Conecte-se agora

Três desafios fatais

Publicado

em

A campanha finalmente chega às ruas. O senador Gladson Cameli (PROGRESSISTAS) dá a largada com uma boa vantagem nas pesquisas, tendo na segunda colocação o candidato do PT, Marcus Alexandre. E bem atrás, na terceira colocação, a candidatura do Coronel Ulisses Araújo (PSL). Três desafios estão lançados. O primeiro é Cameli ampliar a diferença e ganhar no primeiro turno. O segundo é para o candidato petista descontar a vantagem nestes pouco mais de quarenta dias que faltam para o término do período eleitoral, na eleição mais difícil que travou na sua carreira política. E o terceiro desafio é para o Coronel Ulisses buscar a polarização até o meado de setembro. Um fato novo relevante terá que acontecer para que consiga emparelhar no pelotão de cima e ir ao segundo turno. Se até a primeira quinzena de setembro as pesquisas continuarem no mesmo patamar, a polarização Cameli e Marcus não será quebrada. E até lá também poderemos ter uma visão se a decisão acontecerá ou não em turno único.

QUEBRANDO TABUS NA IMPRENSA
O AC24horas, campeão de acessos no Acre, estará trazendo uma inovação nesta eleição, como forma de colaborar para que o eleitor conheça as propostas de cada candidato ao governo, com sabatinas pelos jornalistas do Site. Começa na segunda-feira ás 19 horas e 30 minutos, ao vivo, e pela ordem do sorteio a primeira entrevista será com o Coronel Ulisses Araújo (PSL). É uma maneira de colaborar para aclarar a disputa eleitoral. Estaremos entre os entrevistadores.

NÃO GOSTOU NEM UM POUCO
A coluna tem informação de que o governador tem manifestado aos assessores mais próximos o seu descontentamento com as alianças que o candidato ao Senado, Ney Amorim (PT), está fazendo com prefeitos da oposição. O clima dentro do PT, por conta disso, não é dos melhores.

NÃO FICARÁ SÓ NISSO
E pelo visto o governador terá mais raiva nos próximos dias. O novo roteiro do candidato ao Senado, Ney Amorim (PT), não ficará restrito à aliança com o prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim (MDB), a praticamente certa com o prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro (PATRIOTAS) e há uma conversa engatilhada com o prefeito de Senador Guiomard, André Maia (PSD). Ao que se vê a disputa do Senado está mais interessante que a de governo.

LEI DO MURICI
No PT acontece algo novo, a adoção da famosa “Lei de Murici”, em que cada um que cuide si.

BARBIESE BAQUEADAS
Com a campanha nas redes sociais veio também o lado cômico. O uso do programa de computador Photoshop, que retoca fotos, tira rugas, tem causado gargalhada. Candidatas baqueadas pelo tempo estão aparecendo nos santinhos com as feições da boneca Barbie de tão esticados estão seus rostos. Algumas ficaram irreconhecíveis, tal a transformação. Longe de se tornarem mais bonitas, ficam risíveis. Estão virando piadas na eleição.

OS HOMENS TAMBÉM USAM ARTIFÍCIO
Os candidatos homens, com a idade madura, também aparecem nos seus santinhos com feições de adolescentes. Correm o risco de não serem reconhecidos pelos eleitores.

NEM BOLA
O que se tem notado também nas propagandas políticas é que a fidelidade partidária tem sido chutada para longe. Muitos dos candidatos colocam, por exemplo, o nome de apenas um candidato a senador. Se isso acontece de público, imagine o que não ocorre nos bastidores.

MARCUS, BOLSONARO E O GENERAL
Na propaganda do candidato a deputado federal, Lira Xapuri (PRTB), aparecem juntos à sua foto, o candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL), seu vice General Mourão, e o candidato a governador pelo PT, Marcus Alexandre (PT). A coerência ideológica foi para o ralo.

CAMPANHA ARRUMADA
A campanha começou nas ruas e com mais vigor nas redes sociais. Dos chamados partidos nanicos uma das campanhas mais arrumadas na coligação do PV é a do Juiz de Direito aposentado, Pedro Longo (PV). O seu currículo tem favorecido em muito sua candidatura.

