Conecte-se agora

Tucanos acionam a guilhotina contra os infiéis

Publicado

em

Os vereadores de Rio Branco, Célio Roberto (PSDB) e Clésio Moreira (PSDB), podem ser expulsos do partido pela prática de infidelidade partidária na última eleição, quando apoiaram candidatos de outros partidos. O presidente do PSDB, Manoel Correia, o “Correiinha”, disse ontem ao BLOG DO CRICA que, ambos serão submetidos a um processo legal, com direito de defesa, mas não há mais espaço para ambos na sigla. Outros vereadores do interior deverão ter o mesmo destino. Para Correinha, a eleição para vereador em 2020, não pode vir a privilegiar os que praticaram a infidelidade política. Que procurem outros partidos, destacou ele. Sobre a relação do PSDB com o governador eleito ressaltou que é boa e dentro do diálogo, devendo ser apresentado nomes capazes como sugestões para a ocupação de cargos, como Produção e da Educação. Cita entre os nomes preparados, os professores Carlos Alberto e Carlinho Portela. É esperado o retorno de Cameli para as indicações. Acerca da indicação de nomes para o sistema de segurança esta é uma tratativa que diz respeito apenas ao deputado federal Major Rocha (PSDB) e ao governador eleito Gladson Cameli, dentro de um acordo de campanha, diz Correiinha. Mas acha que o diálogo resolve tudo.

LINHA DIRETA
O governador eleito Gladson Cameli me mandou ontem uma postagem garantindo que,  vai definir e analisar com muita cautela como ficará o quadro para o anúncio dos nomes que comandarão o sistema de segurança a partir de janeiro. “Até o dia 10 tudo estará decidido”, prometeu.

POLÍCIA NO TCE
Chamado pelo presidente do TCE, Valmir Ribeiro, a polícia já estava ontem no órgão fazendo as primeiras investigações sobre o misterioso sumiço de documentos relativos a processos de órgãos do governo estadual. O que mais chama atenção é que não houve arrombamento.

500 MIL REAIS
É a proposta do deputado Géhlen Diniz (PROGRESSISTA) ao futuro governo para as emendas parlamentares Atualmente é de 200 mil reais. O aumento para 500 mil depende do plenário.

MEDIDA ANTIPÁTICA
Mesmo que este tipo de recurso só possa ser usado para um fim específico, como na área da saúde, por exemplo, aumentar o valor da emenda de 500 mil reais a cada deputado é uma medida antipática perante a população e, dificilmente, deverá ser aprovada em plenário.

FICHA-LIMPA
O governador eleito Gladson Cameli antes de aceitar nomear um secretário por indicação de político deveria mandar fazer na justiça uma varredura para ver se o indicado é ficha-limpa. Até porque se nomear alguém com pendências judiciais será um prato cheio aos críticos.

O CAMINHO DA MESMICE
O que se mais se combateu no melancólico atual governo foi a contratação de professores provisórios. Quando se esperava que o futuro secretário Educação, Mauro Sérgio, partisse para a contratação de efetivos caiu na mesmice ao anunciar abrir concurso para professores provisórios. É como trocar seis por meia dúzia. O mote da campanha, não foi mudar?

COBERTA DE RAZÃO
A presidente do SINTEAC, Rosana Nascimento, que combateu este modelo de contratação durante a campanha, como candidata á deputada federal e apoiadora do futuro governo, está sendo coerente quando parte para criticas á anunciada iniciativa do futuro secretário de Educação.

MODELO FALIDO
Repetir o modelo falido? Manter 90% dos professores que estão no quadro como provisórios não se trata de revolução no ensino, mas de repetição, e nisso o protesto da Rosana Nascimento é justo. E além do que, os provisórios recebem menos que os efetivos.

AFASTA DE MIM ESTE CÁLICE
Fábrica de Camisinhas, ZPE, Fábrica de Tacos, Centrais de Piscicultura de Rio Branco e Cruzeiro do Sul, empresas estatais, complexo industrial em Tarauacá, são micos econômicos que o futuro governo vai ter que passar em frente. Na verdade nasceram como boas idéias, mas criados na tora, sem planejamento, fracassaram.

