Conecte-se agora

Vagner Sales é denunciado por peculato durante pagamento de R$ 600 mil

Publicado

em

O ex-prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales (MDB), foi denunciado pelo Ministério Público do Acre (MP/AC) essa semana, pelo crime de peculato. A informação está no site Juruá em Tempo, que obteve cópia da denúncia enviada à 2ª Vara Cível da Comarca de Cruzeiro do Sul.

Segundo a denúncia, o crime teria sido cometido quando Sales autorizou o pagamento que margeia R$ 600 mil a barqueiros contratados pela prefeitura para o transporte escolar de alunos da rede pública entre a cidade e a Comunidade “Boca do Moa”. Um dos barqueiros teria recebido, no papel, R$ 200 mil, valor muito acima do efetivamente pago.

A denúncia também alcança o ex-secretário de finanças do município, José Eudes Bandeira Freire. Um outro político da cidade também pode ser arrolado, já que foi citado por um dos barqueiros ouvidos pelo MP/AC. Este, por exemplo, recebia um salário mínimo, mas denunciado que teriam sido pagos valores maiores.

O golpe foi aplicado envolvendo os nomes e os respectivos CPF’s de dois donos de barcos (catraieiros) da cidade, os quais recebiam um salário mínimo por mês para a execução do trabalho enquanto os acusados ficavam com o valor principal, denunciou o promotor de justiça substituto e representante do Ministério Público na região, Antônio Alceste Callil de Castro.

O promotor pede a indisponibilidade de bens do ex-prefeito, incluindo dinheiro depositado em contas bancárias, automóveis e até mesmo a apreensão de semoventes (bois e cavalos) encontrados em grandes quantidades na fazenda de Vagner Sales.

Em depoimentos prestados, os barqueiros ouvidos confirmaram o transporte das crianças durante os 200 dias etivos, conforme contratado, No entanto, na prestação de contas enviadas ao Tribunal de Contas do Estado (TCE), que se negou a aprová-las apontando outras irregularidades, o então prefeito e seu secretário disseram que tais despesas foram da ordem de R$ 607.631,64.

Propaganda

Destaque 7

Alysson Bestene anuncia concurso para 340 profissionais da saúde

Publicado

em

O secretário de Estado de Saúde, Alysson Bestene, anunciou nesta segunda-feira, 18, que vai disponibilizar um levantamento dos cargos dentro do Pró-Saúde, mostrando quem recebia, mas não trabalhava ou que estava ali somente por acomodação política, por não ser profissional de Saúde.

Na tarde desta segunda-feira, às 14 horas, acontece uma reunião, na Casa Civil do Governador, com os sindicatos, com a Secretaria de Fazenda, a de Gestão Administrativa, a Procuradoria Geral da República e os servidores do Pró-Saúde.

Na ocasião, a Secretaria de Saúde vai disponibilizar os dados que revelam uma série de ingerências do governo anterior, incluindo as acomodações de pessoas em cargos políticos que nada tinham a ver com a Saúde. Essa situação contribuiu para o inchaço financeiro e a consequente inviabilidade de programas como o Pró-Saúde, por exemplo.

“Havia pessoas empregadas que não eram para atender a pasta. Um número de cargos comissionados dentro do Pró-Saúde, colocados pelo governo anterior, que não prestava serviços em saúde. E existe uma ação civil pública que exige que essas pessoas sejam demitidas”, ressalta Bestene.

Nesta manhã, em entrevista ao programa Balanço Geral, da TV Gazeta, o secretário reafirmou a realização de concurso público simplificado para 340 profissionais, entre médicos, biomédicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e técnicos em Saúde. O certame, válido por um ano, faz parte do pacote de medidas contidas no decreto que instituiu calamidade financeira na pasta, assinado pelo governador Gladson Cameli, na semana passada.

“Nós já consultamos a Procuradoria Geral do Estado para que procedesse a viabilidade do concurso e ela deu positivo para que Secretaria de Gestão Administrativa lance o edital”, disse Alysson Bestene.

“Então, o Ministério Público do Trabalho e os sindicatos estão cientes dessa situação e vamos ter todo o cuidado [no concurso simplificado] para que entrem as pessoas que realmente estão de acordo com as funções que se exigem delas”, completa o secretário.

Continuar lendo
Propaganda

Leia Também

Mais lidas

Copyright © 2019 Ac24Horas - Todos os direitos reservados.