GUERRA JURÍDICA
Mal a campanha começou e já existem na justiça eleitoral, várias denúncias contra candidatos.

O TEMPO É DE LAVA JATO
Os candidatos que costumam fugir das regras tradicionais de uma eleição atentem para o fato que esta será uma disputa eleitoral sob a sombra da Lava Jato e do seu vento moralizador.

CURIÓ DE MUDA
O presidente do MDB, Flaviano Melo, está igual curió em muda e não dá um pio sobre a fritura que o candidato ao Senado do partido, Márcio Bittar, sofre internamente. Como Flaviano é candidato à reeleição, não esperem que abra o bico e proteste. Não quer perder aliados.

M QUE PESE A AÇÃO
A polícia está direto nas ruas, prende muitos marginais, elucida crimes, tem a feito a apreensão de drogas e armas, mas em que pese esta ação contínua, a Segurança Pública será um dos motes principais desta campanha pelos candidatos da oposição, porque permanecemos a ter a Capital mais violenta do país. Será um tema ácido para os candidatos majoritários da FPA, porque a situação acontece num governo do PT, o principal partido da coligação. E não há nenhuma esperança que o atual contexto de uma população acuada se reverta até a eleição. E como são fatos que mexem com o cotidiano não há como esconder.

SOBROU PARA O VERDE
O descontentamento também sobrou para os petistas mais radicais por conta da escolha da cor verde para a campanha do candidato Marcus Alexandre (PT). Alguns, protestaram nas redes sociais por o vermelho, tradicionalmente, a cor das campanhas petistas, ter sido jogado no lixo.

VERGONHA DO VERMELHO
A questão é que em eleições passadas, quando o PT era novidade, vestir vermelho era moda e dava status. Com o desmoronamento moral do PT, todos querem se descolar do vermelho. No próprio Plano de Governo do Marcus Alexandre, ele fala em uma “reconstrução” do Estado.

Campanha na rua
O senador Jorge Viana (PT) voltou aos primórdios do PT e ontem estava nas ruas de Cruzeiro do Sul distribuindo a sua propaganda. Promete uma campanha de parceria com os candidatos proporcionais, mas ressalvou: “tudo dentro da legalidade, não vou entrar ficha- limpa e sair ficha-suja da campanha”. Promete uma atuação descolada e de conversas com a população.

VAQUINHA LEITEIRA
Para arrecadar fundos de campanha, diz o senador Jorge Viana (PT), que vai fazer uma “vaquinha” pela internet e tentar chegar a um teto de doações em torno de 300 mil reais.

SAINDO DA TOCA
Pela primeira vez desde que saiu do governo o ex-governador Binho Marques (PT) deu uma entrevista à imprensa. Sairá domingo, no “Bar do Vaz”, falando da sua administração.

UM DETALHE A SE REVELAR
O assunto não virá na entrevista do ex-governador Binho, mas uma coisa puxa a outra. A coluna revela o real motivo do seu rompimento político com o atual governador: a demissão pelo Binho do jornalista Washington Aquino, que como assessor, fazia críticas ao seu governo.

AFINADO COM OS EVANGÉLICOS
O deputado federal Alan Rick (DEM) é um dos candidatos à Câmara Federal dos mais afinados com a pauta evangélica de defesa da vida, contra o aborto, identidade de gênero e contra o casamento gay. Disputa a reeleição com uma base mais ampla neste segmento religioso.

APOIO FECHADO
A prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem, uma das melhores avaliadas nas pesquisas, tem candidatos definidos para apoiar nesta eleição: deputado federal Léo de Brito (PT) e a deputada estadual Leila Galvão (PT). É democrática nas relações políticas, mas é partidária.

O QUE É A POLÍTICA!
A maior torcida hoje na cúpula do PT é no sentido que o candidato ao governo, Ulisses Araújo (PSL), chegue ao final da eleição com pelo menos 10% nas pesquisas, como forma de jogar a eleição ao segundo turno. Pelo fato do PT ser governo, acha que o segundo turno é favorável.

