Conecte-se agora

Marfisa, mais uma mulher na Câmara Federal

Publicado

em

A partir de 1º de janeiro a bancada federal acreana terá mais uma mulher na sua composição na Câmara Federal: a primeira suplente Marfisa Galvão (PSD). A sua posse vai acontecer em virtude do deputado federal Major Rocha (PSDB) ter que deixar o mandato dia 31 de dezembro, para ser empossado como vice-governador do Acre. Neste caso, ela ficaria até fevereiro.  Mas deve haver um entendimento com o titular Rocha para que, este renuncie ao final deste mês, para a Marfisa (foto), permanecer dois meses no cargo. Hoje, o Acre tem apenas uma deputada federal, Jéssica Sales (MDB), que se reelegeu. Na eleição que disputou Marfisa obteve 17.300 votos, perdendo a vaga para o atual deputado federal Alan Rick (DEM) por 114 votos. No último pleito não se candidatou. Marfisa Galvão (PSD) é mulher do senador Sérgio Petecão (PSD) e tem tido um papel ativo em todas as campanhas do marido.

ANOTEM PARA CONFERÊNCIA
Descartem qualquer possibilidade do ex-candidato a deputado federal Marivaldo Melo (PSD) assumir uma secretaria no governo Gladson Cameli. A fonte da coluna é segura. Só se fixaria no Estado caso venham a ter sucesso as negociações para que assuma o SEBRAE.

NOMES AVALIZADOS
O presidente do MDB, deputado federal Flaviano Melo, descartou ontem boatos de que o partido não avalizaria as indicações da deputada Eliane Sinhasique (MDB) e da engenheira Maria Alice para compor o primeiro escalão na futura administração. “Têm o aval”, garantiu.

SECRETARIAS NO ALVO
A engenheira Maria Alice ficaria na secretaria de Planejamento ou Administração e Eliane Sinhasique na de Pequenos Negócios. Ambas são tidas como jóias da coroa dentro do MDB.

SAI O PASTOR ENTRA O BISBO
Repercutiu bem no meio acadêmico a escolha do professor Mauro Sérgio, dono de um vasto currículo na área educacional, para ser o futuro secretário de Educação. Mauro é da extrema confiança do Bispo Dom Joaquin. Sairá da cena do poder o Pastor Agostinho Gonçalves, peça importante no governo que se finda, e entrará a figura do Bispo Dom Joaquin.

OUTRO LADO
Sobre a ida para uma secretaria especial com foco no Juruá, o ex-prefeito Vagner Sales (MDB) mandou nota dizendo que não se ofereceu, mas foi “convidado” pelo governador eleito Gladson Cameli e nem sabe se aceitará. Ressalva ter o direito de indicar cargos do Estado no Juruá, por seu grupo ter duas deputadas que somam 37.856 votos e as mais votadas na região.

SITUAÇÕES DISTINTAS
É bom deixar bem claro que nem sempre o detentor de um vasto currículo acadêmico necessariamente será um bom gestor de um cargo público. São duas situações distintas.

PAPEL IMPORTANTE
Não sei qual será o seu papel na futura administração estadual, mas sei que teve um papel importante no meio sindical ao mudar seu eixo para apoiar o Gladson Cameli. Refiro-me à professora Rosana Nascimento. Nas eleições anteriores os sindicatos eram puxadinhos do PT.

VERDADES E VERDADES
Estava viajando, por isso só agora o comentário. O vereador Eduardo Farias (PCdoB) não erra ao dar como pontos para a derrota acachapante do PT, no Acre, a um governo “equivocado” e cheio de “vaidades”. Acrescento a brutal arrogância. Só que o Eduardo foi conivente 20 anos.

EM NENHUM MOMENTO
Em nenhum momento o PCdoB levantou a voz para contestar publicamente o rumo do navio da FPA, que singrava para um naufrágio, e ainda assim qualquer camarada não levantou a voz. Depois que a nau foi a pique de nada adiantará fazer o protesto contra a fraca gestão atual.

POR ISSO SOU CONTIDO
O deputado Daniel Zen (PT) fez ontem um desagravo ao ex-diretor do DERACRE, Tácio de Brito, acusado de malversação de recursos públicos e inocentado agora após uma década. É por este tipo de desfecho que nunca crucifico quem é apenas denunciado, ou réu, sem a condenação.

