Conecte-se agora

Não espere um mamão com mel

Publicado

em

Por tudo o que se está vendo do final melancólico do atual governo petista é uma lição para ser tirada pelo governador eleito Gladson Cameli de como não se deve administrar um Estado. Os desafios do Cameli (foto) não serão poucos, a começar por pegar uma máquina estatal quebrada economicamente, vítima de um projeto econômico que não deu certo e do aparelhamento político em todos os seus órgãos. O primeiro teste do novo governador será resistir aos pedidos de espaço de dirigentes partidários para dar cargos aos seus afilhados políticos. Se resistir a esta pressão que virá como avalanche terá dado um passo no sentido de fazer um governo em que só tenha lugar para quem for competente. Se entupir o governo de amigos estará trilhando o mesmo caminho da velha política. Tem que diminuir o tamanho do paquiderme estatal, não há outro rumo para ter condições financeiras de fazer investimentos. A questão não foi ganhar a eleição. A questão é ganhar e ser um bom gestor. O Gladson Cameli não espere chegar ao governo e pegar no menu um mamão com mel. Pegará carne de pescoço. E a partir do momento em que mostrar á população como recebeu o governo, terá que pegar o abacaxi e passar a descascá-lo. Quem casa com a viúva cria os filhos, diz o ditado. Dois pontos, ele terá de atacar de imediato com medidas de choque: o capenga sistema de saúde e na segurança a violência que assusta os moradores da capital e municípios do interior. Não tem a vara de condão para operar milagres a um curto prazo, mas prometeu solução na campanha e em cima de tudo o que prometeu será cobrado. A quem entra tem sempre o crédito de confiança dos 100 dias. Depois disso será cobrado. Estarei os cobradores, por certo.   

SOBRE O ENEM
Qual é a relevância intelectual ou para o futuro profissional de um aluno saber qual é a “linguagem secreta dois gays”, questão que caiu na última prova do ENEM?  Nenhuma!

OUÇA OS ANTIGOS
A Rádio Difusora Acreana está sucateada. É um patrimônio das comunicações, no Acre, merece ser revitalizado. Não sei quem será o novo Diretor. Mas vai a sugestão: ouçam os radialistas antigos. Ninguém melhor do que eles conhecem a casa e por certo terão boas sugestões.

FALANDO EM RÁDIO
Quando se comemora o “Dia do Radialista” não pode se esquecer de nomes como Natal de Brito, Nivaldo Paiva, Mota de Oliveira, Estevão Bimbi, José Lopes, Zezinho Melo, Raimundo Fernandes, Rei do Brega, Cícero Moreira, compadre Lico, Nilda Dantas, coronel Chicão, Ilson Nascimento, João Nascimento, M.  Costa, Eurico, entre outros. Fizeram a bela história da Rádio Difusora Acreana.

VOTOS DE SAÚDE
Meus votos de restabelecimento ao amigo Maurício Hohenberger. Fé sempre!

NUNCA TINHA VISTO
Mais de 40 anos de jornalismo e aprendendo. Acompanhei como jornalista do governo Wanderley Dantas até o atual, mas nenhum governador do período saiu tão desgastado entre os seus aliados e ocupantes de cargos de confiança, como está saindo o nosso governador.

O MAIS DESGASTADO
O Orleir e o Romildo Magalhães saíram desgastados por atrasar os últimos meses dos salários dos servidores. Mas o atual governador vive um drama mais doloroso, mesmo não atrasando um dia os salários dos funcionários: está saindo queimado com os ocupantes de cargos comissionados, com um governo mal avaliado e uma fragorosa derrota política na conta.

OS DEMITIDOS NÃO ENTENDEM
Os mais de 400 ocupantes de cargos de confiança que foram demitidos nos últimos dias não vão entender jamais que ou o governador demitia, cortava gratificações, ou não pagaria a folha de dezembro e o 13º salário. Eles tinham nas suas contabilidades ficarem até dezembro.