MÃOS EXPERIENTES
O canal de comunicação com os órgãos de imprensa do candidato ao governo, Gladson Cameli (PROGRESSISTA), estará nas mãos experientes da jornalista Silvânia Pinheiro. É muito bem relacionada com a categoria de jornalistas, já foi Editora de vários jornais de Rio Branco.

PARA GANHAR NO PRIMEIRO TURNO
A meta da equipe que cerca o candidato ao governo, Gladson Cameli (PROGRESSISTAS), é que decida a eleição já no primeiro turno. O que tem motivado este otimismo são as pesquisas internas. A avaliação é que já nas próximas rodadas de pesquisas aumentará sua vantagem.

CAMINHO ERRADO
O deputado Jonas Lima (PT), quando ataca na tribuna da ALEAC, o candidato ao governo Gladson Cameli (PROGRESSISTA) por ter berço em uma família rica, comete o mesmo erro que cometeu o PCdoB com a história de “riquinho” na disputa do Senado, que só o favoreceu.

META POLÍTICA
O candidato á reeleição, deputado Heitor Junior (PODEMOS), diz que tem trabalhado para ser o mais votado da coligação PODEMOS-PRB-PROS. Avalia que ampliou muito sua base de apoio. O Heitor tem sido um dos bons deputados desta legislatura.

REPETINDO O SUCESSO
O candidato ao Senado, Sérgio Petecão (PSD), manterá a música de campanha que foi o hit da última eleição, com o refrão que, “com Petecão, quem ganha é o povo”, atualizando apenas a letra para o atual contexto da disputa. Petecão apareceu na última pesquisa liderando.

DIFICILMENTE ESCAPA
Na chapa da coligação do PDT para deputado estadual, que pode eleger dois nomes para a ALEAC, dificilmente, uma das vagas não será ocupada pelo candidato Gêmil Junior (PDT). É candidato do Pastor evangélico mais pé quente, Agostinho Gonçalves, da Batista do Bosque.

NEM SÓ NA CLASSE MÉDIA
Falando de eleição do Senado, ontem peguei um táxi e como sou conhecido o assunto descambou para a política. Muito falante, o motorista externou que só tem um candidato até agora definido: “o Minoru”. E ainda explicou o voto: “é um professor”. Pelo visto, o Minoru não está bem só na classe média e no meio universitário. Confesso ter ficado surpreso.

VISUAL DE CAMPANHA
Em meio a um discurso entusiasmado o candidato ao governo pelo PT, Marcus Alexandre, apresentou ontem a sua marca visual da campanha, com a confirmada mudança da cor nas suas peças publicitárias, do tradicional do vermelho petista de outras disputas, trocado pela cor verde. A ala mais radical andou trancando a cara, pois, queria manter o vermelho do Lula.

Propaganda

Blog do Crica

Minoru, queima da bíblia e fogo amigo

Publicado

em

Tomou conta das redes sociais vídeos procurando queimar a imagem do ex-Reitor da UFAC, Minoru Kinpara. Um dos vídeos mostra uma festa de Rock na Universidade Federal do Acre em que estudantes estão queimando uma Bíblia. E no outro a Mara Rocha, então apresentadora da TV-GAZETA, anunciando o ato acontecido na UFAC. Os vídeos destacam que tudo aconteceu quando Minoru era Reitor e numa forma clara de mostrá-lo perante o eleitorado cristão de que, como autoridade maior da UFAC na época, não se posicionou sobre o ato. A intenção deste fogo amigo é claro: querendo passar para a opinião pública ser ele ateu. A divulgação é atribuída a um dos candidatos a prefeito do bloco aliado, que apareceu mal na última pesquisa sobre a eleição municipal de Rio Branco. E o Minoru, nem se filiou! Prepare o lombo que ainda vem muita lambada de cipó de fogo a caminho. O sistema é bruto.

VEM DA BASE GOVERNISTA

Os ataques de queimação contra o Minoru Kinpara não partem de nenhum segmento da esquerda, seja do PT ou PCdoB, mas foram montados e divulgados nas redes sociais por membros de partidos aliados do governo e contrários à candidatura do Minoru a PMRB.