NÃO SERÁ UMA FESTA
Pelo esboço do tamanho que ficará o governo tem muita gente que participou da campanha e esperava pegar um cargo de secretário ou subsecretário, que vai ficar chupando os dedos. O Estado ficará pequeno demais após a reforma para abrigar uma gula contida de 20 anos.

É DE SE LAMENTAR
A foice afiada do governador passou pela TV-ALDEIA e ASSECOM, aumentando a legião de jornalistas demitidos e que ocupavam cargos de confiança. É de se lamentar, pois, muitos são pais de família, e com o mercado privado sem oferta de trabalho, será difícil uma recolocação.

APENAS BOATOS
O deputado Ney Amorim (sem partido) negou ontem ter recebido convite para assumir o DETRAN. “Conversei muito com o Gladson, mas este assunto não foi tratado”, disse ele.

PRATOS LIMPOS
Deixemos em pratos limpos esta questão do Hospital do Juruá. As religiosas que fazem a gerência não pagam os profissionais de saúde por o governo não repassar os recursos. Ponto. E por isso é mais do que justo que os seus profissionais tenham que recorrer às greves.

O BURACO É MAIS EMBAIXO
É uma falácia atribuir a culpa pelo atraso de pagamento ao modelo de gestão das religiosas.

NINGUÉM QUER, POR QUAL MOTIVO?
Vejo dirigentes de partidos brigando para abrigar afilhados no primeiro escalão do futuro governo, mas não vislumbrei até agora ninguém brigando para ocupar a pasta da Previdência Social, que é o maior pepino desta administração. Explica-se: lá não podem fazer política.

MÉDICOS CUBANOS
Existe muita falácia neste episódio dos médicos cubanos. Se muitos médicos brasileiros evitam se mudar para municípios mais distantes é porque os seus prefeitos querem pagar uma miséria salarial. E no caso dos profissionais cubanos quem pagava era o governo federal.

VERBA ESPECÍFICA
Toda a prefeitura tem verba específica para a saúde pública, a questão é de prioridade. Muitos prefeitos preferem entupir as prefeituras de afilhados ao invés de fazer gastos com saúde.

ESCLARECENDO
O advogado Cícero Furtado mandou nota esclarecendo que, não foi convidado pelo futuro secretário de Obras, Thiago Caetano, para integrar sua equipe e que se trata de amigo de infância. E nega também qualquer injunção do Pastor da IBB, Agostinho Gonçalves no caso.

UM PONTO
A coluna nunca colocou em dúvida a capacidade do ex-integrante do gabinete do atual governador, Cícero Furtado, de quem tem boas referências técnicas, apenas registrou os humores no arraial político da oposição à sua possível escolha para cargo no futuro governo.

MOEDA DE DOIS LADOS
A frase do Promotor de Justiça Eduardo Albano, de que “nenhuma polícia pode ser eficaz se tiver que prender mais de quatro vezes a mesma pessoa em um ano”, tem outro lado. Se o fato acontece é porque a polícia prende e estes são soltos nas famosas Audiências de Custódia.

NÃO INDICA NINGUÉM
O senador Márcio Bittar (MDB) tomou uma posição de não sugerir nome para compor a futura equipe do governador eleito Gladson Cameli. Quer o deixar livre. Não sei se é boa política não ter uma referência na próxima administração, a não ser que queira ser um crítico e não aliado.

MAIS DO QUE ESSENCIAL
Com quem conversei ontem sobre a escolha do dentista Alysson Bestene para secretaria de Saúde ouvi em uma só voz de que, ele precisará ter de subsecretário alguém com experiência na área, por ser a pasta uma das mais complexas de administrar em qualquer governo.

NÃO ME POSICIONO POR ILAÇÃO
Mesmo depois da divulgação oficial da equipe de primeiro escalão do futuro governo, ainda assim evitarei nos primeiros 100 dias fazer uma avaliação dos indicados. Mas depois disso a coluna fará cobranças e estará sempre com o espaço aberto para que cobranças sejam feitas.

FAZENDO O QUE É CERTO
A prefeita Socorro Neri está apenas seguindo à risca a cartilha do bom gestor público, ao desafogar a máquina de nomeações politiqueiras. Na administração séria não pode haver brechas para o compadrio e tampouco se fazer nomeações graciosas e improdutivas.

