Conecte-se agora

“Sobrevivente” da FPA nas eleições, PC do B vai pregar unidade

Publicado

em

Na política manda quem tem mandato. Mas o PC do B, partido da FPA que saiu mais fortalecido nas últimas eleições vai pregar a unidade para reconstruir o projeto interrompido da Frente Popular.

Os camaradas terminaram a eleição com um saldo pra lá de positivo. Elegeram dois deputados estaduais e um federal, que juntos receberam 33.289 votos. O PT, maior partido da FPA até o dia da eleição, junta os cacos com apenas um deputado estadual reeleito.

“Não queremos hegemonia. Defendemos o diálogo e vamos colocar os mandatos a disposição do projeto” , adianta o presidente regional da sigla, Eduardo Farias, vereador por Rio Branco.

Farias fez uma análise fria, cautelosa sobre o resultado das eleições e disse que não coloca o PT de escanteio porque foi o Partido dos Trabalhadores quem durante todos esses anos sustentou o projeto da FPA.

De desprestigiado em 2014 a partido mais fortalecido em 2018, o PC do B deixa de ser coadjuvante para assumir a condição de mandatário dentro da Frente Popular. Embora Farias renegue essa condição, o PC do B terá, a partir d janeiro de 2019, a maior força política do grupo, e vai nortear os passos futuros do projeto que mais perdeu nesta eleição.

¨ O que muda é que voltamos a ter o nosso tamanho. Não é que estamos maior, chegamos ao tamanho que queríamos, mas não vamos exigir nem forçar nada. Iremos debater com humildade, sem arrogância e reconhecer a importância de todos os partidos nesse contexto¨, finalizou.

Propaganda

Acre

No MEC Alan Rick garante reforma de escola do Polo Benfica

Publicado

em

Obra está orçada em um milhão de reais e vai beneficiar alunos de uma das áreas mais produtivas da Capital

O Deputado Federal reeleito Alan Rick (DEM), esteve reunido nesta quarta-feira, 16, com o Ministro da Educação, Rossieli Soares, para tratar da liberação de recursos para os municípios acreanos e as obras da escola municipal do Polo Benfica em Rio Branco. Alan foi recebido pelo Ministro e por Júlio Cezar Viana, Coordenador Geral de Programas Especiais do FNDE.

“Conseguimos aprovar o termo de autorização da reforma da Escola Benfica, de Rio Branco, que tem uma emenda de minha autoria no valor de R$ 1 milhão. Agora, para que a obra comece só é necessário que a prefeitura de Rio Branco solucione três pendências de prestação de contas de obras anteriores”, destaca o parlamentar que, com essa ação junto ao Ministro, garante a realização da obra, vital para o fortalecimento da educação em uma das regiões mais produtivas do entorno da capital.

Alan Rick conseguiu, ainda, atender demandas para o prosseguimento da construção da cobertura da quadra da Escola José Plácido de Castro, em Porto Acre, e da reforma da Escola Rita Bocalom, em Acrelândia. “Nosso trabalho em prol da educação é permanente. E neste momento, a prioridade tem sido garantir recursos para investimentos em escolas nos 22 municípios acreanos”, disse.

Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Endemias

Já na tarde desta quarta-feira, 17, Alan Rick participou da votação no Congresso Nacional que derrubou parcialmente o Veto nº 32/2018 e, com isso, aprovou o novo piso salarial dos agentes de saúde.

Com a mudança, a partir de 2019, cerca de 400 mil Agentes em todo o Brasil terão suas carreiras valorizadas, com o aumento de 52% do seu piso salarial. O repasse é de responsabilidade da União e os encargos ficam por conta dos municípios.

De acordo com o texto aprovado, o piso salarial nacional dos Agentes Comunitários de Saúde e dos Agentes de Combate às Endemias será R$ 1.250,00 já em 2019, e passará por aumentos anuais até ser fixado em R$ 1.550,00, em 1º de janeiro 2021. A partir daí, será reajustado anualmente, sempre no mês de janeiro.

Continuar lendo

Acre

Câmara aprova 164 cargos para Ministério da Segurança Pública

Publicado

em

O plenário da Câmara aprovou na noite desta terça-feira (16) a medida provisória que cria 164 cargos comissionados para o Ministério da Segurança Pública. A matéria segue para o Senado prestes esgotar seu prazo de votação: a MP perde a validade nesta quarta-feira (17) caso não seja analisada pelos senadores.

A MP 840/2018 cria 164 cargos de direção e assessoramento superior (DAS): 17 DAS-5, 58 DAS-4, 37 DAS-3, 24 DAS-2 e 28 DAS-1. Esses cargos fazem parte da estruturação administrativa do recém-criado ministério. O provimento dos cargos tem um impacto no

Orçamento da União de R$ 14 milhões em 2018, R$ 19,4 milhões em 2019 e R$ 19,5 milhões em 2020.

Os novos cargos são de livre nomeação e destinam-se tanto a servidores públicos de carreira (ativos e inativos) quanto a pessoas sem vínculo com a administração pública federal.

