Conecte-se agora

Com Estrelão parado, Secretaria de Segurança Pública gasta quase R$ 80 mil com querosene de aviação

Publicado

em

Com o helicóptero Comandante João Donato, o Estrelão, sem operar por suas hélices estarem já há alguns meses em manutenção em Minas Gerais, a Secretaria de Segurança Pública decidiu gastar R$ 79,4 mil com a compra de querosene de aviação. O estoque de combustível servirá até o fim do ano.

No começo da semana, o governo informou à reportagem do ac24horas que os serviços de manutenção no Estrelão vão durar 30 dias, mas não informou quando as hélices saíram do Acre para a fábrica da Helibrás em Minas Gerais.

Além de ser usado para as ações de policiamento aéreo, o helicóptero realiza resgastes de pessoas envolvidas em acidentes em áreas de difícil acesso, mais o transporte de autoridades do governo para agendas oficiais pelo interior.

Propaganda

Destaque 6

Gol Linhas Aéreas terá voos diurnos para o Acre em junho

Publicado

em

FOTO: IMAGEM ILUSTRATIVA

A partir de junho deste ano, o Estado do Acre passará a contar com voos diurnos da companhia aérea Gol. O anúncio foi feito pelo presidente do Instituto Gol, Claudio Neves Borges, durante reunião com o governador Gladson Cameli, em Brasília.

As cidades de Rio Branco e Cruzeiro do Sul serão beneficiadas. A venda dos bilhetes já começa em fevereiro. Com frequência diária, o voo sairá de Brasília às 9h35 e chegará ao aeroporto de Rio Branco às 11h30. Em seguida, o mesmo avião segue para Cruzeiro do Sul. O retorno será às 13h05, passa pela capital acreana e pousa em Brasília às 19 horas.

A suspensão dos voos acarretou uma série de transtornos no deslocamento de passageiros do Acre para outras regiões do país, por ser o único diurno que a população contava. Atualmente, os quatro voos que chegam e saem do estado são operados durante a madrugada.

Com o novo voo garantido, o Acre ganha mais 298 assentos diários.

Continuar lendo

Destaque 6

“A minha caneta está sem tinta”, diz Rocha no comando do Acre

Publicado

em

Com a ausência do governador do Acre Gladson Cameli (Progressistas) até a noite desta terça, 22, o comando do Estado vem sendo exercido pelo vice, Major Rocha (PSDB), desde o último sábado (19). O tucano, ao que tudo indica, vem apenas esquentando a cadeira de Gladson enquanto ele cumpre a agenda em Brasília.

Desde ontem o Diário Oficial não traz nenhum ato assinado pela governadoria ante a ausência do titular do cargo. Decretos com novas nomeações, atos de gestão, cessão de servidor, medidas de austeridade, todos estes atos palacianos parecem ficar praticamente paralisados quando Gladson Cameli não se encontra por terras acreanas.

A minha caneta está sem tinta”, diz o vice. A afirmação não é sobre o esvaziamento de suas atribuições enquanto no exercício de governador. A resposta foi dada quando perguntado sobre se já havia demitido os secretários, prática que era recorrente na política do Acre da década de 1990.

Mas a resposta do tucano pode, sim, cair como uma luva diante da perda de poder quando no comando temporário do governo. A situação chama a atenção quando se comparada com as gestões petistas.

Na ausência de Sebastião Viana (PT) em agendas fora do estado, era comum a sua vice, Nazareth Araújo (PT), assinar pequenos atos administrativos para não comprometer o andamento da gestão.

Desde o início do novo governo, em 1º de janeiro, Rocha assumiu o Palácio Rio Branco em duas ocasiões, sendo essa a mais longa. Em nenhuma delas a caneta tucana pode desfrutar de deslizar pelos papéis oficiais do poder.

Continuar lendo

Destaque 6

Iapen demite dois agentes e determina afastamento de outros

Publicado

em

O Instituto de Administração Penitenciária do Acre demitiu nesta segunda-feira, 21, os agentes penitenciários Marivaldo Vitor da Silva e Josimar dos Santos Ferreira. A portaria de demissão dos Agepens consta no Diário Oficial e é assinada pelo diretor-presidente Lucas Bolzoni.

De acordo com apuração de ac24horas, Marivaldo Vitor da Silva, preso em fevereiro de 2018 ao tentar entrar no Presídio de Segurança Máxima Antônio Amaro, em Rio Branco, com munição de uso restrito. As investigações apontaram que Marivaldo possuía envolvimento com uma facção criminosa, tendo sido encontradas cartas com pedidos de presos, que teriam tido os materiais solicitados entregues pelo agente, que integrava a turma de servidores do ano de 2012.

Já Josimar foi preso em julho de 2017 após deixar dois celulares na ventilação de uma das celas da unidade prisional Evaristo de Morais, em Sena Madureira. O delegado que investigou o caso, Marcos Frank, informou que o agente confessou o crime e afirmou que estava sendo ameaçado pelos presos. Ele também foi condenado pela justiça, o que ocasionou sua demissão.

Além das portarias de demissões, foram publicadas no diário oficial também 4 portarias investigando agentes penitenciários que no documento tiveram apenas suas iniciais divulgadas. Esses agentes também foram afastados de suas funções pelo prazo de até 60 dias, até o fechamento de processo administrativo.

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.