Conecte-se agora

Os golpes mais comuns nas redes sociais

Publicado

em

As redes sociais são bastante populares hoje em dia, com o crescente número de pessoas com acesso à internet. A maior rede é o Facebook, com mais de 2 bilhões de usuários, seguida pelo Instagram e WhatsApp, com mais de 1 bilhão de perfis. Na mesma proporção, aumenta o número de criminosos cibernéticos, usam as plataformas online para aplicar golpes.

Se aproveitando do alto potencial de compartilhamento destes mecanismos, eles lançam fraudes, para enganar as pessoas e obter vantagem, além de adicionarem links de malwares. Há ainda as famosas fake news, notícias inventadas, que também espalham rapidamente.

Veja a seguir os mais comuns golpes de 2018 e fique atento para não cair em nenhum deles.

Spam

Esta é uma das mais antigas formas de fraude. O spam é recebido não apenas pelas redes sociais, mas também, por email. Há pouco tempo, vários usuários do Snapchat receberam mensagens com uma ameaça de exclusão da conta, caso não repassassem a informação para seus contatos. Gerou-se, portanto, uma corrente, com massivo compartilhamento.

Outra forma de spam é a postagem de publicidade de forma indesejada, seja por mensagem direta ou no campo de comentários das postagens. Elas podem conter links para sites falsos.

Questionários e quizzes divertidos

No Facebook, vários perfis compartilham links de testes, que parecem bem inocentes. Eles costumam ser brincadeiras, para as pessoas descobrirem “quando vão se casar” ou “quantos filhos terão”. Elas não possuem lógica, se tratam de um sorteio de resultados, que podem ser bem irreverentes. Contudo, tais testes pedem a permissão para acesso à conta e uso de informações, como foto do perfil, nome, data de nascimento e outros dados pessoais.

Dessa forma, a conta pode ser invadida, na pior das hipóteses, ou os dados podem ser usados para golpes. Por exemplo, certos testes têm a finalidade de captar dados para a venda de assinaturas e serviços. A recomendação é não preencher nenhum questionário que exige o login no Facebook.

Links encurtados

Há muitos programas que servem para encurtar links e assim, facilitar visualmente a postagem. Um exemplo é o encurtador do Google, que gera links do tipo goo.gl. Em redes como o Twitter, que limitam a quantidade de caracteres, tais links são muito usados. A questão é que os criminosos utilizam este recurso para divulgar links maliciosos. Isso porque, com o endereço de um site encurtado, não há como saber exatamente para onde ele aponta.

Prêmios de promoções enganosas

Apesar de ser bastante “manjado”, este golpe ainda faz vítimas. Se trata do envio de uma mensagem privada, alegando que o usuário recebeu um prêmio ou um grande desconto. Os fraudadores costumam usar nomes de grandes empresas, para convencer os internautas de que a oferta é real. Junto, adicionam links maliciosos, que direcionam para formulários de cadastro, que podem pedir o número de cartão de crédito. Geralmente, é preciso pagar uma suposta taxa para ter direito ao falso prêmio.

Todavia, entenda que há muitas promoções na internet que são verídicas, como bônus, descontos e ofertas em geral. Uma forma de conferir se uma promoção é fraude ou não é acessar depoimentos de outras pessoas, em fóruns, grupos e sites especializados, como o confiavel.com e até mesmo o site oficial da empresa em questão. Quando surgem golpes usando o nome de uma marca, as companhias postam declarações, alertando os consumidores.

Catfishing

O termo em inglês refere-se à prática de criar perfis falsos para enganar outros usuários. Os criminosos usam perfis que parecem legítimos, com fotos e publicações recorrentes. Usam da persuasão da ganhar a confiança das vítimas, que podem se interessar emocionalmente e criar um vínculo maior. Com isso, os golpistas convencem as vítimas a emprestarem ou doarem dinheiro, sob a alegação de que estão passando por um momento difícil, ou que o banco bloqueou seu cartão. O catfishing pode ainda ser feito com o intuito de vingança de ex-namorados, por exemplo, em busca de confissões e troca de informações sensíveis.

Propaganda

Cotidiano

Iapen é condenado a pagar R$ 75 mil para família de agente morto com 10 tiros

Publicado

em

A Justiça acreana determinou esta semana que o Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen) pague a quantia de R$ 75 mil para a família do agente penitenciário Anderson Albuquerque Guimarães, assassinado com 10 tiros em fevereiro de 2015, no bairro da Paz, após ordem de execução de uma facção criminosa em Rio Branco.

