Conecte-se agora

Há um ano no Acre, Sicredi tem 1,2 mil associados e libera R$ 18 milhões em crédito

Publicado

em

A cooperativa Sicredi Noroeste MT e Acre comemora os resultados alcançados no primeiro ano de atuação em solo acreano. O ano de 2017 foi marcado pela expansão da cooperativa para o Estado do Acre, com o desafio de levar o cooperativismo de crédito a um número maior de pessoas, agregar renda e melhorar a qualidade de vida dos novos associados, o que consequentemente movimenta a economia e promove o desenvolvimento local. Em maio fez um ano da inauguração da agência de Acrelândia e este mês completa um ano da abertura da agência de Rio Branco.

De acordo com o presidente da Cooperativa, Eduardo Ferreira, a boa recepção no Acre facilitou para o progresso das atividades. “Quando fizemos nossa primeira visita ao Estado do Acre pudemos ver a grande oportunidade que tínhamos conquistado, mas o que nos surpreendeu foi a maneira como o povo acreano nos recebeu em todas as cidades que visitamos.”

Os números alcançados surpreendem. O diretor-executivo da cooperativa, Ediano José Neves, comenta que as metas traçadas para o primeiro ano de atuação foram alcançadas antes do previsto. Já são 1,2 mil associados no Estado, com uma movimentação de R$ 18 milhões em crédito para o fomento de negócios que geram desenvolvimento, emprego e renda.

“É mais dinheiro em circulação na economia dessas cidades. Estamos contribuindo tanto do ponto de vista econômico quanto social, e nosso desafio é reforçar, com o passar do tempo, o nosso compromisso de fomentar o desenvolvimento local”, afirma ele.

O público atendido pelo Sicredi no Acre não diferencia tanto em relação aos associados que a cooperativa possui em Mato Grosso. Segundo Neves são pessoas físicas urbanas, servidores públicos, pequenos, médios e grandes produtores rurais e empresas de diferentes portes.

O interessante, destaca ele, é que as pessoas que se associam à cooperativa trazem outras para participar, o que gera boas expectativas quanto ao crescimento na base de associados e nas movimentações financeiras realizadas pela cooperativa, o que reflete diretamente na captação e na oferta de crédito aos associados, ou seja, nos ativos administrados por ela.

Os bons resultados registrados até agora sustentam os planos de expansão traçados pela cooperativa em território acreano. No próximo ano está programada a inauguração da segunda agência em Rio Branco, e nos próximos cinco anos quatro novas agências serão abertas no Estado, em quatro municípios diferentes.

“Estamos monitorando 10 municípios e já temos demanda de três deles. Vale lembrar que o Sicredi vai para os municípios que desejam a presença da instituição financeira cooperativa. A vontade da comunidade é primordial na decisão de abrirmos uma agência”, comenta Uelligton Júlio da Silva, gerente regional de Desenvolvimento da Cooperativa Sicredi Noroeste MT e Acre.

Ele ressalta que, além do portfólio de produtos e serviços financeiros oferecidos pelo Sicredi, que compete em igualdade com os bancos tradicionais, a instituição financeira cooperativa oferece diferenciais como o relacionamento simples, próximo e ativo junto aos seus associados.

Outra vantagem é a distribuição das sobras, ou seja, receber de volta parte do lucro obtido pela cooperativa ao fim do exercício, cujo valor é proporcional às movimentações financeiras feitas na cooperativa.

“Além de oferecer produtos e serviços, orientamos nossos associados a tomar a melhor decisão na hora de contratar um crédito ou investir. Primamos pela educação financeira e consumo consciente, em uma estratégia em que todos ganham. Porque se nosso associado ganha, nossa cooperativa se fortalece”.

Uma das pessoas que acredita no propósito do Sicredi é o empresário Antônio Anastácio de Jesus, que tem um escritório de consultoria rural. Ele foi um dos primeiros associados da cooperativa em Acrelândia e seu empenho foi fundamental na prospecção de novos associados.

Seu envolvimento com a cooperativa e a demonstração de que acredita nos ideais do cooperativismo de crédito o levaram a ser eleito coordenador de núcleo da cooperativa no Acre.