REAÇÕES FORTES

Os vídeos são só aperitivos do que está a caminho contra a candidatura do professor Minoru Kinpara e vindo de partidos com interesses em candidaturas próprias à prefeitura da capital.

FAÇA-SE A LUZ

A prefeita Socorro Neri vai executar num convênio com a Energisa a iluminação da estrada do aeroporto, parques e de algumas ruas da capital. Isso se chama comer problema pela beirada.

ÚNICO A FAVOR

O deputado federal Alan Rick (DEM) é o único da bancada federal acreana na Câmara Federal a favor do decreto de armas do presidente Jair Bolsonaro. Os demais foram contra ou ficaram no muro sobre a matéria. O Alan tem se sido firme a favor das pautas de campanha do Bolsonaro.

MUITO FIRME

Fui ontem ao Palácio Rio Branco tomar um café a convite do governador Gladson, onde passou a despachar. O encontrei muito tranqüilo e firme na sua decisão de não mais aceitar pressão política. Chegou à conclusão de que, ou adota esta postura ou seu governo será de intrigas.

UMA PROVA DE CONFIRMAÇÃO

Uma prova de confirmação de que tudo o que publiquei no BLOG DO CRICA foi dito por ele. Ou não me chamaria para tomar café no seu gabinete no dia seguinte. Óbvio ululante, diria Stanilau Ponte Preta. E segue o jogo político. Se no seu programa na rádio quis pincelar um tom mais ameno é outra história. Não é surpresa para quem tem décadas na política.

NÃO MEXE NA AGRICULTURA

Gladson Cameli voltou a repetir ontem o que disse ao BLOG DO CRICA, no domingo: “não vou demitir o secretário de Agricultura, Paulo Wadt, para agradar a deputada federal Mara Rocha”. Se vir a aceitar a pressão e com isso ser desmoralizado no que prometeu, problema dele e não do BLOG. Em política até boi voa, por isso não duvido de nada. A coluna só registra fatos.

TIÃO BOCALOM

O governador revelou um fato interessante durante a conversa de ontem pela manhã. De que o ex-prefeito Tião Bocalom só ainda não está no seu governo porque não quer. Abriu as portas da EMATER. Mas a história tem outros capítulos: é só ler a Nota do Bocalom nesta coluna.

NÃO É PRECISO DESENHAR

Não obriguei ninguém me dar entrevista e nem coloquei a faca no pescoço de ninguém para falar. O que publiquei na primeira conversa que tive com o Gladson Cameli no domingo foi ele ter dito que, já que o PSDB diz que a Segurança não é da cota dos tucanos, ele então passaria a cota para o seu gabinete. Não é preciso desenhar. Ou é?

NÃO ACONTECIA COM O JV

Acompanhei o governo do Jorge Viana, o mais político entre os governantes petistas. Sabia exercer o poder. Os aliados da FPA tinham espaço na sua administração. Mas nenhum deles ousava lhe colocar contra a parede com pressão para tirar este ou aquele secretário. Cortava o papagaio na subida. Assim que tem de ser: parceria sim, mas quem manda é o governador.

PERDE A AUTORIDADE

Quando um governador fica refém uma vez de um político a porteira ficará aberta para que outros políticos pratiquem o mesmo tipo de pressão. E adeus governabilidade. Não sei se o Gladson vai cumprir a promessa de reagir às pressões. Se ele reagir decola, se não embica.

PROMESSA CUMPRIDA

Enquanto alguns estão se lançando candidatos ao Senado, a senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS) vai avançando em novas conquistas. É da sua lavra a iniciativa para a construção do Colégio Militar de Senador Guiomard, cujas obras estão em execução.

TUCANOS NÃO QUEREM BRIGA

O presidente do PSDB, Correinha, disse ontem ao BLOG DO CRICA que sentou com o governador Gladson e saiu com a certeza de que algumas situações de pendências serão resolvidas e o partido continuará afinado com o governo. E que buscar espaços é da política.

