Conecte-se agora

Celebrado neste sábado (8), Dia Internacional da Alfabetização 2018 destaca novas habilidades

Segundo a UNESCO, tema reflete sobre impactos das inovações tecnológicas no aprendizado

Publicado

em

Neste sábado, 08 de setembro, a educação é destaque no mundo inteiro devido ao Dia Internacional da Alfabetização, instituído em 1966, durante a 14ª Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO). Celebrada há 51 anos, a data tem como tema deste ano a “Alfabetização e desenvolvimento de habilidades”, com destaque para o impacto das constantes inovações tecnológicas no processo de aprendizagem.

De acordo com a UNESCO, as aptidões tradicionais de letramento (alfabetização) e numeramento (educação matemática) são insuficientes no cenário de transformações intensas. “Acessar a aprendizagem ao longo da vida, aproveitar as vias entre diferentes formas de formação e se beneficiar de mais oportunidades para mobilidade tornou-se, portanto, indispensável”, destaca a organização. Simultaneamente, ressalta que trata-se de um desafio preparar jovens e adultos para empregos que passam a demandar novas habilidades ligadas inclusive às Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC).

Os números relativos à alfabetização mundial chamam a atenção e geram reflexões sobre a comemoração da data em todo o mundo. Atualmente, são mais de 750 milhões de jovens e adultos sem saber ler e escrever. Mulheres correspondem a 505 milhões do total. Já entre crianças e adolescentes, 617 milhões não desenvolveram aptidões mínimas e mais de 260 milhões não possuem matrícula em instituições de ensino.

Ideb e a alfabetização

Na última segunda-feira, 03 de setembro, mesma semana da comemoração do Dia Internacional da Alfabetização, os dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) foram divulgados. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), 71,5% das escolas (131,6 mil) oferecem alguma etapa do ensino fundamental.

Os anos iniciais do ensino fundamental são ofertados por 115,4 mil escolas e têm 15,5 milhões de alunos. Nesta etapa, o Ideb alcançou 5,8 pontos – um total de 0,3 acima da meta estipulada. Apenas o Amapá, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul não obtiveram a nota necessária.

Já nos anos finais, são 12 milhões de matrículas. No Ideb, foram alcançados 4,7 pontos em 2017. Apesar de 23 unidades federativas melhorarem o desempenho, apenas sete cumpriram a meta: Rondônia, Amazonas, Ceará, Pernambuco, Alagoas, Mato Grosso e Goiás.

O ensino médio é oferecido em 28,6 mil escolas no Brasil, com 89,7% localizadas na zona urbana e 10,3% na zona rural. Ao todo, foram realizadas 7,9 milhões de matrículas, com 77,4% no período diurno (matutino e vespertino). Nesta etapa da educação básica, o Ideb cresceu 0,1 ponto e alcançou 3,8 pontos em 2017. O número ficou distante da meta estipulada (4,7) para o respectivo ano.

Propaganda

Acre 01

Professores e estudantes fecham terminal em protesto contra demissões e fechamento de turmas

Publicado

em

Como prometeram durante o dia, professores com contratos provisórios e estudantes da Educação de Jovens e Adultos deixaram a volta para casa dos moradores de Rio Branco um pouco mais difícil.

O protesto contra o fechamento de turmas do EJA e as demissões, que segundo a Secretaria de Educação, Esporte e Cultura são necessárias para que o Acre cumpra com o que determina a Lei de Responsabilidade Fiscal que regulamenta o gasto com pessoal, fechou o Terminal Urbano de Rio Branco.

Os manifestantes, de forma pacifica, fizeram um cordão humano e impediram a entrada dos ônibus no Terminal durante cerca de meia hora. O trânsito ficou complicado e congestionou o tráfego de veículos no centro da capital acreana.

Continuar lendo

Cotidiano

DPE do Acre realiza últimos preparativos para o projeto: “Defensores do Futuro”

Publicado

em

Previsto para ser lançado no mês de setembro deste ano, o projeto: “Defensores do Futuro” é direcionado para menores em situação de vulnerabilidade e contemplará 32 alunos, com idades entre 11 e 15 anos, da Escola Estadual Serafim da Silva Salgado, localizada na comunidade da Sobral, em Rio Branco.

Com duração de 2 anos, o projeto inovador em âmbito estadual e nacional, é uma iniciativa da Defensoria Pública do Estado do Acre (DPE/AC), com parceria da Faculdade da Amazônia Ocidental (FAAO) e do governo do Estado do Acre, por meio da Secretaria de Estado da Educação, Cultura e Esportes (SEE).

O projeto visa trabalhar junto às escolas, desenvolvendo ações voltadas para os alunos, professores, pais ou responsáveis e, dessa forma, contribuir com o processo de construção de um futuro melhor para as crianças.

As atividades práticas que compõe a programação do projeto já tiveram início nos dias 21 e 22 de agosto. O projeto é formado por quatro etapas: Diagnóstico, Plano de Ação, Educação em Direitos e Formação dos Alunos, além do acompanhamento contínuo na área social, psicológica e jurídica.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.