“A cooperativa Sicredi veio para o Acre, em Acrelândia e Rio Branco, para trazer o progresso, para melhorar nossas cidades. Ela abriu as portas para o pequeno e grande agricultor e para o pequeno e grande comerciante, além do servidor público, que agora tem a opção de fazer suas movimentações financeiras em uma cooperativa de crédito”, pontua, ao complementar que tem orgulho de participar do trabalho que o Sicredi faz no Estado.

“Agora, completando um ano da implantação do Sicredi no Acre, temos que parabenizar e agradecer a todos os que acreditaram e se envolveram no desenvolvimento deste projeto de expansão da nossa cooperativa para este rico Estado, tanto aos associados quanto aos colaboradores”, ressalta o presidente da cooperativa, Eduardo Ferreira.

Propaganda

Acre

Jéssica participa de inaugurações de obras em Porto Walter

Publicado

em

A praça Imaculada Conceição tornou-se o novo cartão postal do município de Porto Walter. A obra foi construída com recurso federal, proveniente de emenda da deputada federal Jéssica Sales (MDB) no valor de R$ 1,5 milhão, através do Ministério da Defesa. A nova praça possui iluminação pública, paisagismo, calçamento, além de uma academia popular, boxes para venda de alimentação playground e um lindo mirante.

A deputada Federal Jéssica Sales (MDB) participou nesse sábado, 08, no município de Porto Walter, a convite do prefeito Zezinho Barbary, da solenidade de inauguração de um grande pacote de investimentos no município, incluindo a entrega de barcos e equipamentos de apoio à saúde, pavimentação da Rua Beira Rio e revitalização das Praças Imaculada Conceição e Vicente Lopes.

Dentre os investimentos, a revitalização da praça Imaculada Conceição era a obra mais aguardada pela população. Milhares de devotos da padroeira da cidade, compareceram à solenidade, que também foi marcada pela celebração da última noite de novenário em honra a padroeira. Um momento especial aos munícipes e também à Deputada Jéssica Sales, que ressaltou a felicidade em ver concretizado mais um importante investimento fruto de sua atuação parlamentar.

“Meu sentimento é muita alegria em ver concretizada mais uma importante obra conquistada através do meu mandato de Deputada Federal. A revitalização da Praça Imaculada Conceição foi a primeira indicação de emenda que fiz há quatro anos e agora está sendo entregue a população. Por isso, parabenizo o prefeito Zezinho Barbary e toda a sua gestão pelo excelente trabalho que estão fazendo. A administração do Zezinho é um exemplo para todos os prefeitos do estado do Acre, que mesmo em tempos de crise não fez disso um pretexto ou desculpa. Pelo contrário. Arregaçou as mangas e superar as dificuldades e a cada dia que passa traz mais desenvolvimento ao município e progresso à população. Por isso também não tenho medido esforços. Já foram mais de 8 milhões de reais que destinei a Porto Walter”.

Jéssica Sales ainda ressaltou que muito em breve terá em outros municípios acreanos participando de inaugurações e entrega de equipamentos. “Em minha ida a Porto Walter constatei que a UBS da comunidade Simpatia, em Cruzeiro do Sul já está pronta, assim também como o novo Cras; a praça da Vila Lagoinha. São recursos de emendas de minha autoria e que estou ansiosa e faço questão de participar da entrega. E do mesmo modo também irei em breve entregar uma Pick-up de apoio a saúde do município de Mâncio Lima. Continuo fazendo política do jeito certo, como aprendi com meus pais, Vagner e Antonia Sales, porque mandato é para servir e trazer resultados concretos, colocando as pessoas sempre em primeiro lugar”, finalizou.

Continuar lendo

Acre

Senador Jorge Viana participa da Conferência do Clima, na Polônia

Publicado

em

O senador Jorge Viana integra a comitiva de parlamentares que participam nesta semana da Conferência das Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP24), realizada na Polônia. Como ex-presidente e atual relator da Comissão Mista de Mudanças Climáticas do Congresso Nacional, Jorge Viana participou da primeira agenda com os parlamentares neste domingo (09) com uma reunião da União Interparlamentar (UIP), entidade que reúne congressistas de todo o mundo. Senadores, deputados e comissões dialogam com lideranças, ativistas e especialistas presentes ao evento na tentativa de garantir o cumprimento dos compromissos assumidos no Acordo de Paris.

A conferência que começou no dia 2 de dezembro, em Katowice, Polônia, vai até a próxima sexta-feira (14). Ao longo da última semana, foram divulgados estudos que apontam os riscos do aquecimento global para o meio ambiente, para a saúde humana e para o desenvolvimento da economia.

O senador Jorge Viana entende que as pessoas precisam entender a necessidade de conter o avanço do aquecimento global. “A grande discussão deste evento é o que os parlamentos do mundo têm que fazer vinculados ao acordo do clima. Não é só ratificar o acordo, mas agora todo o aparato de legislação voltado para uma economia de baixo carbono [que diminui o impacto da produção e queima de energia, bem como a emissão de gases do efeito estufa]. Agora, como alcançar isso é o problema. Não pode ser algo que venha só do governo, não pode ser de um segmento da sociedade, tem que ser de todos”, disse o senador.

Segundo Jorge Viana, a COP24 tem importância destacada na reta final da implementação definitiva do chamado Acordo de Paris, assinado em 2015 na COP21. O senador citou relatórios apresentados pela Organização das Nações Unidas (ONU) que reforçam que metas de limitar o aumento da temperatura global em até 2 graus Celsius, ou 1,5 graus Celsius, como prevê o Acordo de Paris, só serão alcançadas se os países adotarem de forma urgente medidas que reduzam de forma significativa as emissões de gases de efeito estufa.

“Em uma reunião da União Interparlamentar, nós vimos que o gasto com as consequências da mudança do clima chega a US$ 400 bilhões e que o custo de prevenção é bem mais baixo. As Nações Unidas falam que os desastres climáticos estão se multiplicando e que a cada dólar investido em prevenção são economizados sete dólares em reconstrução”, apontou.

Os representantes do Parlamento brasileiro ainda realizaram nesta segunda-feira (10) o Evento Parlamentar, no Espaço Brasil, um ambiente específico que todo país participante tem direito dentro do pavilhão onde ocorre a COP24. O tema foi a agenda do Legislativo frente às mudanças climáticas e a política de redução de resíduos tóxicos.

“O custo que a humanidade vai pagar se não implementar o Acordo de Paris será muito alto. É mais barato, mais civilizado e mais importante para a vida no planeta a prevenção e a implementação de uma economia e de uma vida de baixo carbono”, declarou Jorge Viana em suas redes sociais.

Além do senador Jorge Viana, estão na Polônia os senadores João Capiberibe (PSB-AP), Lídice da Mata (PSB-BA), Hélio José (Pros-DF) e Gladson Cameli (PP-AC). Os deputados federais Janete Capiberibe (PSB-AP), Leonardo Monteiro (PT-MG) e Thiago Peixoto (PSD-GO) também participam dos debates.

Continuar lendo

Acre

Conselho de Saúde da capital faz críticas à gestão de Sebastião

Publicado

em

Numa demonstração de que a gestão municipal da prefeita Socorro Neri (PSB) vem adotando uma postura mais independente em relação aos seus padrinhos políticos no governo estadual, o Conselho Municipal de Saúde produziu, em ata, uma moção de repúdio à gestão Sebastião Viana (PT) quanto ao gerenciamento das Unidades de Pronto Atendimento (UPA) na capital.

O repúdio foi produzido em 29 de novembro, sendo publicado na edição desta segunda-feira (10) do Diário Oficial. As críticas são voltadas para o que se classificou como condições precárias de funcionamento da UPA Franco da Silva, localizada na Baixada da Sobral.

“O Conselho Municipal de Saúde de Rio Branco repudia a forma como os profissionais da área da saúde estão trabalhando, precariamente, atendendo os usuários sem as mínimas condições, sem equipe completa, acarretando sérios problemas no dia a dia dos plantões daquela unidade”, diz trecho da nota.

A moção de repúdio afirma que a UPA da Sobral está sobrecarregada, sofrendo, principalmente, com a falta de profissionais, incluindo médicos. A unidade é responsável por atender as comunidades da região que concentra a maior densidade populacional de Rio Branco.

Com UPAs de outros bairros também passando por dificuldades, moradores de regiões diferentes também acabam por procurar atendimento nela. A nota culpa a “ineficiência da gestão estadual sobre as unidades de pronto atendimento” para o atual problema vivido pela UPA da Sobral neste fim de mandato do médico Sebastião Viana.

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2017 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.