Conecte-se agora

Em entrevista com Crica, Gladson diz que sabe que assumirá Estado quebrado

Publicado

em

Tivemos ontem uma conversa aberta com o futuro governador Gladson Cameli (foto), sem perguntas planejadas e tampouco combinadas ou feitas para lhe agradar. Falamos sobre a escolha do secretariado, as condições em que está pegando o Estado, mídia, tratamento com a imprensa, quais as primeiras medidas que tomará assim que assumir o governo e o que pensa para desenvolver o Acre e loteamento de cargos do Estado. Vamos ao jogo aberto:

LUIS CARLOS- O governador Sebastião Viana está promovendo nos últimos dias a venda de prédios, terrenos, silos de armazenagem de grãos e outros bens do patrimônio estadual. Como é que você vê esta queima de estoque e como vai receber o Estado? Não teme um Estado quebrado?

GLADSON CAMELI- Temo por isso. Sei que vou pegar um Estado quebrado. Essa questão de estar vendendo tudo, eu vou mandar fazer uma consulta jurídica quando assumir, para saber se foi feito dentro da legalidade. A partir de janeiro, quando tiver um balanço do estado real eu vou convocar a imprensa, os poderes e vou mostrar ao povo como estou recebendo o governo. Vou cumprir tudo o que prometi na campanha. Disso eu não abro mão. Não posso esconder nada da população.

LUIS CARLOS – Você tem falado muito em reforma administrativa. Haverá reações dos partidos que esperam cargos no seu governo. A reforma vai mesmo acontecer?

GLADSON CAMELI- No dia 2 de janeiro já devo enviar o projeto de reforma administrativa. Na situação em que está hoje o Estado eu não posso esperar. Por isso estou pedindo o apoio do Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público, Poder Judiciário para fazer as mudanças que o Acre precisa. Se não houver a reforma, no último ano terá que se fechar o Estado. Só de Previdência a partir de janeiro o deficit já deverá ser em torno de 40 milhões de reais. Temos que enxugar este Estado, acabar com o empreguismo.

LUIS CARLOS-Como é que será o tratamento da mídia no seu governo?

GLADSON CAMELI-A Companhia de Selva não continuará à frente do comando da mídia. A possibilidade disso é zero. A responsabilidade é minha. O nosso tratamento não será igual ao do governo atual. Será de respeito à liberdade de expressão. Quero ser fiscalizado.

LUIS CARLOS- Fala-se muito em nomes para secretários, o que há de verdade nas divulgações?

GLADSON CAMELI – Estou com os pés no chão. Estou escutando muita gente falando por mim, reclamando, mas não tem de reclamar de nada, eu não assumi ainda o governo e preciso governar com pessoas que me ajudem administrar. Quem escolhe secretário sou eu. Não vou governar para atender pedido de emprego. Nem privilegiar partido.  Estou pedindo aos partidos que me indiquem sugestões de nomes com qualidade. Temos de colocar a máquina estatal para funcionar com qualidade. Não poso ficar chorando pelo leite derramado. Não vou lotear o Estado. Tenho que melhorar, por exemplo, a Saúde. Secretário meu terá de três ou quatro meses para mostrar trabalho ou terá que sair. Não é só ganhar a eleição, tem que governar bem.

LUIS CARLOS- quem é seu candidato á presidência da ALEAC?

GLADSON CAMELI- Não tenho candidato. Mandei que o meu partido se reúna, escolha um nome de consenso para ser candidato, porque não quero me meter nisso, para não desagradar ninguém. Outros partidos aliados também têm candidatos e quero que se resolvam. Tem deputado ligado ao atual governo querendo ser candidato a presidente, mas não será com nosso apoio, no poder nunca abriram esta possibilidade para a oposição, por qual razão vamos abrir agora?

LUIS CARLOS- Hoje tem mulher de deputado, marido de deputada, filho de deputado, políticos que perderam a eleição em altos cargos no Estado. Isso continua?   