UM EXEMPLO
Fui ontem a uma repartição falar com um amigo e na entrada fui parado por três senhoras se queixando com palavras nada amenas endereçadas ao governador pelo corte de gratificações que recebiam há anos, e todas elogiando o Binho e o Jorge Viana. Pode ser dada a explicação que for dada a este pessoal que não vai acatar nem compreender o momento econômico.

MÁQUINA INCHADA
Este momento econômico cruel e de baixa popularidade do governo atual pelas demissões antecipadas de comissionados, serviu por outro lado como exemplo ao governador eleito Gladson Cameli de que, não vai resolver os problemas do Acre inchando a máquina estatal.

SOUBE PELA IRMÃ
Quem deverá estar hoje com sua demissão no Diário Oficial é o ex-líder do governo na Assembléia Legislativa e atual subsecretário de Comunicação, Astério Moreira. Soube ontem pela manhã pela secretária de Turismo e irmã, Raquel Moreira, da sua demissão hoje.

O QUE CUSTAVA?
Eu entendo a encruzilhada econômica difícil na qual se encontra o governo do Acre. Entendo que não resta alternativa de se não cortar cargos atrasa os salários dos servidores do quadro. Mas por qual razão não chamar o Astério Moreira e o comunicar. Seria mais leal e elegante. Assim agem os amigos. Ou não?

CAPITANIAS POLÍTICAS
Um deputado da FPA fez ontem uma observação com a qual concordo. A de que o governador cometeu um erro primário de gestão e de política ao incentivar secretários serem candidatos. “Os secretários vendiam nas obras apenas seus nomes e esqueciam o nome do governador”, observou.

OUTRO LADO DA MOEDA
Vou acrescentar outro lado a esta moeda: esta estratégia causou descontentamento na base parlamentar do governo na ALEAC, fiel em todas as votações, mas que em represália à falta de reconhecimento, na campanha seus deputados pediam votos apenas para suas reeleições.

FINAL DEPRIMENTE
No último mês de campanha era comum deputado da FPA e candidatos sem mandato me mostrarem santinhos que tinham apenas seus nomes e sem as candidaturas majoritárias. Registrei este tipo de comportamento várias vezes na coluna. Sobrou para os majoritários.

UMA LADAINHA LADEIRA ABAIXO
Nos últimos trinta dias da campanha virou uma debandada ladeira abaixo de candidatos que abandonaram as candidaturas do Marcus Alexandre (PT) ao governo e o senador Jorge Viana (PT) ao Senado. Cansei de ouvir: “vão pedir votos para os secretários que são candidatos”.

CORTE NA VERBA DA MÍDIA
Haverá um corte de 50% no valor da verba destinada à mídia a partir de janeiro. Foi o que me contou ontem desolado um dono de órgão de comunicação. Fez as contas e acha que o pagamento mensal no próximo governo será inferior aos que estão recebendo no atual.

OUTRO CORTE LINEAR
Outra informação a que a coluna teve acesso é que na reforma administrativa programada para o futuro governo enviar à Assembléia Legislativa logo após a sua posse, haverá uma redução pela metade dos cargos comissionados, fusões de secretarias e fim de estatais.

PODE IR SE ACOSTUMANDO
A legião que se encontra esperando receber um cargo de confiança por conta de bonificação da campanha pode ir diminuindo as expectativas porque não haverá espaço para todo mundo.

MOSTRANDO RESULTADOS
O trabalho da PM e Polícia Civil no combate à criminalidade tem tido resultados positivos, é o que mostram as prisões de quadrilhas, apreensão de armas e recuperação de carros roubados.

NÃO PODE SIMPLESMENTE FAZER UMA RUPTURA
Os que comandarão no próximo governo o sistema de segurança pública não podem fazer uma ruptura com as ações que estão sendo postas em campo, mas aproveitar as práticas que deram certo, aperfeiçoar e descartar o que se mostrou ineficaz no embate com os bandidos.

PRIORIDADE PARA VALER
O que a população espera do próximo governador é que a segurança pública não seja apenas prioridade na campanha eleitoral, mas que sejam dadas reais condições para os policiais civis e militares fazerem um combate mais eficaz contra a bandidagem, porque as cobranças virão.

