Conecte-se agora

Sem citar desentendimentos internos, Ney Amorim entrega carta de desfiliação ao PT

Publicado

em

Ao contrário do que muitos esperavam a carta de desfiliação que o deputado Ney Amorim entregou ao presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), na tarde desta quinta-feira (8), não relatou os vários desentendimentos internos que que movimentaram sua campanha ao Senado e que foram responsáveis pela sua saída da legenda que o projeto politicamente em todo o Estado do Acre.

Em tom poético, Ney Amorim narrou sua trajetória no PT, destacando que tudo na vida tem início e fim e que as pessoas precisam se preparar para o final de cada ciclo. Amorim destaca que entrou no partido aos 15 anos, quando seu pai, Josué Amorim foi candidato e chegou ao mandato de vereador pelas fileiras petistas, com apoio dos moradores da Baixada, um dos maiores redutos do PT.

Ele destacou sua participação na construção do partido, deixando uma alfinetada sobra uma possível mudança no projeto petista. “Várias foram as demonstrações de empenho de nossa parte. Percorremos todos os postos e todas as fases de participação na caminhada de crescimento do Partido dos Trabalhadores e do projeto apresentando que tinha um objetivo: O bem coletivo”, destaca Ney.

Segundo Amorim, ele militou nos tempos em que o PT não disponibilizava de recursos financeiros, quando seus militantes pintavam camisetas, fixavam cartazes e balançavam bandeiras nas esquina da cidade. “Nós entregamos, nos empenhamos, apoiamos e defendemos as cores, as ideias e as pessoas”. O dissidente destaca que defendeu a legenda e foi fiel aos seus princípios.

“Mas, como disse no início, tudo que começa um dia acaba. E chegamos ao fim. Eu, Ney Amorim, deputado estadual de três mandatos, presidente da Assembleia Legislativa comunico minha desfiliação do quadros do Partido dos Trabalhadores. Ciente de ter feito a minha parte na construção dessa história e de ter a liberdade democrática de caminhar na direção do que acredito”.

Ney Amorim encerra a carta destacando sua tendência cristã e que vai continuar servindo a quem o procurar. “Vamos estar sempre aqui, onde sempre estivemos, para servir ao maior número de pessoas possível. A todos deixo meu abraço e minha gratidão por tudo que foi partilhado e vivido durante esses anos”, finaliza o deputado que ainda não escolheu novo partido para se filiar.

Propaganda

Destaque 2

Católicos pedem até R$ 1,00 para pagar estrutura usada na peça da Paixão de Cristo

Publicado

em

A apresentação da Paixão de Cristo, em Rio Branco, não contou com dinheiro público esse ano. Com isso, foi preciso recorrer aos fiéis pela primeira vez. A apresentação ocorreu nas escadarias do Palácio Rio Branco, no Centro, e reuniu milhares de pessoas, como todos os anos.

A estrutura montada, incluindo sonorização, iluminação e instrumentos musicais, tendas e equipamentos da peça teatral foram frutos de parcerias conseguidas pelos irmãos da igreja. No microfone, o orador do evento pedia minuto a minuto: “até mesmo R$ 1,00 para ajudar no pagamento da estrutura usada” no evento.

O bispo de Rio Branco, dom Joaquím Pertiñez, confirmou que não houve apoio do Governo do Acre, e a única forma viável foi recorrer aos fiéis. “Infelizmente não tivemos esse apoio, porque não houve condições por parte do governo, mas estamos aqui fazendo essa linda encenação, como todos os anos”, limitou-se a comentar.

Antes da apresentação, pelo menos 25 mil fiéis percorreram as principais avenidas do Centro e do bairro Bosque, durante a procissão do Senhor Morto, tradicionalmente realizada na Sexta-Feira da Paixão. Em meio ao trajeto, católicos de diversas comunidades e paróquias da cidade se uniram à procissão.

A Sexta-feira Santa é o único dia do ano em que não há Eucaristia e o altar fica descoberto, sem nenhuma decoração no presbitério. A sexta-feira santa, curiosamente, é um dia em que se comemora a morte e a paixão de Jesus, ocorrida, segundo a história, há cerca de 2.000 anos.

A Semana Santa expressa o momento mais forte da fé cristã. Iniciada com o Domingo de Ramos, o período é marcado pela instituição da eucaristia, o lava-pés, a Paixão de Cristo e a ressurreição. Os fiéis são chamados a vivenciar a experiência da conversão ao participar das celebrações que revivem o testemunho de Cristo.

Continuar lendo

Destaque 2

Cohab: 64,8 mil pessoas moram em conjuntos e loteamentos do governo em Rio Branco

Publicado

em

O relatório divulgado na segunda semana de abril pelo Governo do Estado, mostra que 64.855 pessoas moram nos 24 conjuntos e loteamentos administrados pela Companhia de Habitação do Estado do Acre (Cohab). De pouca visibilidade, a Cohab mostra em seus balanços ativos superiores em cerca de R$ 12 milhões sobre os passivos.

Ao fazer uma retrospectiva de 2018, a diretoria diz que a regularização fundiária não deve significar apenas a existência de um título registrado em cartório, mas deve ser compreendida como uma solução integrada que envolve os gestores públicos de diversos órgãos no empreendimento de esforços para exercer a cidadania e justiça social no Acre.

“Vale ressaltar, o quanto foi imprescindível, ao longo do exercício financeiro de 2018, o fortalecimento da parceria da Companhia com os demais órgãos públicos, tais como: Iteracre, Prefeitura Municipal de Rio Branco e o Ministério Público Estadual. As intervenções da Cohab sempre foram legítimas, respeitando a ética, a moral e os bons costumes, e sempre fez parte de nossa gestão pública e de uma política de regularização fundiária. Foram estabelecidas diretrizes e ações estratégicas que se desenvolveram, sempre sob uma perspectiva de fazer o bem aos mais desprovidos da sorte em nossa sociedade”. O documento é assinado pelo ex-presidente Carlinhos Santiago.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.