BELA ECONOMIA
Ao tirar estas cangalhas das costas do Estado o futuro governo vai evitar gastos sem retorno.

PERGUNTA FEITA
Uma pergunta que chegou e deixo a resposta para a equipe que está trabalhando com a Reforma Administrativa: qual a afinidade de áreas entre Pequenos Negócios e Turismo?

PARA SER FESTEJADA
A eleição do advogado Erick Venâncio para presidir a OAB-AC é para ser festejada. Por ser uma figura respeitável no mundo jurídico nacional, pela sua humildade, e por sua competência.

EXEMPLO DE POLÍTICO
O senador Sérgio Petecão (PSD) não tem deixado de ir agradecer os votos recebidos até nos locais aonde teve pouca votação. Exemplo aos políticos que somem ao ganhar a eleição.

PELA DESAPROVAÇÃO
O Procurador Regional Eleitoral, Fernando Piazenski, opinou pela desaprovação das contas do deputado eleito Marcus Cavalcante (PTB). O TRE-AC tem sido duro neste tipo de análise.

FORA DO MUNDO
Depois da vitória a deputada federal eleita com a maior votação, Mara Rocha (PSDB), simplesmente, desligou o celular ou não atende porque não quer. Começou mal.

IMPASSE NA SEGURANÇA
Até ontem havia um impasse sobre quem será indicado para a secretaria de Segurança e se esta indicação seria feita pelo vice-governador Major Rocha, que tinha voltado atrás na decisão de apontar nomes. Nome, só após as curtas férias do Gladson Cameli em New York.

PONTOS DE ESTRANGULAMENTO
Saúde e Segurança são dois pontos de estrangulamento em qualquer governo. O governante que pretender ficar bem perante a população tem que deixar as duas pastas funcionando.

SEM RECEBER
Os médicos e enfermeiros do Hospital do Juruá continuam atendendo apenas os casos de urgência e estavam mantendo até ontem a greve geral, não receberam o pagamento de outubro.

TERRA
Na visão de um técnico do atual governo e que conhece a fundo as finanças estaduais, o governador eleito Gladson Cameli vai pegar um Estado de terra arrasada, com o caixa zerado e um déficit na Previdência do qual não há como escapar ao não ser pagar mensalmente.

GRANDE INTERROGAÇÃO
Nestes poucos dias que faltam para o fim do governo há entre os comissionados que foram demitidos uma interrogação, se receberão ou não até o fim de dezembros suas indenizações.

PRIORIDADE É 13º
A prioridade dentro do governo continua sendo pagar novembro, dezembro e 13º.

RESTANTE DA DEGOLA
No final de novembro deverão ser demitidos todos os demais ocupantes de cargos de confiança do governo, só ficando os secretários e os servidores que são do quadro efetivo.

SEM DIFICULDADE
O futuro governador não terá dificuldade em compor uma base parlamentar na Assembléia Legislativa com 20 deputados. E sem muito esforço para aprovar os seus projetos.

OPOSIÇÃO MINORITÁRIA
Oposição mesmo para valer só por parte dos deputados do PT e do PCdoB.

CARA QUEBRADA
Os que esperavam que, o presidente Jair Bolsonaro seria um elefante em uma casa de louças, quebraram a cara, com a montagem de um ministério pautado na competência. Sempre disse que era asnice pensar que um presidente, em um Estado de Direito, podia pisar nas leis e fazer o que quiser. Só os idiotas radicais e as porraloucas do PT, pregaram o contrário na campanha.

SEGUNDO MANDATO É CRUEL
Jair Bolsonaro tinha como pauta de campanha acabar com a reeleição. Espera-se que não tenha esquecido. O segundo mandato é cruel. Exemplos: Marcus Alexandre e o atual governador não fizeram um mal primeiro mandato, mas naufragaram no segundo mandato. Marcus deixou a cidade arrasada de buracos e o governador vai sair com alta impopularidade.