DANIEL ZEN FICA
Não há hipótese do deputado Daniel Zen (PT) perder o seu mandato ainda que os votos do ex-candidato a deputado estadual Nil Figueiredo (PT), preso por suposta corrupção eleitoral, venha a ter a sua votação anulada em caso de condenação. Descartada, pois, a degola do Zen.

BOM PARA A DEMOCRACIA
A permanência do deputado Daniel Zen (PT), no próximo ano como oposição ao então governador Gladson Cameli é boa para a democracia e a certeza que teremos embates inteligentes no plenário da ALEAC. Zen é uma das gratas surpresas desta legislatura.

NÃO É
O que como jornalista eu espero para 2019, na Assembléia Legislativa, é que haja uma oposição ativa porque isso é bom para quem governa. Um governante não pode ficar adstrito aos que lhe batem palmas e desejam saúde ao mais leve bocejo. Imprensa é fiscalização.

PERÍODO MUITO RUIM
Os últimos vinte anos foram péssimos para a imprensa acreana, porque a maioria dos seus órgãos funcionou como um puxadinho do governo na área de comunicação. Não pode se repetir. Na parte que me toca na coluna, este não será um espaço atrelado ao próximo governo, como não foi ao atual.

CORPO MOLE
O que se nota na Assembléia Legislativa é um corpo mole da maioria dos deputados. Poucos comparecem e quando comparecem e se trata de votar projetos de interesse do governador somem do plenário. Principalmente, projetos que tragam conseqüências ao futuro governo.

PODEM ANOTAR
Na próxima legislatura a oposição vai caber num fusca. Podem anotar: apenas os deputados Daniel Zen (PT), Jonas Lima (PT), Edvaldo Magalhães (PT) e Jenilson Lopes (PCdoB) estarão na bancada da oposição. Falo de oposição na plenitude, não na base da meia boca e do muro.

TRAÍDOS PELA EMOÇÃO
Tenho colegas da imprensa que trabalham no sistema de comunicação do governo que são excelentes profissionais. Alguns foram traídos pela emoção e se transformaram em militantes políticos para serem agradáveis ao poder. Só que o poder não é eterno. Esqueceram o detalhe.

FALANDO EM IMPRENSA
Tenho também muitos colegas que na campanha se transformaram de jornalistas em cabos-eleitorais do candidato vencedor. Diria a estes que não esperem pegar cargos relevantes no próximo governo, pois, pelo que fui informado a ASSECOM será um departamento enxuto e ligado ao Gabinete Civil.

MARASMO DE FIM DE MANDATO.
A Assembléia Legislativa vive um marasmo de fim de mandato. Poucos deputados no plenário e o restante sem a mínima vontade de dar quorum para votar projetos enviados pelo governo. Não sei pelo andar da carruagem se o governador conseguirá aprovar a sua prestação de contas. Há um sentimento grande de descontentamento com ele por parte dos deputados da FPA que perderam a eleição. São os suspiros finais de uma base governista esfacelada na última disputa. E o prenúncio do fim da FPA, uma aliança de partidos que depois de 20 anos perde o poder. Mas nada de novo, na política a renovação é inevitável. O povo coloca e o povo tira. A festa acabou. Fim da farra. E que venham os novos protagonistas.

Propaganda

Blog do Crica

Até que enfim, desenterraram a caveira de burro do Huerb! 

Publicado

em

As obras de mais uma ala no HUERB vêm se arrastando desde o governo Binho Marques, consumindo milhões de reais sem serem concluídas. Parece que agora desenterraram a caveira de burro daquela construção e o governador Gladson Cameli marcou para o mês de Julho, a sua conclusão não apenas física, mas dotada de todos os equipamentos hospitalares. Isso pode ser registrado como a sua primeira grande conquista na área da Saúde. E cumprirá uma promessa de campanha de concluir edificações paradas e abandonadas pelos governos petistas que o antecederam. O secretário de Infraestrutura, Thiago Caetano, a quem foi dada a missão de terminar os serviços o fez com sucesso, já se reuniu com os empreiteiros e fechou para o dia 1º de Julho a entrega da chave. Em meio a tantas pautas negativas, enfim, uma excelente. Na verdade, um governo só começa a ser julgado para valer no seu segundo ano.

TRABALHO EM CURSO

Acerca da Balsa de Xapuri, o secretário Thiago Caetano diz que o trabalho para a sua recuperação se encontra a todo vapor. A balsa é essencial aos moradores do bairro Sibéria.

DUELO AO PÔR DO SOL NO QUINARI

O prefeito de Senador Guiomard, Gilson da Funerária, é do tranco. Chega uma gravação sua em que manda um recado ao militante Eduardo, aliado do prefeito afastado André Maia, com o qual anda em conflito, de que o deixe em paz com a sua família. E adverte: “Quero deixar um recado bem claro a ele, que pare de seguir minha família, minha esposa quando for pegar meus filhos no colégio, pare de seguir meu filho……… até hoje nunca perdi meu tempo em ir atrás dele não, mas se um dia for preciso, nos se encontraremos aonde for preciso”. Vixe!

UMA FRASE PARA REFLEXÃO POLÍTICA

“As palavras verdadeiras não são agradáveis e as agradáveis não são verdadeiras”. O autor da frase é o fundador do Taoísmo, uma religião, o filósofo chinês, Lao-Tsé. Vale para quem está no poder: os que bajulam para agradar, não ajudam um governante, mas o prejudicam.

NOVA REFORMA

Não pode ser chamado de “ajuste”, mas de nova reforma administrativa, o pacote que o governo enviou á Assembléia Legislativa, criando secretarias, diretorias, subsecretarias e 450 cargos de confiança, as famosas CECs. Quebra o discurso de campanha de redução do Estado.

TENDÊNCIA DE APROVAÇÃO

A base do governo Gladson, que estava esfacelada, se unificou, e a tendência é que o projeto da nova reforma seja aprovado com folga na sessão da próxima terça-feira. O que faltava para a afinação, enfim, aconteceu; que era o governo estar mais próximo dos deputados.

O FOCO É BRASÍLIA

Conheço os trâmites, por isso não entro na linha crítica pelo fato do Gladson Cameli ter dito que até julho passará mais tempo em Brasília, porque é lá que os recursos devem ser buscados, e onde se travará a batalha pela aprovação da PEC da Previdência Social.

PEÇA IMPORTANTE

O secretário Ney Amorim tem sido peça importante na busca da unidade da base do governo na Assembléia Legislativa. Ney vem de uma experiência de oito anos na presidência da ALEAC, onde não perdeu uma votação. Uma experiência que está ajudando na unificação do grupo.

NÃO PODE MAIS ACONTECER

Os secretários estaduais devem ser chamados e o governador dizer a eles que só estão nos cargos por causa dos políticos, e que por isso são obrigados a atender aos parlamentares. Estava sendo rotina secretário não atender telefonemas de deputados, num claro achincalhe.

LINHA DE FRENTE

O deputado federal Jesus Sérgio (PDT) mandou informações de que se encontra também na linha de frente na procura de soluções para o alto preço das passagens aéreas para o Acre, e que foi o autor da convocação da Audiência Pública na Câmara Federal que debateu o assunto.

GESTÃO REPUBLICANA

A administração não é de um partido, quem assume, por exemplo, uma prefeitura, tem de ter posições republicanas. Quem segue esta cartilha é a prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem. Não se furtou em pedir a ajuda do DERACRE para a “Operação Verão”, lançada no município.

É PRECISO DESENHAR?

Quando um secretário não resolve um problema como a liberação de verba para o Lar dos Vicentinos e só depois que chovem críticas é que libera, está jogando contra o governo. Quando o pau canta e é cima da figura do governador e não do secretário. É preciso desenhar!

Que o diga dona linda Cameli!

Leio uma publicação que diz que: “Estudos mostram que os pais ainda perdem o sono se preocupando com filhos adultos”. Que o diga Linda Cameli, mãe do governador Gladson.

