Conecte-se agora

Permuta? Você sabe o que é? Influencers falam dos looks no Halloween, Gladson de grife na posse e a polêmica da permuta

Publicado

em

No #SemRegras desta segunda-feira (5), os Digitais Influencers falaram sobre a polêmica das permutas, há quem goste, outros acham desmerecimento dos influenciadores. Afinal, você sabe o que é permuta? No programa de hoje, teve a volta da jornalista Charlene Carvalho, que trouxe a informação quentinha, de que o governador eleito Gladson Cameli, vai estar com roupa de grife na posse governamental. Assista!

Propaganda

Destaque 2

Gameleira Connection mostra o abacaxi que Gladson herdará de Sebastião Viana em 2019

Publicado

em

O Gameleira Connection desta sexta-feira, 16, traz as últimas informações sobre o caos que toma conta da saúde do Acre e também do abacaxi que o governador eleito Gladson Cameli receberá de Sebastião Viana em 2019.

Continuar lendo

Destaque 7

Estudantes poderão renovar o Fies até o dia 23 de novembro

Publicado

em

Estudantes beneficiados pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) devem renovar os contratos até o dia 23 de novembro. O prazo, que terminaria hoje (16) foi prorrogado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Devem fazer o aditamento aqueles que contrataram o Fies até 31 de dezembro de 2017. Neste semestre, cerca de 890 mil contratos devem ser renovados, de acordo com o FNDE.

A renovação do contrato é feita pelo sistema SisFies. Segundo o FNDE, o prazo foi estendido para que nenhum estudante com contrato a ser renovado fique de fora. “Em virtude do feriado, decidimos dar mais prazo para que todos consigam concluir o processo de aditamento no sistema”, diz o presidente do FNDE, Silvio Pinheiro, em nota enviada pela autarquia.

O FNDE ressalta ainda na nota que é “fundamental que os alunos acessem o SisFies o quanto antes e não deixem para a última hora”.

Os contratos do Fies precisam ser renovados todo semestre. O pedido de aditamento é inicialmente feito pelas instituições de ensino para, depois, as informações serem validadas pelos estudantes no sistema.

Caso o aditamento tenha alguma alteração nas cláusulas do contrato, o estudante precisa levar a nova documentação ao agente financeiro, que é o Banco do Brasil ou a Caixa Econômica Federal, para finalizar a renovação. Já nos aditamentos simplificados, a renovação é formalizada a partir da validação do estudante no sistema.

Contratos de 2018

Os estudantes que aderiram ao Novo Fies e contrataram o financiamento em 2018 devem seguir o cronograma da Caixa, que é o Agente Operador do Novo Fies.. Segundo a Caixa, aproximadamente 50 mil estudantes assinaram contratos do Novo Fies no primeiro semestre de 2018. O prazo para esses estudantes vai até 30 de novembro. O aditamento é feito no site da Caixa. O novo Fies, lançado no ano passado, tem modalidades de acordo com a renda familiar.

A modalidade Fies têm juro zero para os candidatos com renda mensal familiar per capita de até três salários mínimos. Nesse caso, o financiamento mínimo é de 50% do curso, enquanto o limite máximo semestral é de R$ 42 mil e é bancado pelo governo.

A modalidade chamada de P-Fies é para candidatos com renda familiar per capita entre 3 e 5 salários mínimos. Nesse caso, o financiamento é feito por condições definidas pelo agente financeiro operador de crédito, que pode ser um banco privado ou fundos constitucionais e de desenvolvimento.

Continuar lendo

Acre 01

Prefeitura de Sena Madureira realiza primeiro Seminário de Cajucultura do Acre

Publicado

em

O prefeito Mazinho Serafim (MDB) e o secretário Municipal de Desenvolvimento Rural, Cirleudo Alencar, organizaram na manhã da última quarta-feira (14) a abertura do I Seminário da Cajucultura de Sena Madureira. O Seminário teve apoio da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e Agro Industria Tropical do Estado do Ceará.

O evento aconteceu no auditório do CEDUP, no bairro CSU, e também reuniu o vice-prefeito, Gilberto Lira, secretários municipais, vereadores Dos Anjos e Alípio Gomes, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Lourival da Costa, o gerente da Secretaria de Estado de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar, Reginaldo Elias, o gerente do Banco da Amazônia no município, Rogério de Jesus Canizo, e o especialista em agronegócios da Embrapa no Estado do Ceará, Raimundo Martins. Além de cerca de trinta produtores rurais, pecuaristas com área em processo de degradação, empresários e gestores locais.

O objetivo do seminário foi apresentar quais são as técnicas utilizadas e explicar um pouco da cultura do clone do caju anão e, dentre as técnicas da cultura explanadas, as formas diversificadas a produtividade de uma propriedade e aumentar o rendimento e aumento o fortalecimento da cadeia produtiva. Durante o encontro também foi explicado sobre técnicas de plantio, cultura, clones utilizados e mercado para consumo interno e externo da castanha e do pedúnculo do caju.

A programação teve início às 8h da manhã com cerimonial de abertura e em seguida continuou o dia com a realização de palestras e cursos. “Esse projeto nasceu anos atrás, desde de 2010, sempre tive vontade de trazer essa cultura para o Acre, o problema são as decepções que já desanimaram os produtores”, destacou Mazinho.

O prefeito também falou do início do projeto e das parcerias realizadas para o sucesso da produção já colhida “Não quero que meu nome seja jogado na lama, então começamos da maneira correta, pegamos uma área piloto em parceria com os pecuaristas locais Paulo Sergio e Rosália Mandrotti e contratamos o especialista Dr. Crithyan Alexandre Carcia, depois fizemos os testes dos clones. Hoje sabemos qual clone ideal para o Acre, isso é um avanço muito grande, saber o que estamos fazendo e oferecer para as pessoas um projeto seguro”.

Em seguida, Mazinho destacou o sucesso do plantio e a previsão de colheita da castanha em quatro anos. “Hoje o caju já é uma realidade em Sena, com nove meses desses plantios já estávamos comendo caju. A partir do quarto ano chega até 1.200kg de castanha por hectare. O cajueiro traz trinta anos de retorno, mas claro que precisa de investimentos, cuidados e custos”.

Mazinho finalizou falando que já apresentou o projeto ao governo e visa que seja implantado a nível de Estado e se torne geração de mais empregos. “Temos que começar a pensar em outras situações de emprego, não podemos viver tudo em torno do funcionalismo público, agregar valores no nosso material, seja ele a castanha, o gado, a madeira, na soja. Dar saída para que nossos filhos tenham uma luz para andar, o Acre tem que pegar outro caminho, e passar a produzir”, destacou.

De acordo com o secretário Municipal de Desenvolvimento, Cirleudo Alencar, é primeira vez na história do Acre que este seminário, tornando Sena Madureira em um projeto pioneiro que será referência para o Estado na produção da cajucultura.

“A prefeitura buscou uma alternativa de incremento de renda no setor produtivo na zona rural. Um ano de plantio está dando certo, trouxemos quatros clones para adaptação ao nosso solo, por isso se chama projeto piloto, e um já se encaixou muito bem em algumas áreas da na cidade”, destacou o secretário.

Por fim, Alencar destacou que, juntamente com o prefeito, buscará parcerias e linhas de crédito para os interessados no plantio que não possuem condições financeiras para investir.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.