PACOTE DE MUDANÇAS
A prefeita Socorro Neri deverá anunciar hoje pela manhã numa coletiva uma Reforma Administrativa e que tem como principal objetivo enxugar a máquina municipal. Em tempo de crise o gestor não pode ter o luxo de bancar afilhados de políticos recebendo sem trabalhar.

A QUEM INTERESSAR POSSA
A rua principal do Jardim Tropical virou um ramal. E dos mal conservados. A cada buraco um xingamento do motorista. A rua era antes toda asfaltada, o DEPASA passou e destruiu tudo. E todos pensam que o responsável pela rua destroçada é a prefeitura de Rio Branco.

NÃO PODE EXIGIR?
A prefeitura não pode exigir que, onde o DEPASA esburacar o asfalto, que refaça com qualidade?

PASSEIO E NADA MAIS
As viagens dos vereadores para fora do Estado, de preferência para cidades à beira-mar, não acrescentam nada que possa trazer algum benefício a Rio Branco. São gastos supérfluos.

NÃO CONSIGO ENTENDER
A prefeita de Tarauacá, Marilete Vitorino, tem curso superior, tem por obrigação de conhecer o mínimo de como gerir uma prefeitura. Por isso não consigo entender com caiu numa roubada de pagar uma empresa de vigilância sem esta prestar serviços, como foi denunciado.

VAI SER COBRADO PELA FALA
Ao grosso modo o Conselheiro do TCE, Antonio Malheiros, que será o grande consultor do próximo governo, o Posto Ypiranga, para ser agradável, disse que o Estado se encontra às mil maravilhas na questão fiscal. Será cobrado pela afirmação temerária, quando o Estado não puder realizar uma obra. Quem leu a sua entrevista e não conhece a realidade do Acre, com o governo devendo a Deus e ao mundo, obras paradas e empresas estatais falidas, deve ter pensado que, o Gladson Cameli vai receber uma gaveta cheia de dinheiro e que poderá construir a qualquer momento a obra que bem entender. Nada deve ser mais medido na política do que a palavra proferida. O Malheiros esqueceu esta máxima.

Propaganda

Blog do Crica

Um governo em busca de um rumo

Publicado

em

Seria desprovido de fatos se apontar algum avanço excepcional do governo Gladson Cameli, como é temerário cobrar solução imediata para todo o desmanche deixado, principalmente, pelos últimos quatro anos da administração Tião Viana. Afinal, não se fechou nem 60 dias de gestão. Um ponto, para quem milita na imprensa é importante, o dele vir cumprindo a sua defesa de que em seu governo a liberdade de expressão ia prevalecer. Até aqui tem mantido a postura. É salutar que isso aconteça. Muito embora alguns súditos, na ânsia de agradar, queiram ser mais reais que o rei e se insurgem contra uma simples visita do vice-governador Major Rocha, acompanhado da imprensa no HUERB, com notas toscas, sentimentais e sem sentido. Foi uma defesa do nada. Mas voltando ao governador Gladson Cameli, é preciso que defina de maneira urgente, de forma oficial, quem é o seu articulador político e consulte sempre a PGE quando tomar medidas que impliquem em repercussões jurídicas. Ao praticamente acabar com o IMC, brecou o canal da vinda de recursos internacionais na área ambiental. O que mais tem causado desgaste à sua imagem nas redes sociais é o fato de nomear figuras exponenciais nos governos petistas para cargos de confiança, prática que prometeu abolir. E continua acontecendo. Tem sido muito criticado, neste aspecto. Está tudo muito solto. Sobre medidas práticas pode-se citar como positiva a determinação de concluir as várias obras abandonadas pelo antecessor, definido a contratação dos aprovados nos concursos da Polícia Militar e Civil e de pagar o calote do 13º salário do servidor deixado pela gestão passada. Quer apresentar um pacote de obras concluídas nos 100 dias de governo. E a missão está em boas mãos, do jovem e competente engenheiro Thiago Caetano, Secretário de INFRAESTRUTURA. Na parte política é que está mais resguardado: tem maioria dos deputados estaduais, federais e todos os três senadores ao seu lado. Isso é importante para abrir portas, em Brasília, aprovar projetos, principalmente, agora quando se trata da Reforma da Previdência. Em suma tem que arranjar recursos extras, nos ministérios, fazer empréstimos, se quiser tocar projetos de maior relevância. Pelo tempo exíguo é cedo, muito cedo, para uma análise profunda do governo Gladson. Mas, no momento oportuno será feita. Até porque a lua de mel política com todo novo governante tem prazo de validade. O ponto concreto que se pode antever é de que terá de se esforçar muito para conseguir ser pior que o desastrado governo passado. Não consigo acreditar, mesmo no início de administração, que quebre o recorde negativo. No mais é esperar para ver qual é mesmo o rumo deste governo.

