Conecte-se agora

Os golfinhos de Cancun: onde nadar com eles?

Publicado

em

Ir para Cancun no México, e não nadar com os golfinhos, é como não ir à Cancun. Isso porque se entreter com os golfinhos é uma das principais atrações que toda a cidade oferece e uma experiência incrível para os turistas.

Nos pacotes para Cancun geralmente oferecem este passeio, mas há vários lugares que proporcionam a experiência e a dúvida surge, afinal qual é o melhor lugar para nadar com os golfinhos?

O Dolphin Discovery na Isla Mujeres é o único parque em que a pessoa que interage com o golfinho  dentro do mar, os demais parques é no tanque. Por estar na Isla Mujeres dá pra curtir um passeio de barco até a ilha. Há Dolphin Discovery na Playa Del Carmem, Tulum, Riviera Maya, Cozumel e Puerto Aventuras.

A rede Delphinus está nos parques, Xcaret, Xel-Há e no Aquário de Cancun. Há vários tipos de pacotes de atividades com os golfinhos. Somente abraçar e beijá-lo, mergulhar ou treiná-los. No site da Delphinus explica as interações e valores.

Dolphinaris fica na zona hoteleira de Cancun, além de nadar com os golfinhos, há shows que eles fazem para o público. Ao lado há o Wet’n Wild Cancún e o Dolphinaris oferece pacote para os dois parques no mesmo dia.

A melhor escolha para nadar com os golfinhos vai depender o que o turista busca, além de ficar frente a frente com eles. Cada espaço possui regras aos visitantes e os valores dos pacotes também variam de parque a parque.

Anúncios

Cotidiano

Acumulado de acordos emergenciais de emprego tem alta de 10,6% no Acre

Publicado

em

Cresceu em 10,6% entre setembro e novembro o acumulado de acordos do Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm) neste ano de 2020 no Acre.

Eram 34.075 e passaram para 37.681 no período, segundo os dados divulgados nesta quinta-feira (26) pelo Ministério da Economia.

O benefício é destinado a trabalhadores que formalizaram acordo com os seus empregadores, durante o período da pandemia da Covid-19, para suspensão do contrato de trabalho ou redução proporcional de jornada de trabalho e de salário.

Os acordos são firmados entre empregador e empregado e são informados ao Ministério da Economia, que avalia as condições de elegibilidade e encaminha os pagamentos para serem processados na Caixa ou no Banco do Brasil.

Os acordos realizados no Acre continuam entre os menores do País, superiores apenas aos dos Estados do Amapá e Roraima. São Paulo fez mais de 6,3 milhões.

Continuar lendo

Cotidiano

“Loucura e ideia perigosa”, diz médico Thor Dantas sobre declaração de Bocalom

Publicado

em

O médico infectologista Thor Dantas usou as redes sociais nesta sexta-feira, 27, para repudiar as declarações do candidato Tião Bocalom (Progressistas) que defendeu a ideia que para acabar com a Covid-19 é necessário que todo mundo contraia a doença de uma vez.

A declaração de Thor ocorre após, o candidato Tião Bocalom em entrevista nesta semana, afirmar que as crianças não têm tanto problema a Covid-19 e defendeu como solução para a doença a imunização de rebanho ou imunidade coletiva, que é um conceito aplicável para doenças transmitidas de uma pessoa para outra.

Essa tese descreve uma situação onde a cadeia de infecção é bloqueada, isto é, a doença para de se alastrar, pois uma porcentagem de indivíduos, numa população definida, adquire imunidade a essa infecção e assim protege os que ainda não tem imunidade de serem infectados, porém, essa tese é descartada pelos cientistas já que há casos, inclusive, no Acre de reinfecção pelo novo coronavírus.

“A gente sabe que precisamos pegar covid também pra poder ficar imunizado”, declarou Bocalom ao jornalista Washington Aquino, apresentador do programa Café com Notícias, da TV5.

Para Thor, essa ideia de Bocalom é muito perigosa e argumentou que não é garantia nenhuma que a doença acabe por conta disso, citando, inclusive, casos de reinfecção pela doença em diversos países. Em outro trecho, Thor alertou que a população deve fazer exatamente o contrário do que Bocalom defendeu.

“Gente, isso é um erro grave. É uma loucura na verdade. O que nós temos que fazer é exatamente o contrário disso. Se todo mundo pegar covid ao mesmo tempo, o que vai acontecer é o chamado colapso, vai ter muita gente doente ao mesmo tempo, mais gente do que os hospitais dão conta de atender e acabar morrendo por falta de leito, por falta de respirador, por falta de uma assistência adequada”, destacou Thor.

