Conecte-se agora

Jenilson Leite afirma que FPA perdeu em função dos erros que cometeu

Publicado

em

O deputado Jenilson Leite (PCdoB) disse na manhã desta quarta-feira (10) na Aleac, que a Frente Popular do Acre (FPA) perdeu a eleição deste ano em função dos erros que cometeu. O comunista disse ainda que fará oposição de forma equilibrada, mas firme, exercendo o seu papel de fiscalizador do Executivo.

Segundo Leite, neste momento se encerra um ciclo de poder da FPA. Para ele, era o que estava previsto nos projetos elaborados pela coligação que esteve à frente da administração estadual nos últimos 20 anos. “As nossas forças davam para ter renovado e com estratégias certas ter ganhado a disputa”, diz o comunista.

Os erros de estratégia adotadas na campanha eleitoral seriam culpados pela derrota da FPA, segundo Jenilson Leite, “em função dos erros a FPA perdeu as eleições”, disse o deputado reeleito, ao manifestar solidariedade a todos os seus companheiros de coligação que foram derrotados nas eleições gerais.

O parlamentar falou ainda da função de oposição que terá que desempenhar a partir do próximo ano. “O nosso papel na Aleac vai ser o papel de oposição. Entendendo que é importante que o governo eleito dê certo e cumpra com o que se comprometeu com as melhorias na segurança, na saúde e na educação”.

Jenilson Leite destaca que caso Gladson Cameli não cumpra com o que falou “nós vamos estar aqui nessa Casa para relembra em nome do povo que o elegeu. O momento para a FPA é de levantar, bater a poeira e começar a construir um novo ciclo, com um pensamento mais amplo, com um maior compromisso com os partido que formaram a coligação e olhando para o futuro”, finaliza.

Propaganda

Destaque 2

Após muita reclamação, ambulatório do Pronto Socorro volta a ser fechado

Publicado

em

A reativação do ambulatório do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), o Pronto Socorro, não vingou. Com os serviços reabertos à população, o hospital central, que já não suporta esse tipo de atendimento, virou palco de revolta nas primeiras semanas do governo de Gladson Cameli.

Após as inúmeras reclamações, e da falta de profissionais para assumir os consultórios, a Direção do Huerb voltou atrás e resolveu desativar o ambulatório. Agora, como no governo de Sebastião Viana, quem chega à unidade é atendido por apenas um médico, já no setor de Classificação de Risco. De lá, é encaminhado a outras unidades.

“Fizeram um anúncio enorme de que estavam atendendo aqui no Pronto Socorro, mas a gente que é servidor sabe que aqui já não cabia mais esse serviço. Ainda bem que voltaram atrás nessa decisão imatura. Foi um exemplo de despreparo dessa equipe que entrou”, classificou um dos médicos do hospital.

O Gerente Geral do Pronto Socorro, Welber de Lima, explicou, em entrevista à Rede Amazônica Acre, que pacientes com classificação azul ou verde serão encaminhadas para os postos de saúde da Prefeitura de Rio Branco, ou para as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), da rede estadual.

Apenas classificados na cor amarela ou vermelha serão atendidos no Pronto Socorro do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco. A decisão deve permanecer, já que era a metologia usada pela gestão anterior da pasta da Saúde. O déficit de profissionais também colabora para a decisão.

“Essas alterações eram previstas. Num primeiro momento abrimos a unidade para todos, mas a população sobrecarregou o nosso sistema, e impactou que as emergências não estavam sendo atendidas porque a gente tinha que atender às fichas que não correspondiam à nossa unidade”, explica.

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.