Conecte-se agora

Em áudio, candidato derrotado da FPA fez promessa a presos e diz que número “171” não é por acaso

Publicado

em

O candidato a deputado estadual, o advogado Valdeci Nicácio, ligado aos movimentos de Direitos Humanos no Acre, teve áudios polêmicos vazados em que fala sobre dinheiro, votos e ironiza ao dizer que o número escolhido por ele [12171], não foi um fato do acaso, possivelmente fazendo referência ao artigo 171 do Código Penal Brasileiro que condena quem obtem para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento:.

Os áudios foram enviados ao ac24horas nesta terça-feira, dia 09, e revelam uma suposta conversa, pelo WhatsApp, entre Nicácio e um suposto líder de facção criminosa detido no presídio de Cruzeiro do Sul . Ele diz que pretende ser eleito para criar um espaço em três cidades do Acre, como forma de ajudar as famílias proporcionando a venda do artesanato.

Ouça o áudio na integra

“Você sabe que eu sempre trabalhei ajudando vocês e agora não é diferente. Quero um mandato para continuar fazendo o que eu faço: ajudar vocês. Só que agora, de uma forma mais organizada, mais estruturada. Com mandato a gente tem muito mais condições de ajudar vocês”, pactua o candidato do Partido Democrático Trabalhista (PDT).

Após supostamente o preso ter pedido dinheiro para votar em Nicácio, o ex-ouvidor da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos do Acre (Sejudh/Ac) diz que não fará compra de voto. Antes disso, coloca sua história de trabalho com justificativa para ganhar a escolha do eleitor com quem está conversando.

“Eu não tenho a menor chance de dar dinheiro para ninguém porque isso é ilegal. Se eu der dinheiro para vocês eu vou ser processado e vou ser cassado, e vocês vão ser processados porque venderam o voto. Não vale a pena a gente arriscar pegar dinheiro, ou dar dinheiro, porque vai arriscar a mim ou quem pegou o dinheiro”, se safa o então candidato.

Nicácio Direitos Humanos [esse era o nome dele de campanha] conseguiu o voto de 401 eleitores no último domingo, dia 07 de outubro. Com a votação pífia, não conseguirá chegar à Assembleia Legislativa. Valdecir, na busca incansável de apoio, se deixou levar pelo WhatsApp e o próprio preso vazou o áudio para os amigos.

“Olha aí, meu camarada, o áudio dele. Eu tenho o contato dele e falei diretamente com ele. Ele disse que dinheiro ele não pode oferecer, não, mas ele cuida dos presos mesmo, e isso aí não é mentira não, entender, meu parceiro, porque esse cara aí já me tirou de uma ‘legal’ lá dentro da cadeia”, comenta o jovem que conversou com Nicácio.

“Eu não sei para quem eu tava falando”, diz Nicácio

A reportagem do ac24horas conseguiu falar com Nicário por telefone. O ex-ouvidor da Secretaria dos Direitos Humanos confirmou que a voz no áudio é dele mesmo, mas que não lembrava para quem havia repassado a mensagem. Ele disse também desconhecer a voz do rapaz que repassa o áudio e afirma que a referência ao número “171” seria uma brincadeira.

“Jamais em eleição nenhuma tiveram coragem de usar esse número 171. Eu achei que ele era um número fácil de decorar. Esse áudio deve ter sido para familiar de preso, eu falo com muito e de fato um dos meus projetos era esse mesmo. Eu não sei para quem eu falei e eu nem sei para quem essa pessoa mandou, mas com certeza fui eu que falei porque isso era um dos meus projetos. Eu disse em Rio Branco várias vezes, disse em Sena Madureira, disse em Tarauacá, disse em Cruzeiro do Sul. O fato é que isso é um trabalho que eu faço há muitos anos”, disse Nicácio.

Nicácio lembrou ainda que não defende pessoas, mas sim direitos, “seja do presidiário ou do presidente”. “Eu tenho formação jurídica, mas não sou advogado. Eu disse tudo isso em discursos, eu disse isso por telefone. Eu falei isso para todo mundo”, explicou.