PSD PODE SER O CAMINHO

O senador Sérgio Petecão (PSD) fez um convite especial para que o deputado Neném Almeida , enxotado do SOLIDARIEDADE, para se filiar ao PSD. O principal atrativo do Petecão foi acenar com carta branca exercer um mandato sem nenhuma interferência da direção partidária.

NÃO É DE AGORA

A aversão do deputado Jonas Lima (PT) ao partido ser comandado pela tendência Democracia Radical – leia-se Cesário Braga, Léo de Brito, Carioca e companhia limitada – é anterior à derrota acachapante da PT na última eleição. Jonas acha que, o PT com a DR não se levanta.

FRASE POLÍTICA

“Comigo no governo, a oposição não toma uma caneca com água”. Autor da frase, o ex-governador Geraldo Mesquita, político de conduta moral inatacável, com o qual trabalhei como Coordenador de Comunicação, com a professora Edir Marques como Secretaria.

OUTRA FRASE DO EX-GOVERNADOR MESQUITA

“Se você quiser irritar um político, não o critique, simplesmente, não cite seu nome na imprensa”. A observação me foi feita quando lhe perguntei por qual razão não rebatia os ataques do deputado Alberto Zaire (MDB) ao seu governo, na Assembléia Legislativa.

BRIGA FEROZ

Era uma briga feroz entre o governador Geraldo Mesquita e o deputado Alberto Zaire (MDB). Mesquita tinha como marca publicitária do seu governo o “Quatipuru”, um animal que costuma ficar limpando as patinhas, e por isso foi usado como símbolo de um governo limpo. O deputado Zaire retrucava na ALEAC: “o Quatipuru é um bichinho de mãos limpas e cu sujo”.

FALANDO DO EDMUNDO PINTO

Fui com certeza o jornalista que mais fez matéria com o saudoso ex-governador Edmundo Pinto, assassinado há 27 anos. Fomos amigos mesmo. Quando vereador, era comum na parte da tarde, ele passar pelo “O RIO BRANCO” e distribuir o doce mariola, dizendo: “Zé Leite e Crica, adocem as suas boca com o doce do Pinto”. Grande Edmundo! Sagaz como poucos políticos que conheci. Deus o tenha!

AMIGO DOS AMIGOS

Edmundo Pinto era amigo dos amigos, não abandonava um companheiro na batalha. Quando assumiu o governo, com poucos dias, mandou me chamar. Fui e lá estava o então vereador Emilson Brasil (MDB). Foi logo no assunto: “o Emilsonn está se afastando hoje para você assumir amanhã”. Eu era o primeiro suplente de vereador do MDB. Foi uma surpresa! No dia seguinte, eu assumi. Este era o Edmundo que nos deixou prematuramente.

SEMPRE É BOM LEMBRAR

Fiz estas notas para ficarem como um registro da história política do Acre, com as suas facetas

FOI ATÉ O FIM

A senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS) foi até o fim na busca de solução para o tratamento das jovens que sofreram reações fortes após tomarem a vacina do HPV. Conseguiu que o Ministério da Saúde liberasse os recursos para elas serem levadas a tratamento em um centro especializado em São Paulo. Quem bela notícia para as famílias destas jovens!

POLÍCIA NA RUA

Muita polícia nas ruas. A esperança dos moradores da capital é que tenham sucesso no combate aos bandidos. Ainda na noite de ontem vários foram tirados de circulação. Alívio!

Continuar lendo

Blog do Crica

O grande batismo de fogo do deputado Luiz Tchê

Publicado

em

FOTO: SÉRGIO VALE

A aprovação do pacote da nova reforma enviado pelo governador Gladson Cameli à Assembléia Legislativa será o batismo de fogo do deputado Luiz Tchê (PDT) na liderança do governo. Há todo um trabalho para que a base de apoio governista na casa consiga aprovar a matéria com 16 votos. Para isso, estão acontecendo reuniões e conversas até com a oposição. Entre os oposicionistas o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) já se manifestou que votará a favor, por entender que quem mensura o tamanho da máquina estatal é o governador. O deputado Roberto Duarte (MDB), que integra o bloco de oposição dura ao governo Cameli se posiciona contra, argumentando que no bojo do projeto está vindo a criação de cerca de 300 novos cargos. O governo rebate com a premissa que, as dez assessorias especiais, cujo salário é de 19 mil reais estão sendo extintas e substituídas por CECs de menor valor. O deputado Tchê diz que trabalha no sentido do projeto ser posto em votação na ALEAC, terça-feira.

BOA VONTADE

Há por parte do presidente da ALEAC, deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS), boa vontade para que o nome da Mayara Lima volte novamente à votação na ALEAC. Para isso, será preciso ter 13 assinaturas a favor. Nicolau acha que com diálogo se pode chegar a um consenso favorável a uma nova votação. Uma conversa da Mayara com os deputados, ajudaria em muito.

LETREIRO NA TESTA

Quando o deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS) se queixa de queimação e fogo amigo contra o seu nome, quem conhece os bastidores da aldeia sabe a quem se refere: vice-governador Major Rocha. Diniz debita a ele, o boato de ter mais de cem cargos no governo.

A OPINIÃO PÚBLICA NÃO É ESTÁVEL

Cessou a enxurrada de críticas á prefeita Socorro Neri, depois que colocou várias frentes para recuperar as ruas esburacadas. Existem, mas em menor volume. E á medida que as obras forem avançando a tendência é de sua imagem melhorar. A opinião pública não é estável.

FALTA UMA DIVULGAÇÃO MASSIVA

As máquinas estão na pista asfaltando a AC-40 na direção de Senador Guiomard, tendo no comando das ações o secretário de Infraestrutura, Thiago Caetano. Falta-lhe uma equipe exclusiva para cobrir os trabalhos da sua secretária, que fará a maiores obras do governo.

O CAPOTE E GALINHA

O capote ninguém sabe onde a fêmea coloca os seus ovos. A galinha coloca um ovo, faz a maior algazarra e fica todo mundo sabendo. Quanto mais as obras da SEINFRA forem divulgadas, melhor para a imagem do governador Gladson Cameli. É mais do que óbvio!

ESCRAVOS DE JÓ JOGAVAM CAXANGÁ

O vice-governador Major Rocha tem comentado que o secretário de Agricultura, Paulo Wadt, indicado por ele e pela irmã, deputada federal Mara Rocha (PSDB), não suportará a pressão e vai cair. Lembra aquela musiquinha infantil: Escravos de Jó/Jogavam Caxangá/Tira/Bota/Deixa o Zambelê/ Ficar……Uma pergunta: como um trem confuso deste pode dar certo?

MUNICÍPIO DA CONFUSÃO

Senador Guiomard, que município de confusão! É prefeito preso acusado de corrupção; assume outro; este outro é acusado de ameaçar adversário de morte, e assim vão levando por cima da pausada, para a tristeza dos moradores assistindo ao grotesco espetáculo circense.

MAIS UM NOME NA PAUTA

Quem estuda a possibilidade de sair candidato a prefeito de Rio Branco é o advogado Edinei Muniz. Há a possibilidade que entre no partido NOVO, com o qual vem conversando nacionalmente. Edinei seria carne de pescoço para os adversários num debate na televisão.

PROGRAMA PRAGMÁTICO

Muitos alunos não avançam no ensino por problemas de visão, o que prejudica a leitura, o aprendizado do que é colocado no quadro negro, e muito das vezes o problema não é detectado. Positivo, pois, o programa piloto de atendimento oftalmológico em curso nas escolas estaduais. Nessa o nosso coroinha do Bispo Dom Joaquim, secretário Mauro Sérgio, acertou.

ISSO PODE, ARNALDO?

Mas tem o outro lado da moeda. 100% das escolas estaduais de Cruzeiro do Sul paralisaram as suas atividades. E não foi por politicagem. Mas por falta de condições de trabalho. Secretário de Educação, Mauro Sérgio, deixar faltar material de limpeza? O mínimo que se pode exigir numa unidade escolar. E para completar, os serventes estão 4 meses sem receber. Secretário! Depois da porta arrombada é que resolveram o problema? Por qual razão não resolveram antes do desgaste cair no colo do governador Gladson Cameli. Isso pode, Arnaldo?

