Conecte-se agora

“Serei um deputado estadual independente”, diz Neném Almeida

Publicado

em

Eleito deputado estadual com 4.113 votos pelo Solidariedade, o bancário Neném Almeida, pretende desempenhar um mandato independente, mesmo tendo disputado a eleição por uma coligação que apoiava o governador eleito Gladson Cameli (PP).

Na Assembléia Legislativa, o futuro parlamentar disse que vai defender os interesses da sociedade, apoiando os benefícios e fiscalizando e combatendo as ações que julgar em desacordo com os interesses coletivos.

“Vou ser um deputado independente. Ajudei o Gladson mas não vou compor a base nem a oposição. Irei atuar sempre em favor dos interesses do povo”, adiantou.

Eleito na segunda tentativa de chegar a ALEAC, o Neném Almeida vem do movimento sindical. Em 2014 foi o mais votado na capital pelo PDT, mas saiu do partido por não ser prestigiado. Atual presidente do Sindicato dos Bancários e vice presidente da AABB, ele pretende colocar entre suas prioridades no parlamento os interesses da classe bancária sem no entanto se omitir para outra bandeiras.

Neném Almeida fez questão de destacar o apoio que recebeu durante a campanha do Grupo Organização Politizada Unida pela Sociedade Mais Justa, que segundo Neném, foi um de seus pilares para a eleição.

Nascido no bairro Cadeia Velha,na capital do Acre, Neném Almeida foi batizado como Edvaldo Almeida de Oliveira. Tem 48 anos, casado e pai de dois filhos. Formado em Administração com especialidade em comércio exterior, é funcionário do Banco do Brasil há 15 anos e atualmente é gerente de uma das agências em Rio Branco.

Propaganda

Acre

No MEC Alan Rick garante reforma de escola do Polo Benfica

Publicado

em

Obra está orçada em um milhão de reais e vai beneficiar alunos de uma das áreas mais produtivas da Capital

O Deputado Federal reeleito Alan Rick (DEM), esteve reunido nesta quarta-feira, 16, com o Ministro da Educação, Rossieli Soares, para tratar da liberação de recursos para os municípios acreanos e as obras da escola municipal do Polo Benfica em Rio Branco. Alan foi recebido pelo Ministro e por Júlio Cezar Viana, Coordenador Geral de Programas Especiais do FNDE.

“Conseguimos aprovar o termo de autorização da reforma da Escola Benfica, de Rio Branco, que tem uma emenda de minha autoria no valor de R$ 1 milhão. Agora, para que a obra comece só é necessário que a prefeitura de Rio Branco solucione três pendências de prestação de contas de obras anteriores”, destaca o parlamentar que, com essa ação junto ao Ministro, garante a realização da obra, vital para o fortalecimento da educação em uma das regiões mais produtivas do entorno da capital.

Alan Rick conseguiu, ainda, atender demandas para o prosseguimento da construção da cobertura da quadra da Escola José Plácido de Castro, em Porto Acre, e da reforma da Escola Rita Bocalom, em Acrelândia. “Nosso trabalho em prol da educação é permanente. E neste momento, a prioridade tem sido garantir recursos para investimentos em escolas nos 22 municípios acreanos”, disse.

Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Endemias

Já na tarde desta quarta-feira, 17, Alan Rick participou da votação no Congresso Nacional que derrubou parcialmente o Veto nº 32/2018 e, com isso, aprovou o novo piso salarial dos agentes de saúde.

Com a mudança, a partir de 2019, cerca de 400 mil Agentes em todo o Brasil terão suas carreiras valorizadas, com o aumento de 52% do seu piso salarial. O repasse é de responsabilidade da União e os encargos ficam por conta dos municípios.

De acordo com o texto aprovado, o piso salarial nacional dos Agentes Comunitários de Saúde e dos Agentes de Combate às Endemias será R$ 1.250,00 já em 2019, e passará por aumentos anuais até ser fixado em R$ 1.550,00, em 1º de janeiro 2021. A partir daí, será reajustado anualmente, sempre no mês de janeiro.

Continuar lendo

Acre

Câmara aprova 164 cargos para Ministério da Segurança Pública

Publicado

em

O plenário da Câmara aprovou na noite desta terça-feira (16) a medida provisória que cria 164 cargos comissionados para o Ministério da Segurança Pública. A matéria segue para o Senado prestes esgotar seu prazo de votação: a MP perde a validade nesta quarta-feira (17) caso não seja analisada pelos senadores.

A MP 840/2018 cria 164 cargos de direção e assessoramento superior (DAS): 17 DAS-5, 58 DAS-4, 37 DAS-3, 24 DAS-2 e 28 DAS-1. Esses cargos fazem parte da estruturação administrativa do recém-criado ministério. O provimento dos cargos tem um impacto no

Orçamento da União de R$ 14 milhões em 2018, R$ 19,4 milhões em 2019 e R$ 19,5 milhões em 2020.

Os novos cargos são de livre nomeação e destinam-se tanto a servidores públicos de carreira (ativos e inativos) quanto a pessoas sem vínculo com a administração pública federal.

