Conecte-se agora

A voz rouca das ruas: Gladson Cameli vence nos dois turnos

Publicado

em

Enfim, uma pesquisa em que se pode acreditar na exatidão dos números. Feita pela BIG DATA, instituto que faz pesquisas nacionais para a REDE RECORD. No primeiro turno Gladson Cameli (PROGRESSISTA) aparece vencendo acima da margem de erro com 40% de intenções de votos e Marcus Alexandre (PT) com 36%. O candidato Ulisses Araújo (PSL) chegou aos 10%. No segundo turno a vantagem do candidato Gladson Cameli (PROGRESSISTA) se amplia, ele ficaria com 50% dos votos contra 40% do Marcus Alexandre (PT). Uma diferença considerável a favor de Cameli. Isso mostra que os votos do Coronel Ulisses Araújo (PSL), num eventual segundo turno, migrariam em peso para a candidatura da oposição. E que quando se tem de escolher entre o candidato que representa o poder; em tese o continuísmo, e o candidato que prega mudanças, o povo opta pelo último. A pesquisa não trouxe muita novidade sobre o quadro da disputa do governo, a inclinação a favor do candidato Gladson Cameli (PROGRESSISTA) é sentida nas ruas. Ninguém consegue com manobras calar a voz rouca das ruas. Alguns sintomas reforçam a derrocada de um candidato numa campanha, um deles é quando os seus aliados começam a partir para ataques à honra do adversário. O que se tem notado não é uma aversão à figura do Marcus Alexandre (PT), mas ao que ele representa no contexto político, no caso o desgaste de vinte anos de poder, que se acumula no seu colo. Tem de fazer uma campanha elogiando tudo que ai está há 20 anos. Há um sentimento que aflorou na população pela mudança, movido até pelo cenário nacional. Quando o eleitor quer mudar um sistema de governo é água ladeira abaixo, ninguém segura. A campanha chega em setembro ao clímax.

NÃO PODE SE DESCOLAR DO DESGASTE
Não sei nem como avaliar o candidato Marcus Alexandre (PT) ficar ainda no patamar em que se encontra, porque em tese representa a continuidade do modelo econômico, da política fiscal, de manutenção de todos os cargos de confiança, sem um projeto de mudança total.

COMPROMETIDO POLITICAMENTE
Durante a entrevista do Marcus Alexandre (PT) ao ac24horas ficou bem claro que, mesmo que pense em enxugar a máquina estatal atual, não pode manifestar seu sentimento de mudança para não desagradar os comissionados. Teve que garantir que manterá os atuais ocupantes de cargos de confiança. Manter justamente uma situação que é o alvo de críticas pelo gigantismo.

UMA TREMENDA PATUSCADA
É uma tremenda patuscada dos seus apoiadores em acreditar que podem virar a desvantagem na pesquisa trucidando os adversários nos debates. Isso é tão falso como nota de 300 reais.

UMA DISPUTA SEM FAVORITOS
Na pesquisa da Big Data para o Senado, o senador Jorge Viana (PT) lidera com 39%, em seguida Sérgio Petecão (PSD) com 34%, Márcio Bittar (MDB) 30%, Ney Amorim (PT) tem 27% e Minoru Kinpara (REDE) 16%. Não dá para apontar favoritos, as diferenças são pequenas e teremos 30 dias de campanha pela frente. Justamente o período que decidirá as duas vagas para senador.

DADO MUITO CLARO
Quando se diz que nenhum dos candidatos a senador melhor pontuado pode se arvorar em já ter conquistado uma das duas vagas em disputa é por ser uma realidade. A pesquisa do Big Data deixou isso cristalino: temos 27% de indecisos para o Senado, o que pode mudar o quadro atual. Tem eleitor que nem sabe que pode votar duas vezes para senador.

EM TESE ESTÁ NO JOGO
Com 27% de indecisos para o Senado, em tese o candidato a senador Minoru Kinpara (REDE) com os seus 16% de intenções de votos não pode pela projeção ser tirado da roda do jogo.

DESCONHEÇO TANTO EQUILIBRIO
Não conheço em todas as eleições para o Senado que acompanhei , desde o governo Nabor Junior (MDB) até hoje, uma disputa por vaga de senador tão equilibrada nos números, como a atual.

UM FATO NOTÓRIO
Um fato é notório nas pesquisas para o Senado, o candidato Ney Amorim (PT) é um dos que mais cresce. E ainda teremos 30 dias de campanha que, é quando a disputa vira decisiva.

TUDO OU NADA
O Coronel Ulisses Araújo (PSL) voltou na pesquisa do Big Data ao teto máximo que conseguiu até aqui na campanha, que é 10% de intenções de votos. Vai para o tudo ou nada neste sábado, com a chegada do líder nacional das pesquisas no Brasil e no Acre, para presidência, Jair Bolsonaro (PSL). Ulisses quer colar a imagem de Bolsonaro no seu perfil e embalar na reta final da campanha para tentar chegar ao segundo turno. Acredita ser Bolsonaro esta ponte.

ROLO COMPRESSOR
Quando o eleitor quer mudar um panorama e cria uma empatia com um político não tem manobra, jogo baixo, jogo sujo, máquina do poder, que impeça. A Marina Silva é acreana, tem uma história de vida com a região, mas está levando uma surra do Jair Bolsonaro (PSL) nas pesquisas e que tende a se repetir nas urnas. A vantagem de Bolsonaro nos números é  grande.

NÃO ESTAMOS NUMA DEMOCRACIA?
O Jair Bolsonaro (PSL) pode representar tudo o que você não goste num político, mas numa democracia se deve respeitar o contraditório, de quem quer votar nele. Temos que ter sim candidatos da direita, da esquerda, centro-esquerda, o bipartidarismo já foi para o lixo. E o eleitor decide.

É MUITO SIMPLES
Numa campanha política tudo é muito simples de se resolver. Quando você não se identifica com um candidato não vote nele. Quem se identificar vote. Caso do Jair Bolsonaro (PSL).

MANTENDO O MESMO TOM
O senador Sérgio Petecão (PSD) não é de se preocupar muito com resultado de pesquisa, leva tudo na esportiva.. Mesmo aparecendo como um dos mais cotados a uma vaga, não diminui o ritmo da campanha. “A campanha só cessa no dia da eleição”, diz rindo.

NÃO SEI MAIS
Não sei mais se a ex-deputada Antonia Sales (MDB), uma política correta e atuante, com bases nos municípios do Juruá conseguirá ser a mais votada dentro do seu partido, embora seja a lógica. Meire Serafim (MDB), Roberto Duarte (MDB), Eliane Sinhasique (MDB) e Jairo Carvalho (PSD) possuem estruturas poderosas de campanha no maior colégio eleitoral, a Capital.

É DE SE ALEGRAR
Numa campanha política de tantos nomes medíocres é de se regozijar quando se vê um professor e historiador do porte do Carlos Alberto (PSDB), saindo candidato á ALEAC

ALIANÇAS PERIGOSAS PARA ESTADUAL
Alguns candidatos a deputado estadual andam fazendo alianças perigosas nos bairros com quem vive à margem da lei. Com certeza tem candidato sendo monitorado em suas conversas.

ROBERTO FERES
Candidato a deputado federal, Roberto Feres (MDB), é vida inteligente na campanha política.

VOTO DECLARADO
Para não causar celeumas num momento delicado da campanha, o candidato ao Senado, Márcio Bittar (MDB), decidiu não ir receber amanhã no aeroporto o candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL). Mas é voto declarado, em suas reuniões pede votos para o Bolsonaro.

VITALIDADE INVEJÁVEL
A vitalidade da deputada Juliana Rodrigues (PRB), que já tem certa idade, numa campanha, é algo impressionante. Ela é que saia na frente, numa alegria contagiante, puxando as suas passeatas. Juliana é uma das figuras mais polidas que conheço na ALEAC. É forte à reeleição.

PERDEU OS REDUTOS
Pelo debruçar nos números, dificilmente, o PT conseguirá recuperar os colégios eleitorais de Feijó e Tarauacá, que garantiram a vitória do atual governador em suas duas eleições.

OUTRO COLÉGIO COMPLICADO
Outro colégio complicado para o candidato Marcus Alexandre (PT) é Sena Madureira. A oposição congrega as maiores forças da política, naquele município. Prefeito Mazinho Serafim, deputados Nelson Sales e Géhlen Diniz, ex-prefeita Toinha Vieira, a candidata a Federal, Charlene Lima e vereador Josandro.  O PT é fraco. Sena é o terceiro colégio eleitoral do Estado.

VOTOS DE TARAUACÁ
A candidata ao governo pela REDE, Janaína Furtado, sempre tem os seus 2% nas pesquisas. A sua maior concentração de votos está em Tarauacá, onde é uma vereadora bem avaliada.

NUNCA SE DESCOLOU
Tem candidato que quando ganha não pisa no chão. Geralmente os que assim agem ficam no primeiro mandato. O deputado Heitor Junior (PODEMOS) é diferente. Mantém as mesmas relações de ajudas na área da saúde, principalmente, ao encampar a luta dos portadores de hepatites, que já liderava muito antes de chegar a ocupar a vaga de deputado. Bom exemplo.

PESA A FAVOR NA CAMPANHA
O que tem pesado a favor do candidato ao Senado, Jorge Viana (PT), na campanha, é ter saído bem avaliado dos seus mandatos na PMRB e Governo, memória eleitoral, votos pessoais além dos muros do PT, e a poderosa máquina do governo focada prioritariamente na sua reeleição. .

NÃO SOU PELO PIOR MELHOR
Neste momento de violência que estamos vivendo não podemos entrar no quanto pior melhor. Não vou jamais partidarizar na coluna essa questão da segurança pública, para ser agradável a ninguém. Por isso, não publico notas políticas que me enviam dizendo que há uma omissão do Estado e etc. Podem se chatear. Não serei usado. Não tenho afinidade com este governo, isso está claro, mas seria injusto não reconhecer que, as ações do governador na atualidade na área estão melhores. A polícia todas as noites faz rondas nas ruas. Tenho visto passar pelo bairro que moro viaturas e motos da PM que eram raras. O secretário de Segurança, Vanderlei Thomás, está sim fazendo um bom trabalho. Continuamos numa fase crítica, uma cidade violenta, mas deu uma melhorada, basta ver as prisões diárias e apreensões de drogas. A minha torcida é que melhore ainda mais o combate à violência. Ponto final.

Propaganda

Blog do Crica

Minoru, queima da bíblia e fogo amigo

Publicado

em

Tomou conta das redes sociais vídeos procurando queimar a imagem do ex-Reitor da UFAC, Minoru Kinpara. Um dos vídeos mostra uma festa de Rock na Universidade Federal do Acre em que estudantes estão queimando uma Bíblia. E no outro a Mara Rocha, então apresentadora da TV-GAZETA, anunciando o ato acontecido na UFAC. Os vídeos destacam que tudo aconteceu quando Minoru era Reitor e numa forma clara de mostrá-lo perante o eleitorado cristão de que, como autoridade maior da UFAC na época, não se posicionou sobre o ato. A intenção deste fogo amigo é claro: querendo passar para a opinião pública ser ele ateu. A divulgação é atribuída a um dos candidatos a prefeito do bloco aliado, que apareceu mal na última pesquisa sobre a eleição municipal de Rio Branco. E o Minoru, nem se filiou! Prepare o lombo que ainda vem muita lambada de cipó de fogo a caminho. O sistema é bruto.

VEM DA BASE GOVERNISTA

Os ataques de queimação contra o Minoru Kinpara não partem de nenhum segmento da esquerda, seja do PT ou PCdoB, mas foram montados e divulgados nas redes sociais por membros de partidos aliados do governo e contrários à candidatura do Minoru a PMRB.

REAÇÕES FORTES

Os vídeos são só aperitivos do que está a caminho contra a candidatura do professor Minoru Kinpara e vindo de partidos com interesses em candidaturas próprias à prefeitura da capital.

FAÇA-SE A LUZ

A prefeita Socorro Neri vai executar num convênio com a Energisa a iluminação da estrada do aeroporto, parques e de algumas ruas da capital. Isso se chama comer problema pela beirada.

ÚNICO A FAVOR

O deputado federal Alan Rick (DEM) é o único da bancada federal acreana na Câmara Federal a favor do decreto de armas do presidente Jair Bolsonaro. Os demais foram contra ou ficaram no muro sobre a matéria. O Alan tem se sido firme a favor das pautas de campanha do Bolsonaro.

MUITO FIRME

Fui ontem ao Palácio Rio Branco tomar um café a convite do governador Gladson, onde passou a despachar. O encontrei muito tranqüilo e firme na sua decisão de não mais aceitar pressão política. Chegou à conclusão de que, ou adota esta postura ou seu governo será de intrigas.

UMA PROVA DE CONFIRMAÇÃO

Uma prova de confirmação de que tudo o que publiquei no BLOG DO CRICA foi dito por ele. Ou não me chamaria para tomar café no seu gabinete no dia seguinte. Óbvio ululante, diria Stanilau Ponte Preta. E segue o jogo político. Se no seu programa na rádio quis pincelar um tom mais ameno é outra história. Não é surpresa para quem tem décadas na política.

NÃO MEXE NA AGRICULTURA

Gladson Cameli voltou a repetir ontem o que disse ao BLOG DO CRICA, no domingo: “não vou demitir o secretário de Agricultura, Paulo Wadt, para agradar a deputada federal Mara Rocha”. Se vir a aceitar a pressão e com isso ser desmoralizado no que prometeu, problema dele e não do BLOG. Em política até boi voa, por isso não duvido de nada. A coluna só registra fatos.

TIÃO BOCALOM

O governador revelou um fato interessante durante a conversa de ontem pela manhã. De que o ex-prefeito Tião Bocalom só ainda não está no seu governo porque não quer. Abriu as portas da EMATER. Mas a história tem outros capítulos: é só ler a Nota do Bocalom nesta coluna.

NÃO É PRECISO DESENHAR

Não obriguei ninguém me dar entrevista e nem coloquei a faca no pescoço de ninguém para falar. O que publiquei na primeira conversa que tive com o Gladson Cameli no domingo foi ele ter dito que, já que o PSDB diz que a Segurança não é da cota dos tucanos, ele então passaria a cota para o seu gabinete. Não é preciso desenhar. Ou é?

NÃO ACONTECIA COM O JV

Acompanhei o governo do Jorge Viana, o mais político entre os governantes petistas. Sabia exercer o poder. Os aliados da FPA tinham espaço na sua administração. Mas nenhum deles ousava lhe colocar contra a parede com pressão para tirar este ou aquele secretário. Cortava o papagaio na subida. Assim que tem de ser: parceria sim, mas quem manda é o governador.

PERDE A AUTORIDADE

Quando um governador fica refém uma vez de um político a porteira ficará aberta para que outros políticos pratiquem o mesmo tipo de pressão. E adeus governabilidade. Não sei se o Gladson vai cumprir a promessa de reagir às pressões. Se ele reagir decola, se não embica.

PROMESSA CUMPRIDA

Enquanto alguns estão se lançando candidatos ao Senado, a senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS) vai avançando em novas conquistas. É da sua lavra a iniciativa para a construção do Colégio Militar de Senador Guiomard, cujas obras estão em execução.

TUCANOS NÃO QUEREM BRIGA

O presidente do PSDB, Correinha, disse ontem ao BLOG DO CRICA que sentou com o governador Gladson e saiu com a certeza de que algumas situações de pendências serão resolvidas e o partido continuará afinado com o governo. E que buscar espaços é da política.

TUCANO DO BICO LARGO

Traduzindo para o popular, o que disse o presidente do PSDB: além de todo sistema de Segurança, Fundação Cultural, os tucanos têm bico largo, querem mais cargos no governo.

NÃO ENTENDO O ROCHA

Sempre sou muito sincero. Até com amigos de longas datas como o vice-governador Major Rocha. Todos os cargos da Segurança foram de sua indicação, e diz que não nomeou ninguém?

DECISÃO DE GOVERNO

O tucano Correinha não quis comentar a exigência da deputada federal Mara Rocha (PSDB) de que, ou o Gladson demite o secretário de Agricultura, Paulo Wadt, ou ela sairá da base do governo. “Nomear ou demitir é da alçada do governador”, esquivou-se na resposta.

CONTINUA O MISTÉRIO

Ninguém consegue decifrar o mistério sobre quem trouxe esta empresa Murano ao Acre, que continua papando tudo que é de obras no Estado, pegando caronas em outras licitações de fora. Alguém tem de ser o padrinho desta empresa, não cairia no Acre sem mão no ombro.

SEM POLITICAGEM

O Edvaldo Magalhães é um dos deputados que mais tenho respeito pela sua inteligência e ser um bom parlamentar. Mas é politicagem convocar o secretário de Agricultura, Paulo Wadt, para ser ouvido na ALEAC em cima de ilações de adversários. Há coisas mais importantes.

ABRE-ALAS

O assessor pessoal do governador, Ricardo França, é uma espécie de pajem, de abre-alas da misteriosa e muda secretária de Saúde, Mônica Feres. No mínimo foi uma indicação sua. É quem fica lhe comboiando para cima e para baixo. Mas sem responder: para que veio?

BOCALOM ABRE O JOGO

Sobre declaração do governador Gladson Cameli na coluna, o ex-prefeito Tião Bocalom se posicionou em Nota: “Meu caro, Luis! Em novembro do ano passado recebi do governador Gladson, em seu gabinete de Senador, o convite para lhe ajudar no governo na área do agronegócio. Eu lhe respondi: Governador, eu quero ajudar o nosso Estado, e fazendo um bom trabalho vou lhe ajudar muito! O tempo passou e não me chamaram para nada e, no início de Abril, tive uma nova conversa com o governador em seu gabinete. Novamente me convidou para participar, sem falar o cargo. Pediu para eu falar com o Paulo Wadt (secretário de Agricultura). Liguei para o Paulo para tentar marcar uma conversa com ele, para definirmos onde e como seria o meu trabalho. Infelizmente, o Paulo ao atender o telefonema, disse que já havia falado com o governador e já veio com a proposta de assumir a EMATER. Eu disse a ele, ok, mas assim não, Paulo! Você é meu amigo pessoal de tantos anos e precisamos sentar para conversamos sobre trabalho. Ele disse que estava sem tempo, ao que eu lhe disse: então eu não quero, porque não estou atrás de cargo, eu estou querendo ajudar o governo para dar resultados e, sem uma conversa contigo para definirmos nosso trabalho, não aceitarei. Ao mesmo tempo eu pensei: o Governador que é o Governador sentou comigo para conversar. Desligamos o telefone e tudo ficou com dantes. ..Eu jamais aceitaria um cargo para ter status e receber um salário. Para falar em dinheiro, há mais de 4 anos, quando tirei do Estado a minha Rainha (esposa) para tratar de sua saúde, os meus rendimentos mensais somados ao dela, não pagam metade das minhas atuais despesas, e além de minha família, estou me desfazendo de meu pouco capital que me resta. Veja ai, Luis, que se eu estivesse pensando apenas no dinheiro, sem me importar com resultados, já estaria lá dentro do governo. O Governo do Gladson precisa dar certo, porque eu não aguentaria mais 18 anos lutando contra o PT. Forte abraço”.

NUNCA FAÇO ISSO

Não costumo nunca quebrar o perfil da coluna de notas curtas. Mas como se trata de um dos políticos mais sérios do Acre, e como era uma explicação necessária, publico na íntegra.

Continuar lendo

Blog do Crica

Mazinho Serafim: “o MDB nunca entrou no governo”

Publicado

em

O prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim, ligou ontem para colocar mais gasolina na fogueira política e dizer ao BLOG DO CRICA de que, o governador Gladson Cameli se engana quando fala que o MDB tem cargos no governo. “As secretárias Eliane Sinhasique e Maria Alice não representam o MDB. São escolhas pessoais do governador. O MDB nunca se reuniu para discutir a indicação de qualquer secretário. E os que estão em outros cargos de confiança e são do MDB, também não foram escolhidos por decisão partidária. O MDB não pode sair de um governo no qual nunca entrou”, pontuou Serafim. Aproveitou para rebater o vice-governador Major Rocha que costuma citar a irmã Mara Rocha como a mais votada deputada federal para justificar a ocupação de espaços na administração. “Isso só vale para ela? Não vale para minha mulher Meire Serafim, que foi a deputada estadual mais votada do Acre na última eleição e não indicou um vigia”? Indagou o prefeito com uma dose de ironia. Para Mazinho, caso o Gladson queira o apoio integral do MDB tem que sentar com os seus dirigentes para discutir uma aliança com a participação na gestão. “Sem isso, o MDSB não tem compromisso de lhe dar apoio na Assembléia Legislativa”, avisou. E assim continuará sem compromisso na ALEAC.

O BURACO É MAIS EMBAIXO

O Jorge Viana é a maior liderança do PT e uma das maiores do Acre. Não se discute este perfil. Mas o seu prestígio político não está mais no ápice. Tivesse, ele teria atropelado todos os percalços da última eleição e seria eleito senador. Não acredito, pois, que vá entrar numa eleição arriscada para prefeito, a rejeição ao seu partido ainda é muito grande na capital.

PROBLEMA PARA O FUTURO

Jorge Viana é um dos políticos acreanos mais sagazes que conheço. Sabe que se perder uma eleição para prefeito de Rio Branco queimará seu filme para uma disputa do Senado em 2022.

A POLÍTICA É DINÂMICA

Nos dois primeiros anos do seu mandato o prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, aparecia nas pesquisas como o “pior prefeito do Acre”. Virou o jogo e é hoje uma das administrações municipais em maior ascensão popular. A política é algo dinâmico.

UMA NOVA CARA

Ilderlei virou o jogo. Reconhecido até pelos adversários. Neste verão já vai com mais de 15 kms entre pavimentação e recapeamento, alcançando 25 ruas. Seu projeto é continuar trabalhando mesmo no inverno e chegar ao fim do ano com pelo menos 100 kms de vias pavimentadas.

AVANÇOS IMPORTANTES

A gestão do prefeito Ilderlei tem avanços importantes. Na Saúde, pulou de 100 mil exames para 220 mil exames por ano. Os pacientes da hemodiálise são buscados e deixados em casa por Van da prefeitura. Registre-se: muito se deve à secretária Ildecleide Cordeiro, que arrumou a casa administrativamente, deixando o prefeito liberado para comandar as ações.

HORA DE ESMURRAR

Chegou a hora do governador Gladson esmurrar a mesa e, dizer que, quem governa é ele. Caso fique a aceitar pressões para colocar ou tirar este ou aquele secretário passará à opinião pública uma imagem de um gestor fraco e ficará na sua administração refém de políticos. A hora é essa. O poder é para ser exercido na plenitude. O governador precisa entender isso.

CONCILIADOR, ATÉ CERTO PONTO!

É natural que os políticos que estiveram ao seu lado na campanha tenham espaço no seu governo. A questão é que alguns têm muitos cargos, outros poucos ou nenhum. Definido este espaço tem de usar a autoridade. O CPF em jogo é o seu, o futuro político em jogo é o seu. Nada justifica um partido tem espaços no governo e não dar a contrapartida. A caneta é sua.

ACOMPANHANDO TUDO

Com o advento das redes sociais a população acompanha todos os passos do seu governo.

COLOCAÇÃO INFELIZ

O deputado Luiz Tchê (PDT) foi infeliz ao afirmar que na liderança do governo tem que se comportar como uma “mãe” que dá comida (cargos) para os filhos (no caso os deputados da base do governo), e depois se sobrar cargos dá para o PDT. Esta é a nossa política, ora, pois!

NÃO TEM O PERFIL

Com todo respeito ao secretário Alysson Bestene, mas ele não tem perfil para ser o articulador político do governo. Quem tem este perfil, mas não quer a função, é o deputado José Bestene.

SEMPRE NA DELE

Um político que não dá problema para o governador Gladson Cameli é o deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS), quando assume a sua vaga, e na condução dos trabalhos na ALEAC.

QUAL A RAZÃO?

Por qual razão a Hospital Regional do Juruá está funcionando a contento e o HUERB, não?

FORA DA ARTICULAÇÃO

O vice-governador Major Rocha não quer participar da articulação política do governo e acha que o escolhido tem que antes de tudo ter poder de resolver problemas ou fracassará.

NÃO PODE ACONTECER

Cirurgias ortopédicas foram marcadas, anunciadas à imprensa pela direção da Fundação Hospitalar, os pacientes foram preparados e o anestesista escalado não compareceu. Por isso que as coisas não funcionam na Saúde. Só falta não aplicar uma punição séria ao profissional.

EM PLENA CAMPANHA

O professor Minoru Kinpara fez no fim de semana um verdadeiro comício numa FM da cidade, como se estivesse no horário eleitoral. Não demora e espalhará cartazes seus pela cidade pedindo votos para prefeito. E estará na esquina fazendo bandeiraço.

MANTER A PALAVRA

O governador Gladson Cameli ficou sem saída depois que anunciou que não demitirá o secretário de Agricultura, Paulo Wadt, porque se voltar atrás ninguém acreditará mais no que prometer daqui em diante. Na política, a palavra empenhada tem que ser mantida a todo custo.

TRABALHAR PARA O PT

Até aqui já foram anunciados como candidatos a senadores Jéssica Sales (MDB), Mara Rocha (PSDB), Ilderley Cordeiro (Progressistas) e ainda tem como candidata nata a senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS). Ou se entendem em uma candidatura única ou o JV papa a vaga.

É PARA ACHAR GRAÇA

Depois de anunciado que a licitação da nova ponte sobre o Rio Acre, ligando Epitaciolândia à Brasiléia, seria aberta, apareceram alguns políticos com a cara mais dura da vida, reivindicando a obra. Mente quem disser o contrário, a ponte é conquista exclusiva do governo do Gladson.

TIRANDO A BURCA

O deputado Jenilson Lopes (PCdoB) apresentou requerimento convidando a secretária de Saúde, Mônica Feres, que desde que assumiu vestiu uma burca e não deu um pio sobre seus planos para o setor, para ser inquirida na Comissão de Saúde da ALEAC. Que seja aprovado.

PRESTÍGIO EM ALTA

Pelo que se tem lido na mídia nacional, aonde chega o Ministro da Justiça Sérgio Moro, é ovacionado. Quem esperava que, ele sendo levado ao Senado para ser questionado acabaria com a sua imagem, quebrou a cara. Sua ação na Lava Jato tem um amplo apoio da população.

FLAVIANO MELO NA BERLINDA

O presidente do MDB, deputado federal Flaviano Melo, está na berlinda com as cobranças do governador Gladson Cameli de que não aceita mais o MDB ter secretarias, cargos de confiança, e não dar cem por cento de reciprocidade na Assembléia Legislativa. O MDB só quer o bônus.

SEMPRE NA DELE

O senador Sérgio Petecão (PSD) é que está certo em ficar longe do tiroteio político, não exercendo nenhuma pressão sobre o governador brigando por cargos. E teria moral para isso, afinal, ele foi o mais votado da última eleição. Simplesmente não perturba por mais espaço.

VOTOU AO NORMAL

O Atlético Acreano voltou ao normal. Foi goleado por 4 a 0 pelo lanterna Luverdense.

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.