SERVIU DE RISOS

As várias “notas” de setores do PROGRESSISTAS serviram de riso. Eram de “solidariedade” ao secretário Alysson Bestene, a quem em nenhum momento da visita do vice-governador Major Rocha ao HUERB, tenha sido lhe atribuída a culpa pelo caos em que se encontra a saúde.

QUEM É QUE VAI ATRIBUIR?

Como é que pode atribuir ao secretário Alysson, que mal assumiu, o desastre da Saúde?

QUEM É QUE PODE?

E tem um caroço neste angu, o Rocha visitou o HUERB como o governador em exercício, com os mesmos poderes constitucionais que tem o titular do cargo. Se ele, como governador no momento, não podia fazer uma visita a uma unidade de saúde, quem é que pode?

AGRESSÃO DE NADA

O fato de terem sido encontradas portas danificadas e outras mazelas não se pode dizer que culpa lhe cabe, todo mundo sabe o tamanho das dívidas que o secretário de saúde, Alysson Bestene, herdou dos gestores passados. Indicar pontos a serem sanados não é agressão.

PODEM IR SE ACOSTUMANDO

Ainda é cedo para cobranças mais efetivas. Mas os secretários e os que os circundam assimilem de vez que não estão mais na oposição, mas na situação, e que na campanha foi prometido acabar com o caos. Passado os 100 acabou a lua de mel e cobranças acontecerão.

QUEM DISSE FOI QUEM MANDA

Não foi a imprensa, nenhum badeco, que disse que chegado aos 100 dias de governo, o secretário que não apresentasse algum resultado o caminho era o da rua foi o governador Gladson Cameli. E o fez de forma reiterada. Então para todos, mais trabalho e menos faniquitos.

MOEDA DE DOIS LADOS

O ex-presidente do PT, André Kamai, disse em entrevista que o governo Gladson Cameli não é imune às críticas. Governo nenhum é. Pode é deve ser criticado. Mas falta legitimidade a quem foi avalista do desastrado último governo em se arvorar a apontar soluções para os problemas que deixaram.

REAPROXIMAÇÃO CLARA

Nomeações, visitas da cúpula petista, são sinais que estão a indicar uma reaproximação política da prefeita Socorro Neri com o PT. Até aqui vinha dando o seu perfil à sua gestão. Tenho as minhas dúvidas de que uma simbiose com um PT desgastado a ajude politicamente.

CONVERSA COM A IMPRENSA

O secretário de INFRAESTRUTURA ,Thiago Caetano, reúne a imprensa hoje ás 8 horas no Teatrão para fazer uma explanação sobre as ações da sua pasta e os projetos para executar. É um exemplo aos demais secretários de mostrar à opinião pública as metas das suas pastas.

CANDIDATO, SIM SENHOR!

Não sei os demais partidos da coligação que elegeu o governador Gladson Cameli, mas posso adiantar, porque já ouvi mais de uma vez do vice-governador Major Rocha, que o PSDB terá candidato a prefeito da capital. E já chegou aventar convite para filiação do Minoru Kinpara.

