Conecte-se agora

Familiares de adolescentes desaparecidas são presos no Bujari

Publicado

em

Durante diligencias a procura de pistas do paradeiro das adolescentes Amanda Gomes e Isabelle Lima, a polícia conduziu três pessoas, entre elas dois integrantes das famílias das jovens à Delegacia de Flagrantes (Defla), na noite de quarta-feira (08).

O grupo, que estava em cinco pessoas, teria ido ao município do Bujari após obterem informações de que as jovens desaparecidas teriam sido vistas na companhia de um homem e foram em busca de imagens de câmeras de segurança.

Durante a abordagem da polícia ao veículo em frente a uma agência do Banco do Brasil, entre o grupo estavam o pai de Amanda, a tia de Isabelle e mais três pessoas, entre elas, um foragido da justiça e um homem em posse de uma arma de fogo. Dois deles conseguiram fugir. Os nomes dos conduzidos foram preservados pela polícia na intenção de manter a integridade dos familiares já que ainda iriam passar por audiência.

“Nos ainda não sabemos o que iriam fazer, vamos ainda apurar o que buscavam com essa reunião lá no Bujari. É um cenário que tá ganhando um corpo muito maior, são situações que tão ganhando outros ares e estamos tentando descobrir os porquês. Inclusive a senhora que foi conduzida a delegacia esteve com a gente durante todo o dia de ontem aqui, nos acompanhou pessoalmente nas buscas no bairro Taquari e depois nós tivemos a surpresa de vê-la conduzida à Delegacia de Flagrantes, mas vamos deixar claro aqui que essas pessoas não tem ligação com o desaparecimento dessas meninas. Estamos averiguando a motivação para estarem reunidos, acredito que por motivo de vingança, mas vamos apurar”, disse o delegado Rêmulo Diniz.

A VERSÃO DA FAMÍLIA

Perguntados sobre a situação da prisão de dois integrantes de familiares das jovens, eles se defenderam. A ida até o município do Bujari teria sido motivada para buscar imagens das câmeras de segurança por receberem uma ligação de que as meninas teriam sido vistas na companhia de um homem numa parada de ônibus.

“A gente teve uma ligação no telefone da irmã da Amanda. Ligaram pra ela, o cara não ligou restrito, ligou normal se identificando que era o dono de uma panificadora dizendo que tinha uma filmagem que tinha visto as meninas numa parada de ônibus com um rapaz e tinha filmagens. A família da Isabelle foi cedo, passou o dia lá com a polícia e quando foi a tarde chegou um conhecido do meu cunhado, pai da Amanda e disse: vamo lá eu tenho dois colega meu que conhece tudo lá no Bujari vamos dar uma procurada?! Meu cunhado no aperreio foi e chegando lá encontrou os conhecidos do homem entre eles esse que tava armado e ele nem sabia, entraram no carro foram fazer a busca pela cidade foi quando a polícia abordou eles. Meu cunhado não sabia de nada tanto que foi liberado já”, disse a tia de Amanda que pediu para não ser identificada.

SOBRE O DESAPARECIMENTO

Após encontrarem um pedaço da jaqueta de uma das meninas desaparecidas próximo ao local onde o corpo de Victor Hugo foi encontrado assassinado dentro de um poço, o delegado informou que mandou o pedaço de tecido para passar por perícia e verificar se há indícios de sangue ou material que possa lhe dar alguma pista sobre o caso. Diligências estão sendo realizadas ainda no Taquari e também no Bujari, após surgir informações de que elas teriam sido vistas por lá. Imagens de câmeras de segurança estão sendo coletadas e analisadas. Durante a tarde, mais equipes sairão em busca de pistas em regiões apontadas pelas investigações.

Propaganda

Cotidiano

Ageac assume desafio pela reestruturação e expansão dos serviços de regulação

Publicado

em

Samuel Bryan/Secom

A Agência Reguladora dos Serviços Públicos do Acre (Ageac) se prepara para nesta nova gestão se reestruturar e conseguir expandir seus serviços de fiscalização em todo o Estado nos órgãos que prestam funções importantes dentro do segmento econômico e social.

No Acre, a Agência Reguladora do Estado controla e fiscaliza os serviços prestados nos âmbitos de saneamento público, abastecimento energético e transporte público e intermunicipal.

Segundo a presidente da Ageac, Mayara Lima, o desafio agora é que a Agência passe por uma completa reestruturação, com um aumento de parcerias, principalmente dentro do próprio governo estadual, já que os serviços prestados também incluem os contratos do Estado nos três segmentos.

“Nosso primeiro passo é estruturar a Agência. Para se fazer convênios com as agências reguladoras nacionais são necessários passos técnicos rigorosos e não é fácil. São gargalos e objetivos muito maiores e pra isso precisamos estruturar a nossa agência a nível de Estado, como estrutura e corpo profissional”, conta a presidente.

Atuação pela eficiência

Responsável por fiscalizar todos os contratos energéticos de órgãos públicos estaduais, a Ageac conseguiu só em 2017 uma economia de R$ 10 milhões no pagamento de dívidas acumuladas. A busca do órgão por uma parceria com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) também é primordial, com um convênio que pode chegar a R$ 5 milhões.

Na área de saneamento básico, a parceria da Ageac com o Depasa trabalhará principalmente no equilíbrio da receita do órgão. Além disso, nos próximos dias, uma campanha conjunta começará contra o desperdício de água tratada na capital, que chega a números alarmantes.

Já na área de transporte intermunicipal, a Agência seguirá com uma parceria entre o Departamento Estadual de Trânsito (Detran), o Departamento de Estradas de Rodagem (Deracre), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a RBTrans na fiscalização dos veículos autorizados a fazer linhas de transporte, inclusive intermunicipal, as famosas ‘lotações’.

A presidente

Mayara Lima é a nova presidente da Ageac. Advogada formada pela Universidade Federal de Rondônia (Unir), ela já atuou na Agência e contribuiu para a regularização de seus serviços por meio de projetos de lei.

Trabalhou por doze anos em um escritório de advocacia e aceitou o convite do governador Gladson Cameli para voltar ao órgão.

Continuar lendo

Cotidiano

Secretaria de Educação diz que datas das provas de concurso estão mantidas

Publicado

em

A Secretaria de Educação emitiu nota nesta quarta-feira, 23, na qual desfaz informações desencontradas de que as datas de realização do concurso para professor da rede estadual sofreram alterações.

“No próximo domingo, 27, serão realizadas apenas as provas objetiva, discursiva e entrega de títulos do concurso para o cargo de professor efetivo”, diz a nota.  O dia de provas para os professores provisórios também não sofreu mudança, ficando em 17 de fevereiro.

Leia a nota:  

A Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esportes do Acre (SEE) vem a público esclarecer os fatos a respeito da informação equivocada divulgada pelo site www.noticiasconcursos.com.br na última terça-feira, 22.

O referido portal informou que houve mudanças nas datas das provas do Concurso Público para Professor Efetivo e do Processo Seletivo para Professor Provisório da SEE, mas a informação não procede.

No próximo domingo, 27, serão realizadas apenas as provas objetiva, discursiva e entrega de títulos do concurso para o cargo de Professor Efetivo.

Já as provas dos seis processos seletivos para Professores Provisórios permanecem com a mesma data de realização, marcada para o próximo dia 17 de fevereiro.

A SEE reitera que os candidatos devem se informar acerca dos certames da Educação única e exclusivamente no portal da banca organizadora, o Ibade (www.ibade.org.br), e pelas publicações realizadas no Diário Oficial do Estado do Acre (www.diario.ac.gov.br).

Outros dois meios oficiais de divulgação das notícias do Concurso Público e dos Processos Seletivos são o portal da Secretaria de Educação, Cultura e Esportes (www.see.ac.gov.br) e a Agência Notícias do Acre (www.agencia.ac.gov.br).

Outros esclarecimentos referentes ao Concurso Público podem ser obtidos por meio dos telefones (21) 3674-9190/3527-0583 (Rio de Janeiro) e (68) 3025-0735 (Rio Branco) ou pelo e-mail [email protected].

Continuar lendo

Cotidiano

Cliente que teve capacete furtado deve receber R$ 1.000,00 de indenização

Publicado

em

O 2º Juizado Especial Cível da Comarca de Rio Branco deferiu o pedido de uma mulher, que teve o capacete furtado dentro de estacionamento do Via Verde Shopping, em Rio Branco.

A empresa responsável pelo estacionamento do shopping deve pagar indenização no valor de R$ 1 mil à parte autora pelos danos morais. Contudo, da decisão ainda cabe recurso.

Decisão

O juiz de Direito Matias Mamed, titular da unidade judiciária, assinalou que a requerente comprovou ter estacionado sua motocicleta no referido estabelecimento, apresentando o comprovante e o pagamento deste.

Apesar de a reclamada ter contestado a falta de comprovação da ocorrência da subtração do objeto no referido local, também não apresentou imagens do videomonitoramento, desta forma, ela não se desincumbiu do ônus do evento danoso.

O magistrado apontou a ocorrência de descaso no atendimento ao consumidor e confirmou a responsabilidade da empresa, enfatizando que a punição tem o intuito de evitar a repetição desse tipo de fato no local.

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.