TUCANO DO BICO LARGO

Traduzindo para o popular, o que disse o presidente do PSDB: além de todo sistema de Segurança, Fundação Cultural, os tucanos têm bico largo, querem mais cargos no governo.

NÃO ENTENDO O ROCHA

Sempre sou muito sincero. Até com amigos de longas datas como o vice-governador Major Rocha. Todos os cargos da Segurança foram de sua indicação, e diz que não nomeou ninguém?

DECISÃO DE GOVERNO

O tucano Correinha não quis comentar a exigência da deputada federal Mara Rocha (PSDB) de que, ou o Gladson demite o secretário de Agricultura, Paulo Wadt, ou ela sairá da base do governo. “Nomear ou demitir é da alçada do governador”, esquivou-se na resposta.

CONTINUA O MISTÉRIO

Ninguém consegue decifrar o mistério sobre quem trouxe esta empresa Murano ao Acre, que continua papando tudo que é de obras no Estado, pegando caronas em outras licitações de fora. Alguém tem de ser o padrinho desta empresa, não cairia no Acre sem mão no ombro.

SEM POLITICAGEM

O Edvaldo Magalhães é um dos deputados que mais tenho respeito pela sua inteligência e ser um bom parlamentar. Mas é politicagem convocar o secretário de Agricultura, Paulo Wadt, para ser ouvido na ALEAC em cima de ilações de adversários. Há coisas mais importantes.

ABRE-ALAS

O assessor pessoal do governador, Ricardo França, é uma espécie de pajem, de abre-alas da misteriosa e muda secretária de Saúde, Mônica Feres. No mínimo foi uma indicação sua. É quem fica lhe comboiando para cima e para baixo. Mas sem responder: para que veio?

BOCALOM ABRE O JOGO

Sobre declaração do governador Gladson Cameli na coluna, o ex-prefeito Tião Bocalom se posicionou em Nota: “Meu caro, Luis! Em novembro do ano passado recebi do governador Gladson, em seu gabinete de Senador, o convite para lhe ajudar no governo na área do agronegócio. Eu lhe respondi: Governador, eu quero ajudar o nosso Estado, e fazendo um bom trabalho vou lhe ajudar muito! O tempo passou e não me chamaram para nada e, no início de Abril, tive uma nova conversa com o governador em seu gabinete. Novamente me convidou para participar, sem falar o cargo. Pediu para eu falar com o Paulo Wadt (secretário de Agricultura). Liguei para o Paulo para tentar marcar uma conversa com ele, para definirmos onde e como seria o meu trabalho. Infelizmente, o Paulo ao atender o telefonema, disse que já havia falado com o governador e já veio com a proposta de assumir a EMATER. Eu disse a ele, ok, mas assim não, Paulo! Você é meu amigo pessoal de tantos anos e precisamos sentar para conversamos sobre trabalho. Ele disse que estava sem tempo, ao que eu lhe disse: então eu não quero, porque não estou atrás de cargo, eu estou querendo ajudar o governo para dar resultados e, sem uma conversa contigo para definirmos nosso trabalho, não aceitarei. Ao mesmo tempo eu pensei: o Governador que é o Governador sentou comigo para conversar. Desligamos o telefone e tudo ficou com dantes. ..Eu jamais aceitaria um cargo para ter status e receber um salário. Para falar em dinheiro, há mais de 4 anos, quando tirei do Estado a minha Rainha (esposa) para tratar de sua saúde, os meus rendimentos mensais somados ao dela, não pagam metade das minhas atuais despesas, e além de minha família, estou me desfazendo de meu pouco capital que me resta. Veja ai, Luis, que se eu estivesse pensando apenas no dinheiro, sem me importar com resultados, já estaria lá dentro do governo. O Governo do Gladson precisa dar certo, porque eu não aguentaria mais 18 anos lutando contra o PT. Forte abraço”.

NUNCA FAÇO ISSO

Não costumo nunca quebrar o perfil da coluna de notas curtas. Mas como se trata de um dos políticos mais sérios do Acre, e como era uma explicação necessária, publico na íntegra.