GLADSON CAMELI – Isso não vai continuar. Não vou lotear nada. Os partidos que me apoiaram sabem disso. A máquina tem de funcionar reduzida e sem empreguismo. Preciso manter a máquina funcionando com qualidade. Não é só ganhar, tem de mostrar trabalho para justificar os votos.

LUIS CARLOS- Qual a sua real relação com o vice Major Rocha?

GLADSON CAMELI- A relação com meu vice é muito boa. Ele vai cuidar da Segurança, um compromisso de campanha.

LUIS CARLOS- Se comenta que o Conselheiro do TCE, Antonio Malheiros, será o seu secretário de Finanças, isso está confirmado?

GLADSON CAMELI- Não, neste primeiro momento. O Malheiros é uma pessoa pela qual tenho o maior respeito. Tenho como se fosse meu tio. Me aconselho muito com ele. Neste primeiro momento fica no TCE. Mas no dia que sair do TCE, não vou pensar duas vezes para trazê-lo para a equipe de secretários.

LUIS CARLOS- Vamos ter eleições para o SEBRAE. Você vai conversar com os empresários sobre uma nova composição?

GLADSON CAMELI- Vou conversar com os empresários. Não vai ficar como está, não pode ser cabide de emprego. Eu quero abrir o Estado para o Agronegócio. Já tem muita gente lá fora querendo comprar terras no Acre. As Federações, o SEBRAE ,têm que me ajudar a desenvolver o Acre tecnicamente. Não quero cargo para parente meu. No meu secretariado não terá parente de primeiro grau. Este governo tem de dar certo. O que quero é fazer um bom governo. Estou trazendo o Ministro Jugman dia 5 ao Acre para discutir a formação do Batalhão de Fronteira, uma proposta de campanha. Estou mandando levantar todos os convênios da Saúde em aberto e os que podem continuar. Este 1,3 Bilhão anunciado pelo governador, ao que sei é de empréstimos e convênios e não sei se teremos contrapartida financeira para a sua aplicação.

LUIS CARLOS- De quem será a última palavra?

GLADSON CAMELI- Está muita gente enganada, pelo fato de escutar, quem vai dar a última palavra serei eu. A responsabilidade será minha do que acontecer no governo. O governo tem de funcionar com o tamanho reduzido. Não pode haver desperdício. Para que uma sede do DETRAN do tamanho que é a de Cruzeiro do Sul? Quem é que manda hoje na Saúde? Ninguém sabe. Tem de ter um secretário forte na pasta, acabar com um monte de subsecretarias. Vamos mudar.

LUIS CARLOS- Como será no seu governo a Peixe da Amazônia?

GLADSON CAMELI- Não só a Peixe da Amazônia, mas outros empreendimentos em que o Estado tem participação, todos irão para a iniciativa privada. O Estado tem de ser enxuto.

LUIS CARLOS- Para fechar, adiante algum nome que poderá ocupar cargo no seu primeiro escalão. Já tem?

GLADSON CAMELI- José Ribarmar para o Gabinete Civil e a Silvânia Pinheiro para a Imprensa.

UMA CARTA DE BOAS INTENÇÕES
Esta entrevista com o futuro governador Gladson Cameli foi uma espécie de “Carta Aberta de Boas Intenções”. Está tocando no calcanhar de Aquiles de uma administração ao prometer que não vai lotear o Estado para abrigar afilhado de políticos, indicados sem qualificação técnica, enfim, não continuar com o governo funcionando como um aparelho ideológico de um partido. Vai pelo caminho certo ao dizer que, o seu secretariado será técnico e que, o que não apresentar resultados em três meses será sacado do cargo. O que se espera é que o governador Gladson Cameli cumpra tudo o que está prometendo. Só em diminuir o tamanho da máquina estatal, acabar com o empreguismo, já estará dando um passo largo para ter credibilidade. E na parte que me toca, estarei neste espaço para fazer as cobranças necessárias. Jamais será um espaço para dizer amém e sim senhor. Até porque o bajulador não ajuda, um governante tem de ter a crítica como fundamental. E que venha a nova gestão.