O crime, segundo informou o delegado Alcino Junior à época, foi praticado por seis pessoas e teria sido motivado por retaliação, após detentos terem reclamado aos parceiros de crime supostos maus-tratos no presídio.

A decisão ocorre após o Juiz de Direito Anastácio Lima de Menezes, da 1ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Rio Branco, reconhecer que a morte de Anderson teria ligação direta com seu ofício. O processo de ação de responsabilidade civil por danos morais, aberto pela viúva do agente, pedia indenização no valor de R$ 286.200,00 (duzentos e oitenta e seis mil e duzentos reais).

Anderson morreu aos 29 anos e foi velado no dia de seu aniversário. Ele deixou família, a esposa e um filho de apenas dois anos à época. “Isto posto, julgo procedente o pedido de indenização por danos morais para condenar o Instituto de Administração Penitenciária do Acre a indenizar a parte autora em R$ 75 mil”, sentenciou o juiz no dia 02 de dezembro de 2019.

Ao ac24horas, o Iapen afirmou que ainda está no prazo para o órgão recorrer à decisão, mas não disse se iria ou não pedir revisão da sentença.

A polícia conseguiu chegar aos suspeitos do crime após quatro meses de investigação. Quatro pessoas foram presas por envolvimento e duas tiveram o mandado de prisão expedido, mas estavam foragidas. No ano de 2015, uma série de assassinatos a agentes penitenciários foram registradas no Acre. Anderson foi o quarto caso em menos de 30 dias.

Continuar lendo

Acre

Chá das Mulheres: solidariedade em prol do Hospital do Câncer

Publicado

em

Evento teve objetivo de arrecadar recursos para revitalizar Ala Infantil da Unacon

A sociedade respondeu ao chamado das Mulheres da Indústria do Acre e compareceu em peso ao primeiro Chá Beneficente do grupo, realizado na noite de quarta-feira, 4 de dezembro, no Afa Jardim. Com objetivo de arrecadar fundos para a revitalização da Ala Infantil do Hospital do Câncer/Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon), o evento foi um grande sucesso, contando com diversas atividades, como bazar, música ao vivo com a cantora Verônica Padrão, desfile das misses e mister Brasil – Hadassa Flores, Giovana Thomas, Yasmin Castro e Miguel Gomes – e sorteios de muitos brindes.

“Parabenizo o grupo das Mulheres da Indústria na pessoa da Raimundinha Holanda, que é a coordenadora. Essa iniciativa tão importante para a nossa população e para as crianças da Unacon deve ser cada vez mais apoiada e fortalecida”, reconheceu a prefeita de Rio Branco, Socorro Neri. “Tanto o governador Gladson Cameli e a primeira-dama Ana Paula ficaram muito felizes com essa iniciativa, porque isso, sim, se chama parceria. O hospital precisa desse olhar diferenciado, as crianças precisam desse afeto. A FIEAC está de parabéns”, destacou a secretária de Estado de Ação Social e Direitos Humanos, Claire Cameli.

De acordo com a desembargadora e coordenadora da Infância e Juventude do Tribunal de Justiça do Acre (TJ/AC), Regina Ferrari Longuini, o Poder Judiciário sempre estará colaborando com ações humanitárias. “Nós agradecemos por essa oportunidade. Que a solidariedade seja uma constante em nossas vidas. É tempo de superação, de espírito colaborativo e de mãos amigas, especialmente com a proximidade do Natal”, declarou a magistrada.

A gerente geral da Unacon, Áurea Freitas, afirmou que a iniciativa foi recebida com muito carinho por ela e sua equipe. “A gente agradece muito, de coração, esta iniciativa espetacular. Que venham muitos outros eventos desta natureza. Se todo mundo fizer sua parte, esse tipo de projeto dará sempre certo. Ninguém consegue fazer nada sozinho. O Estado precisa da união da comunidade para obter êxito com pleitos sociais”, destacou ela.

Para o presidente da FIEAC, José Adriano, esta primeira experiência foi gratificante e muito positiva, apontando que este caminho que a instituição trilhou está na direção certa. “O grupo tomou uma proporção muito maior, não se restringindo apenas às mulheres da indústria. É uma felicidade constatar a adesão e o apoio às causas sociais que abraçamos, e também é uma grande responsabilidade. Não podemos parar por aqui. Há muito a se fazer”, comemorou o empresário.

Continuar lendo
Propaganda
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.