Conecte-se agora

Primeira Jornada de Farmácia ocorrerá no Centro Universitário Uninorte

Publicado

em

O Brasil possui o sexto maior mercado farmacêutico do mundo, atrás dos Estados Unidos, China, Japão, Alemanha e França, segundo relatório da empresa IQVIA, divulgado pela Revista Exame, em outubro. O mercado de trabalho para esta área está aquecido e os profissionais tem diversos campos de atuação para seguir. É justamente sobre esse aspecto que trata a I Jornada de Farmácia do Centro Universitário Uninorte, dias 5 e 6 de novembro, no auditório do bloco D. O evento terá como tema a “Integração das Diferentes Áreas de Atuação do Profissional Farmacêutico”.

Segundo o coordenador do curso de farmácia da Uninorte, professor Ricardo Marques, o evento pretende mostrar aos acadêmicos como funciona algumas das principais áreas de atuação e até campos pouco conhecidos.

“Quando se pensa em farmacêutico vem logo à mente o balcão da farmácia, mas o trabalho vai além disso. O profissional tem mais de 80 áreas de atuação e durante a graduação não conseguimos aprofundar-se em todas elas, cada uma com sua particularidade. A I Jornada de Farmácia será a oportunidade que estudantes terão de ouvir profissionais que são referência em suas respectivas áreas no nosso estado, saber como as atividades são desenvolvidas e como está o mercado profissional. Também falaremos de algumas áreas desconhecidas de alguns graduandos, como é o caso do trabalho do farmacêutico em Perícia Forense e Vigilância Sanitária”, afirma Marques.

O evento é gratuito e voltado para acadêmicos do curso de farmácia. As inscrições podem ser feitas no site http://eventos.uninorteac.edu.br/inscricao. Participe e fique por dentro dos principais assuntos quando o tema é mercado de trabalho.

Programação

1º DIA – 05 DE NOVEMBRO

19h – Abertura;

19h15 às 20h – Palestra: O Farmacêutico em Vigilância Sanitária;

Dra. Luana Esteves das Neves (Secretaria Municipal de Saúde – SEMSA).

20h às 20h45 – Palestra: Aspectos Epidemiológicos da Leishmaniose Tegumentar Americana na Amazônia Ocidental;

Dra. Andréia Fernandes Brilhante (Uninorte/Fameta/UFAC).

2º DIA – 06 DE NOVEMBRO

14h30 às 17h30 – Minicurso: Fitocosméticos Naturais Amazônicos: Conhecimento e Desenvolvimento;

Dra. Silvia Basso (Uninorte).

19h às 20h – Palestra: Cenário da Farmácia Hospitalar Brasileira: Enfoque nos Serviços;

Dra. Rossana Freitas (Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde – SBRAFH).

20h às 20h45 – Palestra: Papel do Farmacêutico na Perícia Forense;

Dr. Eduardo Mota (Farmácias Pague Menos).

Anúncios

Cidades

Você conhece a ouvidoria da Defensoria Pública?

Publicado

em

Por

A Ouvidoria da Defensoria Pública do Acre, completou sua primeira década, foi criada em agosto de 2010 na gestão do então governador Binho Marques, desde então, passou a contribuir para que a Defensoria Pública do Acre ampliasse seu atendimento para os que mais precisam os vulneráveis e os hipervulneráveis, principalmente, considerando as especificidades nos atendimentos.

Por meio das Ouvidorias, as Defensorias democratizam o acesso ao sistema de justiça, na participação no Controle Social por meio das Ouvidoria Externas, sua criação está pautada na ânsia popular pela democratização e acesso à justiça. A Ouvidoria está fundamentada no Art. 37, Incisos I, II e III da Constituição Federal de 1988. Já as Ouvidorias Gerais das Defensorias Públicas Estaduais são afiançadas pela Lei Complementar nº 80/1994 e pelo Art. 98 Inciso IV da Lei Complementar nº 132/2004 que criam à Ouvidoria Geral como um órgão auxiliar das Defensorias Públicas.

Por meio da Defensoria que o Estado cumpre seu papel social de acesso a justiça e aplica o principio de Igualdade, garantido que todos são iguais perante a Lei, neste sentido garante os Direitos Fundamentais para os necessitados. A Defensoria Pública revela-se como um dos mais importantes e fundamentais instrumentos de afirmação judicial dos direitos humanos e de fortalecimento do Estado Democrático, veículo imprescindível das reivindicações dos segmentos mais carentes da sociedade.

Ouvidoria-Geral da Defensoria Pública do Estado do Acre é uma conquista da sociedade civil diretamente atrelada ao processo histórico de criação desta instituição, fruto do movimento social em prol de uma justiça mais acessível e inclusiva. Como canal de diálogo, este órgão está à frente das discussões sobre transparência, e é a ponte da Defensoria e sociedade civil organizada e todo o cidadão.

A função fundamental desse órgão auxiliar, a Ouvidoria é bastante diversa da corregedoria, será a de promover uma interlocução direta e permanente com a sociedade civil, por intermédio do Ouvidor, a fim de contribuir com o plano anual de atuação, com as necessidades da sociedade civil organizada, cidadãos e assistidos.