Propaganda

Blog do Crica

Religião, visões, mensagens do além e candidatura 

Publicado

em

A religião tem caminhos insondáveis. Pela primeira vez na história política de Tarauacá vamos ter uma candidata a prefeita, cuja a escolha não se deu por nenhum partido político, não surgiu da indicação de um cacique eleitoral, mas é fruto de uma visão religiosa. É o caso de Maria Lucinéia Neri de Lima, esposa do deputado federal Jesus Sérgio (PDT). Tudo começou, conta Lucinéia através de sua assessoria ao BLOG DO CRICA, com o que chama de visão profética de amigos missionários que profetizaram que Deus a queria candidata a prefeita. Não aceitou a ideia de imediato e foi buscar em dias de orações a autorização divina. Contou que findo este período teve a confirmação após falar com Deus que deveria ser candidata a prefeita de Tarauacá e resolveu aceitar como se fosse uma missão divina a ser cumprida. Lucinéia, a Néia – como é conhecida – é integrante dos movimentos católicos Renovação Carismática e Encontro de Casais com Cristo. Seus amigos dizem que é uma “mulher de orações”. Não é esta a primeira visão de Néia, já tinha profetizado que o seu marido Jesus Sérgio chegaria à Câmara Federal, quando poucos apostavam na possibilidade, isso depois dela ter uma visão que o via chegando na Câmara Federal. Jesus se elegeu pelo PDT. A grande prova de que de fato falou com Deus ou não e este lhe deu a missão de ser prefeita será na eleição do próximo ano quando sairá candidata. Terá que se eleger prefeita para de fato provar que a sua candidatura nasceu de uma inspiração divina. Os anjos dirão amém á profecia recebida por Néia? Quem vai dar esta resposta serão as urnas em 2020.

FATO PARECIDO

O fato é parecido com o da ministra dos Direitos Humanos, Damares, que disse ter conversado com Jesus trepada numa goiabeira. Religião é uma seara que não opino, respeito a liberdade.

SAMBA DO CRIOLO DOIDO

Foi o que saiu de uma composição assinada pelos deputados Chico Viga (PROS), Cadmiel Bonfim (PSDB) e Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS). Rejeitaram sem entender o enredo do samba, uma proposta do deputado Daniel Zen (PT) de emenda à LDO, que dava autorização ao governador para reduzir o ICMS sobre a conta de energia de consumidores de baixa renda.

NÃO MUDARIA NADA

O argumento para a rejeição na Comissão de Orçamento e Finança foi fictício. Mexeria nas contas públicas, no que se apegaram para rejeitar, mas não é verdade. Apenas deixava uma autorização e livre arbítrio ao governador para baixar ou não o ICMS da conta de energia para pessoas de baixa renda, beneficiando cerca de 40 mil famílias. Foi uma grande patuscada!

TRAVA NO GOVERNO

Na ânsia de serem agradáveis ao poder ainda colocaram uma trava no governo. Na última segunda-feira o governador Gladson disse no programa “Fale com o Governador” que mandou estudar uma redução no ICMS. Se mais na frente ele resolver colocar a idéia em prática terá que ter nova modificação na LDO. Se a proposta do Zen tivesse passado não precisaria.

LINDA SEMPRE ATENTA

Linda Cameli, mãe do governador Gladson Cameli, é a sentinela do filho nas redes sociais, reage e emite opiniões na defesa da cria. Eu acho o maior barato este seu ativismo político.  

BASE SE AFINOU

Pelas últimas votações na ALEAC, enfim, a base do governo se afinou e votou unida.

COM DIREITO A SURPRESA

A sessão de ontem na ALEAC foi com direito a surpresa. Quando todos esperavam uma reação rude tão comum no líder do governo, deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS), ao ser chamado de “desleal” pelo deputado Jenilson Lopes (PSB), reagiu com ironia de que, partindo do parlamentar oposicionista, para ele significava um elogio. Desmontou o deputado Jenilson.