BOLSO DO COLETE
Foi sugestão do Conselheiro do TCE, Antonio Malheiros, a escolha de Semírames Dias, atual diretora financeira e orçamentária do órgão para ocupar a secretaria de Fazenda. Aliás, pelo que consta, o gabinete do Malheiros virou um confessionário de políticos querendo benção.

CARGOS FECHADOS
Os nomes de quase todos os cargos de primeiro escalão do governo Gladson Cameli já são conhecidos. Vamos lá: Silvânia Pinheiro (IMPRENSA), Thiago Caetano (OBRAS), Ribarmar Trindade (GABINETE CIVIL), Eliane Sinhasique (PEQUENOS NEGÓCIOS), Mauro Sérgio (EDUCAÇÃO), Semírames Dias (FAZENDA), Maria Alice (Planejamento ou Administração), Alysson Bestene (SAÚDE), Procurador João Pires (SEGURANÇA), Coronel Mário César (PM). O nome da SEAPROF será indicado pelo senador Sérgio Petecão (PSD). DETRAN e Previdência Social a definir. Outras secretarias serão extintas na Reforma Administrativa. É o time.

Anúncios

Acre 01

Liderando pesquisas, Tião Bocalom não vai ao debate da TV Acre nesta sexta-feira

Publicado

em

O candidato a prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom (PP), que lidera as pesquisas, não vai participar do debate desta sexta-feira (27) com a prefeita Socorro Neri (PSB), que está sendo anunciado pela TV-ACRE.

A confirmação da ausência chegou ao BLOG pelos assessores políticos do candidato. O argumento é que a direção da emissora está notificada há 5 dias de que, Bocalom não se faria presente, por ter outra programação de campanha agendada para o horário. Na nova pesquisado IBOPE, Tião Bocalom (PP) aparece com 61% contra 32% da prefeita Socorro Neri (PSB).

Mais política no BLOG DO CRICA.

Continuar lendo

Blog do Crica

Gladson anuncia volta ao Progressistas

Publicado

em

EM DECLARAÇÃO dada ontem pela manhã ao BLOG DO CRICA, o governador Gladson Cameli revelou que vai retornar às suas atividades partidárias no PP, de onde se encontra afastado desde o início da eleição municipal. A presidente do PP, senadora Mailza Gomes, com quem conversou a respeito, lhe deu sinal verde para a volta. Conversas também foram encaminhadas junto a bancada estadual, formada pelos deputados Nicolau Junior (PP), José Bestene (PP) e Gerlen Diniz (PP), todos de acordo com a reativação da sua presença no partido. “Não será uma volta de pires na mão, mas uma volta pelo diálogo de quem terá um espaço respeitado e possa emitir as suas opiniões. E respeitando as posições em contrário. O PP vai fazer política, eu vou fazer gestão”, destacou ao BLOG. Sobre a sua relação com o provável futuro prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom (PP), o governador Gladson enfatizou que não terá nada a lhe cobrar, porque estiveram em palanques diferentes na eleição da capital, mas que as portas do seu gabinete estarão abertas para uma relação institucional respeitosa, caso se confirme no domingo a vitória do candidato do PP, para a PMRB. Cameli diz estar mesmo preocupado depois da eleição é em fazer gestão e obras no estado. Falou que, as atividades políticas serão secundárias.

NA POLÍTICA TUDO É CONVERSA

NÃO DEVE ser vista como anormalidade a volta do governador Gladson Cameli para o PP, do qual estava afastado. É o seu partido de origem, e as diferenças se tiram na mesa de diálogo.

TUDO MUITO SIMPLES

NA POLÍTICA, tudo é muito simples. As partes se sentam à mesa, debatem as diferenças, e toca o barco para a frente. Mas, para isso tem de se afastar de partidos de esquerda, como o PSB.

ESPAÇOS REPACTUADOS

GLADSON CAMELI também enfatizou na conversa de ontem que pretende fazer uma ampla repactuação de espaços no governo entre os partidos, cortando onde tem que cortar, como no DEPASA, onde demitiu toda a sua diretoria. A repactuação de cargos deverá ser em cima de critérios técnicos do indicado.

CASTANHA QUEBRADA

O GOVERNADOR deve fechar o ano quebrando a castanha dos ex-dirigentes do PT, que apostavam que no máximo em seis meses do primeiro ano atrasaria os salários. Não só não atrasou nos primeiros dois anos, mas pagou antes do fim de cada mês.