Continuar lendo

Blog do Crica

Mazinho Serafim: “o MDB nunca entrou no governo”

Publicado

em

O prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim, ligou ontem para colocar mais gasolina na fogueira política e dizer ao BLOG DO CRICA de que, o governador Gladson Cameli se engana quando fala que o MDB tem cargos no governo. “As secretárias Eliane Sinhasique e Maria Alice não representam o MDB. São escolhas pessoais do governador. O MDB nunca se reuniu para discutir a indicação de qualquer secretário. E os que estão em outros cargos de confiança e são do MDB, também não foram escolhidos por decisão partidária. O MDB não pode sair de um governo no qual nunca entrou”, pontuou Serafim. Aproveitou para rebater o vice-governador Major Rocha que costuma citar a irmã Mara Rocha como a mais votada deputada federal para justificar a ocupação de espaços na administração. “Isso só vale para ela? Não vale para minha mulher Meire Serafim, que foi a deputada estadual mais votada do Acre na última eleição e não indicou um vigia”? Indagou o prefeito com uma dose de ironia. Para Mazinho, caso o Gladson queira o apoio integral do MDB tem que sentar com os seus dirigentes para discutir uma aliança com a participação na gestão. “Sem isso, o MDSB não tem compromisso de lhe dar apoio na Assembléia Legislativa”, avisou. E assim continuará sem compromisso na ALEAC.

O BURACO É MAIS EMBAIXO

O Jorge Viana é a maior liderança do PT e uma das maiores do Acre. Não se discute este perfil. Mas o seu prestígio político não está mais no ápice. Tivesse, ele teria atropelado todos os percalços da última eleição e seria eleito senador. Não acredito, pois, que vá entrar numa eleição arriscada para prefeito, a rejeição ao seu partido ainda é muito grande na capital.

PROBLEMA PARA O FUTURO

Jorge Viana é um dos políticos acreanos mais sagazes que conheço. Sabe que se perder uma eleição para prefeito de Rio Branco queimará seu filme para uma disputa do Senado em 2022.

A POLÍTICA É DINÂMICA

Nos dois primeiros anos do seu mandato o prefeito de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro, aparecia nas pesquisas como o “pior prefeito do Acre”. Virou o jogo e é hoje uma das administrações municipais em maior ascensão popular. A política é algo dinâmico.

UMA NOVA CARA

Ilderlei virou o jogo. Reconhecido até pelos adversários. Neste verão já vai com mais de 15 kms entre pavimentação e recapeamento, alcançando 25 ruas. Seu projeto é continuar trabalhando mesmo no inverno e chegar ao fim do ano com pelo menos 100 kms de vias pavimentadas.

AVANÇOS IMPORTANTES

A gestão do prefeito Ilderlei tem avanços importantes. Na Saúde, pulou de 100 mil exames para 220 mil exames por ano. Os pacientes da hemodiálise são buscados e deixados em casa por Van da prefeitura. Registre-se: muito se deve à secretária Ildecleide Cordeiro, que arrumou a casa administrativamente, deixando o prefeito liberado para comandar as ações.

HORA DE ESMURRAR

Chegou a hora do governador Gladson esmurrar a mesa e, dizer que, quem governa é ele. Caso fique a aceitar pressões para colocar ou tirar este ou aquele secretário passará à opinião pública uma imagem de um gestor fraco e ficará na sua administração refém de políticos. A hora é essa. O poder é para ser exercido na plenitude. O governador precisa entender isso.

CONCILIADOR, ATÉ CERTO PONTO!

É natural que os políticos que estiveram ao seu lado na campanha tenham espaço no seu governo. A questão é que alguns têm muitos cargos, outros poucos ou nenhum. Definido este espaço tem de usar a autoridade. O CPF em jogo é o seu, o futuro político em jogo é o seu. Nada justifica um partido tem espaços no governo e não dar a contrapartida. A caneta é sua.

ACOMPANHANDO TUDO

Com o advento das redes sociais a população acompanha todos os passos do seu governo.