AGORA É COM A JUSTIÇA

A confusão da LDO teve ontem o seu desfecho final na Assembléia Legislativa, com a aprovação da mudança proposta pelo governo. Começa agora a fase judicial, quando a oposição tentará derrubar a aprovação sob o argumento que a volta da matéria ao plenário feriu o Regimento Interno e a Constituição Estadual. Com a palavra final, o Tribunal de Justiça.

ATAQUE GRATUITO

A prefeita Socorro Neri, por estar num cargo público, não pode ser considerada inatacável. Mas quando houver uma justa razão. Não como no ataque gratuito feito pela direção da UMARB em uma NOTA sem sentido, lhe acusando de não ser democrata. Neri não mencionou a entidade em um comentário, que gerou uma reação sem a menor razão de ser. Fora de foco.

METER A MÃO NO BOLSO

Com a direção regional do PT em dificuldades financeiras, seus candidatos a vereadores vão ter que meter a mão no bolso para bancar suas campanhas. Sem o poder não tem aquela grana por fora das eleições passadas e nem o bolso generoso de empresários para bancar.

ACABOU O DISCURSO

Candidatos do PT não vão só disputar a eleição fora do poder, sem a máquina estatal, sem secretárias como cabos-eleitorais, mas também sem o discurso que só quem era do PT sabia administrar e a oposição era incompetente. A última administração do PT pôs isso por terra.

POSIÇÃO DE MAGISTRADO

Em meio esta confusão toda na ALEAC entre a oposição e a base do governo quem se saiu muito bem foi o presidente Nicolau Junior (PROGRESSISTAS), adotando um perfil de magistrado. Deixou os debates correrem livremente, não interferiu, agiu como deveria ser.

CORTAR OS CABIDES

O governador Gladson Cameli vai ter que cortar gastos por ter extrapolado a despesa com pagamento de pessoal ferindo a Lei de Responsabilidade Fiscal. Passou dos 60%. Isso é fato. Deveria acabar os cabides de emprego ociosos em que se transformaram as falidas estatais.

NÃO FOI PROMESSA DE CAMPANHA?

Não foi promessa de campanha de que acabaria com a farra de cargos de confiança nas estatais em liquidação? Uma boa oportunidade para o governador Gladson cumprir o prometido. Mesmo porque a maioria dos que estão nestes cargos são improdutivos.

GRANDE EXPECTATIVA

No campo dos aliados do governo Gladson já se sabe como ficarão configuradas as candidaturas a prefeito. A grande dúvida que persiste é no campo adversário, saber se a prefeita Socorro Neri disputará ou não a reeleição. Só depois disso é que se terá o quadro real.

ANTÔNIA SALES CERTA

A deputada Antônia Sales (MDB) está certa na preocupação com o novo modelo do governo para distribuir os repasses constitucionais do ICMS. Se mantido, as prefeituras, que já estão com dificuldades de atender as demandas, vão quebrar. Não se muda regra no meio do jogo.

PELO MENOS ISSO

Concordo com a deputada Antônia Sales (MDB), de que seria falir as prefeituras. Se forem manter as novas regras, que pelo menos sejam implantadas em 2021, para os novos prefeitos.

VOLTAR ÀS ORIGENS

O bem antenado internauta Luiz Assis usou da ironia em uma postagem no Facebook ao dar uma sugestão para tirar o PT acreano da pindaíba financeira: “voltar a vender balões e camisas nas praças”. E vou acrescentar: reviver as feijoadas miraculosas do Dudé Lima. A teta secou.

O AMARGOR DA OPOSIÇÃO

A que ponto o PT chegou, não ter um nome com vontade de disputar a prefeitura da capital, o maior colégio eleitoral do Estado. Para quem estava acostumado durante 20 anos à bonança financeira vive hoje o amargor da oposição, situação em que os “amigos” sempre fogem.

CHUVA NO ROÇADO?

Não sei qual foi o remédio que deram para o deputado Luiz Tchê (PDT), que já esqueceu todas as mágoas com o governo e voltou a ser um aliado leal. Já entrou até no BUPAC, grupo de deputados que se perfilam na primeira fila do gargarejo do governo Cameli. Chuva no roçado?