Em outro ponto, Thor citou o caso da Suécia que adotou a ideia defendida pelo Bocalom e acabou tendo mais mortes do que países vizinhos.

“Na Suécia, que foi o país que tentou fazer isso, de deixar todo mundo se infectar, morreu mais gente do que nos países vizinhos deles. E a doença não foi embora, e ela continua agora na segunda onda. Tem ainda a possibilidade de a pessoa pegar mais de uma vez, a covid”, pontuou.

Thor pediu inteligência à população para evitar pegar a Covid-19 e destacou que todo mundo terá que se cuidar até a chegada da vacina. “Por isso, todo mundo tem que tentar sempre evitar pegar o Covid. O que nós temos é que aprender a conviver com isso de uma forma inteligente, planejada até a vacina chegar, que deve ser no mínimo no meio do ano que vem. Todas as nossas atividades: aulas, igrejas, academia, restaurantes, bares, lojas, vão ter que continuar funcionando de forma adaptada”, argumentou.

O médico infectologista citou, por exemplo, o caso das eleições neste domingo e pediu cuidados a população na hora de ir votar. “Neste domingo, por exemplo, que é dia de eleição, as pessoas têm direito de votar para escolher seus melhores representantes. Vá votar de máscara, fique a dois metros de distância, leve sua própria caneta para votação ,e atenção para não encostar nas mãos no rosto antes de lavar ou antes de passar álcool. E observe também quem é do grupo de risco tem um horário especial para votar. Para não adoecemos, é preciso apenas agir com inteligência e sabedoria. Cuidado com ideias malucas, elas podem ser muito perigosas. A ciência é nosso melhor guia nessa pandemia. Sigamos juntos”, encerrou Thor.

Veja o vídeo:

Continuar lendo

Acre 01

Alto Acre avança à fase Verde; Baixo Acre e Juruá se mantêm na Amarela na pandemia de Covid-19

Publicado

em

Foto: Neto Lucena/Secom

Durante a coletiva do governo do Acre e o Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19 na manhã desta sexta-feira, 27, ficou decidido que, conforme os indicadores avaliados para a classificação de risco da pandemia, a região do Alto Acre avançou para a Bandeira Verde, que a coloca com a liberação do funcionamento do comércio em geral.

Em contrapartida, a região do Baixo Acre/Purus e Juruá/Tarauacá/Envira permanecem na fase Amarela, que significa nível de atenção em relação à pandemia.

Agora, os municípios de Brasileia, Epitaciolândia, Assis Brasil e Xapuri devem atuar com um ambiente mais livre, no entanto, ainda com adoção das medidas sanitárias a fim de evitar o aumento de contaminação e internações por Covid-19.

Em relação à última avaliação, o Comitê atesta que houve progresso e diminuição tanto no número de casos e internações no Alto Acre.

“Reforçamos a importância da vigilância. Houve redução de notificação por síndrome gripal em 38% e de novas internações diminuiu 36%. Já o registro de novos casos teve redução de 42%”, explicou o Comitê em relação ao Alto Acre. Os profissionais destacaram que a pandemia não acabou e que Bandeira Verde não significa o fim do vírus. “Pedimos apoio dos gestores prefeitos”.

Nas regiões do Baixo Acre e Juruá, foram observadas redução e também aumento de alguns indicadores, o que as fizeram continuar na fase amarela. “Necessitamos de fortalecer todas as nossas ações com apoio da sociedade”.

São verificados os níveis de isolamento social, notificações por síndrome gripal, novas internações por síndrome respiratória aguda grave, novos casos confirmados de covid-19, novos óbitos por covid-19, ocupação de leitos clínicos por pacientes com coronavírus e ocupação de leitos de UTI por pessoas acometidas pela covid-19 para determinar nova classificação de risco da pandemia no estado.

Continuar lendo

Cotidiano

Semana da Conciliação já tem mais de 1.000 audiências marcadas no Acre

Publicado

em

Foto: Reprodução

No Acre, a Semana de Conciliação já tem agendadas 1.065 audiências que serão realizadas de 30 de novembro a 4 de dezembro em todo o Estado.

A conciliação é um método de solução de conflitos pode gerar acordos que priorizam as condições das partes, sem que elas passem por eventuais desgastes e custos de um processo judicial, ou que eles sejam reduzidos.

Durante a Semana de Conciliação é comum ocorrer conciliações em processos de guarda, que tramitam nas varas de família, pois os pais entendem a necessidade de priorizar a criança e seu desenvolvimento saudável.

Muitas outras demandas cíveis podem se solucionar de forma mais célere, como conflitos sobre demissão do trabalho, danos morais, dívidas, partilha de bens e questões de vizinhança. A 13ª Semana Nacional de Conciliação pretende fomentar a pacificação social.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas