Conecte-se agora

O jumento, o diploma e o mérito

Publicado

em

O vereador Roberto Duarte (MDB) manda mensagem informando que, quem lhe outorgou o diploma de vereador “destaque” foi o instituto Tiradentes. E quem outorgou diploma a um “Jumento” foi o UDB. Não negou que o instituto Tiradentes esteja sob a investigação do MP, mas garante que não é por causa de diplomas. Diz que não desembolsou um centavo. Fica registrado. Não vou discutir os critérios da concessão da honraria dada aos vereadores Roberto Duarte (MDB), Elzinha Mendonça (PDT) e Jackson Ramos (PT). Fico precavido com este tipo de concessão por institutos que vivem disso. Não tenho numa boa conta. Mas, cada qual com o seu cada qual. Um vereador prova o seu valor é nos embates da tribuna. Não por um pedaço de papel para encher o ego. Saindo deste contexto não se pode negar que, se formos fazer uma relação dos vereadores mais combativos e atuantes da atual legislatura da Câmara Municipal de Rio Branco, por certo o Roberto Duarte (foto) estará encabeçando. É quem mais questiona o governo petista, denuncia, aponta erros, papel que a urna lhe reservou. Não votei nele, mas justifica até aqui ter sido o mais votado do pleito.

ORIENTAÇÃO PRINCIPAL
O candidato ao governo, senador Gladson Cameli (PROGRESSISTA), recebeu orientação dos seus marqueteiros no sentido de não rebater nenhum ataque que sofrer e se limite na campanha a falar do Plano de Governo. Vai adotar a mesma linha quando disputou o Senado.

PÉ INCHADO E FOGUETE
Chega e-mail cômico que a coluna reproduz, sobre declaração do ex-secretário de Segurança, Fernando Melo, o “Jacaré”, de que na sua gestão no governo Jorge Viana a violência não tomou conta da capital. Vamos ao e-mail: “Luis Carlos, naquela época prendiam um bêbado e soltavam fogos. O Walter Prado era perito em fazer carnaval com a prisão de pinguços”.

QUE SE ENTENDAM
Os senhores do PT se entendam sobre quem fez melhor ou pior gestão na área da Segurança. É discussão de sexo dos anjos. Discussão de “companheiros”. Importa o agora, em que os dados nacionais colocam Rio Branco como a cidade mais violenta do país. É o debate a ser travado.

NINGUÉM OLHA PARA SEU RABO
Quando aumentam os salários dos deputados federais e senadores o mundo do falso moralismo vem abaixo. Quando em plena crise econômica o STF concede um aumento aos seus ministros, que vai virar uma cascata em outros postos do Judiciário, mal se ouve os murmúrios de críticas. Quanta hipocrisia! Todos só olham para o rabo do Legislativo.

CARTA DE SEGURO
Já existem dirigentes de partidos nanicos da FPA trocando figurinhas com a oposição. Como a política acreana é terra de muro baixo nada se faz que fique em segredo mais de 24 horas.

BUSCAR VOTOS FORA
Com 12 candidatos a deputado estadual em Sena Madureira, um desfecho se pode esperar com certeza: nenhum deles se elegerá apenas com os votos do município. Ou montam base fora para somar votos na legenda ou reservem desde já o lugar na Balsa para Manacapuru.

PASSA SER NOME FORTE
A candidata ao governo, vereadora Janaína Furtado (REDE), tem tido um bom percentual de intenções de votos em Tarauacá, seu reduto. Não são votos suficientes para se eleger, mas estará sedimentando um caminho para entrar com cacife na disputa da prefeitura em 2020.

APÓIO ECLÉTICO
A prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem, tem como candidato a deputado federal Léo de Brito (PT). Seu irmão, Secretário de Finanças, Tadeu Hassem, pedirá votos para o deputado federal Raimundo Angelim (PT). Mas não impedirão que, setores da prefeitura peçam votos à Antonia Lúcia (PR) e para a deputada federal Jéssica Sales (MDB). Tudo no figurino da democracia.

PREPARANDO PARA A GUERRA
O candidato ao governo, Marcus Alexandre (PT), entrega hoje às 10h30, no TRE, o seu Plano de Governo. À noite segue para Cruzeiro do Sul para participar do Novenário. E na quinta-feira, no Comitê Central, no Bosque, será lançada a marca e toda comunicação visual da sua campanha.

CAMPANHA NA RUA
A partir da quinta-feira todos os candidatos estarão liberados para colocar as suas campanhas nas ruas de forma oficial. O caldo começa a engrossar a partir desta semana. As próximas pesquisas deverão vir com um retrato mais aproximado do que será o restante da eleição.

BASES NO ALTO ACRE
A candidata à deputada federal, Charlene Lima (PTB), não tem restringido a sua campanha apenas em Sena Madureira, onde espera sair com boa votação, mas tem feito parcerias importantes em municípios do Vale do Acre, focando, principalmente, na Capital.

FOGO DE ARTILHARIA
O candidato ao Senado, Márcio Bittar (MDB), tem como meta para se eleger desconstruir a imagem do senador Jorge Viana (PT) ao longo da campanha. Na avaliação do seu grupo JV é o principal empecilho para que consiga ficar com uma das duas vagas em disputa para o Senado.

VOLTA DOS MAGALHÃES
Depois das derrotas de ambos para o Senado, o casal Magalhães volta a disputar mais uma eleição. Perpétua Almeida (PCdoB) tenta retornar à Câmara Federal e Edvaldo Magalhães (PCdoB) A um mandato de deputado estadual. Sem mandatos, o PCdoB perdeu e ficou sem voz na FPA.

DOIS EXEMPLOS
Não terem colocado o vice na chapa do Marcus Alexandre (PT) na última eleição e nem emplacar o vice-governador na atual chapa também puxada pelo Marcus, mostra a perda de força dos comunistas dentro da FPA. Político sem mandato não é chamado nem para enterro.

COMBINAR COM AS URNAS
O deputado Manoel Moraes (PSB) está com todos os planos traçados para ser o próximo presidente da Assembléia Legislativa. Sonhar não custa nada, mas tem de combinar para os eleitores não votarem no Gladson Cameli (PROGRESSISTA) e este não virar governador.

NEM SE DISCUTE
Quem vai ditar a escolha do próximo presidente da ALEAC é o futuro governador. E ponto.

NÃO É POSSÍVEL
Hoje, temos só uma mulher na Câmara Federal, a Jéssica Sales (MDB). Não é possível que esta representação não aumente. Candidatas não faltarão: Rosana Nascimento (PPS), Charlene Lima (PTB), Vanda Denir (SD), Antonia Lúcia (PR), Silvia Monteiro (PMB) e Mara Rocha (PSDB).

JOGANDO EM DUAS VERTENTES
O presidente do PSC, Jamil Asfury, é candidato a deputado federal. Trava uma briga feroz na coligação PSL-PATRIOTAS-PSC, porque a tendência é a eleição de apenas um deputado. Mas tem o Plano B, que é tentar eleição da sua mulher, Pastora Sandra Asfury (PSC), para estadual.

METENDO A COLHER
A deputada Eliane Sinhasique (MDB), com o mote: “em briga de marido e mulher devemos meter a colher”, entrou na campanha contra a agressão às mulheres e pôs a Comissão de Direitos Humanos da Aleac, que preside, ao dispor para quem quiser denunciar casos de violência.

DEDÉ DA BAIXADA
Como ativista das candidaturas da oposição, o Dedé da Baixada é uma fera. Vamos ver como vai se comportar agora nas urnas como candidato a deputado estadual pelo PROGRESSISTA.

JOSÉ BESTENE
A coligação PROGRESSISTA-PR-PMN-PPS é uma das mais fortes para deputado estadual desta eleição. Entre os candidatos que disputam com boa chance está o ex-deputado José Bestene.

DIVISOR DE ÁGUAS
A votação do candidato a governador, Coronel Ulisses Araújo (PSL), será o divisor de águas se teremos segundo turno. Os favoritos continuam sendo Marcus Alexandre (PT) e Gladson Cameli (PROGRESSISTA). As pesquisas até aqui publicadas não indicam decisão num turno.

LEGISLAÇÃO RIGOROSA
Quem for brincar de fazer pesquisa nesta eleição tem de ficar atento que publicar sem o devido registro eleitoral resulta numa multa salgada. O objetivo é impedir as fraudes.

TODOS PUNIDOS
Alguns colegas que na eleição para o Senado publicaram uma pesquisa fajuta forjada pelo poder para beneficiar candidato da FPA, ainda hoje estão pagando parcelas de multas.

FALSOS FIÉIS
Na procissão de Nossa Senhora da Glória, padroeira de Cruzeiro do Sul, ninguém se assuste em ver políticos com cara de carolas, contritos, carregando uma vela acesa. Não se trata de nenhum fervor religioso, profissão de fé, promessa, mas de aparecer para os milhares de participantes que são devotos da Santa. Tudo papo furado. Estarão todos de olhos nos votos. Talvez nem mais rezar uma Ave Maria, Pai Nosso sabem, quanto mais o Salve Rainha.

Propaganda

Blog do Crica

Um governo em busca de um rumo

Publicado

em

Seria desprovido de fatos se apontar algum avanço excepcional do governo Gladson Cameli, como é temerário cobrar solução imediata para todo o desmanche deixado, principalmente, pelos últimos quatro anos da administração Tião Viana. Afinal, não se fechou nem 60 dias de gestão. Um ponto, para quem milita na imprensa é importante, o dele vir cumprindo a sua defesa de que em seu governo a liberdade de expressão ia prevalecer. Até aqui tem mantido a postura. É salutar que isso aconteça. Muito embora alguns súditos, na ânsia de agradar, queiram ser mais reais que o rei e se insurgem contra uma simples visita do vice-governador Major Rocha, acompanhado da imprensa no HUERB, com notas toscas, sentimentais e sem sentido. Foi uma defesa do nada. Mas voltando ao governador Gladson Cameli, é preciso que defina de maneira urgente, de forma oficial, quem é o seu articulador político e consulte sempre a PGE quando tomar medidas que impliquem em repercussões jurídicas. Ao praticamente acabar com o IMC, brecou o canal da vinda de recursos internacionais na área ambiental. O que mais tem causado desgaste à sua imagem nas redes sociais é o fato de nomear figuras exponenciais nos governos petistas para cargos de confiança, prática que prometeu abolir. E continua acontecendo. Tem sido muito criticado, neste aspecto. Está tudo muito solto. Sobre medidas práticas pode-se citar como positiva a determinação de concluir as várias obras abandonadas pelo antecessor, definido a contratação dos aprovados nos concursos da Polícia Militar e Civil e de pagar o calote do 13º salário do servidor deixado pela gestão passada. Quer apresentar um pacote de obras concluídas nos 100 dias de governo. E a missão está em boas mãos, do jovem e competente engenheiro Thiago Caetano, Secretário de INFRAESTRUTURA. Na parte política é que está mais resguardado: tem maioria dos deputados estaduais, federais e todos os três senadores ao seu lado. Isso é importante para abrir portas, em Brasília, aprovar projetos, principalmente, agora quando se trata da Reforma da Previdência. Em suma tem que arranjar recursos extras, nos ministérios, fazer empréstimos, se quiser tocar projetos de maior relevância. Pelo tempo exíguo é cedo, muito cedo, para uma análise profunda do governo Gladson. Mas, no momento oportuno será feita. Até porque a lua de mel política com todo novo governante tem prazo de validade. O ponto concreto que se pode antever é de que terá de se esforçar muito para conseguir ser pior que o desastrado governo passado. Não consigo acreditar, mesmo no início de administração, que quebre o recorde negativo. No mais é esperar para ver qual é mesmo o rumo deste governo.

SERVIU DE RISOS

As várias “notas” de setores do PROGRESSISTAS serviram de riso. Eram de “solidariedade” ao secretário Alysson Bestene, a quem em nenhum momento da visita do vice-governador Major Rocha ao HUERB, tenha sido lhe atribuída a culpa pelo caos em que se encontra a saúde.

QUEM É QUE VAI ATRIBUIR?

Como é que pode atribuir ao secretário Alysson, que mal assumiu, o desastre da Saúde?

QUEM É QUE PODE?

E tem um caroço neste angu, o Rocha visitou o HUERB como o governador em exercício, com os mesmos poderes constitucionais que tem o titular do cargo. Se ele, como governador no momento, não podia fazer uma visita a uma unidade de saúde, quem é que pode?

AGRESSÃO DE NADA

O fato de terem sido encontradas portas danificadas e outras mazelas não se pode dizer que culpa lhe cabe, todo mundo sabe o tamanho das dívidas que o secretário de saúde, Alysson Bestene, herdou dos gestores passados. Indicar pontos a serem sanados não é agressão.

PODEM IR SE ACOSTUMANDO

Ainda é cedo para cobranças mais efetivas. Mas os secretários e os que os circundam assimilem de vez que não estão mais na oposição, mas na situação, e que na campanha foi prometido acabar com o caos. Passado os 100 acabou a lua de mel e cobranças acontecerão.

QUEM DISSE FOI QUEM MANDA

Não foi a imprensa, nenhum badeco, que disse que chegado aos 100 dias de governo, o secretário que não apresentasse algum resultado o caminho era o da rua foi o governador Gladson Cameli. E o fez de forma reiterada. Então para todos, mais trabalho e menos faniquitos.

MOEDA DE DOIS LADOS

O ex-presidente do PT, André Kamai, disse em entrevista que o governo Gladson Cameli não é imune às críticas. Governo nenhum é. Pode é deve ser criticado. Mas falta legitimidade a quem foi avalista do desastrado último governo em se arvorar a apontar soluções para os problemas que deixaram.

REAPROXIMAÇÃO CLARA

Nomeações, visitas da cúpula petista, são sinais que estão a indicar uma reaproximação política da prefeita Socorro Neri com o PT. Até aqui vinha dando o seu perfil à sua gestão. Tenho as minhas dúvidas de que uma simbiose com um PT desgastado a ajude politicamente.