OTIMISMO JURÍDICO

Há um otimismo no grupo da oposição de que vão conseguir derrubar na justiça a aprovação pela base do governo de vetos à LDO, depois de muita confusão política na ALEAC. Esperam apenas que o governador Gladson Cameli sancione a matéria aprovada para judicializar.

SONHO DE CONSUMO

A prefeita Socorro Neri vai realizar o sonho de consumo dos sindicatos da área da Educação, a de ver no quadro da prefeitura de Rio Branco apenas professores efetivos concursados. Está abrindo concurso para 522 vagas. A meta é em 2020 a PMRB não ter um professor provisório.

É INVESTIMENTO

Todo o recurso que for jogado na Educação, não é gasto, é investimento num futuro melhor.

COMPROMISSO COM A EDUCAÇÃO

Isso sim é que é compromisso com a Educação, que é prioridade política só na campanha.

ELEITORADO MAJORITÁRIO

O eleitorado acreano majoritário, o feminino, poderá ter duas candidatas a prefeita da capital, no próximo ano: Socorro Neri, se resolver disputar a reeleição, e a deputada federal Vanda Milani (SD). É um avanço, nem sempre se encontra mulheres disputando cargos majoritários. 

CHAPA DA PESADA

O PSDB deverá vir com uma chapa forte para prefeitura de Rio Branco, em 2020. Com nomes de experiência no parlamento. O atrativo é que não terá ninguém com mandato na chapa.

NOME DO SD

O SOLIDARIEDADE tem como meta lançar o ex-prefeito de Epitaciolândia, Luizinho Hassem, candidato a prefeito na eleição municipal do próximo ano. Luizinho até aqui não tem falado no assunto, mas é decisão do grupo da deputada federal Vanda Milani (SD) tê-lo como candidato.

COM QUEM VAI O PT?

O PT também tende a não ter nome a prefeito no segundo maior colégio eleitoral do Estado, Cruzeiro do Sul: terá que optar entre a reeleição do prefeito Ilderlei Cordeiro ou a candidatura do Fagner Sales, filho do ex-prefeito Vagner Sales. Ambos fora do seu campo ideológico.

FRASE DO DIA

“Se você fecha sua porta para todos os erros, a verdade ficará trancada do lado de fora”. Tagore, poeta indiano.

Continuar lendo

Blog do Crica

MDB racha entre independentes e camelistas

Publicado

em

O MDB está devidamente rachado em relação ao governo Gladson Cameli, não só no plenário da Assembléia Legislativa, onde o seu líder deputado Roberto Duarte (MDB) é o mais feroz crítico do governo, mas também nas instâncias partidárias. O racha envolve a executiva regional. Ontem, a secretária de Planejamento, Maria Alice, disse ao BLOG DO CRICA que a exemplo da secretária de Turismo, Eliane Sinhasique, também pode pedir afastamento do MDB. Alice disse não aceitar a situação em ver vários dirigentes importantes do seu partido, falarem que; com as duas secretarias, diretorias, e vários outros cargos de confiança no governo, ainda assim o MDB não se sente representado na administração do Gladson. Maria Alice é uma das mais antigas militantes do MDB. Sinhasique foi vereadora, candidata a prefeita da capital e deputada pelo MDB. “Eu estou magoada, constrangida, vou conversar com o governador e quando retornar de Brasília, eu irei tomar uma posição a este respeito”, disse Alice. Embora não tenham feito uma declaração neste sentido, tudo caminha para que as duas secretárias não apóiem a candidatura do deputado Roberto Duarte (MDB) a prefeito de Rio Branco e acompanhem o candidato que for escolhido pelo governador Gladson Cameli para disputar a PMRB em 2020. O presidente do MDB, Flaviano Melo, se mostra impassível à briga.

APOSTANDO NO TAPETÃO

O ex-prefeito Vagner Sales garantiu em recente conversa com o Gladson, revelou este, que até o fim do ano o prefeito Ilderlei Cordeiro será cassado e haverá nova eleição para prefeito de Cruzeiro do Sul.  Vagner: consiga para mim os próximos números sorteados da MEGA-SENA.