Atualmente, a Ouvidoria está criada em 13 estados e Distrito Federal, recentemente, houve uma audiência pública para a criação da Ouvidoria da Defensoria Pública da União, uma provocação do Conselho Nacional de Ouvidorias de Defensorias. Além do Acre, as ouvidorias foram criadas no estado de São Paulo, Bahia, Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Paraná, Distrito Federal, Maranhão, Ceará, Rio de Janeiro, Piauí, Paraíba, Pará e Rondônia.

A Ouvidoria é um órgão de controle social das Defensorias, por isso são chamados de Ouvidorias Externas, pois seu Ouvidor(a) é eleito democraticamente pela sociedade civil organizada e pelo Conselho Superior da Defensoria, obedecendo o certame e atendendo os critérios da lei. A votação está presente em dois momentos, no primeiro com a sociedade que escolhe três candidatos para compor a lista tríplice e no segundo momento com o conselho superior, o mais votado pelo conselho é eleito Ouvidor(a).

Esses dez anos estiveram à frente da Ouvidoria do Acre, três mulheres, Antônia Oliveira, Núbia Mussis e a atual Solene Costa, que também é presidenta do Conselho Nacional de Ouvidorias. Notadamente, entre as ouvidorias, as mulheres são em maior número, sendo 8 mulheres ouvidoras, dessas, 4 mulheres negras, todas forjadas nas lutas de classes.

Atualmente, o Conselho Nacional de Ouvidorias está em campanha pela ampliação das Ouvidorias em Defensorias que ainda não implantaram suas Ouvidorias. Com a certeza, que será de grande contribuição ao acesso de direitos, principalmente a população empobrecida e que está vivenciando as dificuldades e as necessidades de sobrevivência neste período de pandemia que assola o mundo com a crise da Covid-19.


Por Solene Costa

Continuar lendo

Cidades

Para evitar abstenções, extrativistas pedem ao TRE logística para o segundo turno

Publicado

em

Devido a falta de trafegabilidade nos ramais, integrantes do Sindicato dos Extrativistas e Trabalhadores Assemelhados de Rio Branco (Sinpasa), foram ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) nesta segunda-feira, 23, pedir apoio da instituição em relação a logística de transportes para o dia da eleição, 29 de novembro.

Em um vídeo, o presidente Francisco Laércio afirmou que muitos moradores da zona rural de Rio Branco ficaram impossibilitados de votar devido a falta de ônibus, resultando num grande número de abstenções.

“Muita gente ficou sem votar e demonstraram uma grande insatisfação por conta disso. Sabemos que essa eleição foi atípica devido a pandemia. Diante de um série de avaliações que foi repassada diretamente pela autoridades o problema ocorreu devido a suspensão no contrato de transportes do governo do estado, esse veículos trabalham diretamente dentro da comunidade rural e essas pessoas não puderam atuar devido a falta do vigência do contrato”, afirmou.

Continuar lendo

Cidades

Internações por Covid-19 reduzem no Hospital de Campanha em Cruzeiro do Sul

Publicado

em

Em Cruzeiro do Sul, nesta segunda-feira, 23, há 10 pacientes com Covid-19 internados no Hospital de Campanha, que recebe pessoas de 8 cidades, incluindo Guajará, no Amazonas. Dois pacientes estão na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e uma morte de um paciente de Feijó foi registrada. Oito pessoas tiveram alta.

Na última sexta-feira, havia 18 pacientes internados e não houve óbitos. As informações são do diretor da unidade hospitalar, médico Marcos Lima. Cruzeiro do Sul está enquadrado na fase laranja pelo Comitê Estadual Acre sem Covid, que estabelece o fechamento de igrejas e academias e restrições ao comércio.

O prefeito de Cruzeiro do Sul, Clodoaldo Rodrigues já garantiu a pastores de igrejas evangélicas e comerciantes que só editará o Decreto de fechamento se receber determinação da justiça. A prefeitura, por meio da secretaria Municipal de Saúde, lançou uma campanha de conscientização na tentativa de redução de casos de coronavírus.

Quarenta pessoas, incluindo policiais militares, estão nas ruas visitando comércios e verificando a oferta de álcool em gel, o uso de máscaras e o respeito ao distanciamento social. A ação prossegue até o dia 30 de novembro.

“Nesse momento precisamos caminhar juntos para diminuirmos o número de casos, então é importante o apoio de todos”, citou a secretária de saúde de Cruzeiro do Sul, Janaína Negreiros. Em todo o Estado, a redução de mortes por Covid-19 é de 38%.

Continuar lendo

Cidades

Prefeito de Senador Guiomard instaura comissão para transição de Rosana Gomes

Publicado

em

O atual prefeito de Senador Guiomard, André Maia (MDB), derrotado por Rosana Gomes (Progressistas) deu uma aula de democracia nesta segunda-feira, 23, no Diário Oficial do Estado (DOE) ao criar a comissão que dispõe sobre o processo de transição da atual prefeitura.

No Decreto, Maia colocou a responsabilidade pela transição para a equipe da Secretaria Municipal de Administração.

A prefeita eleita, Rosana Gomes, poderá indicar uma equipe de até no mínimo quatro pessoas para integrar a transição e que terá total acesso às contas públicas e à estrutura administrativa.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas