Conecte-se agora

No interior, Marcus diz que soluções não serão concebidas a partir da realidade da capital

Publicado

em

Em agenda com moradores dos municípios de Senador Guiomard e Capixaba, regiões que junto com Acrelândia e Plácido de Castro concentram a maior parte da produção agrícola acreana, o candidato ao governo Marcus Alexandre Viana (PT) afirmou que as propostas de solução para os problemas das cidades do interior não terão como base a realidade de Rio Branco.

“Vamos governar ouvindo vocês e não trazendo soluções a partir da realidade da capital, por exemplo”, disse o petista. Aos moradores da zona rural, o candidato prometeu ter como uma de suas prioridades a manutenção dos ramais como forma de assegurar a trafegabilidade e o escoamento da produção.

“Uma das metas é fortalecer o Deracre para garantir ramais com boas condições de trafegabilidade”, afirmou. Ainda no quesito mobilidade, ele falou sobre a integração do transporte público de Rio Branco com os municípios vizinhos, incluindo a construção de terminais de integração.

“Vamos buscar soluções para as cidades vizinhas, como Rio Branco e Senador Guiomard, por exemplo, que podem ter uma integração no transporte público com o uso dos terminais.”

Nos dois municípios, o petista recebeu o apoio de lideranças comunitárias e políticas. Em Senador Guiomard, além das vereadoras Cláudia Lima, Francisca Macedo e Idalete Holanda, o ex-prefeito Celso Ribeiro e o ex-candidato a prefeito Jorge Catalan, fizeram questão de manifestar apoio às candidaturas majoritárias da Frente Popular.

Em Capixaba, os ex-prefeitos Lourival Mustafa, o Serraria e Afonso Varêda, também estão na linha de frente na busca por votos para Marcus Alexandre e Emylson Farias, Jorge Viana (PT) e Ney Amorim (PT).

“Essa avenida central duplicada, e tudo o que tem aqui no Quinari foram os governadores da Frente Popular que fizeram e nós sabemos que Marcus Alexandre vai fazer muito mais por nós. O povo aqui confia nele e ninguém quer voltar ao tempo dos salários dos funcionários públicos atrasados”, disse Militão da Seringueira, 78, um dos moradores mais antigos de Senador Guiomard.

Propaganda

Acre 01

Ambulância do Samu que transportava grávida e um recém-nascido se envolve em acidente

Publicado

em

Na manhã desta quinta-feira (17) no trecho que liga as cidades de Sena Madureira e Bujari, uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) saiu da pista. O veículo transportava uma mulher grávida e uma criança recém-nascida para o hospital da capital. Ainda não se sabe se houve feridos.

Segundo relatos de testemunhas, o motorista da ambulância perdeu o controle da direção do veículo e saiu da pista.

Homens do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar de Sena Madureira e, um motorista de caminhão, ajudaram a resgatar o veículo que seguiu viagem até a capital.

Veja o vídeo:

Com informações da Folha do Acre.

Continuar lendo

Acre 01

Após “guerra na Aleac”, deputados relatam a defensores sobre “quebra de acordo”

Publicado

em

Após visitar os chefes dos Poderes Judiciário e Ministério Público, os deputados Roberto Duarte (MDB), Jenilson Leite (PSB), Edvaldo Magalhães (PCdoB) , Daniel Zen (PT) e Jonas Lima (PT) estiveram reunidos com os membros da Defensoria Pública do Estado do Acre que também foram afetados com a aprovação do Projeto de Lei que altera a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).

Na presença da defensora pública-geral, Roberta Caminha e dos defensores Celso Rodrigues e Simone Santiago, os parlamentares pediram desculpas por não terem tido condições de manter a palavra no projeto aprovado antes do recesso no primeiro semestre.

“o maior pedido de desculpas é com a Defensoria devido ao orçamento que já estava baixo e corre o risco de ficar mais baixo ainda”, salientou Roberto Duarte, que alegou que não houve transparência, explica que 2 artigos foram vetados da LDO, pois num primeiro momento foi aprovado pelo executivo e agora excluído. Os deputados prometeram judicializar o caso assim que lei for sancionada.

Subdefensora-geral da DPE/AC, Simone Santiago, destacou que a instituição vai deixar de atender milhares de cidadão acreanos diante da vulnerabilidade. “Ficamos extremamente preocupados porque o objetivo era a união dos poderes. O artigo 21 vinha de encontro da nossa realidade, pois precisamos muito da contratação de novos defensores, assistimos tudo isso de forma preocupante e realmente ficamos em uma situação muito delicada. Nossa gratidão a cada um de vocês que abraçaram nossa instituição”, disse.

Continuar lendo
Propaganda

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.