VIROU UM MANTRA

Estou cansado de ouvir dos adversários do prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, todo fim de mês prever que ele será cassado. Entra um mês e entra outro e ele no cargo e fazendo obras na cidade. Quem quiser lhe derrotar terá de esperar a eleição municipal do próximo ano.

CONVITE RECUSADO

A coluna nunca deixa de dar os dois lados da notícia. O advogado Jonathan Donadoni disse ontem ao BLOG que de fato foi convidado pelo governador para assumir a Controladoria Geral do Estado, mas se tratou de uma iniciativa do Gladson sem interferência política. Diz que ficou honrado, agradeceu, porque aceitando não poderia continuar advogando. Fica feito o registro.

GARGALHADA DOBRADA

Em tom de brincadeira disse ontem para a secretária de Turismo, Eliane Sinhasique, que o MDB vai lhe obrigar a trabalhar para a candidatura do deputado Roberto Duarte (MDB) a prefeito da capital. Em resposta, a Eliane deu uma gargalhada dobrada. Ambos não se afinam.

NINGUÉM VAI SENTIR FALTA

A saída da jornalista Mirla Miranda do cargo de Porta-Voz do Governo não vai causar nenhuma turbulência, ou seja, ninguém da imprensa vai sentir a sua falta. A sua passagem pelo cargo foi apática e não era protagonista nos anúncios sobre os atos importantes do governo.

PORTA-VOZ É ENFEITE

O melhor que o governador Gladson Cameli faria era acabar com o cargo de Porta-Voz do Governo, uma função inútil, que só serve para dar salário a alguém, tendo em vista que o próprio governador gosta de falar pessoalmente à imprensa. Então, acaba logo com isso.

NÃO MUDA A POSIÇÃO

O deputado Roberto Duarte (MDB) disse que a recíproca não é verdadeira e não considera o governador Gladson Cameli como seu inimigo. Diz que respeita o pensamento do governador ao seu respeito, mas que isso não vai mudar a sua posição crítica em relação ao governo.

O JOGO É POLÍTICO

O MDB sabe que o governador Gladson Cameli não apoiará o deputado Roberto Duarte (MDB) para a prefeitura da capital. Isso é ponto pacífico. Então o Duarte não está errado em buscar outros caminhos políticos, como o de apontar e contestar os erros do governo Cameli.

EQUIVOCADO COM O PETECÃO

O governador Gladson ou está pegando corda dos bajuladores que o cercam ou ouviu o galo cantar e não sabe aonde, ao dizer que o senador Sérgio Petecão (PSD) é seu adversário em 2022. O Petecão tem sido claro de que só será candidato ao governo num quadro em que o Gladson não disputasse a reeleição. Nunca declarou que bateria de frente com ele em 2022.

OUTROS QUINHENTOS

O que o senador Sérgio Petecão (PSD) tem adotado é uma posição independente, feito críticas quando necessárias, isso é verdade, mas isso não implica que por causa dessa postura venha ser adversário. O Petecão ganha mais estar nas brenhas que vivendo no gabinete do Gladson..

“PRESSÃO NÃO TIRA O RIBAMAR”

A afirmação acima foi dita pelo governador Gladson Cameli na reunião com a bancada de apoio na ALEAC, ao se referir ao chefe de gabinete civil, Ribamar Trindade. Foi taxativo ao dizer ser o Ribamar da sua mais extrema confiança e que não há pressão que o faça tirar do cargo.

PEDRA CANTADA

Conheço os índios da aldeia. Quando afirmei que o Gladson Cameli nem pensava em demitir o seu chefe de gabinete, Ribamar Trindade, é porque conheço a relação entre ambos. O Ribamar é tão de confiança do Gladson, que foi o coordenador financeiro de todas as suas campanhas.

