiro do Sul, culminou com a greve”, diz.

Outra pauta no Juruá foi a reforma das escolas. Mauro Sérgio da Cruz, afirma que o atualmente o governo realiza reforma em 150 unidades de ensino. Algumas delas, estão sendo feitas a reforma da reforma, já que o trabalho realizado na gestão passada foi mal feito, como é o caso da escola Flodoardo Cabral em Cruzeiro do Sul. O investimento é de R$ 5 milhões para reformar escolas e “refazer reformas”.


Sandra Assunção – sandraassuncao42@gmail.com
Corresponde em Cruzeiro do Sul – AC
WhatsApp (68) 99999-9891

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.