NÃO TINHA OUTRO CAMINHO

SOBRE as demissões dos diretores do DEPASA, vejo como uma medida acertada, devido às denúncias de assédio sexual e desvios financeiros. Não cabia omissão. Não tinha outro caminho a ser tomada como governador. Tinha virado cabide de emprego.

PRINCIPAL DESAFIO

O QUE o governador Gladson deve ter como prioridade de momento e adequar os gastos públicos ao limite da Lei de Responsabilidade Fiscal, e precisa reduzir gastos com pessoal.

QUATRO PREFEITURAS

O DEPUTADO federal Léo de Brito (PT) partirá para a reeleição com os quatro prefeitos do PT lhe apoiando: Fernanda Hassem, Bira Vasconcelos, Isaac Lima e Jerry. Tem emendas para destinar.

DEU UMA LOBA

O PREFEITO de Mâncio Lima, Isaac Lima (PT), deu uma loba no governador Gladson Cameli, com quem chegou a conversar para se filiar no PP, mas depois que ganhou, se nega a cumprir o trato.

BOCADO ESQUECIDO

NA CAMPANHA, o governador Gladson Cameli sofreu desgaste com seus apoiadores em Mâncio Lima, por ter declarado o seu apoio à reeleição do prefeito Isaac Lima (PT). Bocado comido, bocado esquecido, já diz o velho, mas sempre aplicável ditado.

TUDO INDICANDO

AS PESQUISAS internas de partidos continuam indicando uma vitória folgada do candidato Tião Bocalom (PP). Há dois dias da eleição, é difícil uma mudança. Mas quem vai falar será a urna.

NADA MAIS AMADORA

CONVERSANDO ontem com uma pessoa do miolo da campanha da prefeita Socorro Neri (PSB), esta revelou que já participou de várias campanhas, mas nenhuma amadora como a da Socorro.

PIOR DE TUDO

ATÉ SE JUSTIFICARIA este fracasso da sua coordenação política se fosse uma má prefeita e não tivesse o que ser mostrado na sua gestão. Pelo contrário, em 2 anos fez muito, e não foi explorado.

A CHITA É DE OUTRA COR

ACONTECE é que os coordenadores da campanha da Socorro (PSB) estufaram o peito e achavam que a fatura estava liquidada pelo simples apoio do Gladson. A chita política é de outra cor.

REPLETA DE EXEMPLOS

A HISTÓRIA política da capital está repleta de exemplos de candidatos que perderam a eleição para a prefeitura, tendo o apoio do governo e com a prefeitura na mão. Não será novo.

ESPÓLIO PEQUENO

O EX-SENADOR Jorge Viana (PT) sabe ler um cenário político. A baixa votação do PT na capital, não deve ter lhe deixado otimista para sonhar com o Senado em 2022, só com a esquerda.

COLÉGIOS PEQUENOS

É NÃO é mesmo para ter ficado otimista. Brasiléia, Assis Brasil, Xapuri e Mâncio Lima, onde o PT elegeu prefeitos, são colégios eleitorais pequenos, no contexto de uma eleição estadual.

SERÁ COBRADO

VENCENDO A ELEIÇÃO de domingo, o candidato a prefeito Tião Bocalom (PP) terá uma fatura longa e variada a ser cobrada, que passa do aumento da produção agrícola com arroz e feijão baratos até o fim do madrugar numa fila para ser atendido nas unidades de saúde da prefeitura. Terá os 100 dias de tolerância. 

SEM REAJUSTE

O DEPUTADO Daniel Zen (PT) questionou em fala na ALEAC a falta de reajuste salarial aos professores nos dois anos do governo Gladson. Zen defendeu ainda que, o governo revogue o decreto que limita o pagamento do PDV- Prêmio de Valorização do Desenvolvimento Profissional para os profissionais de Educação. São dois pontos que governo tem de desentravar.

FOCO EM 2022

O BLOG tem informação de que a prefeita Fernanda Hassem (PT) já tem o seu candidato a deputado estadual em 2022, deverá ser seu irmão e Secretário de Finanças, Tadeu Hassem. Sairá pelo PT.

FRASE MARCANTE

“Quando um dedo aponta para lua, os tolos olham para o dedo.” Ditado chinês.

Continuar lendo

Blog do Crica

O voto do eleitor não tem dono

Publicado

em

A LÓGICA de que, quem é candidato no poder ganha a eleição, foi quebrada também em Senador Guiomard. Por esta lógica estrábica de alguns, quem deveria vencer seria o prefeito André Maia (MDB), porque estava no comando da máquina municipal, num colégio eleitoral pequeno, em que muita coisa gira em torno da prefeitura. A vitória da Rosana Gomes (PP),  para prefeita mostrou que o voto do eleitor não tem dono. Entrou em baixa nas pesquisas, foi conquistando a confiança do eleitor e acabou vencendo, esmagando esquemas poderosos. A política tem caminhos insondáveis. O povo decidiu, não muda.

PRATO QUE SE COME FRIO

O PREFEITO André Maia (MDB) perdeu a eleição, mas a sua candidatura foi fatal para a derrota do seu algoz, que chegou afastá-lo da prefeitura, o vereador Gilson da Funerária (SD).

REPAGINADA QUE DEU CERTO

A IMAGEM do Tião Bocalom (PP) antes desta campanha era a de uma pessoa raivosa e com um discurso que virou galhofa. Nesta campanha, mudou por completo. Mudou a imagem para um conciliador da política da paz e do amor e do bom velhinho. E, pelo que mostram as pesquisas, o eleitorado se encantou.  

NÃO PEDE, DETERMINA!

O GOVERNO negou ceder carros da sua frota para transportar os eleitores da zona rural, com o estranho argumento de falta de carros. A justiça eleitoral, não pede, determina, senhores da toga. Seria como que uma punição ao eleitor que vive no campo.

NÃO ME LEMBRO

NÃO ME LEMBRO de nenhuma outra eleição que uma situação desta natureza tenha acontecido na capital. Isso é um absurdo.

ANO ESENCIAL

2021 será um ano essencial para o governador Gladson Cameli deslanchar o seu governo com obras. Ano também de fazer recomposições e repactuações políticas. 2022 será um ano contaminado pela pré-campanha para o governo e parlamento.

FICA POR CONTA DA MILITÂNCIA

ATÉ AQUI, a disputa do segundo turno entre os dois candidatos não descambou para a ofensa pessoal. As fakes news, os ataques á honra, ficaram por conta dos militantes desvairados. E essa é uma turba que os candidatos não conseguem controlam.

AFASTA DE MIM ESTE CÁLICE

O GOVERNADOR Gladson demitiu mais um integrante do grupo do vice-governador Major Rocha de cargo de confiança. O Gladson reforça que, não quer mais relação política com o vice.

CADA QUAL NO SEU QUADRADO

MELHOR MESMO para o governador e o vice é cada qual no seu quadrado. As relações pessoais e políticas entre ambos chegou num grau de deterioração sem volta. E a caneta é do governador.

MERGULHOU FUNDO

O VICE-GOVERNADOR Major Rocha mergulhou fundo no silêncio. Não haveria nada melhor do que sair da cena do olho do furacão.

VAI DERRUBAR PREFEITO

ESSA QUESTÃO da merenda escolar vai complicar prefeito eleito.

BASE PARA FEDERAL

O DEPUTADO Jesus Sérgio (PDT) sedimentou bases importantes para disputar a reeleição em 2022. Fez os prefeitos de Tarauacá e do Jordão. Jesus é um parlamentar limitado, mas faz política.

POUCO TEMPO PARA MUDAR

PELO QUADRO de mobilização que se tem notado no segundo turno, não houve mudança em relação ao favoritismo do candidato Tião Bocalom (PP). E, domingo já é o dia da votação.

BITTAR EMPENHADO

O SENADOR Márcio Bittar (MDB), esqueceu as diferenças políticas e é um dos mais empenhados na candidatura do Tião Bocalom (PP). Mais importante é que o Bittar será o Relator do Orçamento Federal, e poderá destinar recursos para a PMRB.

BASTA ANDAR NA CIDADE

A NOVA ONDA da Covid-19 parece que não despertou ainda grande parte da população da capital, que anda sem máscaras pela cidade, como se tudo estivesse normal. Fugiu ao controle.

UNIDADES LOTADAS

ATÉ AS UNIDADES de Saúde particulares estão com os seus leitos destinados aos contaminados pela Covid-19, com ocupação sem vagas. Definitivamente, a pandemia veio numa nova onda. 