CONVERSA COM A IMPRENSA

O secretário de INFRAESTRUTURA ,Thiago Caetano, reúne a imprensa hoje ás 8 horas no Teatrão para fazer uma explanação sobre as ações da sua pasta e os projetos para executar. É um exemplo aos demais secretários de mostrar à opinião pública as metas das suas pastas.

CANDIDATO, SIM SENHOR!

Não sei os demais partidos da coligação que elegeu o governador Gladson Cameli, mas posso adiantar, porque já ouvi mais de uma vez do vice-governador Major Rocha, que o PSDB terá candidato a prefeito da capital. E já chegou aventar convite para filiação do Minoru Kinpara.

OUTRO PORTO

O ex-Reitor Minoru Kinpara, que teve uma votação estupenda na capital sem os recursos dos demais candidatos ao Senado, terá que buscar outro porto político, porque o REDE, seu partido, não atingiu a cláusula de barreira. E, ele tem de preservar o seu novo capital político.

NÃO ESCAPAVA UM

O vereador N.Lima (PSL), sem uma base jurídica, defende o impeachment da prefeita Socorro Neri, sob o argumento que a cidade está cheia de buracos em suas ruas. Se o vetor buracos fosse aplicado em todos os municípios, não escaparia um prefeito de perder o mandato.

MELHOROU A RESOLUTIVIDADE

As execuções continuam em patamares parecidos com o do governo passado, muito altas. Mas chama a atenção nesta nova gestão da segurança, o alto o grau de resolução dos crimes. E também que, os atos da secretaria de Segurança estão tendo uma divulgação ideal e célere.

UMA CORREÇÃO

O deputado Chico Viga é do PHS e a deputada Juliana Rodrigues do PRB. Fica a correção sobre nota que foi publicada com os nomes dos dois parlamentares. Foi um equívoco pela pressa.

CUMPRINDO UM RITUAL

O ex-prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre, que foi derrotado na disputa do governo, chega no horário para cumprir seu expediente na secretaria de INFRAESTRUTURA, e deixa o trabalho dentro do horário. Política, ideologia de lado, falo do cidadão: o Marcus é correto.

O POVO É QUE DÁ O TOM

O prefeito de Sena Madureira, Mazinho Serafim, não deve ficar preocupado sobre quem estará ou não estará no seu palanque no próximo ano, quando disputar a reeleição. Se a sua administração chegar em alta na campanha eleitoral, é irrelevante quem estará lhe apoiando.

POVO AVALIOU DIFERENTE

O deputado Jenilson Lopes (PCdoB) avalia que, o ex-prefeito Rodrigo Damasceno não foi tão mal na gestão da prefeitura de Tarauacá, mas errou na dose política. Há controvérsias. Se tivesse sido de fato um prefeito bom na gestão, bem avaliado, as urnas não lhe rejeitariam.

DENTRO DAS LIMITAÇÕES

Dentro das suas limitações oratórias e do nervosismo de início de mandato, o deputado Neném Almeida (PSD), tem sido muito participativo nos debates na ALEAC, na defesa do governo Cameli, ao ponto de ser dito pelos adversários que, quer derrubar o deputado Gerlen Diniz (PROGRESSISTAS) da liderança do governo.

É UM DESASTRE

Toda vez que um filho do Jair Bolsonaro ou a ministra Damares falam, é uma crise no governo ou chacota na imprensa. Deveriam ser proibidos de falar até o fim da gestão do presidente, seria a maior contribuição que poderiam dar para o sucesso da sua corrida para mudar o Brasil.

NÃO É A HECATOMBE

Falando no presidente Jair Bolsonaro, não vem sendo a hecatombe que os petistas previam, ao contrário, vem cumprindo exatamente o papel prometido na campanha e se cercado de bons auxiliares. Não se pode é exigir do Bolsonaro e seus ministros que cultuem os mitos petistas.

NÃO APOSTEM NO INSUCESSO

Não é pelo episódio controverso do carnaval que a competência da secretária de Turismo, Eliane Sinhasique, terá a sua gestão avaliada, mas pelo saldo futuro. O governo mal deu os seus primeiros passos. Conheço a Eliane de décadas, não aposte no fracasso da sua missão.

BOM PARA A DEMOCRACIA

Quando os debates na Assembléia Legislativa acontecem de forma dura, mas qualificada, como está ocorrendo neste início de legislatura, é bom para a população, porque se vê bem representada e para o governo, que vê os seus erros apontados. O pior que pode acontecer a um governador é ter um Legislativo sem uma oposição de qualidade, porque isso acontecendo, vai praticar atos danosos e todos ficarão a lhe dizer amém e sim senhor. Uma oposição forte, propositiva, é da maior importância no parlamento. É unanimidade entre os colegas de imprensa de que a atual composição do Legislativo tende a ser mais ativa, com mais debates importantes do que foi na última safra da ALEAC. A omissão tem de ser varrida.

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.