OUTRO PORTO

O ex-Reitor Minoru Kinpara, que teve uma votação estupenda na capital sem os recursos dos demais candidatos ao Senado, terá que buscar outro porto político, porque o REDE, seu partido, não atingiu a cláusula de barreira. E, ele tem de preservar o seu novo capital político.

NÃO ESCAPAVA UM

O vereador N.Lima (PSL), sem uma base jurídica, defende o impeachment da prefeita Socorro Neri, sob o argumento que a cidade está cheia de buracos em suas ruas. Se o vetor buracos fosse aplicado em todos os municípios, não escaparia um prefeito de perder o mandato.

MELHOROU A RESOLUTIVIDADE

As execuções continuam em patamares parecidos com o do governo passado, muito altas. Mas chama a atenção nesta nova gestão da segurança, o alto o grau de resolução dos crimes. E também que, os atos da secretaria de Segurança estão tendo uma divulgação ideal e célere.

UMA CORREÇÃO

O deputado Chico Viga é do PHS e a deputada Juliana Rodrigues do PRB. Fica a correção sobre nota que foi publicada com os nomes dos dois parlamentares. Foi um equívoco pela pressa.

CUMPRINDO UM RITUAL

O ex-prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre, que foi derrotado na disputa do governo, chega no horário para cumprir seu expediente na secretaria de INFRAESTRUTURA, e deixa o trabalho dentro do horário. Política, ideologia de lado, falo do cidadão: o Marcus é correto.

O POVO É QUE DÁ O TOM

O prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim, não deve ficar preocupado sobre quem estará ou não estará no seu palanque no próximo ano, quando disputar a reeleição. Se a sua administração chegar em alta na campanha eleitoral, é irrelevante quem estará lhe apoiando.

POVO AVALIOU DIFERENTE

O deputado Jenilson Lopes (PCdoB) avalia que, o ex-prefeito Rodrigo Damasceno não foi tão mal na gestão da prefeitura de Tarauacá, mas errou na dose política. Há controvérsias. Se tivesse sido de fato um prefeito bom na gestão, bem avaliado, as urnas não lhe rejeitariam.

DENTRO DAS LIMITAÇÕES

Dentro das suas limitações oratórias e do nervosismo de início de mandato, o deputado Neném Almeida (PSD), tem sido muito participativo nos debates na ALEAC, na defesa do governo Cameli, ao ponto de ser dito pelos adversários que, quer derrubar o deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS) da liderança do governo.

É UM DESASTRE

Toda vez que um filho do Jair Bolsonaro ou a ministra Damares falam, é uma crise no governo ou chacota na imprensa. Deveriam ser proibidos de falar até o fim da gestão do presidente, seria a maior contribuição que poderiam dar para o sucesso da sua corrida para mudar o Brasil.

NÃO É A HECATOMBE

Falando no presidente Jair Bolsonaro, não vem sendo a hecatombe que os petistas previam, ao contrário, vem cumprindo exatamente o papel prometido na campanha e se cercado de bons auxiliares. Não se pode é exigir do Bolsonaro e seus ministros que cultuem os mitos petistas.

NÃO APOSTEM NO INSUCESSO

Não é pelo episódio controverso do carnaval que a competência da secretária de Turismo, Eliane Sinhasique, terá a sua gestão avaliada, mas pelo saldo futuro. O governo mal deu os seus primeiros passos. Conheço a Eliane de décadas, não aposte no fracasso da sua missão.

BOM PARA A DEMOCRACIA

Quando os debates na Assembléia Legislativa acontecem de forma dura, mas qualificada, como está ocorrendo neste início de legislatura, é bom para a população, porque se vê bem representada e para o governo, que vê os seus erros apontados. O pior que pode acontecer a um governador é ter um Legislativo sem uma oposição de qualidade, porque isso acontecendo, vai praticar atos danosos e todos ficarão a lhe dizer amém e sim senhor. Uma oposição forte, propositiva, é da maior importância no parlamento. É unanimidade entre os colegas de imprensa de que a atual composição do Legislativo tende a ser mais ativa, com mais debates importantes do que foi na última safra da ALEAC. A omissão tem de ser varrida.

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.