A GUERRA SURDA PELO CONTROLE DA MÍDIA

Até ontem onze empresas já tinham retirado o Edital para participar da licitação da verba de pouco mais de 5 milhões da mídia do governo. A projeção é que até vinte empresas, entre as regionais e as de fora do Estado participem. Inclusive, a ligada ao PT, a Companhia de Selva.

PODEM PREPARAR O BICO SECO

Numa disputa deste porte é improvável que um dos perdedores não recorra do resultado. Isso acontecendo, a decisão de quem fica com o pacote, seria da justiça. E com a sua natural lentidão, com possibilidade de se recorrer às instâncias superiores, pode se chegar a um mínimo de oito meses para a sentença final. Antes disso o governo não pode pagar ninguém. Ocorrendo, os empresários do setor de comunicação se preparem para um longo bico seco.

COBRAR É PRECISO

O deputado federal Alan Rick (DEM) voltou a cobrar das empresas áreas a redução das tarifas dos vôos para o Acre e a volta da conexão entre Porto Velho-Rio Branco, que foi suspensa. A bancada federal acreana tem de insistir neste tema e não só o Alan ficar uma voz isolada.

NINGUÉM VAI ENTENDER O SAMBA

O governo gaba-se de que vai acabar com as dez assessorias especiais, que na verdade estão sendo ocupadas por aspones. ASPONE é a popular sigla, “Assessor de Porra Nenhuma”. E vai criar 20 diretorias na nova reforma que chegou á ALEAC. É algo que ninguém vai entender.

A POLÍTICA E AS SUAS ARMADILHAS

Na primeira eleição da Leila Galvão (PT) para deputada, nos 15 dias antes da votação, dirigente do PT reuniu o diretório municipal de Epitaciolândia e pediu que não votassem nela porque não tinha chance de ganhar. Ganhou e com uma boa votação. E quando se vê agora este mesmo PT num movimento para que dispute a prefeitura de Epitaciolândia é dela matutar.

LANCE ARRISCADO

A candidatura da ex-deputada Leila Galvão (PT) a prefeita de Epitaciolândia seria um lance político de alto risco. Se ganhar, tudo bem. Mas se perder, isso terá reflexo negativo se quiser ser candidata a uma vaga na ALEAC em 2022, porque emendaria duas derrotas seguidas.

INES É MORTA

Deputado da finada FPA que esteve recentemente com o ex-senador Jorge Viana (PT), que está em conversas periódicas para formatar um novo bloco de oposição, saiu do encontro nada convencido: “quando estavam no poder não nos viam; estavam cegos, foi perderem a eleição e por um milagre passaram a nos ver; agora que, não têm um pau para dar no gato?”.

NÃO SERÁ SURPRESA

Não será surpresa se a ex-deputada Leila Galvão (PT) vir a assumir o mandato por 120 dias.

FATOS QUE NÃO PODEM SE REPETIR

O quebra pau no PS entre pacientes e um médico ortopedista não podia acontecer. Não foi isso que foi pregado na campanha. O que se bisou é que as coisas não funcionavam no PS por falta de gestão. Não resolve o problema a troca de acusações. Faltam sim melhores condições de trabalho para os profissionais e mais humanização por parte destes. O secretário Alysson Bestene tem de entrar em campo, não se justifica a demora para licitar filmes para o Raio-X.

NÃO IMPORTA A HERANÇA, SE QUER SOLUÇÃO!

O Acre aparece na última pesquisa nacional como um Estado com uma das maiores taxas de desemprego. Não importa se foi herança do projeto petista da florestania, o que interessa é quais são as políticas públicas deste governo para reverter o quadro vergonhoso recebido?

NÃO TEM IMPACTO POLÍTICO

As manifestações contra o presidente Jair Bolsonaro não têm impacto político no seu nicho eleitoral, porque foram feitas por um público que não votou nele na eleição, mas no Haddad.

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.