Apelo

Ontem (15), o ministro Carlos Marun, da Secretaria de Governo, apelou para o “patriotismo” dos parlamentares para que aprovassem a matéria e garantissem a vigência da matéria.

“Estamos otimistas em razão da certeza que temos em relação ao patriotismo das senhoras e senhores parlamentares. Sabemos que foi uma eleição difícil, atípica. Mas os mandatos para o qual nós nos elegemos vai até janeiro. Existem necessidades de votação e os parlamentares não faltarão com seu dever de votar”, disse o ministro.

Marun afirmou ainda que o governo não tem trabalhado com a possibilidade de ver a MP perder a vigência sem uma aprovação nesta semana.

Continuar lendo

Acre

Ibope: Bolsonaro lidera entre mulheres, negros e em 4 regiões

Publicado

em

Os resultados da pesquisa de intenção de votos divulgada nesta segunda-feira (15) pelo Ibope Inteligência – que aponta vantagem do candidato Jair Bolsonaro (PSL) sobre Fernando Haddad (PT) na disputa presidencial de 2º turno, com placar de 59% a 41% dos votos válidos (excluindo nulos, brancos e indeciso) – se assemelham aos resultados das eleições presidenciais de 2002 e 2006.

A lembrança é da diretora-executiva do Ibope, Marcia Cavallari. Segundo ela, “os resultados são mais parecidos” com as eleições vencidas pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva do que com os pleitos ganhos pela ex-presidente Dilma Rousseff. Em suas duas vitórias, Lula obteve em torno de 61% dos votos válidos. Na campanha de 2010, Dilma atingiu 56%. Em 2014, o percentual caiu para 51,6%.

Conforme Cavallari, os dados da última pesquisa eleitoral “mostram homogeneidade” em favor de Jair Bolsonaro. O candidato do PSL vence entre homens (58% das intenções de voto na pergunta estimulada, diante de 33% de Haddad), entre mulheres (46% contra 40%), e em todas as faixas etárias. Há preferência também entre brancos (60% contra 29%), pretos e pardos (47% contra 41%) e pessoas de outras raças ou cores (52% a 39%).

Bolsonaro também é preferido entre evangélicos (66% contra 24%), e tem mais intenção de votos entre católicos (48% contra 42%) e pessoas de outras religiões (44% contra 40%). Os dados são nominais – diferente da totalização de votos válidos que não contabilizam declarações de voto branco, nulo e de entrevistados indecisos.

Fernando Haddad vence apenas em três estratos, conforme levantado pelo Ibope. O candidato do PT é o favorito na Região Nordeste (57% contra 33%); entre os eleitores com até a 4ª série do ensino fundamental (52% contra 41%); e pessoas com até um salário mínimo de renda familiar (53% contra 38%). Jair Bolsonaro lidera nas demais regiões, faixas de escolaridade e níveis de renda.

Contornando ruídos com os mais pobres
A pesquisa indica que os entrevistados avaliam que Fernando Haddad “melhor representa os interesses” de pobres, trabalhadores, aposentados e mulheres. A avaliação é de que Jair Bolsonaro “melhor representa os interesses” de ricos, empresários e bancos.

Para o cientista político Malco Camargos, professor da PUC Minas, a campanha de Jair Bolsonaro percebeu esses sentimentos. Evidência disso é o anúncio de que, se eleit,o o candidato do PSL pretende adotar o “pagamento do 13º” no Programa Bolsa Família – o que também ajuda a desfazer ruído provocado após o posicionamento do general Hamilton Mourão, candidato a vice-presidente na chapa pelo PRTB, contra a forma atual de pagamento do benefício aos trabalhadores com carteira assinada.

O cientista político diz que os dados sobre o candidato do PT indicam que “há percepção entre aqueles que mais demandam políticas públicas de que a vida melhorou no período dos governos petistas”. Conforme o acadêmico, os mais pobres podem temer que essas iniciativas acabem.

Reforço no discurso
Camargos assinala ainda que a consolidação de Bolsonaro ocorreu “sem o candidato se voltar para o centro político, mas reforçando discurso”. A estratégia de Bolsonaro envolve o apelo à segurança pública, assinalando preocupação com as mulheres, e manter fortes posicionamentos contra a chamada ideologia de gênero, a descriminalização de aborto e a do consumo de drogas.

Conforme o Ibope, a distância de 18 pontos percentuais das intenções de voto entre Jair Bolsonaro e Fernando Haddad equivale a 19,3 milhões de votos válidos. Para o cientista político, a vantagem “não quer dizer que a eleição está resolvida”. Por isso, o candidato deve evitar até o dia da eleição “exposição ao risco”.

Os dados detalhados da pesquisa do Ibope estão disponíveis no site do instituto. O levantamento ouviu 2.506 eleitores. A margem de erro de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, só vale para as questões que têm esse número de respondentes. O nível de confiança estatística é de 95%.

A pesquisa, feita no sábado e domingo (13 e 14 de outubro), foi contratada pelo jornal O Estado de S. Paulo e pela Rede Globo. O levantamento foi registrado na semana passada na Justiça Eleitoral (BR-01112/2018). No site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), estão disponíveis o questionário do levantamento e os locais onde a pesquisa foi aplicada.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.