ATESTADO DE VERGONHA

CASO a Polícia Militar mantenha a posição de não mandar segurança para os jogos da Série D, e os times do Acre tenham que disputar seus jogos em outros estados, será um atestado de vergonha. O governador Gladson tem que intervir na situação.

DESCULPA ESFARRAPADA

PIOR QUE o ato foi a desculpa esfarrapada da cúpula da Segurança, que criou assim uma pauta negativa para a imagem do governo. Não se cria problema onde não tem problema.

MANTENDO A ALTIVEZ

A PREFEITA Socorro Neri (PSB) sabe que a sua situação política neste segundo turno não é confortável. Mas, mesmo assim vem mantendo a altivez e cumprindo os compromissos agendados.

CAMPANHA DESCARADA

NÃO MORRO de amores pelo Bolsonaro, que se não é a oitava maravilha do mundo; também não chega a ser o representante do mal, como prega a GLOBO, em uma campanha descarada.

SUCESSÃO DE ERROS

O QUADRO deste segundo turno para a prefeita Socorro Neri não passa de uma sucessão de erros de campanha, que vem do primeiro turno. A Socorro foi vítima de uma campanha amadora.

CONSELHEIROS ERRADOS

CONSIDERO a Socorro Neri ter cometido um erro político ao não ter ido para o PP, e se tivesse ido teria hoje no seu palanque o governador Gladson e o senador Sérgio Petecão (PSD). E o Tião Bocalom não seria candidato. Ouviu os conselheiros errados.

QUEBROU UM CICLO

A VITÓRIA da candidata Néia (PDT) quebrou um ciclo das oligarquias de Tarauacá, dos Vitorinos e Damascenos, que vinham se alternando no comando da prefeitura do município.

FRASE MARCANTE

“Primeiro come-se; depois é que se lava a panela”. Ditado espanhol.

Continuar lendo

Blog do Crica

Os pilares do Tião Bocalom 

Publicado

em

A CANDIDATURA do Tião Bocalom (PP) só vingou por três firmes decisões. A primeira foi a senadora Mailza Gomes (PP), que resistiu a todas as investidas do governador Gladson Cameli para vetar o seu nome. Se não tivesse sido firme, a tese do governador teria vencido. A reação foi reforçada pela ação do deputado José Bestene (PP), que retirou sua candidatura à PMRB, já homologada pelo partido, para ser substituído por Bocalom. E o terceiro foi o senador Sérgio Petecão, que se somou a ambos, e acabou sendo o grande condutor da campanha vitoriosa no primeiro turno, e que se encaminha para ser chancelada no segundo turno. Não fosse a ação do trio, o Bocalom não seria candidato e nem estaria preste a ser prefeito de Rio Branco. Mailza Gomes (PP), Sérgio Petecão (PSD) e José Bestene (PP) foram os pilares para manter a sua candidatura.

NOME NA PAUTA

O VEREADOR eleito Samir Bestene (PP) tem tudo para ser o próximo presidente da Câmara Municipal de Rio Branco. O PP, seu partido, elegeu três vereadores e é aliado do Bocalom ((PP), que desponta como favorito para vencer a eleição de domingo.

MARFISA, A GUERREIRA

QUANDO se fala na garra do senador Petecão (PSD) na campanha do Tião Bocalom (MDB), não se pode deixar de lembrar que a candidata à vice-prefeita Marfisa Galvão (PSD), não fica atrás em entusiasmo. Marfisa tem sido uma guerreira.

RECONHECENDO O ÓBVIO

POR DIVERSAS vezes coloquei no BLOG que, os entraves na campanha da prefeita Socorro Neri (PSB), eram a falta de um coordenador político experiente e planejamento. Exatamente o que reclamou ontem seu aliado, o deputado Luiz Tchê (PDT).

DESCOBRIU TARDE

O DEPUTADO TCHÊ (PDT), como político experiente era para ter feito o alerta no primeiro turno, apontar para um erro que era gritante; só agora, no fim do segundo turno, não adianta nada.

NÃO FORAM OUVIDOS

OUVI de várias figuras de proa do governo, que ainda tentaram mostrar que a campanha estava sendo mal conduzida, mas se queixam de que não foram escutados e tiveram de recuar.

ATACADOS PELA COVID

O PREFEITO de Sena Madureira, Mazinho Serafim, e sua mulher, a deputada Meire Serafim (MDB), estão internados na PRONTO CLÍNICA, onde se recuperam. O BLOG deseja saúde a ambos.

TAMBÉM CONTAMINADO

QUEM TAMBÉM foi contaminado pela Covid-19 foi o prefeito eleito de Santa Rosa, Tamir de Sá (MDB), em recuperação na PRONTO-CLÍNICA. A pandemia deu uma acelerada nos casos.

SUPORTE FINANCEIRO

CASO SEJA ELEITO DOMINGO, como as pesquisas indicam, Tião Bocalom terá a sorte de receber uma prefeitura enxuta, e contar com três senadores para lhe destinar recursos e emendas.

FINANÇAS SANEADAS

A PREFEITA Socorro Neri conseguiu em dois anos deixar a prefeitura mais enxugada e com as suas finanças saneadas.

MOSTRAR HABILIDADE

O GOVERNADOR Gladson Cameli vai precisar usar de muita habilidade para compor uma base política à sua campanha de reeleição, em 2022. O seu apoio à candidatura da prefeita Socorro Neri (PSB), deixou a sua antiga base política esfacelada.

REFORÇAR O INIMIGO

OS PREFEITOS eleitos pelo PT não esperem serem abençoados com emendas parlamentares de outros partidos, no próximo ano. 2022 será ano de eleição, devem investir em 2021 em suas bases eleitorais. Na política, não se cria cobra para ser picado.

SERIA INFLAR O JV

REFORÇAR financeiramente as prefeituras governadas por petistas seria o mesmo que construir uma ponte para reforçar uma candidatura do Jorge Viana (PT) ao Senado, em 2022.

PLANO MODIFICADO

A VITÓRIA do Zequinha (PP) a prefeito de Cruzeiro do Sul deve modificar o plano político do ex-prefeito Vagner Sales (MDB) de lançar a deputada federal Jéssica Sales (MDB) para o Senado.

DOBRADINHA COM BITTAR

O GRUPO do ex-prefeito Vagner Sales (MDB) deve fazer uma dobradinha em 2022, com o senador Márcio Bittar (MDB), que ficou ao seu lado no apoio ao candidato Fagner Sales (MDB).

POSSIBILIDADE ABERTA

PODEM ANOTAR para conferir em 2022, caso o contexto político lhe seja favorável, o senador Márcio Bittar (MDB) pode abandonar meta de lançar a mulher Márcia Bittar a deputada federal, e colocá-la como candidata a senadora. Este é o jogo.

INTERESSA AO BOLSONARO

A HIPÓTESE de ter a Márcia Bittar como candidata a senadora já foi alvo de uma conversa entre o senador Márcio Bittar (MDB) e o presidente Jair Bolsonaro, que é simpático a esta possibilidade.

ESQUERDA NA GESTÃO

O PCdoB e o PT estavam na chapa que elegeu o Zequinha a prefeito de Cruzeiro do Sul, e por certo participarão da gestão. Zequinha deixou o PCdoB, mas manteve relação com a cúpula.

ESCOLHA MERECIDA

O JORNALISTA Ailton Oliveira deverá integrar a equipe de comunicação do candidato Tião Bocalom (PP), se este vencer no domingo. Será merecido. Acompanha de longas data o Bocalom.

PAPEL DA LEALDADE

A SECRETÁRIA de Comunicação da PMRB, Socorro Camelo, publicou um artigo duro na defesa da prefeita Socorro Neri. É o papel de quem é leal a quem lhe foi leal. Não cabe por isso, nenhuma crítica. Não se abandona os amigos no infortúnio.

MESMA PEGADA

FALTAM cinco dias para a eleição e a campanha do favorito a vencer a disputa pela PMRB, Tião Bocalom (PP), continua na mesma pegada de mobilização. Ontem, fechou o dia com um grande bandeiraço. Com Petecão, Bocalom e companhia limitada.

FORA DAS RUAS

A CAMPANHA da Socorro Neri não é vista mais nas ruas, ela tem se limitado a cumprir agenda de visitas. A sua campanha, indicam pesquisas, não criou clima de virar no segundo turno.

FRASE MARCANTE

“Dizem que o tempo muda as coisas, mas é você que deve mudá-las”. Andy Warhal.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2020 ac24Horas.com - Todos os direitos reservados.