COLOCAÇÃO INFELIZ

O deputado Luiz Tchê (PDT) foi infeliz ao afirmar que na liderança do governo tem que se comportar como uma “mãe” que dá comida (cargos) para os filhos (no caso os deputados da base do governo), e depois se sobrar cargos dá para o PDT. Esta é a nossa política, ora, pois!

NÃO TEM O PERFIL

Com todo respeito ao secretário Alysson Bestene, mas ele não tem perfil para ser o articulador político do governo. Quem tem este perfil, mas não quer a função, é o deputado José Bestene.

SEMPRE NA DELE

Um político que não dá problema para o governador Gladson Cameli é o deputado Nicolau Junior (PROGRESSISTAS), quando assume a sua vaga, e na condução dos trabalhos na ALEAC.

QUAL A RAZÃO?

Por qual razão a Hospital Regional do Juruá está funcionando a contento e o HUERB, não?

FORA DA ARTICULAÇÃO

O vice-governador Major Rocha não quer participar da articulação política do governo e acha que o escolhido tem que antes de tudo ter poder de resolver problemas ou fracassará.

NÃO PODE ACONTECER

Cirurgias ortopédicas foram marcadas, anunciadas à imprensa pela direção da Fundação Hospitalar, os pacientes foram preparados e o anestesista escalado não compareceu. Por isso que as coisas não funcionam na Saúde. Só falta não aplicar uma punição séria ao profissional.

EM PLENA CAMPANHA

O professor Minoru Kinpara fez no fim de semana um verdadeiro comício numa FM da cidade, como se estivesse no horário eleitoral. Não demora e espalhará cartazes seus pela cidade pedindo votos para prefeito. E estará na esquina fazendo bandeiraço.

MANTER A PALAVRA

O governador Gladson Cameli ficou sem saída depois que anunciou que não demitirá o secretário de Agricultura, Paulo Wadt, porque se voltar atrás ninguém acreditará mais no que prometer daqui em diante. Na política, a palavra empenhada tem que ser mantida a todo custo.

TRABALHAR PARA O PT

Até aqui já foram anunciados como candidatos a senadores Jéssica Sales (MDB), Mara Rocha (PSDB), Ilderley Cordeiro (Progressistas) e ainda tem como candidata nata a senadora Mailza Gomes (PROGRESSISTAS). Ou se entendem em uma candidatura única ou o JV papa a vaga.

É PARA ACHAR GRAÇA

Depois de anunciado que a licitação da nova ponte sobre o Rio Acre, ligando Epitaciolândia à Brasiléia, seria aberta, apareceram alguns políticos com a cara mais dura da vida, reivindicando a obra. Mente quem disser o contrário, a ponte é conquista exclusiva do governo do Gladson.

TIRANDO A BURCA

O deputado Jenilson Lopes (PCdoB) apresentou requerimento convidando a secretária de Saúde, Mônica Feres, que desde que assumiu vestiu uma burca e não deu um pio sobre seus planos para o setor, para ser inquirida na Comissão de Saúde da ALEAC. Que seja aprovado.

PRESTÍGIO EM ALTA

Pelo que se tem lido na mídia nacional, aonde chega o Ministro da Justiça Sérgio Moro, é ovacionado. Quem esperava que, ele sendo levado ao Senado para ser questionado acabaria com a sua imagem, quebrou a cara. Sua ação na Lava Jato tem um amplo apoio da população.

FLAVIANO MELO NA BERLINDA

O presidente do MDB, deputado federal Flaviano Melo, está na berlinda com as cobranças do governador Gladson Cameli de que não aceita mais o MDB ter secretarias, cargos de confiança, e não dar cem por cento de reciprocidade na Assembléia Legislativa. O MDB só quer o bônus.

SEMPRE NA DELE

O senador Sérgio Petecão (PSD) é que está certo em ficar longe do tiroteio político, não exercendo nenhuma pressão sobre o governador brigando por cargos. E teria moral para isso, afinal, ele foi o mais votado da última eleição. Simplesmente não perturba por mais espaço.

VOTOU AO NORMAL

O Atlético Acreano voltou ao normal. Foi goleado por 4 a 0 pelo lanterna Luverdense.

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.