MAIS UM EXEMPLO

Quando coloco sempre neste espaço que se meter em briga de político é roubada é por ter experiência de mais de quatro décadas de jornalismo político. O Gladson e o Bestene não brigaram? Pois é, já estão aos abraços. O Tchê e o Ribamar não brigaram? Fizeram as pazes.

VITÓRIA DE PIRRO?

A base do governo Gladson ter atropelado ontem a oposição na ALEAC, está na conta do normal no parlamento. Maioria é para ser exercida. Mas, ter desarquivado os vetos e em seguida aprovado pode ser considerada uma Vitória de Pirro. Não se admirem se o TJ reverter!

ARGUMENTOS POLÊMICOS

Os argumentos usados para desarquivar e votar a matéria conflitam com artigos do Regimento Interno e da Constituição Estadual. A oposição, informou ontem ao BLOG o deputado Roberto Duarte (MDB), vai esperar o governador sancionar o texto aprovado para derrubar na justiça.

MOMENTO DE DITADURA

O deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS) não consegue manter o controle emocional nos debates, apela, e nem precisava por ser um bom orador. Ontem, viveu seu momento de ditadura ao pedir a mesa diretora para retirar o deputado Roberto Duarte (MDB) do plenário.

CASA DE DEBATES

A ALEAC é uma casa de debates, quem tem que dizer amém e sim senhor é a base do governo.

NÃO PODE RECLAMAR

De uma coisa os deputados da oposição que estiveram nos governos do PT não podem reclamar: que a base de apoio do governo está agindo no atropelo. Não difere em nada dos governos petistas, nos quais a oposição que hoje é situação, não aprovava um requerimento.

TÔNICA NO PARLAMENTO

Em qualquer parlamento a tônica é a de que quem dá as cartas é quem tem a maioria.

BATALHA É JUDICIAL

Derrotada no plenário, a oposição vai partir agora para a batalha judicial. Vai se encontrar hoje como o presidente do TJ, depois com o MP, Defensoria Pública e TCE, para tentar lhes convencer de que, mantendo a redação da LDO aprovada, serão prejudicados financeiramente.

VISÃO POLÍTICA

O senador Márcio Bittar (MDB) tem uma visão política de que a prefeita Socorro Neri, se disputar a reeleição, deve ir ao segundo turno. Revelou que até o final do ano a prefeitura de Rio Branco estará recebendo um aporte extra de 33 milhões de reais, o que lhe dá um fôlego.

ALTAMENTE COMPETITIVA

Previu ainda Bittar, que uma aliança com o senador Sérgio Petecão (PSD) a fortaleceria muito politicamente, numa disputa para a reeleição. Até aqui a prefeita Socorro não antecipou nada.

COSME E DAMIÃO

O governador Gladson e o vice-governador Major Rocha vivem um clima de Cosme e Damião, mais afinados do que nunca. O governador não perde uma oportunidade para elogiar o vice.

SEI LÁ!

“Você sabia que um secretário importou a família da mulher em peso de Boca do Acre e colocou todo mundo em cargo de confiança na sua secretaria?”. Foi a pergunta que me mandaram ontem. Sinceramente, não sei! Quando for assim mande o nome do santo.

MARCARIA UM PONTO

Seria um ponto político que nenhum outro governador marcou, caso o Gladson Cameli baixe o ICMS para beneficiar as famílias de baixo poder aquisitivo. Não sei se ao final do estudo que mandou fazer isso vai ocorrer, mas se ocorrer, ele dará um salto grande na sua popularidade.

TREMENDA BOBAGEM

É uma tremenda bobagem se criticar o governador pelas constantes viagens à Brasília. Tem que ir mesmo, fuçar nos ministérios, sentado no gabinete não trará recursos extras para o Estado. Se fechar a negociação da dívida do Estado, vai encerrar 2019 com um saldo positivo.

PACOTE FECHADO

O pacote fechado entre os deputados da base governista e o Palácio Rio Branco foi para que todos votem cerrados contra os requerimentos e investidas da oposição, impondo a maioria.

FRASE DO DIA

“Passarinho que come pedra sabe o cu que tem”. Ditado pernambucano. 

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.