Propaganda

Acre 01

Ex-secretário de Gladson diz que Acre só sairá da crise se investir na construção civil

Publicado

em

O ex-secretário de Planejamento do governo Gladson Cameli, Raphael Bastos, exonerado do cargo em abril, usou as suas redes sociais no último final de semana para afirmar que país e o Acre vem vivendo um momento delicado. “Atravessamos uma das mais duras crises econômicas com reflexos reais no desemprego, nos índices de segurança pública e na precarização de serviços essenciais de saúde e educação”, pontua.

Bastos defende que os representantes do executivo em todas as esferas façam reflexões profundas sobre esse momento. “Algumas ações precisam ser tomadas, o mercado não irá mais esperar, em Janeiro tínhamos grandes expectativas que se falava em crescimento de mais de 2,5% esse ano, hoje poucos meses depois se conseguirmos com o mesmo otimismo chegarmos a 1% já será uma grande vitória, e se o “barco” continuar a deriva, sem sombra de dúvidas, teremos os mesmos resultados negativos de anos anteriores”, explica.

“No cenário nacional, o “milagre” será a reforma da previdência, que trará aos grandes players disposição aos novos investimentos, já aqui no Acre, onde temos uma economia tão frágil, no popular “economia do contracheque”, estamos tendo uma real oportunidade com um verão promissor”, enfatiza o ex-secretário de Planejamento que foi exonerado do cargo por bater de frente com o núcleo duro da Casa Civil, comandado por “ungidos” do Conselheiro do Tribunal de Contas, Antônio Malheiro, que detêm grande influência no governo de Gladson Cameli.

“Para um retomada econômica, precisamos aquecer o setor da construção civil, pois esse trás resultados imediatos, juntamente com setor de serviços e comércio aquecidos sem dúvida teremos um ambiente mais propício para geração de emprego e renda. Sem uma intervenção imediata do poder público, vamos vivenciar uma espiral negativa, onde quem dispõe de recursos para investir, irá retirar do mercado seus recursos, para meios de rendimentos mais conservadores até que se tenha ambiente econômico favorável. Como acreano e empresário que mora aqui, torço para que os nossos governantes ainda esse ano, possam mudar essa situação, e trazer as respostas que todos aguardamos esperançosos”, finalizou.

Continuar lendo

Cotidiano

PRF prende mulher e apreende 5 kg de cocaína em ônibus, na BR-364

Publicado

em

Uma ação da Polícia Rodoviária Federal (PRF) na noite de segunda-feira (24) resultou na apreensão de 5 kg de cocaína que estava em posse de uma mulher de 26 anos, dentro de um ônibus que seguia para fora da capital acreana.

De acordo com a PRF, em fiscalização de rotina na BR-364, no km 115, em frente à Unidade Operacional (UOP01), em Rio Branco (AC), a Equipe de plantão da Polícia Rodoviária Federal (PRF) abordou um ônibus. Vários passageiros foram fiscalizados, mas uma mulher em especial chamou a atenção dos policiais, devido à inquietação na poltrona, pelo nervosismo e contradições que a passageira demonstrou diante de simples perguntas realizadas pelos PRFs sobre os motivos da viagem.

Diante da fundada suspeita, foi solicitado que a viajante identificasse suas bagagens. No interior da mala que ela levava no bagageiro do ônibus, foram encontrados cinco pacotes com substância em forma de pó branco que reagiu positivamente ao teste preliminar para alcaloide de cocaína, na forma de cloridrato.

 

Após a confirmação do entorpecente, a passageira informou que receberia R$ 5.000,00 para realizar o transporte da mercadoria até a cidade de Cuiabá (MT).

O ônibus e os outros viajantes foram liberados. A mulher de 26 anos recebeu voz de prisão e foi conduzida com a droga e demais pertences à Delegacia de Polícia Civil para os devidos procedimentos.

Com informações da PRF.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.