Conecte-se agora

Eleitor que não votou no primeiro das eleições turno pode votar no segundo turno

Publicado

em

Os eleitores vão às urnas neste domingo (28) para votar no segundo turno das eleições. No dia 7 deste mês, foi realizado o primeiro turno. E quem não votou no primeiro, pode votar no segundo turno? Sim, pode.

O eleitor poderá votar no segundo turno desde que esteja em situação regular com a Justiça Eleitoral, com título eleitor ativo. Se o título estiver cancelado ou suspenso, o eleitor não pode votar.

De acordo com a Justiça Eleitoral, cada turno de votação é considerado como uma eleição independente. Por isso, se o eleitor não compareceu em um turno, não fica impedido de votar no outro.

Justificativa

O eleitor que não votou no primeiro turno é obrigado a justificar a ausência. O prazo é de 60 dias após cada turno. Desta forma, se o eleitor não justificou a ausência do primeiro turno até o dia 28, não fica impossibilitado de votar neste domingo, poderá votar.

A regra da justificativa vale também para quem não comparecer neste domingo (28).

Para justificar, basta preencher o formulário de justificativa eleitoral pela internet ou entregá-lo pessoalmente em qualquer cartório eleitoral.

Há também a possibilidade de enviar o formulário pelo correio para o juiz eleitoral da zona eleitoral.  Além do formulário, o eleitor deve anexar documentos que comprovem o motivo que o impediu de comparecer no dia do pleito.

Pela internet, o eleitor pode justificar a ausência utilizando o “Sistema Justifica” nas páginas do TSE ou dos tribunais regionais. No formulário online, o eleitor deve informar seus dados pessoais, declarar o motivo da ausência e anexar comprovante do impedimento para votar.

O requerimento de justificativa gerará um código de protocolo que permite ao eleitor acompanhar o processo até a decisão do juiz eleitoral. A justificativa aceita será registrada no histórico do eleitor junto ao Cadastro Eleitoral.

Multa

Para regularizar sua situação eleitoral, o cidadão terá de pagar uma multa R$ 3,61 por votação não comparecida.

O Tribunal Superior Eleitoral explica que a não regularização da situação com a Justiça Eleitoral pode resultar em sanções, como impedimento para obter passaporte ou carteira de identidade para receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos de função ou emprego público.

A não justificativa também pode impedir que o eleitor participe de concorrência ou administrativa da União, dos estados, Distrito Federal e municípios, além de ficar impedido de se inscrever em concurso público ou tomar posse em cargo e função pública.

Anúncios

Cotidiano

Cesário anuncia voto em Bocalom: “por oposição firme a quem optou pela falta de lealdade”

Publicado

em

O presidente do PT do Acre, Cesário Braga, manifestou-se contra o voto nulo proposto por parte da militância de esquerda que não se sente representada neste 2o turno em Rio Branco.

Nesse contexto e sem citar nomes, Braga anunciou voto em Bocalom sob a justificativa de que Socorro Neri traiu a extinta Frente Popular.

“Vou às urnas já já e por oposição firme a quem optou pela falta de lealdade, pela mentira, pela desonra com os princípios socialistas e de esquerda que lhe conduziram a gestão, princípios esses que foram destruídos durante mais de dois anos de gestão, opto por votar em seu opositor. Na esperança de dias melhores para a cidade que moro e onde pretendo viver todos os dias da minha vida”, afirma Cesário.

O líder petista propõe uma reflexão a partir da obra de Jacques Rousseau sobre o que considera democracia efetiva: “uma sociedade só é democrática quando ninguém for tão rico que possa comprar alguém e ninguém seja tão pobre que tenha de se vender a alguém”.

Continuar lendo

Cotidiano

Jorge Viana diz que opções ao eleitor rio-branquense não passam confiança

Publicado

em

Prefeito de Rio Branco entre os anos de 1993 e 1997, o ex-governador e ex-senador Jorge Viana fez publicação no Facebook nas primeiras horas da manhã deste domingo (29) de decisão na eleição da capital acreana, uma das 18 do país onde ocorre 2º turno, tecendo comentário sobre o cenário do 2º turno.

Na postagem, Viana relembrou as eleições vencidas pelo PT após o seu mandato de prefeito – Raimundo Angelim em 2004 e 2008 e Marcos Alexandre em 2012 e 2016 -, e as derrotas – Marcos Afonso em 1996 e Angelim em 2000, além da atual, com Daniel Zen caindo no primeiro turno.

“Estamos vivendo uma fase muito difícil. Mas o pior é chegar no dia da eleição sem uma opção que nos passe confiança. Coisas desses tempos, mas tenho fé que dias melhores virão. O desafio é reconstruirmos, juntos, a boa política que engrandeça o Acre e cuide das pessoas. Que Deus abençoe nossa Rio Branco”, escreveu Jorge Viana.

Na postagem, o ex-prefeito publicou uma foto do Novo Mercado Velho, revitalizado em 2006, durante seu segundo mandato como governador o estado.

Continuar lendo

Cotidiano

Ao lado de Gladson, Socorro cumpre última agenda antes da eleição na Praça da Revolução

Publicado

em

Acompanhada do governador Gladson Cameli (Progressista), a prefeita Socorro Neri (PSB) foi conferir na noite deste sábado, 28, como ficou a decoração natalina no Centro de Rio Branco, na Praça da Revolução.

Essa é a última agenda pública da prefeita Socorro Neri antes da eleição deste domingo (28).

Entusiasmada, Socorro contou que espírito de fé e esperança tomou conta das famílias que estavam passeando pelo local.

“O espírito de fé e esperança tomou conta das famílias que estavam lá passeando, e que aproveitaram o momento para reforçar seu voto no 40 neste domingo. Gratidão!”, afirmou.

Continuar lendo

Cotidiano

Mãe de Gladson crítica militância por espalhar vídeo antigo do filho pedindo voto para o 11

Publicado

em

A mãe do governador Gladson Cameli, Linda Cameli, usou as redes sociais neste sábado, 28, para criticar a militância do candidato do Progressistas, Tião Bocalom.

Ela relatou que a imagem do filho tem sido usada indevidamente nas redes sociais e conta que tem visto na internet vídeos de campanha de Gladson quando disputou o governo em 2018, em que pede voto para o 11, sendo compartilhado como se fosse atualmente, pela militância de Bocalom.

“A política é um jogo tão sujo, que mesmo estando na frente nas pesquisas, a turma do Bocalom estão usando uma gravação antiga do Gladson pra governo, pra falar que o Gladson é 11. Gente 11 é o número do PP partido, que o Gladson era filiado. Gladson está sem partido. Imagina se eles tivessem perdendo nas pesquisas!!!”, afirmou.

Por fim, a mãe de Gladson afirmou que não adianta os adversários jogarem sujo, pois Gladson tem uma mãe orando por ele todos os dias.

“Pedindo que Deus livre ele desses inimigos. Uma mãe atenta. Muitos querendo derrubar o GLADSON, conseguem não. “Se Deus é por nós quem será contra nós ?”, indagou dona Linda Cameli ao citar trecho bíblico.

Continuar lendo

Bombando

Newsletter

INSCREVER-SE

Quero receber por e-mail as últimas notícias mais importantes do ac24horas.com.

* indicates required

Recomendados da Web

Mais lidas