Apelo

Ontem (15), o ministro Carlos Marun, da Secretaria de Governo, apelou para o “patriotismo” dos parlamentares para que aprovassem a matéria e garantissem a vigência da matéria.

“Estamos otimistas em razão da certeza que temos em relação ao patriotismo das senhoras e senhores parlamentares. Sabemos que foi uma eleição difícil, atípica. Mas os mandatos para o qual nós nos elegemos vai até janeiro. Existem necessidades de votação e os parlamentares não faltarão com seu dever de votar”, disse o ministro.

Marun afirmou ainda que o governo não tem trabalhado com a possibilidade de ver a MP perder a vigência sem uma aprovação nesta semana.

Continuar lendo

Acre

Ibope: Bolsonaro lidera entre mulheres, negros e em 4 regiões

Publicado

em

Os resultados da pesquisa de intenção de votos divulgada nesta segunda-feira (15) pelo Ibope Inteligência – que aponta vantagem do candidato Jair Bolsonaro (PSL) sobre Fernando Haddad (PT) na disputa presidencial de 2º turno, com placar de 59% a 41% dos votos válidos (excluindo nulos, brancos e indeciso) – se assemelham aos resultados das eleições presidenciais de 2002 e 2006.

A lembrança é da diretora-executiva do Ibope, Marcia Cavallari. Segundo ela, “os resultados são mais parecidos” com as eleições vencidas pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva do que com os pleitos ganhos pela ex-presidente Dilma Rousseff. Em suas duas vitórias, Lula obteve em torno de 61% dos votos válidos. Na campanha de 2010, Dilma atingiu 56%. Em 2014, o percentual caiu para 51,6%.

Conforme Cavallari, os dados da última pesquisa eleitoral “mostram homogeneidade” em favor de Jair Bolsonaro. O candidato do PSL vence entre homens (58% das intenções de voto na pergunta estimulada, diante de 33% de Haddad), entre mulheres (46% contra 40%), e em todas as faixas etárias. Há preferência também entre brancos (60% contra 29%), pretos e pardos (47% contra 41%) e pessoas de outras raças ou cores (52% a 39%).

Bolsonaro também é preferido entre evangélicos (66% contra 24%), e tem mais intenção de votos entre católicos (48% contra 42%) e pessoas de outras religiões (44% contra 40%). Os dados são nominais – diferente da totalização de votos válidos que não contabilizam declarações de voto branco, nulo e de entrevistados indecisos.

Fernando Haddad vence apenas em três estratos, conforme levantado pelo Ibope. O candidato do PT é o favorito na Região Nordeste (57% contra 33%); entre os eleitores com até a 4ª série do ensino fundamental (52% contra 41%); e pessoas com até um salário mínimo de renda familiar (53% contra 38%). Jair Bolsonaro lidera nas demais regiões, faixas de escolaridade e níveis de renda.

Contornando ruídos com os mais pobres
A pesquisa indica que os entrevistados avaliam que Fernando Haddad “melhor representa os interesses” de pobres, trabalhadores, aposentados e mulheres. A avaliação é de que Jair Bolsonaro “melhor representa os interesses” de ricos, empresários e bancos.

Para o cientista político Malco Camargos, professor da PUC Minas, a campanha de Jair Bolsonaro percebeu esses sentimentos. Evidência disso é o anúncio de que, se eleit,o o candidato do PSL pretende adotar o “pagamento do 13º” no Programa Bolsa Família – o que também ajuda a desfazer ruído provocado após o posicionamento do general Hamilton Mourão, candidato a vice-presidente na chapa pelo PRTB, contra a forma atual de pagamento do benefício aos trabalhadores com carteira assinada.

O cientista político diz que os dados sobre o candidato do PT indicam que “há percepção entre aqueles que mais demandam políticas públicas de que a vida melhorou no período dos governos petistas”. Conforme o acadêmico, os mais pobres podem temer que essas iniciativas acabem.

Reforço no discurso
Camargos assinala ainda que a consolidação de Bolsonaro ocorreu “sem o candidato se voltar para o centro político, mas reforçando discurso”. A estratégia de Bolsonaro envolve o apelo à segurança pública, assinalando preocupação com as mulheres, e manter fortes posicionamentos contra a chamada ideologia de gênero, a descriminalização de aborto e a do consumo de drogas.

Conforme o Ibope, a distância de 18 pontos percentuais das intenções de voto entre Jair Bolsonaro e Fernando Haddad equivale a 19,3 milhões de votos válidos. Para o cientista político, a vantagem “não quer dizer que a eleição está resolvida”. Por isso, o candidato deve evitar até o dia da eleição “exposição ao risco”.

Os dados detalhados da pesquisa do Ibope estão disponíveis no site do instituto. O levantamento ouviu 2.506 eleitores. A margem de erro de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, só vale para as questões que têm esse número de respondentes. O nível de confiança estatística é de 95%.

A pesquisa, feita no sábado e domingo (13 e 14 de outubro), foi contratada pelo jornal O Estado de S. Paulo e pela Rede Globo. O levantamento foi registrado na semana passada na Justiça Eleitoral (BR-01112/2018). No site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), estão disponíveis o questionário do levantamento e os locais onde a pesquisa foi aplicada.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.